Boteco: Três cervejas da Evil Twin (Parte 4)

nenhum1.jpg

por Marcelo Costa

Abrindo o quarto passeio pelas cervejas ciganas da Evil Twin com um exemplar produzido no Brasil, mais precisamente pela Tupniquim, em Porto Alegre. Integrante da série Evil Twin Brazil (aberta pela Metro Man), a Easy Come Easy Go IPA é uma session de coloração amarelo palha e creme branco de boa formação e permanência. No nariz, bastante frutado cítrico (limão, uva verde, lichia e pera) montando um perfil aromático conquistador com percepção de acidez. Na boca, amargor caprichado (IBU 50), como se espera de uma boa IPA, com toque cítrico e de longa duração. Há um suave toque de doçura frutada (melão e pera) sobre a base cítrica (limão siciliano e uva verde) que amacia o amargor sem apaga-lo. O final é citríco, amarguinho e levemente acético. No retrogosto, cítrico, acidez e leve amargor. Bela Session IPA de receita dinamarquesa produzida no Brasil que só peca no custo benefício.

nenhum2.jpg

Produzida pela Two Roads Brewing Company em Stratford, no estado norte-americano de Connecticut, a Evil Twin The Cowboy é uma interessante Smoked Pilsner de coloração âmbar amarelada com creme branco de boa formação e media alta permanência. No nariz, junção de delicadas notas frutadas cítricas (damasco e laranja) e florais com cevada maltada (pão) e uma suave sugestão defumada (bacon!) e tostada (que lembra café). Na boca, perfeita replicação do que o aroma adianta com floral, cítrico, maltado e defumado de mãos dadas provocando o paladar do bebedor, que ainda recebe uma carga caprichada de acidez e de amargor. A receita trabalha muito bem a valorização das notas separadas (damasco, laranja, pão, bacon, café), todas perceptíveis durante o trajeto, e emocionando quando percebidas reunidas na busca pela criação de um novo sabor. O final é defumado, caramelado e frutado. No retrogosto, doçura, amargor, acético e defumado. Virei fã.

evil3.jpg

Fechando o trio com outra receita produzida pela Two Roads Brewing Company em Stratford, a Evil Twin I Love You With My Stout, uma Russian Imperial Stout de 12% de graduação alcoólica (já passaram por aqui outras duas RIS da Evil Twin, a maravilhosa Yin e a nacional Metro Man) que apresenta coloração preta intensa (com feixes marrons) e creme marrom de boa formação e média permanência. No nariz, as notas clássicas do estilo derivadas do torra do malte (chocolate, baunilha, toffee, alcaçuz e café, este último de forma discreta) aparecem de maneira precisa numa paleta aromática que consegue esconder o álcool de forma exemplar (é possível percebe-lo, mas ele está muito bem inserido no conjunto). Na boca, textura sedosa e bastante doçura maltada (caramelo, baunilha, toffee) amaciando o caminho para a porrada de álcool que virá na sequencia aquecendo céu da boca, língua e garganta, e deixando pelo caminho um rastro de chocolate, frutas escuras e café. O final é amargo, amadeirado, achocolatado e alcoólico. No retrogosto, frutado, calor alcoólico e café. Amor.

evil2.jpg

Balanço
Outro bom exemplo de como as cervejas colaborativas da Tupiniquim alcançam um resultado melhor que as receitas da casa, a Easy Come Easy Go IPA tem a mão da dinamarquesa Evil Twin resultando em uma cerveja absolutamente deliciosa que respeita o estilo: amargor caprichado e extenso, muito cítrico e leve acidez. Me soa mais saborosa que a Founders All Day IPA. Único pecado: R$ 19 numa cerveja de sessão de 310 ml é totalmente contraditório. Como beber muitas Easy Come Easy Go IPA se o preço não ajuda? Uma boa solução é deixa-la de lado em busca de uma Evil Twin The Cowboy, uma adorável Smoked Pilsner, daquelas que você irá desejar ter sempre uma na geladeira, por equilibrar de forma apaixonante damasco, laranja, pão, bacon e café sem assustar o bebedor. Para você ver como experiências com cerveja são sempre afetadas por acasos, a Evil Twin I Love You With My Stout estava me trazendo todas as características amadas do estilo, e, além disso, um toque cítrico, algo de melão, que estava me fascinando até eu lembrar que havia mascado um chiclete de melão pouco tempo antes. A combinação ficou harmoniosa e não sei se gostei apenas por isso, ou apesar disso. Ainda assim a sinto mais alcoólica que Evil Twin Yin, outra das Russian Imperial Stout da casa, que me parece mais equilibrada e caprichada. Um dia ainda coloco as duas lado a lado. Nesse momento, o embate dá vitória para a Yin, mas a I Love You With My Stout também é uma ótima cerveja.

Evil Twin Easy Come Easy Go IPA
– Produto: Session IPA
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 3,38/5
– Preço pago em São Paulo: R$ 19 (310 ml)

Evil Twin Thw Cowboy
– Produto: Smoked Pilsner
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 5,5%
– Nota: 3,71/5
– Preço pago em São Paulo: R$ 19 (330 ml)

Evil Twin I Love You With My Stout
– Produto: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 12%
– Nota: 3,90/5
– Preço pago em São Paulo: R$ 23 (330 ml)

evil1.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)
– Leia sobre outras cervejas da EvilTwin (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.