Boteco: as belgas Barbe d’Or, Lopus e Piraat

barbe1.jpg

por Marcelo Costa

Uma das representantes radicais do estilo belga de produzir cerveja, a Brouwerij Verhaeghe tem em seu cardápio cervejas sensacionais como Vichtenaar, Echt Kriekenbier e, mamma mia, Duchesse De Bourgogne. A Barbe d’Or é a novata da casa, ainda que seja baseada em uma receita da cervejaria medieval de Liege de mesmo nome. De coloração dourada translucida com creme branco de excelente formação e media alta permanência, a Barbe d’Or apresenta um aroma frutado caprichado (banana, damasco e laranja) com toques de condimentação (cravo) mais nozes e alguma coisa que remete a Duchesse De Bourgogne (provavelmente fruto da levedura Brett). O paladar é provocante, com doçura (caramelo) e condimentação (pimenta do reino) buscando espaço em meio a um conjunto que traz algo que remete a pão de frutas cristalizadas. O final é caramelado e suavemente amargo e frutado (bolo de banana). No retrogosto, algo de frutas caramelizadas. Gostosa.

hopus.jpg

A Brasserie Lefebvre surgiu em Quenast, na Valônia, em 1876, mas a Hopus só entrou no catálogo da casa neste século, quando a cervejaria decidiu produzir uma Belgian Strong Ale com cinco lúpulos para o casamento de Paul Lefebvre, sexta geração da família a comandar a casa. Este exemplar está descansando na minha geladeira há 20 meses, o que já denuncia uma mudança em seu perfil, afinal, era uma vez a lupulagem. De coloração âmbar e creme branco de ótima formação e média permanência, a Hopus (após dois anos de descanso) exibe um aroma notadamente melado, com sugestão de caramelo, bala toffee e damasco. Há leve percepção herbal, floral e leve condimentação (provavelmente fruto dos 8.3% de álcool), mas nada de cítrico. Na boca, textura quase licorosa antecipa a doçura melada e caramelada do conjunto, que tem na potência do álcool sua maior fonte de amargor. Há algo de damasco e banana e leve presença de condimentação (pimenta do reino). O final é melado e alcoólico. No retrogosto, amargor de álcool, caramelo, damasco e calor. Bem boa!

piraat.jpg

A primeira vez que o nome da Brouwerij Van Steenberge foi mencionado data de 1784. Fundada em Ertvelde, cidade com menos de 9 mil habitantes ao lado da fronteira com a Holanda, a Brouwerij Van Steenberge montou um catálogo de respeito, do qual se destacam a Gulden Draak e esta Piraat, uma poderosa Belgian Strong Ale de 10.5% de álcool. De coloração âmbar caramelada e creme suavemente bege de ótima formação e média alta permanência, a Piraat apresenta um aroma tão caramelado quanto alcoólico (ainda assim, não agressivo). Há ainda aromas frutados adocicados, sugestão de pão doce, chiclete e condimentação (pimenta do reino). Na boca, doçura alcoólica desde o primeiro toque. A textura é menos licorosa do que se espera, mas o malte de caramelo é revestido por uma suave camada de álcool, que funciona como amargor. O conjunto reforça a sugestão de pão doce, frutas cristalizadas, mel e caramelo. O final é um resumo do conjunto: pão doce, caramelo e álcool, que belisca a garganta e aquece a face. No retrogosto, caramelo, leve cítrico e calor.

piraat2.jpg

Balanço
Patinho feio do catálogo mágico da Brouwerij Verhaeghe, a Barbe d’Or é uma Belgian Strong Blond Ale provocante, com toques que remetem a Duchesse De Bourgogne, mas acomodados em um conjunto que parece… um panetone líquido de frutas cristalizadas. Acredite: é boa. A Hopus tem uma história interessante: é uma Belgian Strong Ale lupulada que uma amiga comprou para bebermos juntos na época do Lollapalooza Brasil 2013, mas que ficou esquecida na geladeira em meio a correria do festival. 20 meses depois (e uns 25 ou mais de sua produção), ela perdeu toda a característica lupulada inicial para se tornar uma potente Belgian Strong Ale alcoólica. Vale muito para perceber que a cerveja muda constantemente na garrafa, e muitas vezes ela chega ao consumidor diferente de sua proposta inicial, mas, ainda assim, tão boa quanto. Como essa Hopus, deliciosa. Fechando o trio, a porrada alcoólica da Brouwerij Van Steenberge, Piraat, uma Belgian Strong Ale de 10.5% de álcool, para ser bebida devagarinho, como se fosse um licor (ou um conhaque). Uma delícia.

hopus1.jpg

Barbe d’Or
Produto: Belgian Strong Ale
Nacionalidade: Bélgica
Graduação alcoólica: 7,5%
Nota: 3,38/5
Preço no Brasil: R$ 16 – 330 ml

Hopus
Produto: Belgian Strong Ale
Nacionalidade: Bélgica
Graduação alcoólica: 8,3%
Nota: 3,39/5
Preço no Brasil: R$ 24 – 330 ml

Piraat
Produto: Belgian Strong Ale
Nacionalidade: Bélgica
Graduação alcoólica: 10,5%
Nota: 3,49/5
Preço no Brasil: R$ 11 – 330 ml

barbe2.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.