Faro: Panoramas de Abril na Música e Cultura Ibero-americana

Argentina | Brasil | Chile | ColômbiaCubaEspanha | México | Peru | Uruguai

Nove países unidos pelo ideal de compartilhar cultura e, com ela, ideias, sonhos, desejos, revoluções.

ARGENTINA
por Juampa Barbero / do site Indie Hoy

Na edição anterior dos Panoramas Faro declaramos nosso medo do que infelizmente veio a acontecer. A sorte que nos trouxe o plano de vacinação que possibilitou o retorno aos programas presenciais durou menos do que esperávamos. O aparecimento abrupto da segunda onda de infecções massivas provocou a suspensão de numerosos eventos culturais em Buenos Aires, e os que permaneceram de pé tiveram que se ajustar ao horário correspondente às novas restrições sanitárias implementadas pelo governo. Apesar das adversidades podemos nos orgulhar de vários lançamentos que nos ajudam a perceber que a música está sempre presente para nos acompanhar nos momentos mais difíceis.

Duas palavras são suficientes para descrever Nicki Nicole: orgulho nacional. A artista de Rosário foi onde nenhum compatriota havia ido, mostrando todo o seu esplendor no programa americano The Tonight Show apresentado pelo comediante Jimmy Fallon. A jovem de 20 anos apresentou uma união orquestral entre seu primeiro hit e seu último: “Wapo Traketero” e “No toque mi Naik” com o porto-riquenho Lunay.

The Colorated é a nova revelação do trap local, chacoalhando a cena com sua personalidade destrutiva. Em sua música “Miseria” ele exibe a fúria do punk tanto em um som poderoso e distorcido quanto em versos explosivos que revelam o poder inerente de sua proposta antidisjuntiva. O vídeo mostra uma festa frenética da qual participam vários líderes do movimento.

Um dos lançamentos mais esperados do ano era “Desde El Fin del Mundo”, o terceiro álbum de Duki. É um conjunto eclético de 18 canções que envolve colaborações de luxo como as de Bizarrap, Khea, Pekeño 77, Ca7riel, entre outros. O artista funde os mais diversos gêneros, que vão do trap e R&B ao rock pesado, buscando manifestar sua identidade musical sul-americana.

El Robot Bajo el Agua retorna com uma nova versão de sua canção “Te Quiero“. As mudanças não incluem apenas a atmosfera etérea que a melodia desperta – originalmente incluída em seu álbum de estreia, “La óptica espacial desde el corazón” (2003) – mas também uma alteração no título para homenagear Diego Maradona, já que sua morte coincidiu com a data de gravação das vozes da faixa.

Marina Fages apresentou “Canción de Flora”, em que, além de voltar a exercer o papel de produtora, revelou seu talento como diretora audiovisual. O vídeo aborda com conotações surreais o problema da propagação dos incêndios florestais que alarmaram o país, onde a vemos juntando-se aos bombeiros voluntários em uma aventura onírica.

Quatro anos depois de “Ideas para un mundo imaginário” chega o segundo álbum de Fus Delei. Composto por 10 canções, “Dímelo” mostra outra faceta do trio de La Plata com uma sonoridade metal pop que oscila entre a devassidão e a serenidade. A banda reflete sobre o reconhecimento subjetivo por meio de uma poética que confronta a clareza com as sombras, produzindo uma mensagem vividamente esperançosa.

Uma combinação que surpreendeu foi a de El Kuelgue com Julieta Venegas, pois confirma a versatilidade da banda comandada pelo cantor e ator Julián Kartún. Com sua marca camaleônica que se adapta a qualquer gênero, o bolero de “La Mirada” não foge à regra. Uma peça que funde a nostalgia de Buenos Aires com o sabor caribenho e vem acompanhada de um registro da sessão de gravação, que estreou na #PremierFaro.

Neo Pistéa também mostrou que renovação implica romper logo no primeiro disco com o que estava estabelecido. Em “Punkdemia”, que traz um jogo de palavras em seu título entre a variabilidade musical e o contexto global, o porta-voz do “Tumbando El Club” atacou com toda a força. Nomes relevantes como Cazzu, Duki, Dante Spinetta, De la Ghetto, Pablo Chill-E e Polimá Westcoast aparecem entre as 13 canções.

O selo Amplio Espectro relançou o segundo álbum do produtor Gustavo Lamas editado originalmente em 1999. “Plural” se destacou como uma das obras mais representativas da cena eletrônica local de sua época, por isso colocá-lo de volta ao circuito é um gesto solene que merece ser comemorado na pista de dança. Um álbum experimental que transcende gerações com naturalidade.

Depois de antecipar “Loba” e “Yoyaki”, La Piba Berreta, ex-vocalista do Lxs Rusxs Hijxs de Putx, lançou seu primeiro álbum solo: “Golpe de (m) Suerte”. Este disco de dez faixas serve como uma declaração contra a arte autogerida e demonstra a energia anárquica dos nativos de Zárate. As primeiras músicas saíram com alguns vídeos que antecipam um filme dividido em capítulos.

Outro que embarcou em carreira solo foi Willy Fishman, do Gativideo. Seu álbum de estreia divertido e multicolorido, “¡Guachi guau!”, combina elementos da cultura japonesa, trip hop, música eletrônica e pop art. Às suas melodias juntaram-se contribuições de outros artistas da cena como Tani, Renzo Montalbano e Fonso para fazer brilhar a passarela deste singular e deslumbrante projeto.



BRASIL
por Marcelo Costa / do site Scream & Yell

Todos os nossos países sofreram, em menor e maior grau, com governos ditatoriais em sua história. O Brasil, que nunca discutiu seriamente sua ditadura que colocou o país nas trevas durante 21 anos (1964/1985), começa a vivenciar uma nova fase de turbulência. O governo genocida, negacionista e mafioso de Jair Bolsonaro vem aparelhando várias áreas do Estado, e a sensação é de estarmos vendo o livro “Como as democracias morrem”, de Steven Levitsky e Daniel Ziblatt, ao vivo nos nossos noticiários – anestesiados, ainda, pelos números crescentes de mortos na pandemia.

Temos vários momentos capitulares que flagram o início desse período de trevas que vivemos (o golpe político contra Dilma Roussef em 2016, tema do documentário candidato ao Oscar “Democracia em Vertigem”, é um deles), mas a farta distribuição de fake news nas eleições de 2018 foram o clímax de uma estrutura viciada que dividiu o país: hoje, em 2021, parte da população acredita que a Covid-19 não é tão séria, que caixões estão sendo levados à cova vazios, que a vacina chinesa irá implantar um chip no vacinado, que a Terra não é redonda e que trabalhadores, índios, negros, velhos e pessoas LGBTQ+ não devem ter nenhum direito. É muito difícil lutar contra o obscurantismo, meus amigos.

Mas seguimos de punhos cerrados e ouvidos atentos enquanto o país se arrasta e a cultura tenta sobreviver… criando. Alguns destaques do mês que passou.

Bálsamo”, disco de estreia de Gabriella Lima, é um disco de amor, de entrega e de crescimento que consegue conversar com a MPB, com o samba e outros ritmos brasileiros tipo exportação, mas é interessante como a artista consegue aliar isso a uma universalidade potente. São canções pop com letras que nos envolvem e que se repetem na nossa cabeça, um convite para dançarmos e cantarmos junto. Abaixo, o clipe de “Samba Boom”. Aqui uma entrevista com ela.

“Fazer um disco, no tempo de hoje, com o mundo desse jeito e sobretudo o Brasil do jeito que se encontra, culturalmente abandonado e marginalizado, me trouxe um desejo de ar, de respirar”, conta Lucas Vasconcellos, que saiu do Rio de Janeiro e se refugiou na natureza da região serrana de seu estado. O resultado é o belo quarto disco de Lucas, “Teoria da Terra Plena”, que ele comentou faixa a faixa especialmente para o Scream & Yell.

Anotar e compartilhar sonhos a respeito de David Bowie, trocar esboços de canções, descartar ursos polares e discutir sobre tudo no meio da pandemia geraram o mini-álbum de estreia do Sonho Estranho, quase um supergrupo de nicho da nova geração indie brasileira. Pense em Yo La Tengo, Alex G, Galaxie 500, Mutantes, Elliot Smith e tem uma pista. Ouça o álbum aqui e leia uma entrevista com eles no Scream & Yell.

O som do Rodrigo Nassif Trio chega à nova década mais agressivo, suingado e “zappófilo” que nos lançamentos anteriores. E chega num momento em que Nassif questiona a necessidade de estar presente nas plataformas de streaming – o novo álbum, por enquanto, só pode ser adquirido por e-mail (uma edição em vinil deverá chegar em breve). Aqui há uma conversa importante sobre música e mercado em 2021.

O duo eletrônico NoPorn lançou “Sim”, um disco com tudo aquilo que o NoPorn tem de melhor: canções perfeitas para serem decoradas & sussurradas & dançadas na pista; canções de amor, de sexo e de liberdade. As canções de um mundo que queremos de volta. O jornalista Renan Guerra escreveu sobre o disco aqui. Abaixo, o clipe de “Pérola Suja”.

Voando Baixo”, novo álbum do rapper MV Bill, é uma crônica sobre o cotidiano caótico de um país desestabilizado, que soa como um despertar coletivo. MV Bill comenta o disco faixa a faixa no Scream & Yell.

Desde 1979, quando debutou com “Simples Como Fogo”, Marina Lima já se demarcou como artista de seu tempo presente. E segue sendo assim. Em meio à pandemia e ao distanciamento social, Marina está lançando de forma virtual o songbook gratuito “Música e Letra” e o EP “Motim“, com quatro faixas inéditas. Ela conversou animadamente com o Scream & Yell.

Em abril estreou na Netflix o emocional documentário “Os Quatro Paralamas”, um retrato da amizade também para além do núcleo central dos três integrantes (Herbert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone) dos Paralamas do Sucesso e do empresário José Fortes. Recomendadíssimo. Confira o trailer!

Um dos grandes nomes da jovem música pop brasileira recente, Duda Beat lança “Te Amo Lá Fora” e passa na prova do segundo disco. “Te Amo Lá Fora” expande e muito o leque sonoro da artista, casando synthpop com pagodão baiano, pisadinha, trap, ecos de reggae e até um flerte final com a house music. É um caldeirão e tanto. Mergulhe.

Entre os destaques de clipes do mês ainda temos “Jaguatá Tenondé”, do artista índio guarani Kunumi MC; a colaboração sergipana de Allen Alencar e Sandyalê em “Liberdade”; o soft folk do duo Feito Café em “Parece”; a jovem promessa indie rock gaúcha Hibizco com “Vale a Pena”; a poderosa Lurdez da Luz com seu novo single, “Modo Aleatório”; a deliciosa “Caroço Coração”, de Persie, que combina brega e dream pop de maneira irresistível; e, fechando, a colaboração entre a poetisa Zeferina e a rapper Tássia Reis em “São José Guerreiro (Remix)” – assista abaixo.

Um novo livro: “Sem Nenhuma Direção: Defalla, 1987”, de Emerson G e Flávio M, sobre um dos discos mais loucos de uma das bandas mais doidas da história da música brasileira.

Um novo filme: “O Amor Dentro da Câmera”, documentário comovente sobre o casal de realizadores Conceição e Orlando Senna. Saiba mais aqui.



CHILE
pela Equipe do site POTQ Magazine

Em produção…



COLÔMBIA
por Fabián Páez López do site Shock.co

Este panorama mensal não pode começar sem mencionar um dos novos e surreais episódios da política colombiana. Em abril, o governo nacional apresentou uma reforma tributária que pretende taxar os poucos trabalhadores remanescentes após a crise. Para contextualizar: de acordo com dados oficiais, depois da pandemia, a taxa de pobreza aumentou 42,5%.

Entre outras coisas, a reforma (que já estão pensando em reformulá-la) colocou em jogo o orçamento da Lei do Cinema, que havia impulsionado a qualidade da produção cinematográfica no país. (Aqui contamos melhor como as coisas funcionam: “Reforma tributária: Como isso afeta o cinema colombiano?’)

Pois bem: em resposta, e apesar da COVID e dos tímidos anúncios para reverter alguns pontos da reforma, as pessoas marcharam em massa desde 28 de abril e as manifestações continuam. Maio será, sem dúvida, um mês de turbulência. O governo não cede e o abuso policial aumenta. Ao ler isso, provavelmente ainda estaremos paralisados. Muitos músicos locais se manifestaram sobre o assunto. Não há boas notícias, mas por um momento vimos os artistas na rua, frente às massas. Como antes.

Por outro lado, o vírus não descansa. Estamos entrando no terceiro pico da pandemia, o mais mortal até agora. Muitas cidades voltaram ao fechamento intermitente e os eventos que haviam sido planejados com protocolos tiveram que ser adiados. Outra vez. Como sempre, há música nova e boa. Aqui está uma pequena seleção com nossas recomendações.

Discos
Através do selo Discos Pacífico, o grupo de Cauca vencedor do Festival Petronio Álvarez, Semblanzas del Río Guapi, gravou e lançou “Voy pa Allá”. São 12 canções que parecem sonhos de selva, mistério e paisagem. É o puro e cru folclore colombiano do Pacífico: currulao, bunde, jugas e canções da moda temperadas por vozes femininas. Ouça aqui.

Singles
Dulce” é o primeiro single de Dawer x Damper após assinar com a Warner Music México e ADA Latin. A dupla de Cali, vencedora do Shock Fest de 2019, guardou esta guloseima dançante para festejar a novidade. Lembre-se desse nome, porque mais cor e afrofuturismo estão a caminho.

Julieta” é a música mais pessoal de Lucille Dupin, uma das apostas Shock 2021. Foi inspirada na história de uma das milhares de mulheres sobreviventes do conflito armado na Colômbia. Uma canção que teve como premissa os sonhos que ela queria realizar antes de um momento de descanso, apesar das adversidades, para que ninguém mais passasse pelo que ela e sua família tiveram que passar. Qual foi o momento de ruptura? O nascimento de sua filha, “Julieta”.

Na ausência de barulho do público nos estádios, a dupla da cidade de Medellín, Higuita en Chanclas, lançou uma música para colocar no fim de semana e ver a Premier. “Roja en Wembley” é pós-punk para se encorajar, correr para a rua, dançar e gritar.

Inspirados no que vivemos no ano passado – obvio: a pandemia –, o grupo liderado por Amós Piñeros, Tequendama, lançou uma música que fala sobre o amor à distância, sobre aquele sentimento que faz olhar pela janela e não poder sair. “Los Árboles”, uma música com o característico estilo hibrido de rock e eletrônica da banda, é o primeiro single de um álbum de estúdio que será lançado em agosto deste ano e se chamará “Gigantes”. Ouça o single.

Cinema
Como dissemos no começo, a indústria cinematográfica local está indo de mal a pior. E ainda por cima, graças à COVID, a Cine Colombia, maior distribuidora de filmes do país, que havia anunciado seu retorno em 1º de maio, aparentemente adiou sua reabertura por mais um mês.

Em Bogotá, onde algumas salas foram abertas, estamos confinados de sexta a domingo, portanto você só pode comparecer às salas de segunda a quinta-feira. E os títulos são escassos. Ou seja, devido a um efeito dominó, toda a distribuição do cinema local será atrasada, pois os filmes mais recentes do Oscar ainda estão na fila de distribuição. No entanto, pouco a pouco as notícias saem.

O filme “Entre Fuego y Agua” já anunciou sua estreia no festival canadense de documentários Hot Docs. É a história de um jovem afrodescendente, adotado por uma família indígena, que busca sua mãe biológica para entender seu passado. Além disso, participará do Festival Internacional de Documentários de Munique, que começa no dia 5 de maio, e do Festival de Cine Latino de Filadelfia, que começa no final do mesmo mês. Em breve, com certeza, voltaremos a falar dela.

Já “Esperando a Los Bárbaros”, filme escrito pelo Prêmio Nobel de Literatura J.M. Coetzee, dirigido pelo colombiano Ciro Guerra e estrelado por Oscar Mark Rylance, Johnny Depp e Robert Pattinson, completou o percurso dos festivais internacionais e anunciou sua estreia em plataformas de streaming (Brasil incluso).

A ficção do diretor colombiano-belga Nicolás Rincón Gille, “Tantas Almas”, foi homenageada com o Prêmio do Júri no festival D’Annonay, na França. O filme recebeu boas críticas ao longo da turnê de festivais internacionais nos últimos meses e são esperados anúncios para sua distribuição.



CUBA
pela Equipe do site Magazine AM:PM

Abril foi um eterno déjà vu. Em Cuba parece que voltamos para 2020, só que agora com o pior surto de COVID-19 que vivemos desde o início da pandemia; ainda trancados em nossas casas esperando a ciência. Enquanto isso, a música busca brechas, faz alianças e nos dá, de vez em quando, outras alegrias. Partilhamos com os leitores de Faro vários desses momentos.

Nos dias 20, 21 e 22 de abril, voltou o Concurso de Primeira Base do Havana World Music Festival (HWM), edição que teve como palco o universo digital. Após deliberação dos juri e do público em geral, os vencedores foram divulgados nas redes sociais do evento, onde também foram exibidos showcases. Este concurso traz sempre um sopro de ar fresco ao panorama musical da ilha, apresenta projetos, bandas e novos artistas aos quais devemos seguir de perto. Por enquanto, destacamos os vencedores desta edição: TóPop (Categoria Juvenil), Andy Ka & HTO (DJ Produtor), Manuel Bas (Categoria Sênior) e Isla Escarlata como o grupo mais popular.

Cimafunk, não contente com o furor que “Parar el tempo” causou quando seu álbum “Terapia” (2017) chacoalhou Havana, lançou uma nova versão desta canção com certos tons de R&B e a companhia da artista mexicana Salma. Enquanto seus “pacientes” aguardam um novo álbum do autor de “Me Voy”, ele inclui este single em seu mais recente EP “Cun Cun Prá” (Terapia Produções, 2020)

Continuamos atentos aos lançamentos que Alex Cuba fará de seu próximo fonograma, “Mendó”. Neste 30 de abril, seguindo com Cimafunk, o músico cubano residente no Canadá estreou um novo single com Erick. “Hablando x Hablar” retoma o swing que as cordas imprimem em cada melodia do vencedor de dois prêmios Grammy. Ouça aqui.

As boas notícias parecem chegar com a primavera. Neste mês soubemos que o baterista cubano Ruy Adrián López-Nussa venceu o concurso para compositores de jazz Tete Montoliu, organizado pela Sociedade Geral de Autores e Editores (Sgae). O pianista, que estreou recentemente o álbum “Dos linguajes” (Bis Music, 2021), concorreu com a música “A Lyle M”, uma homenagem ao músico americano Lyle Mays que transfere “um choro à cena brasileira contemporânea nos braços do samba”.

Entre os novos sons e projetos que surgem no cenário musical cubano destaca-se a proposta de FlorDeLoto, banda que bebe de gêneros como indie latino, hip hop, pop, rock, jazz e blues, e que estreou o single “Control Me”. Uma segunda música que eles avançam de sua próxima produção, o disco “Love Again”, e que retrata o desejo de se render, de se comprometer. Ouça aqui.

E seguimos mencionando novas bandas continuando com a estreia de Rapzodia. Este grupo emergente, que funde o rap com elementos do jazz, funk e rock, desta vez juntou-se a Kamankola para uma “Crazy Live Session” que nos fez ligar o alarme e ficar de olho no que esses músicos ainda vão nos ensinar.

Uma caravana de trovadores do continente desfilou pela quinta edição do Festival Mucho! no Brasil. Nossos corações se encheram de orgulho quando vimos uma das cantores e compositoras cubanas mais queridas dividindo a noite com grandes nomes como Lenine e Jorge Drexler: Yusa, tresera, baixista, autora de um álbum maravilhoso como o “Haiku” (Tumi Music, 2008), entre todos eles.

O Día Internacional del Jazz é uma festa em Cuba. Assim, encerramos essas recomendações, a respeito das comemorações do dia 30 de abril, com o novo fonograma de um dos mais virtuosos músicos de jazz cubano: o saxofonista, compositor e produtor Carlos Miyares. O álbum “Toma uno” — CD-DVD que foi lançado pelo selo Egrem junto com o grupo que ele lidera, The Cuban Quintet— reúne atuações impressionantes de talentosos músicos de jazz cubanos. Se você nos perguntar, ‘Blues for Charlie”, de Bob Reynolds, é imperdível.

O que vem em maio
A Feira Internacional de Cubadisco celebrará o Ano Ibero-Americano da Música de 15 a 23 de maio e trará a Espanha como país convidado. A lista dos indicados nas diferentes categorias já está disponível e é uma festa da discografia cubana. Estaremos atentos.

No âmbito do Cubadisco acontecerá o Encontro Internacional de Colecionadores de Melómanos, organizado pela Companhia de Gravações e Edições Musicais (Egrem), onde se reunirão especialistas e colecionadores de Cuba e de outros países da América Latina para intercambiar experiências e presentes joias raras discográficas da música popular da Ilha.



ESPANHA
por Rubén Scaramuzzino do site Zona de Obras

A vacinação está progredindo e pouco a pouco parece surgir uma luz fraca no fim do túnel. Se fôssemos responsáveis enquanto as vacinas continuassem sendo aplicadas, não deveríamos sofrer grandes choques. Mas muitas pessoas não parecem dispostas a fazer isso, então continuaremos com incertezas até que todos estejamos imunizados. Enquanto isso, a agenda musical e cultural começa a se movimentar e singles e álbuns continuam a surgir incessantemente. Aqui está um resumo com 10 propostas musicais e culturais de abril passado na Espanha.

Começamos esta seleção mensal com “Al Final Abrazos”, uma grande canção da banda barcelonesa Mujeres. A música é uma prévia de “Rock y Amistad”, um EP longamente esperado em que colaboram Carolina Durante, Cariño, Los Punsetes e Nueva Vulcano. Este single, no qual se destaca a participação de Cariño, é uma ode à amizade, ao amor e às boas canções.

Depois de publicar “Belorizonte”, um dos grandes álbuns de 2020, o cantor-compositor e multi-instrumentista galego Pablo Lesuit apresenta o videoclip para “Hasta que me creas”, no qual muda de rumo. Aqui ele bebe do synthpop com uma atmosfera dos anos 80 e usa o autotune como recurso criativo, abrindo as portas para uma estética que se afasta da canção autora convencional.

Em 2019 surgiram com um poderoso álbum autointitulado. Agora Medalla retorna de Barcelona com “Rey Emerito”, primeira prévia de seu terceiro álbum. A canção com um nome tão sugestivo é um mid-tempo dominado por sintetizadores, guitarras cristalinas e um baixo e bateria incessantes que mergulham em menos é mais. Uma balada inovadora na carreira da banda, que abre um caminho para explorar a psicodelia, o pop e o rock menos previsível.

Começando a falar dos LPs com uma obra que certamente estará entre as mais marcantes de 2021. Em “Puta”, a cantora Ubeta Zahara oferece um tour ininterrupto de canções que nascem para queimar nos ouvidos e se estabelecer entre as memórias mais intensas do subconsciente. Um álbum corajoso, arriscado e, acima de tudo, memorável.

Após a revelação que foi o álbum “Manifiesto”, do ano passado, RomeroMartín entrega o single “Mora Cantaora”, com uma atitude mais festiva do que nunca e as habituais raízes do flamenco. A música pretende ser uma homenagem sincera e exaltada à voz feminina. Nas palavras de Álvaro Romero, ideólogo e voz da dupla de Cádis: “Graças a uma voz feminina perdi o medo, adormeci à noite ou acordei de manhã (…) Por isso queremos apresentar a nossa primeira canção do que será o epílogo do primeiro álbum em homenagem à grande La Marelu”. Ouça aqui.

A banda Espanto apresentou “Cemento”, seu quinto álbum, que os catapulta entre as grandes propostas pop deste ano na Espanha. Não importa para onde miramos, a seiva destilada sempre surge inspirada e curativa em uma exibição semelhante de pop restaurador, armada com um imaginário lírico altamente original. Simplesmente, um álbum único e absolutamente necessário para esses tempos de lugares comuns e várias repetições. Ouça.

Quatro anos tivemos de esperar pela chegada de “ExNovo”, o novo álbum de BFlecha, alter ego da produtora e DJ Belén Vidal. Nele, ela oferece um novo passo em frente para uma mente em constante brainstorming cibernético que bebe da eletrônica cubista e da abstração de sintetizadores do início da última década. Um excelente álbum em termos de ideias e resultados.

Depois de chamar a atenção com o seu álbum de estreia em 2019, a banda andaluza Derby Motoreta’s Burrito Kachimba regressa com “Hilo Negro”, o seu tão aguardado segundo álbum no qual fazem uma acertada revisão do genuíno rock andaluz dos anos 70 para traze-lo de volta de maneira contundente para o século XXI. Um redemoinho sônico onde riffs de guitarra explodem entre eflúvios orientais, percussões monolíticas e arranjos de proto-funk. Ouça!

Passamos agora à tela com “Héroes: silencio y rock & roll”, um documentário dedicado à banda zaragozana Héroes del Silencio, o mais internacional dos grupos de rock espanhol, que já está disponível no Netflix. O filme emociona os fãs, cativa pela montagem e revela muitos dados e imagens desconhecidos do grande público. Não há omissões, mas sim um acento em certos momentos e situações de um filme que se vale do ponto tragicômico para manter corretamente a atenção.

Por fim entramos na área literária para nos aproximarmos de “Los mejores narradores jóvenes en español“, livro da influente revista literária Granta. O volume, produzido 11 anos após a primeira edição e publicado em espanhol pela editora Candaya, contém 25 contos inéditos de contadores de histórias hispano-americanos com menos de 35 anos de idade. Como já aconteceu anteriormente, certamente ajudará a projetar a carreira internacional dos selecionados.

O que vem pra maio
Uma nova edição do Mutek acontecerá entre 3 e 9 de maio. Será uma edição híbrida e conjunta entre Espanha e Argentina.

Chegarão discos muito esperados álbuns: no dia 7 será liberada a nova obra do galego Baiuca e no dia 21 os de Kokoshca e Marco Maril.

Nos últimos dias de maio chega a Nova Semana de Arte a Madrid. Quatro eventos marcantes coincidirão para a ocasião: Drawing Room (26-30) Art Madrid (26-30), Urvanity (27-30) e Hybrid Art (28-30).



MÉXICO
por Anali Rodriguez do site Indie Rocks!

O ano segue seu curso com todas as atividades contempladas. As campanhas para a Câmara de Deputados tiveram início em abril e os candidatos começaram a distribuir o spam mais sufocante para comemorar “as maiores eleições da história do México”. Devido à história política do México, cada vez mais comentários negativos ressoam sobre as campanhas e seus representantes, especialmente aqueles que lideram atualmente; Andrés Manuel López Obrador em nome de Morena. Diante dos acontecimentos ocorridos em seus quase dois anos e meio de mandato, o que podemos esperar de seu partido? A incerteza surge e você se pergunta: vale a pena votar em alguém? É difícil saber, mas devemos. Em semanas, os votos chegarão e os eleitos começarão a trabalhar na proposição e aplicação de novas leis que moverão o curso de milhões de mexicanos. Como sempre, temos que estar atentos às ações e suas consequências, mas isso não significa que tenhamos que deixar de sintonizar novas músicas, mesmo que ela se torne uma rota de fuga.

As fronteiras nunca foram um obstáculo para Sonido Gallo Negro, este projeto carregado de folclore e ondas psicodélicas que, no seu trigésimo aniversário, compartilha “Silbadora”, uma música em colaboração com a artista australiana Molly Lewis. O single, uma homenagem a Ennio Morricone e Alessandro Alessandroni, flui com facilidade em um ambiente natural e fresco. Conecte-se com os pássaros!

O grupo de funk rock Los Discorde compartilhou o videoclipe oficial de “Quédate”, single que busca representar o amor por meio da timidez. A produção ficou a cargo de Rhodes Rodosu e conta com a participação especial de Nayeli Sosa nos vocais. O amor vem de maneiras diferentes e Hamlet Alejandre – diretor do vídeo – o mostra uma vez mais.

La Buena Banda Isabel já está trabalhando em seu primeiro EP feito com muito dinamismo e faíscas vibrantes. Um exemplo disso é “Walk Me Home”, seu primeiro single composto por um doce conjunto de guitarra, baixo e bateria, influenciado por sons dos anos 90. Ouça aqui.

O 4:20 chegou em abril e Alex Otaola decidiu comemorar com um vídeo incrível para “Rumble Driver”, um single retirado de seu LP mais recente, “Fractales, Vol. 2”. A filmagem é composta por imagens distorcidas infinitas da cidade capturadas das alturas. A animação ficou a cargo de Sergio Arau (Botellita de Jerez), enquanto as demais tomadas foram feitas por Kanu Drones. A música é hipnótica e conta com a participação especial de Andrés Landon, Frankie Mares, Luca Ortega e Nacho González.

Jenny Juárez, conhecida como Bratty, está perto do lançamento de seu novo álbum de estúdio, “tdbn”. Enquanto o disco não chega, a cantora abraça os fãs ao som de “tuviste”, música produzida por Dan Solo e Santiago Casillas (Little Jesus). “tuviste” veio acompanhada de um videoclipe com toques vintage dirigido por NAMUJU e Narsés. A história mágica se desenrola entre fagulhas de cor produzidas pelo saxofone.

Itzel Noyz te convida para uma dança lenta enquanto abre caminho para falar de relacionamentos tóxicos em “Beso Picor”. Com uma sonoridade R&B soul bastante particular, a cantora abre caminho para uma conversa que nos preocupa a todos e sobre a qual pouco se discute honestamente. Julio Morales se encarregou de masterizar esta entrega passional.

Se você procura o espaço perfeito para passear em liberdade, o encontrará em “Kualkan” – da língua da família uto-asteca náhuatl, que significa “com tempo bom” –, o novo álbum de Doña Macabra. Gravada e masterizada por KB no Testa Estudio, essa produção melancólica e lúdica serve de parênteses para falarmos honestamente sobre todos os problemas que temos como sociedade. O grupo impregnou cada uma das melodias com sentimento e fez delas um encontro contrastante perfeito para passear livremente.

Atmosferas relaxantes para perder-se. É assim que se define a nova produção de Sebastián Neyra, que com seu projeto Sonic Emerson compartilha seu novo EP, “Hasta que el hecho que está esperando ocorre”. Os sons que cercam o lançamento são calmos, levando o ouvinte à introspecção e desconexão. Os riffs carregados de melancolia e mistério invadem a sonoridade das seis faixas que compõem o álbum lançado via Arts & Crafts México. Saiba mais aqui.

Margaritas Podridas finalmente compartilharam seu álbum autointitulado produzido por Sebastián Neyra; uma fusão interessante de ondas multicoloridas impregnadas de sentimentos sinceros. Por meio de nove canções, o grupo convida você a se conhecer e interagir com o que pensa e sente. Atreva-se a fluir entre estas sequências experimentais!

Marion Raw aproveitou o tempo em reclusão para gravar alguns covers e canções originais que logo capturou em seu LP de estreia, “Deep Cuts”, que chegou via Devil in the Woods. Caseiro, instantâneo e misterioso são algumas das palavras que podem definir este retrato fantasmagórico. Sua produção lo-fi e nua mostra uma faceta muito especial e incomum nos projetos atuais.

No final do mês, a Cidade do México foi testemunha da semana de arte Zona Maco, que, mesmo com uma pandemia, conseguiu oferecer uma grande variedade de exposições de arte, fotografia, design e antiguidades. Esta edição apoiou o trabalho de jovens artistas emergentes que procuravam um espaço para dar a conhecer o seu conceito. Intervenções, performances e exposições fizeram parte deste projeto encarregado principalmente da divulgação da arte.

A cada semana, o governo mexicano oferece uma prévia da situação da saúde no país. A Cidade do México, assim como muitos outros estados da República Mexicana, já estão em um semáforo amarelo e os diferentes setores começaram a retomar suas atividades. O entretenimento ao vivo já começa a figurar como uma opção para os artistas. Cantores como Javier Blake, Siddartha e Sabino conseguiram agendar shows presenciais com capacidade limitada, enquanto outros como Caifanes e Ximena Sariñana aderiram à ideia de auto-concertos. As opções são viáveis desde que o protocolo de saúde continue a ser respeitado. Assim como os músicos desejam retornar ao palco, o público sonha em gritar e torcer por eles durante suas apresentações.

Além disso, ainda vinculado ao formato de streaming, durante o mês de maio (12, 13 e 14) estaremos aproveitando a edição Gateway do Festival Marvin com um line up que inclui projetos de todo o mundo e que buscará unir os diferentes membros da família. Desfrute de três dias de música!



PERU
pela equipe do site Rock Achorao

Como em toda a América Latina, o cenário político no Peru está em chamas. O primeiro turno eleitoral foi realizado em 11 de abril e o resultado não foi nada animador. De um lado temos a filha do ditador Fujimori (o maior corrupto da história do Peru) defendendo os ideais das grandes empresas exploradoras que dirigem o país; de outro, Pedro Castillo, representante da extrema e rançosa esquerda com vários laços com Movadef (a nova cara do grupo terrorista Sendero Luminoso), mas que, ao contrário de Fujimori, fez campanha política desde as bases nas comunidades rurais mais distantes do país, o que até agora lhe dá a maior porcentagem e aceitação de votos. Decidiremos o destino do país nas urnas em 6 de junho.

Quanto às artes e à música, tudo continua igual. Nossas esperanças de um verdadeiro renascimento dependem do lento processo de vacinação. No entanto, e como em todo este ano pandêmico, a música não parou de tocar e semana após semana temos um bom punhado de novas canções e álbuns que são nosso apoio para continuar aqui. Aqui está um rápido resumo dos lançamentos em destaque no Peru em abril.

Novos singles
“Beach Please” é uma música que nos traz uma essência de festa, com ritmos urbanos e eletrônicos que evocam momentos em que poderíamos curtir o verão. A dupla El Sucumbión surge no mapa com uma proposta amigável e calorosa. É por isso que o single está sendo chamado de “a canção do verão que nunca existiu”.

Arianne Gozzing, uma multi-instrumentista e compositora de 23 anos, lançou “Schizo”, um single com o qual gerou muita empolgação na cena underground. Seu primeiro trabalho dá-nos uma ideia da sua projeção internacional, precisamente porque o grosso do seu público atualmente é estrangeiro. Surpreende também pela liderança e grande habilidade musical que demonstrou ao tocar todos os instrumentos nesta música, exceto o solo de guitarra. Suas influências variam de trap, vogue, electropop, black e death metal. Altamente recomendado.

Algo muito comum no circuito de Lima é que muitos músicos experientes se reúnem para criar novos projetos musicais. É o caso do Muhtron, o novo empreendimento liderado por Paco Holguín, voz do renomado Emergency Blanket. Em ““C3X1L14” ele deixa suas influências orientadas para cyber punk, new wave e dance rock fluírem livremente e nos dá uma faixa digna para dançar em nossas festas pós-apocalípticas. Ouça aqui.

Peça do notável músico peruano Nicolás Duarte, “De Paseo” é ritmicamente divertida, e visa comover-nos um pouco e tirar-nos da estagnação, mas ao mesmo tempo partilha a ansiedade de um personagem que se perde num simples passeio e se pergunta constantemente como voltar? Feita para esquecer por pelo menos três minutos a situação de pandemia que vivemos. Recomendado.

Se você procura por um toque de doçura, sofisticação e melancolia, tem esta genuína música de Camille Jackson, que tem toques peculiares orientados para o pop e a experimentação. Sua voz se estende graciosamente à melodia de vários instrumentos de cordas e algumas batidas de címbalo calmantes. “Isabella” é o segundo single do próximo EP “La Trampa”. Não a perca de vista.

“Killa peruana 2”, de Akela feat. Tormenta, La Torita, Gilow, Blue, Sofgab, Brendah Jah, Ysabel Omega e Sky é uma suculenta e imponente mostra de talentosas vozes femininas do cenário urbano peruano, cheias de fluidez, ritmo e atitude. Sete minutos que prometem muito sentimento e inspiração desde o primeiro golpe até o último canto. Canção monumental muito diferente de sua antecessora.

Flamenco Inflable é uma das bandas jovens mais interessantes que surgiram este ano na cena de Lima, combinando indie rock e ritmos folclóricos, com um sentido e um canto peculiar que busca heranças do flamenco, o que lhes confere um estilo muito próprio. Além disso, como bons estudantes de carreira musical da PUCP, eles mantêm uma ótima execução e produção, tanto neste novo single “Videoclip”, quanto no single anterior, “Juerga” com o qual os conhecemos.

Novos álbuns
“Relahigh” é um EP inovador com muito frescor, que funde dancehall com R&B, hip hop, doo wop, dembow e pop latino carregado de efeitos eletrônicos, todos muito bem produzidos e com uma melodia relaxante que posiciona Maylo como uma das promessas musicais do Peru para 2021. A faixa título é um ótimo exemplo disso.

“El club de los robots fantasmas y la rebelión melancólica” é um EP inusitado, mas relevante de Juan Gris, que foi lançado no dia 2 de abril, com uma promoção modesta, mas com comentários muito bons, com cinco peças que descrevem perfeitamente a atitude da banda nestes tempos, mostrando que é possível reinventar-se. Destacam-se “Robots” e “Tienes”, mas ouça o álbum inteiro, você não vai se arrepender.

“Pantone Pink Eyes”, o segundo álbum do produtor Lima Pounda (Pounda & NoModico, Vudufa), nos mostra o seu lado mais onírico, colocando atmosferas espaciais, almofadas sonoras profundas e galácticas onde fluem golpes clássicos do rap, entre arranjos pouco convencionais do hip hop. Este trabalho, considerado como Boom Bap, tem um forte flerte com ambient, lo-fi e trip hop. Dos melhores de abril.

O que teremos para maio
A economia é reativada aos poucos. O Huaje Festival anunciou sua edição de 2021 no meio do Lago Titicaca, em Puno. Uma experiência em que conviverão arte, turismo e tradição.

Alianças são fortalecidas. Quatro artistas peruanos participarão da edição 2021 do Panorama Neutral: Autobus, Ademilxhora, Ximena Vasquez e Plastical People.

A nova edição do Mercado Corriente está sendo preparada…



URUGUAI
por Kristel Latecki do site PiiiLA

O panorama político e social do Uruguai neste mês de abril não foi nada animador. Pedidos de medidas para conter o contágio do Coronavirus encontraram ouvidos surdos, enquanto o número de mortes alcançou novos recordes. O Uruguai, portanto, está classificado entre os piores países do mundo em termos de média de mortes pela doença. O tédio e a indignação já são sentimentos diários, mas como todos os meses, temos muita música nova para nos acompanhar.

Lançamentos
O resumo deste mês começa com o lançamento mais recente: Juan Wauters e seu “Real Life Situations“. É um álbum alegre, eclético e descontraído, como os que costuma fazer, porém, é uma obra marcada pela pandemia. Tomando canções compostas antes de tudo isso, notas de voz e colaborações com colegas como Mac DeMarco, Peter Sagar (Homeshake), Cola Boyy, El David Aguilar e mais, ele criou uma espécie de retrato pessoal desse momento.

Quatro anos após seu excelente primeiro LP, Los Nuevos Creyentes voltam com “Planta Musical”, uma obra que leva a psicodelia que os caracteriza para outro lado, mais distante do fuzz e mais próximo do etéreo, do místico e do xamânico. Em suas letras a jornada sensorial ainda está presente, mas é mais profunda e introspectiva, alimentada por plantas, respirações e mantras poderosos. Nesta nova sintonia, “Medita el Demente” é talvez uma de suas melhores e mais altas canções.

Também com seu segundo álbum, Bárbara Jorcin se destacou neste mês. “Si canto es porque puedo” é uma grande coleção de canções, que começa com o que já é um hino feminista (“Lanza”) e continua com temas que vão do romântico ao tóxico, canções que pedem os nossos coros, incluindo momentos bem-humorados (“Oda al plátano”). O piano, a voz e a atitude de Bárbara são os principais protagonistas.

Experimentando o tempo e se perguntando sobre a memória e o desaparecimento, o músico e produtor Fabrizio Rossi apresenta “Recuerdos de Uruguay”, um segundo álbum de folclore experimental. Suas canções nunca são típicas nem vão para o lugar esperado. Aqui, ele traz referências antigas ao presente, distorce sons tradicionais e cria novas leituras.

Através do coletivo argentino Hiedrah Club de Baile, o DJ e produtor Ojosfinos lançou seu primeiro EP de faixas próprias, marcado pela idiossincrasia uruguaia e pelas faixas tropicais de outrora. Com uma arte que simula uma embalagem de erva “sem pau” e como “a que mais bate”, sem dúvida a sua música bate na cintura.

O “cachengue depressivo” de Power Chocolatin Experimento regressa depois do excelente álbum “Aparatos” com um EP intitulado “Explicándole la muerte a los gurises más chicos”. Seu rock experimental possibilita interlúdios de palmas, referências definitivas ao Uruguai e uma versão de “Los Que Iban Cantando”, de Luis Trochón.

O tédio do confinamento motivou Eros White a criar algo um pouco maior que seu maximalismo usual: ele convidou colegas para participarem de um mega remix de “Porfiado”, seu último lançamento. O resultado é uma colaboração à distância com mais de 20 músicos convidados (Anxiety Report, Cacciatore, Gia, LATUCA, Lila Tirando a Violeta, Rasenk, Sanrosada, Zuni e mais) e é coroado como um dos melhores exemplos em larga escala do hiperpop local.

Nomusa lançou um excelente álbum no ano passado, e continua agora com uma nova música com o produtor LVZY. A minimalista “Montevideo 333” (cuja base rítmica aparece bem depois do meio da faixa) abre espaço para que as melodias da música e da produtora brilhem.

Leandro Aquistapacie trouxe “De contenedores”, outra bela música para seu próximo álbum. Aquela que gradualmente envolve e cresce em emoção e musicalidade, até que termina com um toque final simples, como começou.

No CCD Arte de Punta del Este –onde GANGA, a Feira de Arte Acessível acontece até 30/05– Dani Umpi criou um novo visual para seu álbum “Lechiguanxs Box 1” lançado em 2019. Dirigido por Pedro Duarte Gurméndez, “Los del 4to B” ft Maricas Malas tem todos os temperos da artista: melodrama, sincretismo estilístico e arte.

Com outro excelente single e clipe, Luis Angelero revela um pouco mais sobre seu álbum de estreia, ainda sem data de lançamento. “Preguntas” foi dirigido por seu colaborador desde o início deste projeto Federico Molinari e fala sobre conhecer o fundo e fazer amizade com os maus momentos.

Jhona Lemole apresentou mais uma das baladas que farão parte de seu próximo álbum, “Celebrar”. O single “Felices” tem a voz convidada de Camila Rodríguez (do quinteto Niña Lobo) e um visual nostálgico com um momento coreográfico que se manifesta como uma memória difícil de superar.

Além de tudo isso, Arquero se arrepende em “Perdón 🙁“, produzido por Alemany. El Color Ausente apresenta seu segundo single, “Mi Oscuridad Fluorescente”. Gula, Agustín Casulo e Gavo se reuniram em “Cero Chance”. La Vela Puerca estreia um novo single, “La Madriguera”, gravado durante o festival por streaming Pilsen Rock 2020. Sobre uma bateria eletrônica e coros inocentes, o trio de Monkelis canta para o diabo em “Satan Sana’. A banda Visitantes se apresenta com o single e o clipe “Tejiendo un Sueño”. Zalo Solo apresenta a primeira parte de seu terceiro álbum com um chill house: “Família”. E a cantora e compositora Mariana Zunino compôs com Zuni seu novo single, “Balas”, um R&B sedutor e cativante.

LEIA OS PANORAMAS ANTERIORES DA FARO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.