EP “¡Unan Todo!” une artistas brasileiros com músicos da Colômbia, Argentina, Venezuela, Uruguai e México

No EP “¡Unan Todo!”, a ser lançado em 04 de maio, cinco artistas brasileiros se juntaram a colegas da Colômbia, Argentina, Venezuela, Uruguai e México para criar canções autorais em colaboração. O disco é parte de um projeto amplo de integração latino-americana pela cultura, capitaneado pela Aliança FARO, uma agremiação que reúne 11 veículos de imprensa de 10 países.

O projeto foi concebido pelo produtor Leonardo Vinhas juntamente com o músico e produtor Rodrigo Stradiotto, ambos brasileiros. Eles haviam trabalhado juntos em “¡Estamos!” (ouça e baixe aqui), um disco que lançava gravações caseiras de artistas do mundo todo, feitas no início da pandemia da Covid-19. “Chegou a pandemia e mudou totalmente nosso modo de viver. Nesse mesmo período, minha esposa estava com uma doença encefálica gravíssima, e o clima político e social em Brasília havia se tornado violento por causa da posição negacionista e extremista do presidente Jair Bolsonaro. Eu queria reagir a tudo isso trazendo a música não como fuga, mas como algo capaz de criar novas relações, de aproximar pessoas”, conta Vinhas.,

Stradiotto, que até então conhecia pouco do universo musical de hablaespana, ficou impressionado e propôs a Vinhas estender essa ideia, aproximando artistas com afinidades artísticas, mas de diferentes países. Pouco antes disso, havia estreado o documentário “Quebra Tudo!” (Rompán Todo!), que apresentava uma visão muito parcial da história do rock latino-americano, e isso também contribuiu para a inspiração. “Esse documentário ignora os artistas brasileiros e vários nomes essenciais de outros países. Além disso, o momento não era de quebrar ou romper, mas de unir. Por isso tivemos a ideia de batizar o projeto de ‘¡Unan Todo!’”, explica Vinhas.

A ideia de um EP em que artistas brasileiros se unissem a seus pares ibero-americanos foi imediatamente acolhida pela Aliança FARO, uma organização que congrega esforços para promover a música e a cultura ibero-americana independente. O site brasileiro Scream & Yell, integrante da FARO e também um selo, servirá de “casa” para o disco, que terá distribuição digital internacional pela Tratore. Ao fim, o elenco do EP, com curadoria de Leonardo Vinhas, ficou assim definido:

1) “Mamba Negra”, Pahua (México) + The Raulis (BR) – OUÇA O PRIMEIRO SINGLE
2) “Colibri”, Catalina Avila (Colômbia) + Duo Finlandia (BR/Argentina) OUÇA O TERCEIRO SINGLE
3) “Somewhere”, Romina Peluffo (Uruguai) + Rodrigo Stradiotto (BR) OUÇA O SEGUNDO SINGLE
4) “Lido”, Andrés Correa (Colômbia) + Marcelo Callado (BR)
5) “La Gente Es Rara”, Juan Olmedillo (Venezuela) + Terremotor (BR)

“Mamba Negra” foi o primeiro single, lançado em 18 de março. “Esta canção é muito particular e que me agrada bastante. A maneira de trabalhar com os The Raulis foi colaborativa: um começou com uma ideia simples, e em um vai-e-vem de mensagens, a canção foi ganhando vida com cores variadas. Gosto demais de como as guitarras são a espinha dorsal da canção, que responde com transições muito doces e muito nítidas. A verdade é que estou muito contente com essa colaboração entre Brasil e México, e adoraria voltar a fazer algo do tipo no futuro”, conta Paulina Sotomayor – ou Pahua, como assina em sua carreira solo.

“‘Mamba Negra’ é a primeira música que lançamos com alguém de fora do Brasil, e sem dúvida foi um grande prazer realizar essa collab com Pahua. Não a conhecíamos antes do convite da FARO, e ficamos impressionados com seu talento e com o quanto ela agregou na composição. Os Raulis sempre tiveram muita vontade de se conectar mais com a música latina. Compor e produzir essa track em parceria com a Paulina, de certa forma, nos faz alcançar além das nossas fronteiras”, comenta Gabriel Izidoro, tecladista do The Raulis.

Já o segundo single, “Somewhere”, liberado no dia 05 de abril, a uruguaia Romina Peluffo e o brasileiro Rodrigo Stradiotto traz uma combinação de beleza e melancolia. “O Rodrigo me enviou uma versão crua da canção, e era tão bonita e triste e perturbadora! Comecei a experimentar com melodias, e depois que definimos um caminho, a letra saiu naturalmente. Ela veio em inglês, e não sei explicar porque, mas nem nós nem o produtor do projeto, Leonardo Vinhas, achamos que seria justo mudar para o espanhol ou o português”, conta Romina Peluffo.

“Tentei misturar o que havia de levemente estranho com coisas mais orgânicas na estrutura da canção. Isso a deixou mais fluida e evitou que soasse excessivamente experimental. Ao fim, acredito que resultou em uma canção pop – de um tipo muito particular de pop”, diz Rodrigo Stradiotto, que não só tocou todos os instrumentos como também mixou e masterizou a faixa.

O terceiro single, do projeto se chama “Colibri” e foi liberado em 20 de abril. Anos atrás, tocada pela história de uma amiga próxima que acabara de perder um filho, Catalina Avila compôs a primeira canção de sua vida. Na primeira versão, incluída no álbum “Origens” (2017), a composição tinha letra em espanhol e melodia e arranjos inspirados, surpreendentemente, em referências específicas de Lhasa de Sela, Beethoven e Aterciopelados. Porém, durante a pandemia, a canção foi revisitada pela própria autora, com a letra vertida para o português e um novo arranjo.

Essa mudança, feita a convite do projeto “¡Unan Todo!”, ganhou a participação do Duo Finlandia. ”A presença deles deu um caráter mais profundo à canção. Ela toca mais ao coração, porque os cellos do Raphael Evangelista são muito sentidos, muito transcendentes. E o acordeão do Mauricio Candussi provoca uma sensação de algo que ricocheteia”, avalia Catalina. Os músicos que acompanham a cantora em suas apresentações ao vivo também participaram da gravação.

“Quisemos trazer nossa energia e identidade pro arranjo dessa bela canção da Catalina. E colou muito bem: pelo timbre dos instrumentos, pelas frases melódicas, e pelo ambiente sonoro que foi gerado a partir disso. Foi um jeito de fazer nossa bandeira da integração latino-americana tremular através de frequências”, diz Raphael Evangelista, a metade brasileira do Duo Finlandia. “A gente sempre levanta a bandeira de unir países. O próprio Duo Finlandia já é um argentino com um brasileiro, e estamos com a porta sempre aberta para artistas de toda a América Latina. Sempre sai algo bom daí”, conta Mauricio Candussi.

Com três singles disponíveis, agora é esperar o EP completo, que será lançado em 4 de maio. A capa e as artes do projeto foram criadas pelo artista brasileiro Pedro Bopp. “Esse EP é a concretização de algo que nasceu de forma muito apaixonada, e é também um passo importante na integração latino-americana pela música, um objetivo pelo qual eu trabalho há anos, e ao qual a FARO tem muito a acrescentar”, conta o produtor Vinhas. “E é também uma mostra marcante do talento do Rodrigo Stradiotto como produtor. Ele ficou responsável pela mixagem e masterização, e conseguiu dar unidade a gravações que eram díspares em termos técnicos, com propostas estéticas tão diferentes. Esse é um trabalho que poucos conseguiriam fazer, e menos ainda seriam capazes de entregar uma sonoridade tão particular. O trabalho do Rodrigo é o grande responsável pela força sonora do disco”.

A estratégia de lançamento contempla todos os 10 países representados pela FARO (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Espanha, Peru, México e Uruguai), para ampliar o alcance das canções e da proposta do projeto. “¡Unan Todo!” estará disponível em todas as plataformas de streaming, e também poderá ser baixado gratuitamente aqui no site www.screamyell.com.br.

MAIS SOBRE A ALIANÇA FARO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.