SCREAM & YELL: OS MELHORES DE 2021

19ª edição do Melhores do Ano Scream & Yell… se alguém me contasse lá em 2001 que eu faria essa loucura 19 vezes (bem, 22 se contarmos os melhores da década anos 90, 00 e 10) durante (quase) todo mês de janeiro, dificilmente eu acreditaria, mas cá estamos nós. Todo ano é quase a mesma rotina: eu envio os convites via de regra em dezembro, praguejo janeiro inteiro na construção desse especial contando e recontando votos e, quando tenho os resultados em mãos, sorrio como uma criança que acabou de ganhar seu primeiro brinquedo de super-herói tentando entender o que aqueles montes de nomes e números significam.

Em 2022 as coisas foram um pouquinho diferentes, afinal, temos uma pandemia acontecendo (ainda). Os convites foram enviados apenas na primeira semana de janeiro para 170 convidados com pedido de resposta para dali a 10 dias. Na terceira semana de janeiro já tínhamos iniciado a contagem dos votos com mais de 120 opiniões recebidas, e o plano inicial era de que esse especial entrasse ainda em janeiro, mas um teste positivo de Covid, quase assintomático, deixou todo mundo “preso” aqui em casa – e é difícil manter a rotina com uma criança de 3 anos no auge da sapequice querendo ser entretida em um isolamento (risos).

Daí que só por isso esse especial chega aos seus olhos no meio de fevereiro com 128 convidados (nosso recorde) abrindo seus votos – havia um empate em Melhor Disco Internacional até 10 dias atrás, quando um último voto perdido encontrou a minha caixa de e-mail colocando uma garota de Londres, que nasceu nesse século, isolada no topo da votação. Aliás, tirando os colaboradores de Sam Shepherd (conhecido como Floating Points) no álbum “Promises” na lista de discos internacionais e Caetano Veloso na lista nacional, os outros 12 nomes listados no Top 7 Nacional e Internacional iniciaram a carreira neste século (muitos iniciaram a carreira 5 anos atrás)…

O grande nome dessa votação é uma cantora carioca que se encontrou em São Paulo: além de lançar o disco nacional mais votado de 2021 (com o número mais expressivo de votos: 55!), ela também lidera Melhor Canção Nacional de 2021 e ainda aparece como um dos shows mais esperados pelos votantes. Falando nisso, como 2021 não foi um ano de muitos shows, resolvi convidar os votantes a compartilharem os shows que mais eles desejariam ver em 2022 (atenção aos nomes, curadores!), e, infelizmente, um dos lideres da votação já anunciou uma agenda extensa de concertos que impossibilita sua vinda ao país neste ano, mas 2023 está logo ali, não é mesmo?

Uma outra curiosidade: o disco campeão de canções citadas na categoria Melhor Música foi “Happier Than Ever”: o segundo disco de Billie Eilish tem 16 músicas e 9 delas foram votadas aqui. Logo atrás vem “Roteiro Pra Aïnouz, Vol. 2”, de Don L (artista do ano para a APCA), que também tem 16 faixas (contando os interlúdios) e teve 8 músicas citadas na votação. Marisa Monte teve 7 músicas diferentes votadas de seu álbum “Portas”, mesmo número de faixas lembradas do álbum “Call Me If You Get Lost”, de Tyler, The Creator. Entre os discos que tiveram mais canções citadas ainda estão os álbuns de Tagore, C. Tangana e St. Vincent…

Eu poderia ficar dias fazendo recortes dessa votação buscando levantar algum ponto que nos dê um pequeno vislumbre da época que estamos vivendo, e isso também está em suas mãos, pois o que você tem aqui é um material extenso para pesquisa e elocubrações (são 48 páginas de word de itens votados!). Ou seja, faça um passeio nas listas pessoais desse seleto grupo de votantes, que nos ajudou a construir esse especial com seus olhares particulares: visite seus sites, assine suas newsletters, assista seus vídeos, ouça seus podcasts: há muito material de qualidade agregado a essa lista, tudo a um clique do mouse ao lado do nome de cada votante.

Para finalizar, a mesma ladainha anual. Juntando 128 votos de pessoas com um olhar, um ouvido e um coração atento para a cultura pop, em geral, e música em particular, apontamos os 7 Melhores de 2021 em diversas categorias: Melhores Discos, Filmes, Músicas, Livros, Podcasts, TV & Streaming. Por que 7? Curtimos essa coisa meio cabalística do número, mas também gostamos de ser diferentes. Cada votante elencou suas obras favoritas do período, sem pré-lista, sem regras pré-estabelecidas, confiando apenas na boa e velha… memória. E com todos os votos abertos! Os vencedores estão ai embaixo. Divirta-se. E até janeiro (ou fevereiro) de 2023…

Ps. Lembrando que a gente mantém os votos de artistas que votam em suas próprias obras, mas eles não são computados na votação final.

Ps. 2: Temos playlists! 50 músicas nacionais e 50 músicas internacionais!

Marcelo Costa (editor Scream & Yell)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.