Download: Tributo ao Skank

Da batida reggae do início da carreira até escancararem suas influências de rock inglês e do Clube da Esquina em trabalhos recentes, poucas bandas na história da música pop nacional foram tão bem sucedidas como o Skank. A trajetória dos mineiros sempre foi marcada por um flerte com o pop radiofônico, que os levou ao topo das paradas durante anos, além de ter aberto caminho para toda uma nova geração, não só de Minas Gerais, mas dos quatro cantos do Brasil, entusiasmados pela possibilidade de fazer música de qualidade e com forte apelo popular.

É essa mistura de musicalidade, inovação, pegada pop e reconhecimento que motivou o Scream & Yell a realizar o tributo “Dois Lados”, produzido e idealizado pelo produtor mineiro Pedro Ferreira, responsável pela homenagem ao Los Hermanos em 2012, “Re-Trato”, e ao Milton Nascimento e Clube da Esquina em 2015, “Mil Tom”, também lançada pelo Scream & Yell. “Dois Lados”, porém, é mais que um tributo ao Skank, é também uma forma de revisitar uma das obras de maior sucesso da música brasileira recente, com releituras personais de artistas da nova geração nacional.

Está tudo aqui. Do Skank indie que bancou na coragem o primeiro CD em 1992 (25 anos atrás!) ressurgem o balanço de “Baixada News”, com os conterrâneos do Graveola, e de “Homem Q Sabia Demais”, com o gaúcho Ian Ramil, mais uma versão emocional de “Tanto (I Want You)”, por Zé Manoel, e uma releitura de Lulina para a ainda atualíssima “In(dig)Nação”, com letra citando Romulo Fróes, Daniela Mercury, Elza Soares, Zé Celso e outros indignados. O clássico “Calango” (1994) é representado por Nevilton (“Te Ver”), Teago Oliveira, da Maglore, em versão solo (“Esmola”), The Baggios (“A Cerca”) e Francisco el Hombre (“Pacato Cidadão”).

Do multiplatinado “O Samba Poconé” (1996) figuram “Garota Nacional” (revista por Manitu), “Sem Terra” (André Abujamra) e “Tão Seu” (Ana Larousse e Leo Fressato) enquanto “Siderado” é representado por potentes versões acústicas de “Resposta” (Phillip Long e Eduardo Kusdra), “Saidera” (Dani Black) além de “Mandrake e os Cubanos” (Garotas Suecas) e da faixa título, revista pelo Transmissor. De “Maquinarama” (2000) foram selecionadas “Três Lados” (Tuyo), “Canção Noturna” (A Banda Mais Bonita da Cidade) e a bela “Ali” (Selvagens a Procura de Lei). Do “MTV ao Vivo em Ouro Preto” (2001) saiu “Acima do Sol” (Ana Muller).

Com muitos fãs ao redor do Brasil, o álbum “Cosmotron” (2003) foi o mais procurado pelos artistas do tributo com “Dois Rios” em grande versão de Wado, o primeiro single do projeto, a delicada “Amores Imperfeitos”, com Anavitória (não disponível no Soundcloud, mas liberada para download gratuito), a sexy “Formato Mínimo”, com Fernando Anitelli, “Vou Deixar”, com Phill Veras, e “As Noites”, com Medulla. Da coletânea “Radiola” (2004) marca presença “Um Mais Um” (Gabriel Gonti) e a versão da versão do Skank para Gil, “Vamos Fugir” (Quarup). O álbum “Carrossel” (2006) foi revisto na versão de Esteban Tavares para “Mil Acasos”.

Já de “Estandarte” (2008) foram pescadas “Ainda Gosto Dela” (Sr. Gonzales) e uma linda versão de “Sutilmente” por Jéf. Fechando a discografia, “Velocia” (2014) marca presença com “Esquecimento” (Cobra Coral) e “Ela Me Deixou” (Seu Pereira e Coletivo 401). Com essa coleção de canções (32 faixas no download gratuito, 31 no Soundcloud), o Scream & Yell busca mostrar a versatilidade de uma grande banda surgida num momento de retração do mercado pop rock nacional, o começo dos anos 90, e que mesmo assim conseguiu cravar hits nas paradas e lançar belos discos que escreveram o nome Skank na história da música popular brasileira.

Texto por Marcelo Costa, Pedro Ferreira e Rodrigo James

BAIXE “DOIS LADOS” GRATUITAMENTE: DISCO 1DISCO 2

Atenção, a faixa 1, “Amores Imperfeitos”, com Anavitória, não está disponível no Soundcloud (a pedido da gravadora Universal), mas está disponível para download gratuito no “Disco 1”.

FICHA TÉCNICA:
Projeto idealizado e produzido por Pedro Ferreira.
Realização: Scream & Yell.
Masterização por Eduardo Kusdra no Estúdio Arte Master (Araras – SP).
Produção artística e executiva: Pedro Ferreira.
Ilustrações: Luyse Costa.
Projeto gráfico: Mariana Viana

“Dois Lados” é o 12º lançamento do Selo Scream & Yell, que lançou ainda “Sem Palavras”, apenas com bandas instrumentais, em abril de 2017 (baixe aqui). Conheça também “Faixa Seis” e “Brasil Tambien És Latino (artistas latinos gravando canções brasileiras),Ainda Há Coração” (em tributo a Alceu Valença), “Caleidoscópio” (em homenagem aos Paralamas do Sucesso), “Temperança” (Um Manifesto Contra o Ódio), “Ainda Somos os Mesmos” (em homenagem ao Belchior), “Espelho Retrovisor” (Engenheiros do Hawaii), “Mil Tom” (a Milton Nascimento), “Projeto Visto” (uma troca musical entre brasileiros e portugueses) e “Somos Todos Latinos” (com 16 artistas independentes brasileiros regravando temas do cancioneiro pop e rock dos países de idioma espanhol). O site também já disponibilizou álbuns de Antonio Novaes, Giancarlo Rufatto, Leonardo Marques, Marcelo Perdido, Natália Matos, Transmissor e Walverdes.

 

21 thoughts on “Download: Tributo ao Skank

    1. Ela está disponível, Anna, mas apenas em MP3 para download gratuito. A gravadora Universal não disponibiliza nenhum conteúdo no Soundcloud. Esta também é a única faixa liberada para streaming oficial (Deezer, Spotify, Google Play).

  1. Sou fã do Skank e acho Calango e Samba Poconé dois clássicos do Pop Rock brasileiro. Mas não curti esse tributo não, nem parece que é sobre uma das bandas mais enérgicas e contagiantes do Brasil, parece um tributo a alguma banda indie deprê inglesa, a maioria das versões que ouvi do disco 1 estão melancólicas com o BPM lá embaixo. Tem uma sequência (da música 9 a 14) que eu quase dormi.

  2. Cara, concordo com o Cap Troz. O tributo sofre de um excesso de arranjos minimalistas, andamentos arrastados, vocais etéreos, e quetais. Faltou uma direção mais atenta aí pra não deixar o tributo sonolento. Aconteceu também com Paralamas e Belchior.

    1. Acho que o problema foram os artistas escolhidos. A maioria “indie minimalista”. Nesse tributo ao Skank seria legal artistas como Samuca e a Selva, Curumim, Barro, Bexiga 70 , OBMJ, Baiana System …aí sim ficaria interessante!

  3. Bela iniciativa, visto que o Skank é uma grande banda. Mas achei totalmente fora de lugar a inclusão de Vamos Fugir…. O tributo não é ao Gil. Quando oSkank fez o registro dela , já era bem conhecida como música do Gil( mesmo que totalmente chupada de Is This Love, do Bob Marley.

  4. única pergunta: como não tem balada de amor inabalável?

    projeto incrível.
    sonhando com show de todos na praça do papa no coração de mg.

    1. Que demais que tu gostou, Thaís! A gente deixou totalmente aberto para os artistas escolherem, e no fim das contas o Rico acabou usando uma das frases da canção em sua recriação. Eu, como fã do “Calango”, senti falta de várias, mas tô tão feliz quanto você com o resultado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *