Ouça os primeiros singles do tributo a Tom Bloch

O amor é como quebrar os dentes. Inclusive o amor por uma banda
por Leonardo Vinhas

Projeto antigo deste que vos escreve, “Sob a Influência”, tributo a Tom Bloch, que será lançando pelo Selo Scream & Yell no próximo 01/04, só saiu do plano das ideias depois de um encontro fortuito com Iuri Freiberger, baterista da banda, nas ruas do bairro Cerqueira César, em São Paulo. Na verdade, passou-se mais de um ano entre esse colóquio e o começo dos trabalhos, mas o sinal verdade dado por um dos integrantes da banda era mais que o marco zero: era, na verdade, essencial. Já havia aprendido, em experiências anteriores, que nem todo homenageado pode aceitar bem a homenagem, e que esse processo de liberação da obra, mesmo para um projeto celebratório e sem fins lucrativos, pode resultar em muitos problemas, dependendo de quem você decide celebrar.

Não foi o caso dessa vez. Todo ex-integrante da banda que procurei recebeu primeiro a notícia com incredulidade (“você tá brincando, né?” e “mas alguém vai querer fazer uma homenagem à gente?” foram praticamente as respostas-padrão quando eu os abordava). E, na verdade, muitos chegaram a se juntar ao tributo. Ou quase, porque no meio do caminho houve uma pandemia.

Com só metade das faixas prontas, o coronavírus veio e você já sabe tudo o que aconteceu. Estamos testemunhando as consequências nefastas do desgoverno genocida em todas as esferas, e não precisamos recapitular os horrores dos últimos meses. Conto apenas que, em relação a este tributo, alguns nomes confirmados não puderam participar. Gustavo Mini, membro fundacional da banda e também um dos vértices do Walverdes, regravaria sua “Ontem”, mas a avalanche pandêmica inviabilizou a participação. Michel Vontobel já havia gravado a bateria para uma versão de “Nessa Casa” feita pelo Chrisma, um dos muitos projetos de Diego Medina, e Guilherme Dable logo gravaria o baixo. Mas problemas dos mais diversos abortaram também essa versão.

Dois artistas confirmados tiveram que cancelar sua participação. Mas, depois de todas as intempéries, 12 versões apaixonadas foram entregues, feitas por artistas das cinco regiões do país. Iuri Freiberger acabou participando da reinterpretação de “Situação de Dança” feita por Kassin. E no meio do processo, revelou-se uma última gravação “perdida” da Tom Bloch: uma releitura de “Thalassocracy”, pedrada preciosa de Frank Black. A banda cedeu essa versão para o disco, e assim, a Tom Bloch participa de seu próprio tributo com um cover de um de seus heróis musicais.

A obra gravada da Tom Bloch é constituída por 22 canções (do disco de estreia, “#1“, de 2002, e do “#2“, de 2008), e – serão 23 quando “Sob a Influência” estiver na rua. Mas é das obras mais preciosas do rock brasileiro, e pedia uma revisitação há anos. Como prévia do que está por vir, esse single antecipa o clima geral do disco.

Érika Martins faz uma versão espartana em harmonia e climática nos arranjos de “O Amor (Zero Sobrevivente)”, possivelmente a faixa mais representativa da banda, e uma das mostras mais evidentes da força poética de Pedro Veríssimo. Acompanhada apenas de Gabriel Thomaz nas guitarras e com uma ambiência preciosa trazida pela mixagem de Rodrigo Stradiotto, Érika entrega uma interpretação tão pungente quanto encantadora. Quando decidimos que esse seria o lado A do single, algumas semanas atrás, não sabíamos que hoje, quando o single é liberado, Érika e Gabriel estariam se recuperando da Covid-19 (ela já está praticamente curada, ele se recuperando cada vez melhor). Todo amor aos dois.

O “lado B” é uma brutal e belíssima apropriação de “Questão de Tempo” pela paraense Ana Clara, que, assim como Érika, já gravou composições de Pedro Veríssimo em sua carreira solo. Ana contou com a mixagem de Iuri Freiberger, em mais uma participação da banda em sua celebração. Correndo o risco de parecer autolaudatório, gostaria de dizer que o resultado ficou ainda melhor que o registro original de estúdio. Mas ouça ambas e tire suas próprias conclusões.

“Sob a Influência”, o tributo a Tom Bloch, estará disponível nas plataformas de streaming e também para download gratuito aqui no Scream & Yell no próximo dia 01/04. Confira aqui capa e tracking list. Abaixo você ouve os dois primeiros singles, lado A e lado B.

CATÁLOGO COMPLETO DO SELO SCREAM & YELL

SY00 – “Canção para OAEOZ“, OAEOZ (2007) com De Inverno Records
SY01 – “O Tempo Vai Me Perdoar”, Terminal Guadalupe (2009)
SY02 – “AoVivo@Asteroid”, Walverdes (2011)
SY03 – “Ao vivo”, André Takeda (2011)
SY04 – “Projeto Visto: Brasil + Portugal” (2013)
SY05 – “EP Record Store Day”, Giancarlo Rufatto (2013)
SY06 – “Ensaio Sobre a Lealdade”, Rosablanca (2013)
SY07 – “Ainda Somos os Mesmos”, um tributo à Belchior (2014)
SY08 – “De Lá Não Ando Só”, Transmissor (2014)
SY09 – “Espelho Retrovisor”, um tributo aos Engenheiros do Hawaii (2014)
SY10 – “Projeto Visto 2: Brasil + Portugal” (2014)
SY11 – “Somos Todos Latinos” (2015)
SY12 – “Mil Tom”, um tributo a Milton Nascimento (2015)
SY13 – “Caleidoscópio”, um tributo aos Paralamas do Sucesso (2015)
SY14 – “Temperança” (2016)
SY15 – “Ainda Há Coração”, um tributo à Alceu Valença
SY16 – “Brasil También Es Latino” (2016)
SY17 – “Faixa Seis” (2017)
SY18 – “Sem Palavras I” (2017)
SY19 – “Dois Lados”, um tributo ao Skank (2017)
SY20 – “As Lembranças São Escolhas”, canções de Dary Jr. (2017)
SY21 – “O Velho Arsenal dos Lacraus”, Os Lacraus (2018)
SY22 – “Um Grito que se Espalha”, um tributo à Walter Franco (2018)
SY23 – “A Comida”, Os Cleggs (2018)
SY24 – “Conexão Latina” (2018)
SY25 – “Omnia”, Borealis (2019)
SY26 – “Sem Palavras II” (2019)
SY27 – “¡Estamos! – Canções da Quarentena” (2020)
SY28 – “Emerge el Zombie – En Vivo”, El Zombie (2020)
SY29 – “Canções de Inverno – Um songbook de Ivan Santos & Martinuci” (2020)
SY30 – “SIEMENSDREAM”, Borealis (2020)
SY31 – “Autoramas & The Tormentos EP”, Autoramas & The Tormentos (2020)
SY32 – “O Ponto Firme”, M.Takara (2021)

Discos liberados para download gratuito no Scream & Yell:
01 – “Natália Matos”, Natália Matos (2014)
02 –  “Gito”, Antônio Novaes (2015)
03 – “Curvas, Lados, Linhas Tortas, Sujas e Discretas”, de Leonardo Marques (2015)
04 – “Inverno”, Marcelo Perdido (2015)
05 – “Primavera Punk”, Gustavo Kaly e os Hóspedes do Chelsea feat. Frank Jorge (2016)

2 thoughts on “Ouça os primeiros singles do tributo a Tom Bloch

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.