Boteco: Cinco cervejarias, dez cervejas nacionais

por Marcelo Costa

Abrindo uma nova sequencia de duas cervejas por cervejaria por Ribeirão Preto, casa da Colorado, que retorna ao site com sua Ribeirão Lager, uma American Light Lager que recebe adição de extrato de casca de laranja na receita. De coloração dourada cristalina com creme branco espesso de ótima formação e longa retenção, a Colorado Ribeirão Lager apresenta no aroma suaves notas cítricas que remetem claramente a laranja, sensação que se destaca no nariz, mas deixa perceber ainda, na base, cereais além de pão e biscoito. Na boca, cítrico suave no primeiro toque remetendo a laranja, que aumenta sutilmente conforme a cerveja desce a garganta, deixando cereais e biscoito de lado. O amargor é baixinho, a textura é leve com suave cremosidade e, dai em diante, a Colorado Ribeirão Lager entrega o que promete: refrescancia e laranja, muito bem inserida. No final, secura e refrescancia. No retrogosto, laranja e mais refrescancia.

De Ribeirão Preto para Campo Bom, casa da Cervejaria Imigração, responsável pela linha Roleta Russa, que marca presença dessa vez primeiramente com uma APA com adição de (extrato de) laranja. De coloração âmbar alaranjada com creme branco de boa formação e retenção, a Roleta Russa APA com Laranja apresenta um aroma com muito (mas muito mesmo) presença de laranja do que o exemplar anterior, da Colorado. Aqui a laranja se destaca facilmente trazendo consigo algo de suco concentrado, e não fica nada fácil perceber outras notas, tamanha a presença da fruta. Na boca, a laranja novamente se destaca já no primeiro toque e, na sequencia, não deixa que outras notas possam ser percebidas. Há bastante sensação de suco, presença assertiva de notas cítricas e quase nada de amargor. A textura é leve com delicada cremosidade posterior. Dai pra frente surge com um conjunto que sugere mais Fruit Beer do que APA, e que finaliza refrescante e cítrico. No retrogosto, laranja… e refrescancia.

Mantendo-se ainda no Rio Grande do Sul, mas saindo de Campo Bom para Porto Alegre, casa da nano cervejaria Bodoque, que produziu essa India Pale Ale na fábrica da Estilingue Cervejaria, em Canoas, destacando os lúpulos Mandarina Bavaria, Cascade e Mosaic. De coloração âmbar caramelada e creme bege espesso de boa formação e retenção, a Bodoque IPA apresenta um aroma bastante frutado, com remissão a laranja, tangerina e leve toranja além de forte presença de doçura, soando tal qual uma Caramel IPA com frutas cítricas. Na boca, pegada cítrica deliciosa no primeiro toque (puxada para toranja) seguida de forte doçura e um amargor que está longe dos 64 IBUs que a casa alerta (pra mim, 40 está de bom tamanho). A textura é suave e levemente picante e, dai pra frente, o perfil continua equilibrando com sucesso notas frutadas cítricas com a doçura intensa de uma Caramel IPA. No final, secura e doçura. No retrogosto, um pouco de toranja e um pouco de caramelo.

De Porto Alegre para Curitiba com mais duas da Maniacs Brew a passar por aqui, ambas Farmhouse Ale. A primeira delas é a Saison Fruitée, cuja receita une malte Pilsen, trigo e o lúpulo Aloha com adição de pêssego. De coloração dourada levemente alaranjada e turva (diferente do amarelo palha da receita base) com creme branco de ótima formação e retenção, a Maniacs Saison Fruitée apresenta um aroma com percepção de pêssego em destaque, mas sem antecipar exageros, e sim bem acondicionado numa paleta que ainda traz leve funky da levedura, doçura de cereais, casca de pão e, ainda, maçã e uva. Na boca, a doçura frutada chega suave no primeiro toque com o pêssego dominando, mas trazendo consigo maçã, uva verde, cereais e leve doçura. Não há sensação de amargor e a acidez derivada da levedura precisa lutar por espaço com o pêssego, presente, mas aconchegado. A textura é picante e, dai pra frente, o pêssego amacia levemente a aridez (marca do estilo) da versão Classic, acrescentando doçura frutada deliciosa. No final, secura e leve acidez. No retrogosto, pêssego, maçã, acidez, cereais e refrescancia. Boa!

De Ribeirão Preto para Belo Horizonte, casa da cervejaria Wäls, com mais duas receitas do clube de cervejas experimentais MadLab: a primeira, Wäls Rossa (a cerveja de abril de 2019 do clube) revisita um rótulo lançado em fevereiro de 2017, a Sauvin Blanc, uma Biére de Garde com suco de uva branca, que na Wäls Rossa é suco de uva tinta. De coloração âmbar escura com creme bege de excelente formação e retenção, a Wäls Rossa já chama a atenção no aroma, que traz uma pancada intensa de açúcar mascavo seguida de caramelo tostado e forte presença de uva – na base, um punhado de frutas escuras destacando uva passa. Na boca, açúcar mascavo no primeiro toque, em menor intensidade do que o aroma antecipa (felizmente), seguido de uva (puxado para o suco) e frutas escuras. Desconsidere amargor (baixíssimo), mas atente-se a acidez, bem leve, mas facilmente perceptível. A textura é suave e levemente picante. Dai pra frente, segue um conjunto de doçura intensa e bastante uva, que fecha com leve acidez e mais doçura. No retrogosto, açúcar mascavo, caramelo, uva e muita doçura.

A segunda Colorado é a terceira cerveja da série Brasil com S, uma Saison Mate & Limão (precedida pelas American Pale Ale com cana de açúcar e New England IPA com maracujá). De coloração amarela dourada com creme bege espesso e bem clarinho, quase branco, de ótima formação e longa retenção. No nariz, percepção de condimentação e funky típicos do estilo além de leve remissão a frutas amarelas, um herbal distante e bastante doçura. Na boca, doçura frutada no primeiro toque (bastante laranja e nada de limão e nem de mate) seguida de um conjunto que replica muito bem o estilo belga, com a levedura mostrando as garras, suavemente, e muita refrescancia. O amargor é baixo (20 IBUs), a textura é mais cremosa do que picante e, dai pra frente, surge um conjunto que cumpre aquilo que propõe: abrasileirar o estilo – ainda que mate e limão não deem as caras, essa Saison parece bem brasileira. No final, leve doçura , frutas amarelas e condimentação discreta.

A segunda da Roleta Russa é a New England IPA da casa, cuja receita combina malte de cevada, de trigo, de centeio e aveia com lúpulos americanos e australianos. De coloração amarela turva puxado para o alaranjado com creme branco de boa formação e média alta retenção, a Roleta Russa New England IPA apresenta um aroma deliciosamente frutado, com nítida sugestão de laranja e manga, além de levemente maltado remetendo a casca de pão francês e cereais – há, ainda, percepção de levedura além de doçura. Na boca, doçura rápida no primeiro toque seguida de uma pancada de notas frutadas (laranja e manga novamente, e até um pouco de mamão) e de um amargor médio, que não chega aos 64 IBUs propostos pela casa, mas para ali no 50 – com leve harsh subsequente. A textura é suave e picante com a levedura pinicando a língua. Dai pra frente, uma boa NE que perde em corpo e cor (falta a sensação juicy), mas capricha no frutado. O final é amarguinho e picante. No retrogosto, frutas, doçura e picância.

A segunda da gaúcha Bodoque é a Double IPA, que foi o quarto rótulo oficial da casa. Ela apresenta uma coloração levemente mais clara do que a Bodoque IPA, mas mantendo foco no âmbar caramelado com creme bege espesso de boa formação e retenção. No nariz, a doçura maltada perde protagonismo em prol das frutas amarelas, mas digamos que ficou 51% a 49% (ou seja, há uma Caramel IPA no fundinho dessa receita). Na boca, frutas amarelas no primeiro toque perdendo espaço para a doçura caramelada na sequencia. O amargor é potente, mas muito longe dos 80 IBUs que a casa diz entregar – se chegar a 50 ariscos é muito. A textura é suave, meladinha, e picante (com os 8% de álcool marcando a língua levemente). Dai pra frente, uma Double IPA bastante frutada, mas com dulçor elevado para o estilo. No final, doçura e picância alcóolica (o álcool pula pra frente conforme a cerveja aquece na taça). No retrogosto, mais doçura, frutas amarelas e picancia alcoólica.

A segunda da curitibana Maniacs e outra Saison, a Rosé, cuja receita mantém o malte Pilsen e troca o trigo pelo trigo espelta assim como opta por um outro lúpulo, o Jarrylo, e conta com adição de hibisco. De coloração vermelha intensa com creme vermelho de baixa formação e rápida dispersão, a Maniacs Saison Rosé apresenta um aroma com presença dominante do hibisco, num tom delicioso que, porém, deixa as outras notas da paleta aromática completamente em segundo plano – mesmo a aridez da levedura, tão presente nas outras duas Saisons da Maniacs, desaparece quase que por completo aqui. Na boca, replay do que o aroma adianta, com o hibisco dominando desde o primeiro toque e mantendo a presença intensa na sequencia, mas aqui até que é mais fácil de perceber a ação da levedura, tímida. O amargor é baixo (a casa fala 24, mas eu diria ainda menos), a textura começa frisante e depois vai ficando cremosa e, dai pra frente, o que se propõe uma Saison com Hibisco soa uma (boa) Fruit Beer, com a doçura da fruta tomando conta do conjunto. No final, acidez leve e picância. No retrogosto, hibisco, doçura e picância.

Fechando com a segunda Wäls MadLab, a Smoked Honey Mustard, cerveja oferecida aos assinantes do clube em fevereiro de 2018. Trata-se de uma Strong Golden Ale com adição de mostarda em flor (comprada no Mercado Municipal de Belo Horizonte) e o mesmo mel (de Ribeirão Preto) utilizado na Colorado Appia. De coloração dourada com creme branco de boa formação e média retenção, a Wäls MadLab Smoked Honey Mustard destaca, no aroma, apenas o “honey”, que atropela a mostarda e não deixa nenhum espacinho mínimo para o defumado. A paleta traz apenas mel e caramelo com um sutil toque herbal. Na boca, mel no primeiro toque abrindo-se para um conjunto um pouco mais complexo, com presença delicada de mostarda, facilmente perceptível, ainda que quase soterrada pelo mel. Não há nada de amargor (depois de tudo isso, era o esperado) e a textura é levemente picante (com a mostarda finalmente sambando sobre a língua). Dai pra frente, uma boa Belgian Strong Golden Ale que, porém, pode (e deve) decepcionar quem esperava as prometidas defumação e mostarda. No final, leve herbal e mostarda. No retrogosto, mel e caramelo.

Balanço
Abrindo com a Colorado Ribeirão Lager, uma boa cerveja como fazia tempo que a turma de Ribeirão Preto não fazia (desde as primeiras receitas da casa!): derivados de malte (biscoito, cereais) e de casca de laranja se destacam suavemente numa cerveja bem refrescante. Curti. Permanecendo no campo das adições de laranja com a Roleta Russa APA com Laranja, que parece muito mais uma Fruit Beer do que uma APA. Não é ruim, mas a laranja poderia estar mais comportada na receita. A Colorado se saiu melhor. A Bodoque IPA é uma Caramel IPA bastante frutada e bem saborosa enquanto a Maniacs Saison Fruitée é uma deliciosa Farmhouse Ale com pêssego, que não deixa a fruta dominar o conjunto, e sim apenas dar um leve colorido. Já a Wäls Rossa é impossível beber duas, drinkabiliy baixíssimo devido a exagerada doçura, mas que para uma cerveja experimental soa interessante. A Colorado Brasil com S 3 – Saison Mate & Limão é uma boa Saison… com nenhuma percepção de mate e de limão. A Roleta Russa New England IPA é uma boa NE, abaixo do alto nível do estilo, mas, ainda assim, uma grande receita. A Bodoque Double IPA me soou inferior a IPA da casa porque a doçura, que aparece domada no aroma, surge intensa no paladar, que ainda traz bastante presença de álcool – principalmente quando a cerveja aquece. Fechando com a Wäls MadLab Smoked Honey Mustard, uma boa Belgian Strong Ale sem defumado e mostarda, mas com bastante mel.

Colorado Ribeirão Lager
– Produto: American Light Lager
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4.5%
– Nota: 3.20/5

Roleta Russa APA com Laranja
– Produto: American Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 2.76/5

Bodoque IPA
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6.4%
– Nota: 3.28/5

Maniacs Saison Fruitée
– Produto: Farmhouse Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4.6%
– Nota: 3.40/5

Wäls MadLab Rossa
– Produto: Biere de Garde
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 8.4%
– Nota: 3.11/5

Colorado Brasil com S 3 – Saison Mate & Limão
– Produto: Saison
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5.6%
– Nota: 3.14/5

Roleta Russa New England IPA
– Produto: American IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6.5%
– Nota: 3.48/5

Bodoque Double IPA
– Produto: Double India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 8%
– Nota: 3.21/5

Maniacs Saison Rosé
– Produto: Farmhouse Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4.6%
– Nota: 3.20/5

Wäls MadLab Smoked Honey Mustard
– Produto: Belgian Golden Strong Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 7%
– Nota: 3.22/5

Leia também
– Top 2001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.