Esse você precisa ouvir: “Ricordami”, The Ranger Sound

texto por Monica Mazzoli

Não há dúvida: na produção discográfica beat italiana é difícil encontrar uma peça mais crua do que “Ricordami” – ou “Ricordarmi”, como está escrito na etiqueta do compacto e apresentado no texto da capa –, da banda The Ranger Sound, de Pádua, cidade na região de Veneto, no norte de Itália. A peça musical nasceu por acaso, encomendada para preencher um lado B do single “Noi Siamo Felici” (1966), e composta durante uma noitada romana na base do improviso na via Merulana para, sem saber (talvez), tornar-se uma das verdadeiras canções da garagem -punk da cena beat da segunda metade dos anos 60.

São dois minutos distorcidos ao som de fuzz com uma linha de ataque que remete a “Till The End Of The Day”, dos Kinks. Um turbilhão, uma peça totalmente maluca (se contextualizada na Itália dos anos 60), um pouco como a cor verde com que a futura banda de Franco Serena (I Ragazzi dai Capelli Verdi), vocalista e líder do Ranger Sound, tingirá os cabelos.

Tudo passa de maneira veloz, como conta o próprio Serena: “Conheci os Rangers numa manhã de 64 no Supercinema (em Roma): eles só tocavam peças instrumentais, por isso me propus como cantor. Eles gostaram de mim e fui recebido com simpatia. Alcançamos notoriedade um ano depois quando, chegando à Estação Roma Termini como um grupo de paroquianos provinciais, nos vimos em um enorme outdoor: Ranger Sound, os convidados do Piper Club (notória casa de shows inaugurada em 1965). Tudo era novo ali: a multidão, o balcão do bar, os sinais da modernidade. Pouco depois, nos tornamos I Ragazzi dai Capelli Verdi” (no Il Mattino di Padova de 17 de fevereiro de 2016).”.

Existem fontes discordantes sobre a formação do The Ranger Sound e, então, a dos I Ragazzi dai Capelli Verdi. A única certeza é a figura de Franco Serena, mente por trás da Bacchiglione Beat, acrônimo que imita a batida de Mersey, de Liverpool, e indica a cena da batida de Pádua (Bacchiglione é o rio que atravessa a cidade). Uma pequena curiosidade: em 1965, The Ranger Sound marca presença no cinema – por alguns quadros – na obra-prima agridoce de Antonio Pietrangeli, “Io La Conoscevo Bene”.

Notas: os autores de “Ricordami”, segundo a editora do compacto 45 RPM e o SIAE, são Alfredo Cristaudo e Louis Nona (que também figuram nos créditos de outras canções de grupos beat italianos como The Jaguars). No entanto, dois membros do Ranger Sound devem ter participado da criação da música, pelo menos no lado instrumental. No grupo do Facebook Bacchiglione Beat, Antonio Constantini (guitarrista do The Ranger Sound) relembra: “A música foi composta por mim e Franco Serena em uma noite, em Roma na via Merulana. É uma peça 100% original e é o resultado de uma improvisação, pois era urgente criar um lado B, mas como muitas vezes acontece, as coisas improvisadas são fruto da oportunidade. A canção, embora fácil de pontuar e executar, reflete o (mau) caráter que caracterizou nosso grupo”.

Ouça abaixo!

Texto publicado originalmente no site italiano Kalporz, parceiro do Scream & Yell

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.