Os últimos dez anos na música pop

Por Marcelo Costa

Editor do Scream & Yell

Para aqueles que achavam que o mundo iria acabar na virada do século, até que as coisas andam durando, né. Até 2012, ok, mas aconteceu tanta coisa nos últimos dez anos que um especial como esse, que procura destacar os 40 melhores discos desse período, serve não só para enaltecer este ou aquele artista, mas também para tentar entender o que aconteceu com o cenário musical nos últimos dez anos.

O prêmio contou com a participação de 68 votantes, incluindo jornalistas de publicações respeitadas como a Rolling Stone Brasil, Billboard, Veja, Folha de São Paulo, Jornal do Brasil, MTV, VIP, Placar, UOL, iG e Playboy, além de editores de sites, músicos e gente experiente que, além de premiarem Los Hermanos e Strokes, consagraram discos de nomes como Radiohead, The Killers, Caetano Veloso e Cansei de Ser Sexy.

Mais de 100 convites foram enviados, e 68 votos chegaram citando um total de 282 discos internacionais e 252 discos nacionais diferentes. Entre os 40 finalistas, cinco discos do ano 2000, três de 2001, oito de 2002 (o ano mais fértil, segundo a lista), quatro de 2003, cinco de 2004, sete de 2005, três de 2006, três de 2007 e apenas um de 2008 e um de 2009 (sendo que nenhum disco internacional destes dois últimos anos entrou no Top 40).

2002 foi o ano mais fértil, mas o ano que definiu a década foi 2001. Los Hermanos e Strokes dominaram a votação. No caso nacional, o Los Hermanos fez dobradinha, com direito até a votos para o disco 4. Já o Strokes concentrou toda a atenção em seu debute, Is This It, o disco que muita gente acusa de ter impulsionado a jovem cena roqueira, que teve vários nomes estreando na lista, gente como Arcade Fire, Franz Ferdinand, The Killers e Interpol.

O Radiohead voltou a encaixar dois álbuns na seleção, assim como no Top 20 dos Melhores da Década de 90. Comparando as duas votações é até possível dizer que dos 20 melhores discos dos últimos 20 anos, quatro são da turma de Thom Yorke. Do lado nacional o mesmo acontece com a Nação Zumbi, que havia colocado seus dois primeiros álbuns (ainda com Chico Science) no Top Anos 90.

A expressiva votação do Los Hermanos não deixa dúvidas que eles foram o grande nome da década no cenário nacional, e todo o desenrolar da música pop nacional a partir do lançamento de O Bloco do Eu Sozinho precisa ser estudado com mais calma. O Cidadão Instigado, que a critica leva aos céus, mas que o grande público ainda não descobriu, cravou dois álbuns no Top Anos 00 assim como White Stripes, LCD Soundsystem, Radiohead e os já citados Nação Zumbi e Los Hermanos.

Há rap (Marcelo D2 e Racionais, este último também representante da lista dos anos 90), indie (o único álbum lançado pelo Astromato merece ser redescoberto), música eletrônica (a também expressiva votação do LCD Soundsystem impressiona), o “novo samba” (Curumin, Wado, Mombojó), o novo e o velho rock nacional (Vanguart e Violins, Skank e Pato Fu), grandes nomes (Caetano, Bob Dylan, Johnny Cash, Paul McCartney) e até a grande cantora/personalidade da década, Amy Winehouse.

Na soma de todos os discos, que de certa forma aponta o grande artista da década, o Los Hermanos dispara seguido pelo Cidadão Instigado, Nação Zumbi (que além dos dois álbuns do Top 20 recebeu votos por Radio S.Amb.A e Fome de Tudo) e Mombojó. Do lado internacional, o Radiohead (com quatro discos citados) pulou à frente de Arcade Fire, Wilco e Queens of The Stone Age, mas não conseguiu tomar o primeiro lugar do Strokes.

Nacional
1. Los Hermanos – 492,5
2. Cidadão Instigado – 141 pontos
3. Nação Zumbi – 127 pontos
4. Mombojó – 119,5
5. Caetano Veloso – 96 pontos
6. Violins – 82 pontos
7. Wado – 71,5 pontos
8. Pato Fu – 69,5 pontos
9. Racionais MC’s – 63,5 pontos
10. Cansei de Ser Sexy – 59 pontos

Internacional
1. The Strokes – 259 pontos
2. Radiohead – 238 pontos
3. Wilco – 220 pontos
4. Arcade Fire – 165 pontos
5. Queens of The Stone Age – 150 pontos
6. LCD Soundsystem – 131 pontos
7. White Stripes – 123,5 pontos
8. Franz Ferdinand – 101,5 pontos
9. Flaming Lips – 67,5 pontos
10. Amy Winehouse – 62 pontos

Os resultados finais estão todos nos links abaixo. Além, tem as listas pessoais dos 68 votantes. Para ilustrar cada voto escolhemos um álbum que só aquela pessoal escolheu (em dois ou três casos, que duas pessoas votaram). A idéia é mostrar a versatilidade de uma lista como essa, que não se fecha apenas nos 40 álbuns elencados nos dois Top 20. Você pode descobrir muita coisa legal escondida aqui e ali. Divirta-se. E até a próxima década…

Ps. E para quem quer relembrar, o Top 40 da Década de 90 está aqui

78 thoughts on “Os últimos dez anos na música pop

  1. Pois é. Listinha super chulé. Cadê o Tv on the Radio, o Portishead, Burial, The Bug. Única surpresa boa foi a inclusão do Johnny Cash.

  2. Cada pessoa tem a sua lista. Tv On The Radio (aliás, três deles foram citados), Portishead, Burial, Romulo e Sigur Rós foram votados. É só olhar as litas pessoais. O Top 20 não é uma lista pessoal, mas sim o choque de 68 listas. Agora, o The Bug só estaria na sua lista, Paulo, pois nenhuma das 68 pessoas votou. A diferença dessa pruma lista da NME ou da Pitchfork é que não são três pessoas decidindo quais são os melhores discos da década, mas 68. Por isso uma lista mais plural. Os diferenciais estão na lista de cada um.

  3. Certamente, listas são extremamente pessoais. Assim como the bug só estaria na minha, acho que só vc citou Roddy Woomble, por exemplo (não olhei todas as listas individuais, nem vou fazê-lo), o que não desmerece qualquer das duas obras. Alguns discos são mais representativos para várias pessoas (os tais marcos de gerações) outros ficam como relíquias pessoais mesmo.

  4. Fui só eu quem citou o disco do Roddy mesmo, Paulo, hehe, mas a idéia é exatamente essa de dar uma panorama para a época, e acho que nesse ponto a lista funciona super bem. Eu gostaria muito que tivesse entrado um disco do Animal Collective, por exemplo, (ou o do Romulo Fróes) pois iria dar uma maior amplitude para o resultado final, mas no fim das contas eu só vou computando os votos, e torcendo. O que sobra são mais de 500 discos em listas que, de repente, podem servir de referência para alguém.

  5. Adorei a lista. Muito justa e altamente representativa.
    Is this it é um discaço, e causou, à sua maneira, um grande impacto, o mesmo vale para as obras-primas do Radiohead, que, como foi observado pelo Mac, cometeu pelo menos quatro grandes discos nas duas últimas décadas (foi a única banda que emplacou 2 discos entre os 40 melhores dos anos 90 na finada Bizz). Por esse critério, pode ser considerada a maior e melhor banda dos últimos 20 anos – Nirvana e The Strokes fizeram cada um apenas 1 grande álbum, nas suas respectivas décadas.
    Não deixa de ser sintomático que, especialmente no que tange ao cenário nacional, dentre os grandes álbuns e artistas de ponta (entre os 10 primeiros, por exemplo), não houve nenhum nome de peso dentro da indústria, nem são sucesso de massa (com a possível exceção dos Los Hermanos, mas por vias “annajulia-nas”) – como o foram os artistas dos já distantes anos 80, ou mesmo 90. Será que é possível encontrar aí um “culpado” por esse abismo entre gosto do público, da crítica e artistas elogiados por crítica? Seria interessante fazer um análise sobre isso.
    No mais, parabéns, Mac, pelo belo trabalho. Estas listas publicadas aqui estão sendo provavelmente as mais confiáveis e interessantes na imprensa brasileira.
    Abraços.

  6. Pluralidade……..
    Palavra muito usada e pouco vivida nesses tempos bicudos de dinheiro dentro da meia e passeatas contra a proibição das máquinas de bronzeamento artificial. Quando se vê as respostas das pessoas para a lista feita pelo Scream & Yell percebe-se que a pluralidade pode assustar e que muitas vezes é incompreeendida. Mas listas e gostos são sinônimos antagonistas que separam muitas vezes a razão da sensação de sentir o músculo coronariano batendo. Pelo fato de fotografar vários momentos dessa inacabada década a lista é muito bem vinda. Mesmo que pessoalmente (olha o músculo coronariano dando seus pitacos), ache que Sam´s Town como obra é melhor que Hot Fuss, sinta uma enorme mágoa no ventrículo esquerdo por não ver o Third do Portishead e solte algumas lágrimas por não ter visto principalmente Rings Around The World do Super Furry Animals. Mas viver em tempos pré 2012 com atividades paranormais e paragovernamentais é saber aceitar princpalmente as diferenças entre gostos e listas…………

  7. Astromato é (era) muito bom… pena que só vi um show deles no Upload que teve Graforréia Xilarmônica tocado Colégio interno sem energia pois iam fechar o teatro do Sesc.

  8. Essas listas de “melhores”…às vezes parecem mais listas de compras de supermercado do que um fator altamente subjetivo, espiritual, artistico, cultural, como é a arte da música. E Mac, se me permite uma observação, mesmo que tenham sido 68 votantes, eles me parecem muito semelhantes entre si, mesmo com 1 ou 2 bandas divergentes nas listas, o resultado é bem próximo de uma lista individual de um deles. Tudo bem, teve alguém que votou em Racionais, em Skank, mas ele foi isolado. Esses votantes fazem parte da mesma “tendência”, do mesmo grupo. Se você der esse questionário para, sei, lá, garotos rockeirinhos de 15 a 19 anos, por exemplo, com certeza a lista seria 100% diferente. Se procurar a multidão de góticos e suas lojas e sites especializados, a lista seria outra. pior ou melhor? acho que só diferente.

    Curti muito Arcade Fire, Interpol, Portishead, mas muito mais os dessa década de Morrissey, Echo, Cure, Nick Cave…na minha consciência, eles é que fizeram a trilha sonora desse MEU período. Já Strokes, Franz…eu acho que são músicas para festinhas rockers. Muito bons, mas nada de tão especial. Não dá pra ficar sentado na poltrona curtindo essas batidinhas dançantes. Não parece nem sério. . .Mas na pista do Studio Sp fazem até sentido. Cada década tem o Nevermind que merece…rsrsrs. Já para mim, junto o British sea power, the thrils, para trilha perfeita. Neon Bible, Funeral, muito bons…fizeram parte, mas sou muito mais um Bloodflowers. Até Win Butler concordaria.

    ABS

  9. Faltou muita banda gringa ai. Nacional foi meio previsivel, pelo menos pra mim. Eu participei da votação e isso ai ta dentro do prévisto. Mesmo que eu nao concordo co Caetano, Wado ou CSS figurando na lista…

    E nem com a ordem da mesma. Isso ai so deixa claro que 3 bandas nacionais dominaram a década. Uma veio por fora e apareceu mais do meio pro final, as outras 3 estão na atividade desde a decada passada…

  10. Boas as listas no geral, tive a curiosidade de ver todas.
    Mas o grande problema são os discos nacionais. Acredito que pelo menos 80% dos artistas citados são desconhecidos pelo público, o que é ruim, pois as bandas e artistas dependem do grande público para continuarem a existir e criar.
    Agora só uma observação, tem Bruno e MArrone na lista e não tem nenhum único voto para o Smile do Brian Wilson?

  11. e melhores pra quem?

    alguém votou em algum foo fighters? teve 3 discos lançados desde 99… e algum stereolab? 4 discos elegíveis…pois é…e quanto ao eleito melhor de 2008 do Oasis? Dig out…se ele foi eleito pelas mesmas cabeças o melhor de 2008 não deveria entrar na lista. Pelo menos de alguém????

  12. Samuel, nenhum do Foo Fighters, Stereolab e Oasis foi eleito melhor do ano nas votações anuais do Scream & Yell. Na verdade, só um do Oasis (Don’t Believe The Truth) e o “In Your Honor”, do Foo Fighters chegaram a entrar em entre os sete melhores de um dos anos que aferimos, que podem ser vistos aqui:

    http://www.screamyell.com.br/outros/listas/melhoresdiscosinternacionais2001.htm

    http://www.screamyell.com.br/outros/listas/2005discointernacional.htm

    http://www.screamyell.com.br/outros/listas/2006discointernacional.htm

    http://www.screamyell.com.br/especial/2007/discointernacional.htm

    http://www.screamyell.com.br/especial/2008/discointernacional.htm

    O disco do Morrissey, que ganhou em 2004, não entrou no Top 20 por dois pontos.

  13. A lista é excelente. Mas como nem tudo é perfeito, uma omissão grave, cadê o SMILE do Brian Wilson!?!?!? Não só um dos melhores discos da década, mas de todos tempos….

  14. Entendi Mac, não era bem isso que eu quis dizer sobre as 3 bandas. mas você me lembrou de outro ponto que eu queria citar também.

    2001: Is This It, The Strokes (BMG)
    2004: You Are The Quarry, Morrissey (Attack)
    2005: You Could Have It So Much Better, Franz Ferdinand (Trama)
    2006: Modern Times, Bob Dylan (Sony & BMG)

    Cadê Morrissey, cadê Dylan, Cadê Interpol nos melhores da década…??? rsrs

    O Flaming Lips não aparece em nenhuma lista anual, porém aparece na da década?

    Mas tudo bem, não quis te dar trabalho. Só um ponto de vista mais ranzinza. Putz, acho que estou ficando velho…e acho também que Libertines tem mais impacto que os Strokes…rsrs…bom, pelo menos não entrou Little Joy. Aí eu ia desconfiar que vivi em outro planeta nos últimos 10 anos.

    Mas que essas listas dão pano pra manga, ah dão!

    Abs

  15. É, achei essas listas muito parecidas, muito centradas no estilo strokes-franz ferdinand-interpol-libertines. Claro que tem discos que não dá pra fugir, são os clássicos da década. Mas talvez seja mais interessante ver as listas individuais de pessoas com quem a gente se identifica do que uma geral com vários gostos, er, segmentados.

    Legal ver Twilight Singers numa lista, embora não fosse bem a minha escolha de disco. E ninguém votou no We Love Life? Não que seja um dos 10 da década nem nada, mas bem entrava numa de 40 ou 50 pra mim!

  16. Fácil explicar, Samuel: Dylan e Interpol estão no Top 20 da década com o “Modern Times” em 14º e o Turn on the Bright Lights em 17º. O Flaming Lips não aparece em nenhuma lista anual pois não fizemos melhores do ano em 2002. Foi o ano da ressaca Screamj & Yell, quando eu decidi acabar com o site, mas voltei atrás após a enorme quantidade de emails legais que chegaram. Se tivesse melhores de 2002, provável que o Yoshimi estivesse nas cabeças. O Franz é fácil entender: ele foi o melhor do ano 2005, mas pra votar na década muita gente pendeu pro primeiro. Um vencedor da década do Scream & Yell que foi esquecido foi o MGMT. Mas ai é aquela coisa: ele pode ter sido o melhor de 2008, e o melhor de 2008 talvez não entrasse nem entre os dez de 2007. 🙂

  17. Penso o seguinte. Acho que metade das polemicas entorno dessa lista acaberia se fosse os “discos mais influentes da década”

    Pq é complicado alguém tentar convencer – se é que é preciso – que o primeiro dos Strokes é vanguarda, com letras e propostas inovadoras mais que o ( ) dos Sigur Rós, do próprio Flaming Lips, e principalmente do Radiohead.

    “Is This It” se segura e mostra sua influencia no meio pop (vide estar numa lista de 68 crítico) muito por esse carater que ter balançado a música pop pra massas, uma banda que surgiu na internet e tsl. Mas de inovador e fundamental ele não trouxe nada, além de uma boa releitura, quase uma cópia, boa, mas cópia.

  18. Is This It melhor disco da década? Acho que cada década tem os melhores discos que merece. Springsteen, para citar apenas um, com The Rising e Devils & Dust coloca essa lista quase inteira no chinelo. Até mesmo um R.E.M. não-clássico como o Accelerate bate os Strokes. Mas discutir lista é bobagem. Agora, Strokes é foda.

  19. CARAMBA, Q BACANA ESTA VOTAÇÃO…….NESSES ANOS TODOS ACOMPANHANDO A BOA MÚSICA, PENSO Q OS ANOS 00 FORAM MUITO BACANAS…MUITA, MAS MUITA COISA BOA MESMO FOI LANÇADA NESTE TEMPO……..

    SENTI FALTA DE DOIS CDS Q ACHO INCRÍVEIS : RATED R DO QOTSA E SIM, DA VANESSA DA MATA…..

  20. ah, me esqueci de uma coisa : estranha a pouca aparição do cachorro grande…….o cd pista livre deveria estar por aí…..e, sem querer brigar com ninguém, a pitty mereceria estar na lista, por qualquer um de seus 3 cds….não entendo isso…….

  21. sigur ros melhor da década? ninguém escuta isso não.
    e a época do radiohead já passou (final da década de 90), o strokes merece o prêmio
    achei a lista mais coerente e imparcial que vi em blog na internet parabéns pra quem fez a parada;

  22. Vixe Marcelo, sua lista está dando o que falar mesmo. Eis que vou dar um pulo no blog do Forastieri e me deparo com essa lista lá também…Os coments de lá foram bem menos sutis…mas também já chutaram o balde, falando de forrós e afins…enfim…rsrs

    http://blogs.r7.com/andre-forastieri/

    http://blogs.r7.com/andre-forastieri/2009/12/14/quanto-mais-negro-melhor/#comments

    Olha ps exemplos: “Pelo que percebi, os votantes são “indies”, “alternativos” e amigos de indies e alternativos que têm banda. Esse clube alternativo só poderia dar numa lista nacional do gueto dos branquelos e esquálidos.”

    “Essas duas listas refletem apenas um certo gosto classe-média-universitário-indie-descolado dos votantes, já que essas bandinhas e artistas nacionais citados não refletem em absolutamente nada o gosto do público brasileiro. Ora, precisamos ser francos: seja para o bem ou para o mal bandas como Calypso e Exaltasamba e artistas como MC Leozinho são muito mais importantes para a música brasileira do que o último disco do Forgotten Boys ou do tal Cidadão Instigado. Ah, e com um detalhe importante: eles são bem mais divertidos também!”

    Abs

  23. Tem coisas que concordo e coisas que discordo no comentário do Forastieri. De cara acho complicado alguém criticar sem dar exemplos. Está faltando música negra? Quem ele votaria como melhor da década então? E isso estende-se para os outros gêneros citados ali. Posso estar errado, mas duvido que ele ache que MC Leozinho, Calypso e Exaltasamba tenham feito os melhores discos da música brasileira na última década.

    O Scream & Yell é um site independente, assim como muitos dos votantes tem contato com a cena independente. Por mais que a lista de convites para participar da votação seja extensa (e inclua, além do próprio Forastieri, gente como Pedro Alexandre Sanches, Mauro Ferreira e outros que, talvez, pudessem dar uma temperada no resultado com seus votos, que não vieram), a coisa toda tende a escorregar para o lado independente, pois a melhor música que está sendo feita no país está saindo do meio independente.

    E posso dizer isso pois, ao contrário do Forastieri, acompanho tanto o mainstream quanto o underground. Houve épocas na história que o melhor da música popular era o que tocava no rádio. Citando George Martin, isso aconteceu nos anos 60. Beatles, Beach Boys, Stones, Who e outros faziam os melhores discos e conseguiam exposição merecida. Já faz um tempo que isso mudou.

    O que, claro, não impede que o Skank, por exemplo, apareça em nossa lista. Claro que é fácil questionar a inclusão do Violins, por exemplo, e dizer que a lista é indie por causa deles. Mas é um jeito de olhar copo meio vazio. No mais, se a lista do Scream & Yell é indie, o que dizer da lista do Pitchfork ou da You Aint No Picasso, que saiu hoje (risos):

    htttp://www.youaintnopicasso.com/2009/12/14/yanps-50-favorite-albums-of-the-decade/

    Mac

  24. Prefiro a lista da S&Y…rsrs

    Só deixando claro: Os exemplos que eu deixei foram de comentários de leitores, e não do blogueiro.

    Vou fazer uma lista com meus amigos e contatos e depois vou postar aqui o resultado.

    PS.: Com certeza se tivesse um ranking das melhores cervejas do mundo a gente entraria em discussão. Afinal gosto é gosto e quem está mais habituado com uma stout ou ale daria preferência a elas. rsrs

    abs

  25. O que mais me chamou a atenção entre as listas é a enorme diferença entre o primeiro colocado nacional e o segundo. Isso, pra mim, só indica uma coisa: fora Los Hermanos, nada realmente relevante foi feito por aqui….

  26. Pelo menos nessa ultima os caras não coloram Franz Ferdinand na frente do Sigur Rós. Na boa, isso é um detalhe importante. Ou o hypado LCD Soundsystem.

  27. Bm, fui um dos votantes. E não sei se minha lista é melhor ou pior do que a de outros. mas fui, por exemplo, o único talvez a dar atenção a nomes como Vitor Ramil, que lançou dois discos nessa década que se fossem cantados em lingua inglesa, meu deus do céu! Tambong e Longes. Vi lista de gente com bandas daquelas que só o crítico conhece. Penso que um criterio seria: dez anos depois ainda se vai falar dessa banda? desse som? acho que é um pouco por aí também. Tenho plena consciência de que daqui a uma década, sky blue sky, do wilco, por exemplo, ainda será significativo.

  28. E eu achei que o Parachutes seria o disco da década e nem aparece entre os 20 mais, rs. Mas falando sério, eu ainda acredito que o Coldplay é uma banda mais escutada que 50% das votadas. Inclusive pelos participantes da votação.

  29. Nem dá pra levar o Forastieri a sério, vc leram o que ele escreveu a respeito dos Los hermanos??? Essa é a opinião dele????
    Ele tem o direito de discordar, mas pelo menos podia formar uma opinião coerente e não escrever qualquer baboseira.
    Só pode ser piada tudo que ele escreveu a repeito da lista….

  30. Acho que o momento certo para a publicação de uma lista como essa seria o final de 2010. Nem sempre dá pra avaliar a repercussão e a abrangência de um determinado artista ou disco que, por exemplo, apareceram agora em 2009. Talvez isso seja a explicação de constarem tão poucos discos de 2008/2009 na lista.
    Com isso, discos excelentes, como o novo do “Otto”, o “invísivel DJ” do “Ira!”, acabam não recebendo o devido respeito.
    Além disso, bandas internacionais que lançaram fantásticos discos na década de 00, como “Nada Surf”, “Teenage Fanclub”, “Portishead”, “Brian Wilson”, “The Walkmen”, “Super Furry Animals”, “Morrisey”, “Cat Power”, “Built to Spill” etc permanecem à margem, por simplesmente não se incluírem no cícuito Strokes-Killers-Franz Ferdinand-Artic Monkeys etc.
    O mesmo acontece em âmbito nacional com “Tom Zé” entre outros.
    Além disso, a “síndrome do underground” de que sofre a crítica brasileira e internacional [pitchfork?], faz incluir bandas como “Wilco”, que atualmente lança discos maçantes e insuportáveis.
    Bem, acho que o momento foi inoportuno, mas (como já era previsto), milhares de listas como essas já pipocaram por aí. Lá por volta de 2015 (se o mundo não acabar), talvez a justiça seja feita.

  31. sigur o que? vocês estão de brincadeira so pode ser. o franz é muito melhor do que essa maquina de fazer dormir. sigur rus é coisa de nerd chato que não liga pra meninas. tambem acho nacao melhor que esse cidadao, que eu nunca ouvi.

  32. Absolutamente nada contra a lista da S&Y. É uma lista razoalvelmente precisa e obviamente díspare. Como muitas que vi por aí. Algumas coisas se destacaram, outras permaneceram restritas a certos nichos. Muita coisa, confesso, nem conhecia. E nem havia perdido tempo ouvindo. Em alguns casos, tudo muito igual. Em outros, apenas uma ou duas faixas se destacavam. A meu ver, sequer valeriam menção. Enfim, árduo. Mas ouvi tudo ali.

    O que eu acho dessa década? Rapidinho. Em tópicos e por ordem de importância e qualidade. Claro que para apenas este que vos diz (“que vos escreve” é pedante demais, por favor…).

    :

    1º – Yankee Hotel Foxtrot
    2º – Elephant
    3º – Songs For The Deaf
    4º – Kid A
    5º – All That You Can’t Leave Behind
    6º – Franz Ferdinand – Franz Ferdinand
    7º – Hail To The Thief
    8º – Reveal
    9º – La Revancha Del Tango
    10º – LCD Soundsystem – LCD Soundsystem

  33. Nem vai, vai de 2000 a 2009, esse ano estamos numa nova década. Ou então o mundo inteiro está enganado soltando listas, não?

    Gostei muito das listas, parabéns. Principalmente a nacional.
    Na internacional, concordo com o resultado em geral, a pesar de achar que faltou muita coisa legal, e que sobrou alguma coisa overhype ali.

  34. pobre daquele que acha que essa foi uma década “indie”. o problema dessa lista é que 50 % dela esta COMPLETAMENTE EQUIVOCADA. tanto a nacional quanto a internacional. alguns nomes e albums dessa lista aí vai cair no esquecimento daqui uns 10 anos. quem viver verá

  35. E se for ??! Essa lista representa a década que passou…Se quiser listas de artistas que vão durar, procura a Mãe Dinah.

    Toda a lista de melhores já é falha por definição… lembrar isso é tão clichê quanto o ato de fazê-las.
    Porém, essa lista me parece bastante representativa.

  36. Pecado não conter Smile do Brian Wilson. Demorou mais de 30 anos para ser lançado e justiça seja feita, para 1967 seria um álbum esmagadoramente sensacional. Sem palavras. Acredito que a maioria dos colunistas foram imediatistas. Para mim o Smile está entre os 3 primeiros, primeiro pelo ineditismo: pq é o único a demorar mais 30 anos para ficar pronto. E segundo pela indiscutível qualidade de composição. Talvez perca só para Strokes (na reedição do “do it by yourself”) e Last Dj do Tom Petty pela dura crítica ao mainstream norte-americano.

  37. Gostei da lista mas trocaria alguns nomes pelo Portishead, tv on the radio, Mya, spiritualized, Yeahs, british sea power,

    essas listas sempre variam se o artista está em alta ou baixa no momento, (azar Mya, sorte LCD) agora se estiver morto a chance aumenta consideravelmente (suicídio multiplica por 2)

    Essa década foi fantástica. Foi o big bang da música. Ainda lembro o primeiro download do Let in come down (spiritualized) pelo audiogalaxy. Levava horas pra baixar uma música! Hoje baixa tão rápido que perdeu a poesia. Brincadeira. Let in come down horrores de música para todo o sempre amem.

  38. Meu DEUS, que lista mais vagaba…Los Hermanos é rock? Mombojó? Cidadao Instigado? Vanguart? Tudo isso é uma merda! Gente sem graça, se passando de intelectual, com frases sem nexo, misturando um mpb com guitarras distorcidas e uma voz rouca…. Tudo bichisse! Rock é Flicts, é Drakula, Bad Religion, Ramones, Sex Pistols, Clash, Inocentes…coisa de verdade.

    Los Hermanos….credo!

  39. Não tem Interpol ? Haha, aí fica estranho.

    Eleito 6′ da década pela NME, melhor do ano de 2002 pela Pitchfork, com nota 9.5 ! Acima da nota do Is This It e qualquer um aí, menos Kid A. O Turn On The Bright Lights, lógico.

  40. Acho a lista muito boa. A única surpresa é a presença do caetano…incrível como o cara consegue se sustentar mesmo diante de tantas mudanças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.