Boteco: de Minas Gerais, cinco cervejas da Wäls

1.jpg

por Marcelo Costa

Uma das cinco melhores micro cervejarias brasileiras em atividade, a Wäls, sediada em Belo Horizonte, destaca uma linha mais ampla do que aquela que costuma avançar as fronteiras de Minas Gerais, embora agora até mesmo os rótulos mais tradicionais da casa estejam chegando ás gondolas de outros estados. O fino da cervejaria continua sendo a linha belga (Dubbel, Trippel e Quadruppel) e a Petroleum, receita da curitibana Dum refeita com capricho pelos mineiros. Há ainda desde edições especiais (Wäls 42, feita para o Google, Wäls Abroba, feita para o pessoal do Have a Nice Beer e Wáls 65 Anos Pão de Açucar) até outras tentativas belgas (Wäls Witte e Wäls Saison de Caipira). Abaixo, no entanto, passamos a régua na linha tradicional da cervejaria focando no trio X-Wäls, Pilsen e Stadt Jever e incluindo a edição especial de natal Wäls Have a Nice Saison e a novíssima Niobium. Partiu.

xwals.jpg

A X-Wäls é a tradicional Standard American Lager que todo mundo conhece – e gosta. Porém, há um capricho maior na escolha dos insumos que faz com que o resultado final seja bem acima de uma american lager de balcão. De coloração dourada e cristalina, a X-Wäls exibe um creme branco de baixa formação e permanência. No aroma, notas florais e herbais são facilmente perceptíveis, prenunciando a primeira grande diferença da X-Wäls para suas concorrentes de categoria. Ainda é possível perceber um leve toque de malte e uma interessante sugestão de guaraná. No paladar, o primeiro toque valoriza a lupulagem, ainda que com amargor bastante suave e levemente cítrico, uma combinação saborosa que não agride e é aconchegada pelo malte no meio do percurso para finalizar de modo seco e levemente amargo. No retrogosto, refrescancia. Muito boa representante do estilo.

wals_pilsen.jpg

A Wäls Pilsen, por sua vez, é o tributo dos mineiros ao estilo tcheco Bohemian Pilsener. De coloração dourada e creme branco de ótima formação e permanência, a Wäls Pilsen destaca no aroma a força do lúpulo Saaz usado na receita, distribuindo notas florais e herbais em alta quantidade. Neste exemplar, um leve toque de amanteigado se fez presente, mas o conjunto aromático privilegia (e bem) a lupulagem caprichada deixando o toque maltado em segundo plano. No paladar, o amargor é pronunciado – são apenas 42 de IBU – e poderá impressionar incautos. Há uma leve sugestão cítrica tanto quanto percepção maltada. O amargor gruda no céu da boca e desce riscando a garganta até o final, seco, refrescante e levemente amargo. No retrogosto ainda é possível encontrar alguns traços de amargor, mas é o caramelado do malte que faz as honras, equilibrando o conjunto. Uma boa Bohemian Pilsener nacional.

stadt.jpg

Já a Wäls Stadt Jever é uma Premium American Lager em homenagem ao pub alemão surgido nos anos 80 em Belo Horizonte, e que hoje em dia traz em suas torneiras as principais cervejas da Wäls. Na receita, maltes alemães se juntam ao lúpulo bávaro Hallertau Mandarina, turbinado em duplo dry-hopping. De coloração âmbar e creme branco de ótima formação e longa permanência, a Wäls Stadt Jever destaca um aroma caprichado que une notas derivadas do malte (biscoito, pão e leve caramelo) com toques cítricos (lima e maracujá) florais e herbais acentuado. O paladar é simplesmente delicioso, com as notas cítricas derivadas do lúpulo dando o primeiro bote e, na sequencia, sendo amaciadas pelo caramelado do malte, que não consegue vencer a luta, mas equilibra o conjunto. O final é levemente amargo, refrescante, cítrico e envolvente enquanto o retrogosto traz uma pitada de amargor e leve malte. Ótima.

saison.jpg

A Wals Have a Nice Saison é uma edição especial produzida para o natal do clube de cervejas Have a Nice Beer. Terceira tentativa dos mineiros no estilo Saison (das anteriores, a 42 se mostrou uma boa surpresa enquanto a Saison de Caipira decepcionou), a Wals Have a Nice Saison traz figo e uva passa branca na receita. De coloração amarelo palha e turbidez acentuada, a Wals Have a Nice Saison carrega em seu excelente aroma uma leve acidez, provavelmente fruto da levedura e dos 7% de álcool. Há ainda percepção cítrica (lima e limão), frutada (banana, figo e pera) e herbal. No paladar, a acidez novamente se destaca e as notas cítricas frutadas aparecem com mais força – principalmente limão e uva verde. Há quase nada de adocicado no primeiro trecho, mas o final é especialíssimo (e muito próximo ao de uma Saison legitimamente belga), seco, azedo, ácido e cítrico. O retrogosto marcante traz notas frutadas levemente adocicadas (lembra a pera). Ótima!

niobium.jpg

Receita mais recente da Wäls a chegar ao mercado (isso em janeiro de 2014), a Niobium é uma poderosa Double IPA que recebe doses elevadas de quatro tipos de lúpulos – Polaris, Saaz, Cascade e Galaxy – e alcança 93 de IBU (a escala de amargor, relembrando que uma Original tem cerca de 15 na mesma escala) e 9% de álcool. De coloração âmbar escura translucida e creme levemente bege, a Wäls Niobium destaca, como era de se esperar, um aroma lupuladissimo, com deliciosas notas cítricas (lembrando a tangerina), herbais (grama) e florais. O caramelado do malte não fica escondido, e surge em notas que remetem a baunilha e resina. No paladar, as duas sugestões do aroma surgem em momentos diferentes: o amargor dá a paulada inicial, e quando o sujeito está se recuperando, um dulçor resinoso de malte amacia a experiência, o preparando para o final, novamente amargo. No retrogosto, resina e cítrico namoram. Para se apaixonar.

Balanço
Uma das melhores cervejarias nacionais em atividade, a Wäls caprichou em sua Standart American Lager, a X-Wäls, destacando-se facilmente diante das concorrentes importadas (Heineken e Stela Artois, as duas melhores do mercado) e a perder de vista dos exemplares nacionais mainstream (na briga com outras do estilo em microcervejaria, a Jan Kubis, da curitibana Dum, levanta a taça). Vale provar e imaginar que todas as nossas cervejas de balcão deveriam ter, no mínimo, a mesma qualidade.Já a Wäls Pilsen, na verdade, uma Bohemian Pilsener, é bastante fiel ao estilo tcheco: amargor envolvente, malte discreto, mas presente, e refrescancia com paladar refinado. Seu maior adversário, no final das contas, é o preço, entre R$ 15 e R$ 19 a garrafa de 600 ml, mais custoso que uma autêntica tcheca (Pilsner Urquell, 1795 e Czechvar). Ainda melhor que a Pilsen é a Wäls Stadt Jever, uma excelente Premium American Lager que se destaca como uma das melhores do país (ao lado de outra da Wäls, a sensacional Wäls EAP). O dry-hopping de lúpulo bávaro é valorizado no aroma, mas o paladar não fica atrás, e surpreende. Uma belíssima cerveja (que ainda é melhor fresca, na torneira, no pub belo-horizontino que o nome homenageia). A Wäls tem se arriscado bastante em parcerias inusitadas. Primeiro foi a Wäls 42 com o pessoal do Google, depois a 65 anos com o Pão de Açúcar (mediana) e a Abróba (excelente) com o mesmo pessoal do Have a Nice Beer que encomendou essa Saison. De sangue belga, a Wäls vinha arriscando corajosamente no estilo. A primeira, 42, pecou inicialmente pela alta carbonatação, mas quem deixou algumas garrafas descansando deve ter se surpreendido (ela ficou bastante superior na reserva). Já a segunda, Saison de Caipira, parceria com a Brooklyn Brewery, foi uma grande decepção (dia desses peguei um exemplar num bar sem nenhum gás: parecia caldo de cana passado). Neste terceiro exemplar, a Wäls mostra que é possível aprender com os erros e evoluir: a Wals Have a Nice Saison é simplesmente excelente, uma bela ode à escola belga que nada fica a dever ao estilo, com cítrico, azedume e acidez equilibrados (é possível compra-la na loja do Have a Nice Beer). Para finalizar, a Niobium é apenas a melhor cerveja que os mineiros colocam no mercado desde a Petroleum. Eu já tinha a experimentado no bar da Brewdog, mas a versão engarrafada melhora aquele conjunto da torneira a perder de vista. O amargor é bastante presente (ainda que os 93 do IBU não se destaquem tanto quanto era de esperar), mas o malte equilibra e bem o conjunto. Me lembrou um conhaque de luxo. Excelente.

niobium1.jpg

X-Wäls
– Produto: Standard American Lager
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 2,77/5

Wäls Pilsen
– Produto: Bohemian Pilsener
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,17/5

Wäls Stadt Jever
– Produto: Premium American Lager
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,25/5

Wäls Have a Nice Saison
– Produto: Saison
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 7%
– Nota: 3,88/5

Wäls Niobium
– Produto: Double IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9,1%
– Nota: 3,89/5

saisons2.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.