Três livros: “O Orangotango Marxista”, “Outsider” e “O Simpatizante”

Resenhas por Adriano Mello Costa

“O Orangotango Marxista”, de Marcelo Rubens Paiva (Alfaguara)
Em seu novo romance, chamado “O Orangotango Marxista” (2018), Marcelo Rubens Paiva mistura crítica social e política com humor irônico e funcional. O livro traz 112 páginas e teve lançamento esse ano pelo selo Alfaguara, da Companhia das Letras. O peculiar personagem principal chegou ainda criança em São Paulo capturado na selva africana e transportado para a vida no cativeiro dentro de um laboratório de pesquisa. Com inteligência elevada, ele aprende a linguagem de sinais com Kátia, a pesquisadora que lida diretamente com ele, e até que é feliz. Contudo em um arroubo de ciúme nada convencional, ele é expulso do laboratório e enviado a um zoológico onde precisa aprender a sobreviver e começa a bolar um plano para destroçar a humanidade e os moldes da nossa sociedade. Nesse projeto esboçado de revolução, Fidel (esse é nome do orangotango) aguça mais ainda a inteligência e ao ler mais e mais despeja curiosas considerações sobre religião, luta de classes e estruturação comportamental, divertindo o leitor nessa briga imaginária.

Nota: 6 (leia um trecho)

“Outsider”, de Stephen King (Cia das Letras)
A pacata cidade de Flint City, nos EUA, não será a mesma depois que uma criança de 11 anos foi encontrada assassinada no parque com crueldade inimaginável até para mentes sórdidas. Todas as pistas apontam para o professor Terry Maitland, uma das figuras mais queridas e conhecidas do local, e quando a polícia encabeçada pelo detetive Ralph Anderson ordena a prisão na frente de todos, a cidade entra em estado de choque e revolta. Todavia, conforme o caso avança, parece que a coisa não era bem assim. Ou será que era? É em cima dessa dúvida que se desenvolve a parte inicial de “Outsider” (The Outsider, no original), livro de Stephen King publicado em 2018 pela Companhia das Letras com 528 páginas e tradução de Regiane Winarski. A partir desse preambulo surge com maior intensidade novos e estranhos dados na trama policial permitindo a Stephen King desenvolver toda sua habilidade como em obras mais antigas, prendendo o leitor como poucos sabem fazer. Mestre é mestre.

Nota: 7,5 (leia um trecho)

“O Simpatizante”, de Viet Thanh Nguyen (Alfaguara)
“O Simpatizante” (The Sympathizer, no original), livro de estreia de Viet Thanh Nguyen, ganhou o prêmio Pulitzer de ficção de 2016, o que é um senhor cartão de visitas, convenhamos. A obra foi publicada no Brasil em 2017 pelo selo Alfaguara, da Companhia das Letras, com 392 páginas e tradução de Cássio de Arantes Leite. Thriller político de espionagem traz uma visão dura e fora dos padrões que vimos no decorrer dos anos sobre a guerra do Vietnã, indo tanto de situações de antes dos EUA adotarem o conflito, passando pelo conflito em si e culminando no depois tanto no que diz respeito aos exilados fora do país como também na luta pela sobrevivência de cultura e costumes. O protagonista é um agente duplo vietnamita que dentro do exército do Vietnã do Sul junto com os ianques repassa informação para o outro lado onde reside na verdade seus ideais e coração. É um personagem fascinante que brilha em uma história vigorosa e com tons de épico.

Nota: 9 (leia um trecho)

– Adriano Mello Costa assina o blog de cultura Coisa Pop: http://coisapop.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.