TOP SEVEN 2009 SCREAM & YELL

2009 foi um retrato perfeito da segunda metade dos anos 00, meia década ofuscada pelo brilho de sua primeira metade. Dos 20 discos eleitos os melhores internacionais da década em votação deste mesmo site – no mês de dezembro passado, veja aqui – apenas seis nasceram pós 2005, sendo que nenhum de 2008 ou 2009 conseguiu se colocar entre os 20 mais votados.

O Top Seven 2009 reforça essa crítica: o grupo que venceu na categoria Melhor Disco teve o menor número de votos de todas as edições de Melhores do Ano deste site. Em 2001, o Strokes venceu com “Is This It” arrebatando 31 votos. Franz Ferdinand venceu em 2005 somando 29 votos. Em 2007, o Radiohead venceu o LCD por um voto de diferença, 32 a 31. Em 2009, o Them Crooked Vultures sai com o disco do ano com apenas 14 votos. E como muita gente disse por ai, “Them Crooked Vultures”, o disco, não bate um disco clássico do Queens of The Stone Age.

Essa fase estranha pela qual passa a música internacional abriu espaço para a valorização de grandes discos independentes lançados em 2009. Animal Collective, Grizzly Bear, The xx e Dirty Projectors apareceram muito bem na votação cravando seus álbuns e músicas e capas. Por fim, Quentin Tarantino bateu Thom Yorke na soma final. O melhor filme do cineasta em 15 anos (1994, “Pulp Fiction”) obteve a soma de votos mais alta da votação, batendo por um voto o show que muita gente esperou, veja só, 15 anos para ver em terras brasileiras.

Se o cenário lá fora anda complicado, o mesmo não pode ser dito da música brasileira. 2009 foi um ano fértil para o país com, seguramente, uma dezena de grandes discos que poderiam facilmente figurar no topo dos Melhores do Ano. No entanto, apenas três destes despontaram na votação e brigaram até o último voto pela primeira posição. Uma briga acirrada que permite avaliações interessantes, já que os dois primeiros colocados da votação de Melhores do Ano do Scream & Yell (tanto internacional quanto nacional) são os mesmos que encabeçam as listas da revista Rolling Stone (veja aqui).

Admirar, analisar e (tentar) entender o passado é um trampolim para o futuro. Os anos 10 já começaram, e este cenário de apatia que predominou na cultura pop mundial (o cinema também já viveu dias melhores) em 2008/2009 pode ser um reinado chegando ao fim para outro começar. Rei morto. Rei posto. Será que Nova York vai passar a coroa? Será que Strokes (em fase “Chinese Democracy”) terá pique para brigar com o Vampire Weekend, sangue novo, show vibrante, discão circulando por ai? Como diria Cleber Machado, lá para dezembro talvez a gente tenha alguma resposta. Ou não.

Para finalizar, a mesma ladainha de todo o ano. Juntando 68 votos de uns aqui e outros acolá apontamos os 7 Melhores de 2009. Sim, gostamos de ser diferentes e apreciamos o número 7. No mais, assim como de praxe, optamos por manter votos de músicos que votaram na própria banda e de editores que votaram no próprio site, mas eles não foram computados. Os vencedores estão ai embaixo, divirta-se. E até o ano que vem!

Marcelo Costa
Editor Scream & Yell – Ano 10





3 thoughts on “TOP SEVEN 2009 SCREAM & YELL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.