Boteco: A linha Brazil da Mikkeller

por Marcelo Costa

Produzida na fábrica belga da De Proefbrouwerij, a linha brasileira da cervejaria dinamarquesa Mikkeller conta com seis rótulos (abaixo vamos falar/beber sobre cinco deles). A Hoppy Wit é, como adianta o nome, uma cerveja de trigo estilo belga, mas um pouco mais lupulada. De coloração amarelo turva com creme branco de boa formação e permanência, a Mikkeller Brewed For Brazil Hoppy Wit apresenta um aroma levemente cítrico e condimentado, com sugestão de abacaxi, coentro, suave herbal e floral além de percepção de acidez. Na boca, uma textura levemente frisante dá às boas vindas com um primeiro toque marcado por rápida doçura maltada seguida de acidez e amargor eficiente. Dai pra frente, um conjunto refrescante, condimentado e saboroso, que se aproxima muito de uma Saison, tanto pelo peso do amargor quanto pela rebeldia ácida da levedura. O final traz algo de cítrico e condimentação, sugestões percebidas no retrogosto, refrescante. Uma delícia.

Também da linha limitada especial para o Brasil da cervejaria dinamarquesa, a Hoppy Lager é uma Premium Lager bastante lupulada. De coloração amarelo turva com creme branco de boa formação e permanência, a Mikkeller Brewed For Brazil Hoppy lager exibe um aroma bastante lupulado, com um caminhão de notas herbais à frente sugerindo grama cortada. Há ainda leve percepção floral e cítrica. Na boca, a textura é cremosa e levemente picante. O primeiro toque adianta doçura cítrica logo atropelada pelo amargor, potente e de longa duração, infiltrando-se em meio a doçura maltada do conjunto e a forte tendência herbal (grama e ervas) e frutada cítrica (laranja e limão), também derivada da forte lupulagem. O final é amargo suave e cítrico. No retrogosto, leve adstringência, alta refrescancia mais herbal e cítrico suaves. Outra delícia.

A Drink’in the Sun é uma série anual da Mikkeller, que faz pequenas mudanças na receita e oferece ao bebedor uma cerveja com pouco álcool. A edição de 2013 é uma American Wheat (também fabricada na D’Proef) que chegou ao mercado com 0.3% de graduação alcoólica. De coloração amarela turva com creme branco de excelente formação e permanência, a Mikkeller Drink’in the Sun apresenta um aroma com forte presença de malte, sugestionando trigo, feno molhado, ervas e grama molhada. Há leve percepção de doçura de caramelo e frutado cítrico. Na boca, a textura é cremosa com baixa picância. O primeiro toque traz suave doçura maltada e caramelada seguida de forte herbal e amargor caprichado, com um pouco de acidez. O que se segue é um conjunto bastante herbal, como um chá verde, com toque suave de cítrico e caramelo. O final é amargo. No retrogosto, mais fazenda, leve acidez e amargo. Surpreende.

Voltando à linha Brewed For Brazil da Mikkeller, a Brett APA, com o nome adianta, é uma American Pale Ale com adição da levedura selvagem belga Brettanomyces, que consegue dar um colorido (meio azedo, meio roceiro) ao conjunto e distingui-la das demais. De coloração ambar alaranjada com creme branco de ótima formação e longa permanência, a Mikkeller Brett APA apresenta um aroma delicioso (pra quem gosta de Brett – risos) com suave frutado cítrico (limão), doçura de caramelo e predomínio de percepção da levedura selvagem, que sugere celeiro, acidez e um leve chulé. Na boca, a textura é levemente frisante. O primeiro toque traz doçura cítrica logo atropelada por azedume suave e notas que remetem a celeiro, roça. O amargor é médio e eficiente abrindo as portas para um conjunto que consegue ser aconchegante e estranho ao mesmo tempo (principalmente para neófitos em Brett). O final é seco e levemente amargo. No retrogosto, amargor azedo suave, caramelo e cítrico. Bem legal.

A Mikkeller Brewed For Brazil APA (sem Brett), o que soa interessante vindo na sequencia, afinal essa versão sem levedura selvagem mostra a força do lúpulo herbal e já mostra diferenças na taça, com uma coloração mais puxada para amarelo palha (diferente do alaranjado da anterior). O creme branco permanece com ótima formação e longa permanência. No nariz, cítrico agradável puxando para raspas de limão, grama cortada, ervas e pinho. Na boca, a textura é suave com discreta picancia. O primeiro toque já adianta o caráter americano da receita, com a força dos lúpulos carregando a língua de notas cítricas e herbais, ambas bastante suaves. O amargor é mediano e eficiente deixando que o bebedor se concentro na lupulagem e na refrescancia do conjunto, simples e eficiente. O final é levemente herbal. No retrogosto, cítrico suave que vai ficando azedinho como limão. Curti.

Fechando a sequencia dinamarquesa com a Mikkeller Brewed For Brazil Coffee IPA, que recebe adição de grãos de café e muito lúpulo. De coloração âmbar alaranjada com creme branco de boa formação e média retenção, a Coffee IPA exibe notas frutadas cítricas em primeiro plano (maracujá e laranja), doçura maltada (caramelo e mel) e suave herbal, mas nadica de café. Na boca, textura suavemente picante com leve percepção de álcool. O primeiro toque reforça a percepção IPA do conjunto, com frutado cítrico bastante envolvente. O café marca presença na sequencia, de forma discreta, mas bastante perceptível, acrescentando torrado ao amargor, médio, que abre as portas para um conjunto que choca a sugestão de maracujá (cítrico) com a presença de café (torra) resultando em uma cerveja de perfil diferenciado, e interessante. O final reafirma a opção da casa: café e cítrico. No retrogosto, o café sai em ligeira vantagem. Bem bacana!

Balanço
Da linha especial para o Brasil da Mikkeller, a Hoppy Wit é uma agradável surpresa que pode decepcionar fãs de Hoegaarden e Vedett enquanto alegra e refresca hopheads. Não que o amargor seja excessivo, mas é mais insinuante. Eu gosto, bastante. A Hoppy Lager também entra na vibe de refrescancia da Hoppy Wit, mas a lupulagem faz um belo trabalho aqui, com muito herbal e frutado cítrico mostrando que é possível fazer uma Premium Lager saborosa. A Drink’in the Sun é praticamente uma cerveja sem álcool (0.3% nesta edição de 2013 – a receita muda levemente todo ano), mas com muito lúpulo, o que remete a um chá verde. Boazinha. Melhor, porém, é a Brett APA, também da série Brewed For Brazil, que consegue equilibrar a doçura do estilo acrescentando um leve toque cítrico e a estranheza característica da levedura, uma boa porta de entrada para a Brett. A Mikkeller Brewed For Brazil APA (sem Brett), por sua vez, é uma American Pale Ale com pé na Califórnia: herbal e cítrico suaves (raspas de limão são a principal lembrança) num conjunto simples e eficiente. Fechando o sexteto com a Coffee IPA, uma cerveja bem interessante, pois não traz a cor tradicional de uma cerveja com café, e ele não aparece no aroma, mas marca presença discreta no paladar, o mínimo necessário para alterar o perfil desta IPA, que tem no maracujá e no café suas principais características. Gostei.

Mikkeller Brewed For Brazil Hoppy Wit
– Produto: Witbier
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,32/5

Mikkeller Brewed For Brazil Hoppy Lager
– Produto: Premium American Lager
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,33/5

Mikkeller Drink’in the Sun
– Produto: Baixo Álcool
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 0,3%
– Nota: 2,94/5

Mikkeller Brewed For Brazil Brett APA
– Produto: American Pale Ale
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,39/5

Mikkeller Brewed For Brazil APA
– Produto: American Pale Ale
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,30/5

Mikkeller Brewed For Brazil Coffee IPA
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,40/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.