Três cervejas do interior de São Paulo

por Marcelo Costa

De Brotas, cidade de pouco mais de 21 mil habitantes próxima de São Carlos e Jaú, surge com destaque a Brotas Beer, cervejaria nascida em 2010 que abocanhou duas medalhas no 2º Festival Brasileiro de Cervejas, acontecido em Blumenau em março de 2014, com as versões Weissbier e Dry Stout. A segunda exibe uma coloração marrom com creme bege de ótima formação e média alta permanência. No nariz, as notas clássicas do estilo são muito bem representadas com nuances de caramelo, chocolate e baunilha, com leve sugestão de café, derivado da torra do malte. Na boca, uma suave adstringência provoca a língua enquanto o malte bate ponto em notas adocicadas, barradas pelo ponto de amargor, bastante eficiente, deixando o conjunto equilibrado entre doçura (caramelo e baunilha), amargor (café) e uma interessante percepção de frutas vermelhas, bem-vinda. O final é aveludado e adocicado (caramelo) enquanto o retrogosto é marcado por leve adstringência, que coça a garganta e pede mais uma dose. Não recuse porque vale a pena.

De Araras, cidade de 120 mil habitantes próxima de Limeira (e cerca de 1h30 de Brotas), surge a nova receita da cervejaria Mestre das Poções, que já havia passado por este espaço com a Poção da Lua Nova (Stout), a Poção da Cura (American Lager rebatizada de Poção da Lua de Mel), a Poção de Trigo da Lua Cheia (Hop Weiss) e a Poção do Rubor da Menina (Red Ale). Agora é a vez da sazonal Poção de Bruxa, uma Pumpkin Ale que recebe suco de abóbora em sua receita e é produzida duas vezes por ano (março e setembro) com abóbora da horta da cervejaria. De coloração âmbar com creme levemente alaranjado de boa formação e média permanência, a Poção de Bruxa destaca no nariz a adição de abóbora, que surge acompanhada de condimentação (eles fazem um pré-cozimento da abóbora com especiarias típicas do doce de abóbora, sem adição de açúcar) e leve percepção de acidez. Na boca, a doçura da hortaliça envolve o paladar de forma deliciosa trazendo consigo acidez e um amargor suave, que equilibra o conjunto. O final traz abóbora e leve acidez. No retrogosto, doce de abóbora. Delicia.

Socorro, cidade de 35 mil habitantes próxima de Bragança Paulista, é representada pela Magnus Prime Beer, cervejaria nascida em 2010 pelas mãos de Carlos Magno, e que hoje já conta com quatro rótulos engarrafados no mercado: Pilsen, Red Ale, Bohemian Pilsner e American IPA, esta última uma cerveja de coloração âmbar levemente caramelada com creme branco de ótima formação e média permanência. No nariz, lúpulos herbais e cítricos norte-americanos dão o tom liberando notas que remetem a pinho e maracujá – o malte também marca presença com sugestão de caramelo. Na boca, acidez e amargor chegam praticamente juntos no primeiro toque trazendo consigo, alguns segundos depois, o caramelo do malte. Como manda o figuro do estilo, o amargor está presente, mas não de forma agressiva (é possível perceber o toque herbal e cítrico tanto quanto o malte), ainda que de longa duração – desce riscando a garganta e participa tanto do final (bastante herbal) quanto do retrogosto.

Balanço
A dry stout da turma de Brotas foi uma excelente surpresa, que bate com a medalha merecida no Festival Brasileiro de Cervejas. O conjunto é agradável, equilibrado e interessante, principalmente pelo traço de frutas vermelhas que apareceu no meu exemplar (tomara que seja em todos). Quando era totalmente artesanal alcançava 6% de álcool, mas agora na versão fecha a tampa com 4.5%, sem prejuízo de sabor. Gostei muito. A boa surpresa se estende a Poção da Cura, Pumpkin Ale do Mestre das Poções, que surge equilibrada com a abóbora presente na forma de doçura, condimentação e acidez. Tão boa quanto a versão respeitada da Sauber. Para encerrar, a boa American IPA da turma de Socorro, com amargor acompanhando o bebedor. Lembrou-me a boa Eisenbahn Frosty Bison, mas um tiquinho mais herbal. Bem boa.

Brotas Dry Stout
– Produto: Dry Stout
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 3,04/5
– Preço pago: R$ 15 – 600 ml

Poção de Bruxa
– Produto: Pumpkin Ale
– Graduação alcoólica: 6,4%
– Nota: 3,06/5
– Preço pago: R$ 18 – 600 ml

Magnus Prime Beer American IPA
– Produto: American IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 7%
– Nota: 3,01/5
– Preço pago: R$ 14 – 600 ml

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.