Random header image... Refresh for more!

Na curadoria do Project Hub

agosto 27, 2016   Encha o copo

Três shows do Radiohead na integra

Radiohead no Passeio Marítimo de Algés, Portugal, 08/07/2016

SET LIST
01 – Burn the Witch (A Moon Shaped Pool)
02 – Daydreaming (A Moon Shaped Pool)
03 – Decks Dark (A Moon Shaped Pool)
04 – Desert Island Disk (A Moon Shaped Pool)
05 – Ful Stop (A Moon Shaped Pool)
06 – My Iron Lung (The Bends)
07 – Talk Show Host (TSO Romeu e Julieta)
08 – Lotus Flower (The King of Limbs)
09 – The Gloaming (Hail to The Thief)
10 – Exit Music (for a Film) (Ok Computer)
11 – The Numbers (A Moon Shaped Pool)
12 – Identikit (A Moon Shaped Pool)
13 – Reckoner (In Rainbows)
14 – Everything in Its Right Place (Kid A)
15 – Idioteque (Kid A)
16 – Bodysnatchers (In Rainbows)
17 – Street Spirit (Fade Out) (The Bends)
BIS:
18 – Bloom (The King of Limbs)
19 – Paranoid Android (Ok Computer)
20 – Nude (In Rainbows)
21 – 2 + 2 = 5 (Hail to The Thief)
22 – There There (Hail to The Thief)
23 – Creep (Pablo Honey)
24 – Karma Police (Ok Computer)

Radiohead no Grant Park, Chicago, EUA – 29/07/2016

SET LIST
01 – Burn the Witch (A Moon Shaped Pool)
02 – Daydreaming (A Moon Shaped Pool)
03 – Ful Stop (A Moon Shaped Pool)
04 – 2 + 2 = 5 (Hail to The Thief)
05 – Myxomatosis (Hail to The Thief)
06 – My Iron Lung (The Bends)
07 – Climbing Up the Walls (Ok Computer)
08 – No Surprises (Ok Computer)
09 – Pyramid Song (Amnesiac)
10 – Bloom (The King of Limbs)
11 – Identikit (A Moon Shaped Pool)
12 – The Numbers (A Moon Shaped Pool)
13 – The Gloaming (Hail to The Thief)
14 – Weird Fishes/Arpeggi (In Rainbows)
15 – Everything in Its Right Place (Kid A)
16 – Idioteque (Kid A)
17 – There There (Hail to The Thief)
BIS:
18 – Let Down (Ok Computer)
19 – Present Tense (A Moon Shaped Pool)
20 – Paranoid Android (Ok Computer)
21 – Nude (In Rainbows)
22 – Bodysnatchers (In Rainbows)
23 – Street Spirit (Fade Out) (The Bends)
24 – Karma Police (The Bends)

Radiohead em São Francisco, EUA, 06/08/2016

SET LIST
01 – Burn the Witch (A Moon Shaped Pool)
02 – Daydreaming (A Moon Shaped Pool)
03 – Ful Stop (A Moon Shaped Pool)
04 – 2 + 2 = 5 (Hail to The Thief)
05 – Bodysnatchers (In Rainbows)
06 – Climbing Up the Walls (Ok Computer)
07 – Exit Music (for a Film) (Ok Computer)
08 – Bloom (The King of Limbs)
09 – Lotus Flower (The King of Limbs)
10 – Pyramid Song (Amnesiac)
11 – Identikit (A Moon Shaped Pool)
12 – The Numbers (A Moon Shaped Pool)
13 – The Gloaming (Hail to The Thief)
14 – Weird Fishes/Arpeggi (In Rainbows)
15 – Everything in Its Right Place (Kid A)
16 – Idioteque (Kid A)
17 – There There (Hail to The Thief)
BIS:
18 – Let Down (Ok Computer)
19 – Present Tense (A Moon Shaped Pool)
20 – Nude (In Rainbows)
21 – Paranoid Android (Ok Computer)
22 – Karma Police (Ok Computer)

Leia também:
– Radiohead honra o mito em São Paulo, por Mac (aqui)
– “Pablo Honey”, por Eduardo Palandi (aqui)
– “The Bends”, por Renata Honorato (aqui)
– “Ok Computer”, por Tiago Agostini (aqui)
– “Kid A”, por Luís Henrique Pellanda (aqui)
– “Amnesiac”, por Marco Tomazzoni (aqui)
– “Hail To The Thief”, por Marcelo Costa (aqui)
– “In Raibows”, por Alexandre Matias (aqui)
– “The King of Limbs”, por Marcelo Costa (aqui)
– Radiohead e Iggy Pop em DVDs baratinhos (aqui)
– “Rocks”, Radiohead: registro matador ao vivo em 2001 (aqui)
– O dia em que o Sigur Ros roubou a festa do Radiohead (aqui)

agosto 25, 2016   Encha o copo

O novo cinema italiano em 7 capitais

Clique na imagem para conferir a programação
Ontem sai da cabine pensando por que catzo havia “esperado” longos 12 anos pra ver este excelente “As Consequências do Amor”, segundo filme da carreira do grande Paolo Sorrentino, lançado em 2004. Talvez tenha sido pela oportunidade de vê-lo em tela grande, no cinema, o que foi bastante especial. Se esse é também seu caso, coloque na agenda: de 25 a 31 de agosto, “As Consequências do Amor” e outros seis filmes de novos cineastas italianos integram a mostra 8 e 1/2 Festa do Cinema Italiano em sete capitais (BH, Brasilia, Curitiba, Floripa, POa, Rio e São Paulo).

Mais infos: http://festadocinemaitaliano.com.br/

agosto 25, 2016   Encha o copo

Um tributo à Psicodelia Nordestina

noabismodaalma

Com curadoria e produção do jornalista Leonardo Paladino, a coletânea inédita “No Abismo da Alma – Um Tributo ao Movimento Udigrudi” visa homenagear artistas como Lula Côrtes, Lailson Cavalcanti, Marco Polo, Almir de Oliveira, Paulo Rafael, Robertinho do Recife, Ivinho, Dicinho, Rafles, Agrício Noya, Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Marconi Notaro, Zé da Flauta, Israel “Semente Proibida”, Zé Ramalho da Paraíba, Flávio Lira e seu Bando do Sol, que criaram o que podemos chamar de beat-psicodelia recifense, uma mistura lisérgica de rock’n’roll com influências de forró, baião, repente, xaxado, embolada e frevo. Ouça o álbum abaixo. Saiba mais sobre o projeto e baixe o disco na integra aqui (o link para download está no final da página).

noabismodaalma1

agosto 22, 2016   2 Brindes

Novembro no México: Corona Capital

19 e 20 de novembro na Cidade do México
Site oficial: http://www.coronacapital.com.mx/

agosto 17, 2016   Encha o copo

Setembro em SP: Coala Festival 2016

agosto 16, 2016   Encha o copo

Wolverine: A Film By Woody Allen

Mais: Woody Allen de 0 a 10, por Marcelo Costa (aqui)

agosto 16, 2016   Encha o copo

The D in David, por Michelle Yi & Yaron

agosto 14, 2016   Encha o copo

Scream & Yell nas Midsummer Nights


Na próxima sexta-feira, 19/08, o amigo Rodrigo Lariu (Midsummer Madness) junto a Jp Cardoso (Shake Shake) promovem a segunda edição das Midsummer Night, na Neu Club, em São Paulo, e eu e Igor Ventura somos os convidados para dividir o som da noitada com eles. De quebra, para deixar a noite ainda mais bacana, tem show da Young Lights, de Belo Horizonte. Bora lá? Confirma presença aqui que o seu nome já vai pra lista de desconto!

Ps. A arte linda do cartaz é do João Paulo Pesce!

Horários:
portas – 22h
show – 22h30 – Young Lights
festa – 23h59

Preços:
$10 até 23h59 (quem chegar pro esquenta, fica pra festa)
$15 com nome aqui no evento (lista até 19/08 – 20h30)
$20 na porta, após 00h00

*Venha de taxi. Apresentando o recibo você e até três amigos pagam preço de lista.

Double de cerveja até meia noite

agosto 14, 2016   Encha o copo

Scream & Yell nas Noites Trabalho Sujo

Hoje tem Scream & Yell nas #NoitesTrabalhoSujo da Trackers Tower, no centro de São Paulo! Eu, Bruno Capelas, Bruno Dias, Natalia Julio, Renato Moikano, Tiago Agostini e Tiago Trigo estaremos na pista preta enquanto o escrete badalado convidado pelo Alexandre Matias embala a pista azul. Bora? Não esquece de mandar o nome pra lista: noitestrabalhosujo@gmail.com (mais infos aqui: goo.gl/syP4l9)

agosto 13, 2016   Encha o copo

O quinto ap que morei em São Paulo

ruarosaesilva

Da Cardeal Arcoverde fui para a Teodoro Sampaio, de lá para a Rua Rocha, dai para a Antônio Carlos e, então, chego ao meu quinto apartamento em três anos de São Paulo (2000/2003). Na verdade, eu nem deveria conta-lo como moradia porque não fiquei nele nem uma semana, mas ele foi muito importante na decisão de… morar sozinho. Porque eu estava vindo de quatro aps, dois deles repúblicas com muita gente, e outros dois também divididos, e eu já estava precisando de um canto só meu. Antes, porém, vim parar aqui, esquina da Rua Rosa e Silva com a Rua Azevedo Marques, um apartamento incrível ao lado do metrô Marechal Deodoro. Eu estava em dúvida se encarava morar em república de novo, mas a grana era pouco e decidi vir. Acontece que eu tinha acertado de ficar com um quarto x e, quando cheguei com a mudança, surpresa: tinham trocado o quarto e eu não fiquei lá muito feliz… Teve quase gente voando pela sacada (mas era o primeiro andar, tá). Resultado: no dia seguinte sai procurando uma kit pra alugar e… isso é outra história 🙂

Cenas de São Paulo

agosto 12, 2016   Encha o copo

Histórias de viagem: Ismail na Turquia

ismail9

Em 2010, eu e Lili fizemos umas longa viagem de 40 dias pela Europa, e até hoje me lembro como decidimos o roteiro: após o Primavera Sound, em Barcelona, eu queria (precisava!) ver o Wilco em Roma, e a ideia era ir dali pra Escandinávia, mas o fator $ pesou nessa hora. Qual a saída? “Vamos ver qual é o voo mais barato da Easyjet saindo de Roma!”. E era… Atenas. Apenas 10 euros. Uou! Partiu. Dali esticamos para Santorini (até hoje um dos lugares mais espetaculares que visitei) e fomos parar na Turquia, um lugar incrível, um emaranhado de emoções.

ismail5

Entre as diversas anotações que eu tinha para a Turquia, uma delas era: “Não deixe de fazer o Nostalgic Bosphorus Tour”. Trata-se de um passeio de barco que sai do porto de Eminönü, quase no Mar Marmara, e vai até o porto de Anadolu Kavagi, quase no Mar Negro. O barco navega todo o estreito de Bósforo parando de um lado na Europa, do outro na Ásia – o rio separa os dois continentes e foi o principal caminho para que Rússia e países do Oriente Médio chegassem ao Egeu e ao Mediterrâneo, e consequentemente à Europa.

ismail8

Com esse plano em mente, acordamos cedo um dia e lá fomos nós navegar o Bósforo. 1h30 de passeio depois e estávamos na pequena vila de Anadolu Kavagi, que abriga as ruínas de um castelo bizantino que foi ocupado durante séculos visando a proteção da entrada do estreito para quem vinha do Mar Negro. Descemos do barco e fomos caminhar, comemos peixe fresco, fui proibido no restaurante de beber a cerveja que eu trazia na mochila (o consumo de álcool é proibido pelo Islã e muitos bares nem vendem cerveja) e… conhecemos o Ismail.

ismail3

Foi mais ou menos assim: eu sabia das ruínas do castelo bizantino, e fomos tentar subir à pé. Logo no começo da caminhada, um senhor grisalho nos parou e se ofereceu para nos levar até lá em seu carro. Achei incomum e recusei de forma discreta, agradecendo-o. Porém, quando cheguei ao pé do morro e vi que a caminhada iria ser longa (e a gente tinha ainda um barco para pegar de volta para Istambul), decidi voltar e aceitar o serviço de Ismail (que, se não me falha a memória, custou 15 euros).

ismail6

Ismail estava aposentado havia 25 anos depois de ter trabalhado por 35 na monitorização do estreito do Bósforo com o Mar Negro por parte do exército turco. Conforme fomos subindo o morro em seu carro, ele nos contava a história da vila: Anadolu Kavagi tem 4 mil habitantes, mil destes soldados que trabalham até hoje monitorando a entrada do Bósforo. Ismail contou detalhes das ruínas, relembrou histórias do exército, falou da família e deu a dica: no final da estrada paralela ao castelo, já no Mar Negro, há uma pequena vila de pescadores que faz um peixe ótimo (menos salgado que o peixe tradicional devido à baixa salinidade do Mar Negro).

ismail2

A gente ficou cerca de meia hora fuçando as ruínas do castelo, e ele ficou nos esperando. Vez em quando apontava para algum canto do Mar Negro e contava uma história rápida. Na volta, ele contava animado sobre uns tomates verdes que ele plantava em casa, e que eram bastante populares na região. Assim que paramos na vila, ele fez questão de entrar em sua casa, colher alguns e nos presentear. Na despedida, pedi para que fizéssemos uma foto e que ele anotasse seu nome no meu diário. Se a gente adorou conhecer esse lugar, boa parte do mérito cabe ao Ismail. Obrigado, caro amigo.

ismail1

Outras histórias de viagem

agosto 11, 2016   Encha o copo

O segundo ap que morei em São Paulo

rua_teodoro

Rua Teodoro Sampaio, 632. Edifício Amapá. “Meu” segundo ap em São Paulo. Quando pintou uma oportunidade de voltar para cá (eu nasci aqui), a coisa toda foi rápida demais e um amigo querido me abrigou no apartamento que ele dividia com o irmão na esquina da Cardeal Arcoverde com a Dr. Arnaldo. Depois de uns dois meses eles se mudaram para este prédio na Teodoro, e fui junto. Foi na virada de 1999 para 2000. Fiquei mais alguns meses com eles e o que lembro desse edifício é que o ap era enorme e incrivelmente silencioso (o edifício Amapá são duas torres igual essa primeira, e a gente morava na segunda), que eu amava o feijão do boteco na esquina da Capote Valente e da pizza da esquina da Oscar Freire com a Teodoro (que não existe mais). Foi um período bem difícil, repleto de emoções, dúvidas, medos, erros, brigas e corações partidos (com direito a ir para o trabalho e encontrar cartinha de despedida no travesseiro na volta). Algumas coisas aqui eu faria muito diferente hoje em dia, mesmo. Daqui fui para a Rua Rocha, mas isso já é outra história. 🙂

Cenas de São Paulo

agosto 11, 2016   Encha o copo

Rio 2016 e o Belle and Sebastian

O Belle and Sebastian divulgou hoje “Olympic Village, 6AM”, um vídeo não oficial especial para as Olimpíadas do Rio de Janeiro. Segundo Stuart Murdoch, que assina a nota para a imprensa, “o Belle and Sebastian adora os Jogos e ama o ideal olímpico. A banda aprecia que o mundo se una para um grande momento esportivo a cada quatro anos. Não podemos fazer parte da festa, apesar de termos vontade. Então, gravamos uma música com o Rio na cabeça: especialmente pensando no atletismo”.

agosto 10, 2016   Encha o copo

Novembro no Chile e na Argentina

12/11/2016 em Santiago – http://faunaprimavera.cl/

13/11/2016 – www.musicwinsfestival.com

agosto 8, 2016   Encha o copo

Sesc Pompeia: Jazz na Fábrica 2016

Informações sobre datas e ingressos à venda aqui

Textos por Marcelo Costa

WALLACE RONEY (EUA) – 11, 12 e 13/08
Nascido na Filadélfia em 1960, Wallace Roney é um trompetista associado ao hard bop e pós-bop. Único pupilo que Miles Davis teve, estudando com o mestre de 1985 até seu falecimento, em 1991, também teve aulas com Clark Terry e Dizzy Gillespie e, como líder, gravou com Ron Carter, Kenny Garrett e Chick Corea. Neste show, apresenta-se em formato de quinteto com Lenny White (bateria), Rashaan Carter (contrabaixo), Victor Gould (piano) e Benjamin Solomon (saxofone).

JAKOB BRO E DANIEL JOBIM (DIN/BRA) – 12/08
PHRONESIS (DIN/GBR) – 12/08

Após quatro elogiadas turnês com seu trio pelo Brasil, o guitarrista dinamarquês Jakob Bro retorna ao país para um show em homenagem à obra do maestro Antônio Carlos Jobim em duo com seu neto, o pianista e compositor Daniel Jobim. Na mesma noite no teatro, o vigoroso trio de jazz Phronesis, formado em 2005 pelo contrabaixista dinamarquês Jasper Høiby com o pianista britânico Ivo Neame e o baterista norueguês Anton Eger, mostra o show de seu novo disco, Parallax, lançado em abril deste ano.

LETIERES LEITE E ORKESTRA RUMPILEZZ (BRA) 13 e 14/08
Criada em 2006 em Salvador pelo instrumentista Letieres Leite, a Orkestra Rumpilezz é uma big band instrumental de percussão e sopros que exercita suas raízes rítmicas afro-baianas através da harmonia do jazz. A sonoridade do grupo une referências históricas e musicais de grandes agremiações percussivas como Ilê Aiyê e Olodum, a forte influência dos sambas de roda do Recôncavo e o culto sagrado afro-baiano do Candomblé numa roupagem harmônica moderna e instigante. Nesta apresentação, a banda lança o disco A Saga Travessia (Selo Sesc), aprofundando sua pesquisa de ritmos.

LONESOME DUO (BRA) – 14/08
TIGRES TRISTES (BRA) – 14/08

Formada pelos paulistanos Luiz Masi e Rennan Martens, a Lonesome Duo apresenta um repertório de canções autorais que exibem influência do folk, do blues norte-americano, da música cigana, do gospel e das performances de artistas de rua. De Ourinhos, interior de São Paulo, a Tigres Tristes, projeto capitaneado por Flávio Nunes e Bruno Panichi, recria o Jazz Manouche, também conhecido como Gypsy Jazz ou jazz cigano, estilo peculiar que sacudiu a boemia de Paris na década de 1930.

ESTER RADA (ISRAEL) – 18/08
Nascida em 1985 em Kiryat Arba, um assentamento nas montanhas da Judéia, Ester Rada promove “uma combinação graciosa de jazz etíope, funk urbano, neo-soul e r&b”, sonoridade que rendeu uma indicação ao EMA Awards, da MTV europeia, em 2014. Devota de Nina Simone, Ella Fitzgerald, Aretha Franklin, Eryka Badu e Lauryn Hill, Ester Rada se apresenta acompanhada de Daniel Sapir (baixo e guitarra), Noam Havkin (teclados), Gal Dahan (saxofone) e Dan Mayo (bateria).

DONNY MCCASLIN QUARTET (EUA) – 18 e 19/08
O saxofonista californiano Donny McCaslin integrou a banda Steps Ahead e as orquestras de Gil Evans e Maria Schneider tendo sido indicado três vezes ao Grammy na categoria Melhor Improvisação Solo de Jazz (2004, 2013 e 2015). Em 2015, gravou Blackstar, último álbum de David Bowie, ao lado de Jason Lindner (teclados e piano), Tim Lefebvre (contrabaixo) e Mark Guiliana (bateria), quarteto eletroacústico que virá ao Brasil demostrar sua fonte dançante de improvisos e grooves.

MATTHEW SHIPP (EUA) – 19/08
Desde 1988, quando debutou com Sonic Explorations, o pianista norte-americano Matthew Shipp já soma mais de 50 álbuns como bandleader e co-leader em formações diversas (solo, duo, trio, quarteto), sem contar seus 19 discos com o brasileiro Ivo Perelman e outros 19 no quarteto comandado por David S. Ware. Segundo o jornal britânico The Guardian, Matthew Shipp, ainda hoje, “está pensando fora da caixa” e segue na busca por manter as crenças básicas do free jazz.

MICHAEL BLAKE (CAN) – 20 e 21/08
Nascido em Montreal em 1964, o saxofonista canadense de pós-bop e modern jazz Michael Blake partiu ainda jovem para tentar a sorte em Nova York, cidade que foi sua casa por mais de 25 anos e o viu colaborar com uma variedade de artistas – de Chubby Checker a Jack McDuff – até se juntar ao grupo Lounge Lizards, nos anos 90. Sua estreia solo, Kingdom of Champa (1997), foi produzida pelo lendário Teo Macero e recebeu muitos elogios por parte da crítica.

ROBERT GLASPER (EUA) – 20 e 21/08
TÁSSIA REIS E MENTAL ABSTRATO (BRA) – 20 e 21/08

O texano Robert Glasper é um pianista de jazz que dialoga com o hip hop, o soul e o r&b. Dono de dois Grammy (Melhor Álbum R&B em 2012 e Melhor Performance Tradicional R&B em 2015), Glasper lançou Covered em 2015 pela Blue Note, álbum com canções de Kendrick Lamar, Joni Mitchell e Radiohead. Na mesma noite, o teatro recebe a rapper paulista Tássia Reis, que estrutura seu trabalho no diálogo do hip hop com o r&b, o jazz e a MPB, como demonstra seu EP de 2014. Aqui ela surge acompanhada pela renomada Banda Mental Abstrato.

CADILLACS JAZZ BAND (BRA) – 21/08
ZARABANDA JAZZ (BRA) – 21/08

Formada em 2014, a Cadillacs Jazz Band tem como meta tocar clássicos do rock´n roll como se fossem jazz. No repertório de mais de 60 músicas há desde Rolling Stones até Artic Monkeys passando pelo punk, metal, classic rock e 90´s. Surgida em 2011, a Zarabanda Jazz é um octeto cuja sonoridade vai do jazz tradicional ao samba, passando pelo funk, blues, bolero e até a salsa num repertório que recria clássicos como “Georgia On My Mind”, “Feel Like Making Love” e “A Night In Tunisia”.

OMER AVITAL (ISRAEL) – 25/08
Nascido em Givatayim, Israel, em 1971, o contrabaixista Omer Avital mudou-se para Nova York nos anos 90, e tocou com Roy Haynes, Jimmy Cobb, Nat Adderley e Kenny Garrett, entre outros, criando uma sólida carreira que conta com 10 discos como bandleader (em que une ao jazz influências do Oriente Médio) e mais de 30 como sideman. Para este show no Brasil, Omer virá acompanhado de Asaf Yuria (sax tenor e soprano), Ofri Nehemya (bateria), Alexander Levin (Sax Tenor) e Eden Ladin (piano).

PÁJARO DE FUEGO (ARG) – 25/08
Liderado por Esteban Sehinkman (sintetizador), músico argentino que estudou composição e piano na Berklee College of Music, o Pájaro de Fuego propõe uma fusão do jazz com a música eletrônica e o rock instrumental numa formação que conta com Matías Méndez (contrabaixo), Daniel “Pipi” Piazzolla (bateria), Nicolás Sorín (voz e sintetizador) e Sebastian Lans (guitarra). Lançado em 2015, o álbum La Rueda de La Fortuna ganhou o Prêmio Gardel na categoria Instrumental Fusión World Music.

LINA NYBERG (SUE) – 26/08
Nascida em Estocolmo em 1970, a cantora sueca Lina Nyberg construiu uma carreira elogiada que já soma 17 discos, entre eles Brasilien (2001) e Brasil Big Bom (2007), com canções de Edu Lobo, Djavan e Caetano. No recente álbum duplo Aerials (2016), ela tem o suporte de um quarteto de cordas num disco; no outro, canta “Fly Me To The Moon” e “Tico-Tico no Fubá” numa capela junto ao trio que vem ao Brasil: David Stackenäs (guitarra), Josef Kallerdahl (contrabaixo) e Peter Danemo (bateria).

CHEICK TIDIANE SECK (MALI) – 26 e 27/08
Nascido em Segu, Mali, em 1953, o pianista, compositor e arranjador Cheick Tidiane é um dos artistas mais importantes do cenário musical da África contemporânea, tendo colaborado com Salif Keita, Fela Kuti, Hank Jones, Youssou N’Dour, Santana, Manu Chao e o projeto Rocket Juice & The Moon (Damon Albarn, Flea e Tony Allen). Vivendo em Paris desde os anos 80, Cheick Tidiane investe, em seus trabalhos solo, numa sonoridade que mescla jazz africano, reggae, hip hop e pop francês.

NIK BÄRTSCH (SUI) – 27/08
Pianista suíço, Nik Bärtsch começou seus estudos influenciado pela música de Chick Corea. Na Universidade de Zurique, conheceu o trabalho de John Cage e Steve Reich, que lhe inspirou para os projetos que viria a ter no futuro, primeiro com o Mobile, depois com o Ronin, quarteto de jazz, funk e rock acústico (ou “zen-funk”, com ele próprio define) que ele trará ao Brasil e que ainda conta com Sha (clarone / clarinete baixo), Kaspar Rast (bateria) e Thomy Jordi (baixo elétrico).

KUBATA (BRA) – 28/08
WIS (BRA) – 28/08

Banda instrumental formada em Santo André em 2012, a Kubata é um septeto que utiliza o ritmo afrobeat como base para experimentos com psicodelia, minimalismo e noise. Em junho de 2016 lançaram seu primeiro álbum, Zen Tepi. Já a What is Soul, ou simplesmente WiS, é uma banda instrumental que nasceu da união de músicos com diferentes formações e influências musicais que tinham um ponto em comum: a paixão pelo soul funk instrumental dos anos 60 e 70.

Informações sobre datas e ingressos à venda aqui

agosto 4, 2016   Encha o copo

Strange Things e… Xuxa

agosto 4, 2016   Encha o copo

Sandie Shaw, Smiths, Llyod Cole e Jesus

Veja também: Jesus and Mary Chain: quatro mixtapes (aqui)

agosto 4, 2016   Encha o copo

Nick Cave & The Bad Seeds: o filme

nickcave

O 16º álbum de estúdio de Nick Cave & The Bad Seeds, “Skeleton Tree”, já tem data pra chegar às lojas: 09 de setembro! Um dia antes, porém, chega aos cinemas “One More Time With Feeling”, documentário de Andrew Dominik (“O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford“) que foi pensado como um registro da banda no palco, mas enveredou por algo mais significativo ao acompanhar o cenário trágico de composição e gravação do álbum “Skeleton Tree”. Filmando em preto e branco, com improvisações e narrações de Nick Cave além de entrevistas e imagens captadas por Dominik, “One More Time With Feeling” é, segundo o diretor, um verdadeiro testamento de um artista tentando encontrar o seu caminho em meio a escuridão. Assista ao trailer!

Leia também:
– “Nick Cave: 20.000 Dias na Terra”: um dos melhores filmes musicais (aqui)
– “Push The Sky Away” é daqueles discos para se ouvir e ouvir (aqui)
– Discografia comentada: Nick Cave and The Bad Seeds (aqui)

agosto 2, 2016   Encha o copo

HBB Sessions: Bidê ou Balde

Os gaúchos da Bidê ou Balde abrem a segunda temporada do HBB Live Sessions, onde as bandas do catálogo da Hearts Bleed Blue se apresentam ao vivo no escritório da gravadora. As três canções escolhidas pelo grupo para o pocket show fazem parte do oitavo disco do grupo, “Gilgongo! ou, a Última Transmissão da Rádio Ducher”, lançado no final de 2015 pela HBB. A apresentação tem início com “Tudo OK” – que conta com os vocais de Vivi Peçaibes, segue com “O Soul Mentiu pra Você” – com direito a uma interrupção de Carlinhos Carneiro no começo da música: “Me atrapalhei, vamos lá, começa de novo!”, e encerra com “Não para(r) mais”. Assista acima!

agosto 2, 2016   Encha o copo