Três perguntas: Adnams Brewery e Get – Cervejas Especiais

por Marcelo Costa

Criada em 1872 em Southwold, pequena cidade da costa inglesa à beira do Mar do Norte e a cerca de três horas da capital Londres, a Adnams Brewery mantém-se como uma cervejaria independente trabalhando arduamente num mercado voraz. No Reino Unido, eles possuem mais de 70 bares próprios, e no Brasil estão constantemente com o cardápio atualizado devido ao trabalho da importadora Get Trade, braço da Get – Cervejas Especiais, responsável pela importação da marca desde 2014.

Quem conhece um pouco sobre escolas cervejeiras sabe que as escolas clássicas (Alemanha, Bélgica, Inglaterra e República Tcheca) dominaram o universo cervejeiro por séculos, mas foram surpreendidas pela revolução norte-americana nos anos 80, que turbinou receitas, reinventou estilos e conquistou o mundo. Depois disso, muita gente passou a menosprezar as escolas clássicas, o que é uma imensa bobagem, pois vários estilos clássicos (Bitter, English IPA, German Pilsner) são perfeitos como porta de entrada para o universo cervejeiro.

Dentro desse cenário, a Adnams mantém um padrão clássico, mas começa a criar coisas novas. Exemplo são as duas colaborativas que chegaram ao Brasil em maio (uma delas com a mítica Cigar City) e as novidades que ainda virão, através da Get Trade, neste ano, como a Cucumelon Sour, produzida com pepino e o lúpulo Huell Melon numa base de Sour – primeira Sour da Adnams! Riccelli Adriel, gerente comercial da Get – Cervejas Especiais e professor do curso de Sommelier de Cervejas no Senac Aclimação, em São Paulo, fala mais sobre o que chegou e o que vai chegar!

Novidades da Adnams, três cervejas novas que nunca tinham vindo para o Brasil, duas delas colaborativas. Conta pra gente o que está chegando?
Uma coisa muito bacana é que a Adnams está fazendo coisas diferentes de Adnams. Então agora estamos com duas colabs, e uma delas é a Two Bays, com a norte-americana Cigar City. É uma cerveja cuja receita inclui chips de carvalho e cinco lúpulos norte-americanos, uma pegada bem legal, mais com perfil da Cigar City do que da própria Adnams. Só estamos trazendo 1000 garrafas para todo o Brasil, mas a gente conseguiu trazer pra cá uma colaborativa que era só para o mercado interno deles. Ela está chegando com preço de R$ 30 em média para o consumidor final e vai acabar bem rápido – pelo menos é o que a gente espera. A outra colab é com uma cervejaria da Nova Zelândia chamada Yeastie Boys: chama-se White Lies e é uma White Chocolate Stout em que o malte usado traz chocolate branco no aroma, uma brincadeira que eles fizeram na malteação. Além disso, ela conta com o lúpulo neozelandês Nelson Sauvin. O nome White Chocolate Stout sugestiona a pessoa a acreditar que é mais cacau, mas o lance é mesmo no aroma, de chocolate branco bem nítido. A terceira novidade é a Satsuma, da linha Jack Brand. É uma Witbier que recebe suco de Satsuma, uma tangerina oriental, na fervura, e uma pitadinha de noz moscada, numa homenagem da Adnams à escola belga. Essa é a terceira leva de lançamentos da Adnams neste ano porque eles acreditam muito no potencial do Brasil como mercado, temos um bom relacionamento com eles, e de todas as cervejarias que nós representamos, a Adnams é que mais temos contato. O principal foco da marca no Brasil é a Ghost Ship, pois trabalhamos com chopp em 38 pontos fixos com um preço bem acessível. A ideia é continuar trazendo produtos que tenham qualidade com um bom preço. Já as novidades sazonais tem um preço um pouquinho diferenciado, mas sempre vamos tentar traze-las.

Na apresentação para a imprensa você reforçou, mais uma vez, o pouco reconhecimento do mercado brasileiro para com as Bitters inglesas. E agora vocês estão chegando com a Southwold Bitter da Adnams num bom preço. Queria que você falasse um pouco sobre isso…
No mercado brasileiro, existe uma única marca importada que trabalha com esse estilo e que está na cabeça do brasileiro. Nós estamos tentando trazendo a Adnams, que faz uma bela Bitter, com preço muito mais acessível para que o pessoal consuma mais. O brasileiro tem costume de consumir cerveja mais lupulada, mas é bom lembrar que a Bitter é uma boa porta de entrada para esse mundo. Ela é mais seca, tem um teor alcoólico não tão elevado, um amargor presente que ainda assim não é tão forte, ou seja, uma cerveja que abre caminhos para quem está começando. Também não podemos esquecer que o pub é outra porta de entrada para muita gente no universo de cerveja. A ideia é trazer esse universo para a lata, que estará num bom preço (entre R$ 15 e R$ 17 a lata de 500 ml) no bar – não no supermercado, mas sim preço final para o bar, ou seja, uma Ordinary Bitter bem boa que dá pra beber de balde num preço super acessível.

O que há de mais novidades da Adnams para chegar e do próprio catálogo da Get para este ano?
Esse ano nós conseguimos trazer a Ugly Duck de volta, que é uma cervejaria dinamarquesa bem ousada (tem Juicy, New England, Imperial Wheat Stout com trigo defumado), e também a Shipyard, dos Estados Unidos, que passou por um reposicionamento de marca. Da Shipyard agora vamos trazer a linha de inverno com uma Winter Ale inédita, que tem como base uma Dubbel numa brincadeira de malte e candy sugar bem tradicional na escola belga, e, logo na sequencia, a Shipyard Prelude, que já veio na versão Barrel Aged, mas tradicionalmente é uma Old Ale bem legal. A terceira novidade da Shipyard será a Gladiator, essa sim uma Bourbon Barrel Aged que vem para o inverno, pra esquentar a galera com 13% de graduação alcoólica além de bastante madeira e tosta. É bem bacana. Da Adnams, um spoiler é a Tally-Hoo que chegará na edição 2017, deste ano, para não atrapalhar a coleção da galera que tem as garrafinhas ano a ano. Ainda não sabemos qual barril eles usaram, mas vem coisa boa. Junto com ela, um spoiler em primeira mão: traremos a Jack Brand Cucumelon Sour, versão em lata de uma cerveja que a Adnams produziu com pepino e o lúpulo Huell Melon com base de Sour. É a primeira Sour da Adnams. Aguardem!

– Marcelo Costa (@screamyell) edita o Scream & Yell e assina a Calmantes com Champagne.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.