CDs: Ben Folds, Doors, Smashing P…

.

.

por Marcelo Costa

“The Best Imitation of Myself: A Retrospective”, Ben Folds (Epic)
A discografia de Benjamin Scott Folds pode dar nó na cabeça de muitos ouvintes. Ele lançou 10 discos em 15 anos: três solo, três como Ben Folds Five e outros quatro em parceria com os grupos Majosha (“Shut Up and Listen”, 1998) e Fear of Pop (“Fear of Pop: Volume 1”, 1999), o escritor Nick Hornby (“Lonely Avenue”, 2010) e uma colaboração com Amanda Palmer, Damian Kulash e Neil Gaiman (“Nighty Night”, 2011). Com exceção dos projetos com Majosha e Fear of Pop, todas as outras fases estão representadas nesta coletânea tripla e essencial tanto para neófitos (que irão conhecer pérolas como “Annie Waits”, “Don’t Change Your Plans” e “You Don’t Know Me”, dueto delicioso com Regina Spektor) quanto para fãs, devido a quantidade enorme de faixas demo (as mais antigas, “Boxing” e “Best Imitation of Myself”, datam de 1992, quatro anos antes de seu debute), sobras de estúdio e registros ao vivo, como a versão de “Careless Whisper”, de George Michael, num dueto com Rufus Wainwright, e “Just Pretend”, gravada com Ben Kweller e Ben Lee (The Bens). No encarte, Ben Folds conta curiosidades sobre cada uma das 61 canções (há ainda o “Free Folds Five EP”, que pode ser baixado através de um código). Apesar de preciosa, “A Retrospective” não desobriga você de ir atrás da obra prima “The Unauthorized Biography of Reinhold Messner” (1999) nem de ouvir “Belinda”, parceria hilária com Nick Hornby que ficou de fora da seleção, e que mostra que além desta coletânea há muita coisa de Ben Folds para conhecer.

Preço em média: R$ 80 (importado - incluindo taxas)
Nota: 10

Leia também:
- “Lonely Avenue”, Ben Folds & Nick Hornby: o encontro de dois nerds (aqui)

“L.A. Woman – 40Th Anniversary”, The Doors (Warner)
Entre dezembro de 1970 e janeiro de 1971, o Doors gravaria aquele que viria a ser o derradeiro álbum do grupo (e um dos melhores) com a voz de Jim Morrison, que morreria em circunstâncias misteriosas seis meses depois. Lançado em abril de 1971, “L.A. Woman” retorna ao mercado em uma caprichada reedição repleta de outtakes da época festejando 40 anos de aniversário. Momentos curiosos surgem das fitas originais como um improviso de Jim Morrison antes de começar o 9º take de “Riders on the Storm”, que termina com o vocalista propondo ao grupo a inserção de barulhos de trovões na música (o que faz imaginar que, até o 8º take, a canção não tinha as trovoadas tão conhecidas por fãs) ou os berros na introdução da versão alternativa de “The Changeling”, que Morrison diz ser “seu número favorito”. A reedição em CD conta com sete versões alternativas (a maioria delas flagrando debates em estúdio acerca do material), uma canção totalmente inédita (“She Smells So Nice”) e um cover para um original de Muddy Waters, o poderoso blues “Rock Me”. Outras duas músicas – “Love Her Madly (Take 1)” e “Changeling (Take 9)” – saíram apenas em versões online (Sonora, iTunes) e o pacote ainda conta com o documentário “Mr. Mojo Risin’: The Story of L.A. Woman”, lançado em DVD/Blur-Ray, que detalha as sessões de gravação em Los Angeles. Um box quíntuplo com as 88 faixas selecionadas – apenas 11 integram este relançamento – ainda está nos planos da gravadora para 2012. Jim Morrison continua beeem vivo no mundo pop.

Preço em média: R$ 60 (importado - incluindo taxas)
Nota: 10

Leia também:
- “Live in Boston 1970″, The Doors: se você procura história (aqui)

Deluxe editions de “Gish” e “Siamese Dream”, Smashing Pumpkins (Virgin)
Entre dezembro de 1990 e março de 1991, Butch Vig e Billy Corgam registravam o que viria ser “Gish”, o debute do Smashing Pumpkins. O disco saiu em maio (no momento em que Butch Vig gravava “Nevermind” com o Nirvana) via Caroline Records, arrebatou elogios, não vendeu nada (bateu no número 195 da Billboard), mas garantiu um contrato com a poderosa Virgin, que lançaria em 1993 o belo “Siamese Dream” (relançado, “Gish” vendeu 1 milhão e 100 mil cópias na esteira do sucesso do segundo álbum). Este início dos Pumpkins pré megaestrelado, “Mellon Collie” e clipes em alta rotação na MTV é revisto nestes dois caprichados boxes triplos (dois CDs e um DVD) imperdíveis. A reedição de “Gish” conta com o CD bônus “Trippin’ Through The Stars”, que reúne 18 faixas entre Peel Sessions (“Siva”, “Girl Named Sandoz”), demos de Billy Corgan em casa (“Seam”, que viraria “Suffer”, e “Daydream) mais várias sobras das sessões do álbum (como as inéditas “Pulseczar” e “Smiley”) e algumas remixagens feitas em 2011, como a de Butch Vig para a pérola “La Dolly Vita” (lançada em 1990 como single da Sub Pop). “Siamese Dream Deluxe” segue o mesmo caminho: o CD bônus “Lollipop Fun Time” junta 18 raridades, a maioria em versão demo (caseiras e em estúdio) com destaques para “Disarm – Acoustic Mix”, “Luna – Apartment Demo” e “Quiet”, ao vivo na BBC. Cada reedição traz um DVD flagrando a banda ao vivo em Chicago, primeiro em 25/08/1990 (“Gish”) e depois em 14/08/1993 (“Siamese Dream”). Agora é esperar o pacote “Mellon Collie”.

Preço em média: R$ 110 (importado - incluindo taxas)
Nota: 10

Leia também:
- Zeitgeist”, Smashing Pumpkins: a volta do rock burro (aqui)

Texto publicado na(o) Terça-feira, Janeiro 31st, 2012 e arquivado na seção 500 Toques. Você pode acompanhar os comentários postados aqui através do FEED RSS 2.0.



16 Responses to “CDs: Ben Folds, Doors, Smashing P…”

  1. Adriano Mello Costa

    O Pumpkis era uma banda poderosa nos dois primeiros discos. Pena que Billy Corgan enlouqueceu depois. Essas versões “deluxe” acabaram de entrar na lista de compras :)

  2. Mac

    Importante: esses preços são todos com os 60% de possível taxação da Receita Federal. Ou seja, na verdade eles custam a metade do que está enunciado acima…

  3. Samuel

    De dar água na boca….os 3 boxes.

    Perguntas: Encontra-se os 3 no mesmo lugar? Onde?

  4. Mac

    Então, peguei todos eles na Amazon, mas um por compra :) E saíram a metade do preço descrito acima, frete incluso.

  5. Palandi

    mal posso esperar pelo pacote Adore…

  6. igor

    como comprar no amazon ?

  7. Erick

    Você costuma comprar na Amazon americana ou na Inglesa? Sempre tenho dúvidas se existe realmente alguma diferença, compro sempre na americana, mas já vi várias vezes o Kid Vinyl dando dicas e links da Amazon Inglesa, tem alguma diferença mesmo? É o preço? Ou chega mais rápido?

  8. Mac

    Igor, é preciso ter um cartão de crédito internacional, e só. Faz o cadastro, escolhe os itens e pronto.

    Erick, eu compro nas duas (até na francesa já comprei alguns itens). Tem coisas que na Amazon UK é três vezes mais barato que na Amazon EUA. Exemplos:

    Morrissey - Parlaphone Years (box triplo): 15 dolares na Amazon EUA (convertendo: R$ 25) e 4 libras na Amazon UK (convertendo R$ 11).

    Jesus and Mary Chain (as edições remaster triplas): 22 dolares na Amazon EUA (convertendo: R$ 38) e 11 libras na Amazon UK (convertendo: R$ 30)

    Exemplos de coisas mais baratas na Amazon EUA também existem, por isso sempre comparo as duas para ver qual compensa mais (sem contar que, as vezes, alguns itens entram em promoção na Amazon EUA e não na UK, e vice-versa).

  9. Erick Tedesco

    E o frete para dois ou três itens, qual é o valor, mais ou menos?

  10. Mac

    Erick, em média, duas libras por item na Amazon UK, três dolares e meio por item na EUA. E esse valor vai descrescendo com a compra.

  11. igor

    eu tenho que ter enderaço no exterior para comprar pela amazon ?

  12. Mac

    Não, Igor. É o seu endereço mesmo, no Brasil.

Trackbacks

  1. SCREAM & YELL 2.0 » Billy Corgan num mar de incertezas
  2. SCREAM & YELL 2.0 » CDs: Carly, Ben e Kiwanuka
  3. SCREAM & YELL 2.0 » CDs: Costello, Led Zeppelin e Doors
  4. SCREAM & YELL 2.0 » Entrevista: Eriberto Leão

Leave a Reply