Cinema: “Seguindo Todos os Protocolos”, de Fábio Leal, é um interessante olhar sobre o sexo e o tesão em tempos de pandemia

texto por Renan Guerra

A Covid-19 está impactando as nossas vidas desde 2020 e de lá para cá repensamos em muitas das nossas relações, além de termos ficado distanciados durante um bom tempo. Um tópico que sempre trouxe dúvidas e questões desde o início da pandemia foi o sexo: se você não estava casado com alguém, como faria para transar em pleno distanciamento social? Surgiram manuais, dicas e muitas teses sobre o que se fazer para aplacar o tesão. “Seguindo Todos os Protocolos” (2022), filme do recifense Fábio Leal, se debruça sobre esse tópico com um olhar bastante pessoal e sincero.

A trama acompanha Francisco, personagem interpretado pelo próprio diretor – que é também roteirista do filme. Francisco ficou 10 meses em isolamento e acabou por terminar um relacionamento que havia se estendido de forma virtual durante a pandemia. Agora solteiro, ele quer transar, porém busca seguir todos os protocolos – e aqui não é apenas um modo de dizer, ele realmente se arma de todas as informações possíveis e tenta levar a cabo o sexo da forma mais segura possível.

Nesse desenrolar, ele irá encontrar tanto parceiros novos, que ele desconhecia, quanto irá se reencontrar com um ex que na pandemia acabou virando entregador de comida por aplicativo. O que envolve em “Seguindo Todos os Protocolos” é a forma como a narrativa se desenvolve de forma sutil. O mais importante aqui é entendermos essa jornada do personagem, como se dá esses encontros e reencontros e como a gente ficou mais suscetível e calejado com o passar da pandemia.

Agora, em 2022, a sensação é que já passamos por inúmeras temporadas da pandemia: vivemos a fase do isolamento total, lavamos as compras do supermercado e tivemos até a temporada de sommelier de vacina. Francisco, o protagonista do filme, levou tudo isso muito a sério e chega a se exasperar com um consumo excessivo de informações. Entre a solidão e a depressão, é curioso como Fábio Leal enche sua história de humanidade e cria um filme leve, que nos seduz em seu jogo e que, mesmo com temas complexos, consegue arrancar risos da plateia, que se diverte apesar dos escombros.

Além do protagonismo de Fábio Leal, o pequeno elenco do filme ainda conta com atuações ótimas de Paulo César Freire, Marcus Curvelo e Lucas Drummond. É interessante ver todas as nuances que o filme cria para cada relação do protagonista e como isso se movimenta a partir da forma que cada um lida com a pandemia. “Seguindo Todos os Protocolos” consegue captar muito bem todo o medo, a solidão e as angústias que o afastamento social causou nas pessoas, conseguindo tatear essas dores sem desumanizar seus personagens, entendendo as dores de cada um.

Lançado pela Vitrine Filmes, “Seguindo Todos os Protocolos” é um filme simples que soa como um pequeno recorte das nossas loucuras em meio ao caos, e por isso é tão sincero e toca de forma tão pungente o espectador. Sem pudores, Fábio Leal faz uma espécie de polaroide sobre o tesão em tempos de solidão. Assista de peito aberto!

– Renan Guerra é jornalista e escreve para o Scream & Yell desde 2014. Faz parte do Podcast Vamos Falar Sobre Música e colabora com o Monkeybuzz e a Revista Balaclava

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.