Faixa a faixa: “Glow”, EP tributo aos anos 80 com clássicos em versões do Riegulate

introdução por Diego Albuquerque
Faixa a faixa por Rieg

Riegulate é o projeto solo de beats do músico, compositor e produtor Rieg Wasa, que nasceu nos Estados Unidos, cresceu na Alemanha e vive em João Pessoa à quase 20 anos, onde criou e consolidou sua carreira musical em bandas como a Rieg, o duo D_M_G e o projeto Orijah, além de ser um dos produtores do BBS Estúdio, que tem lançado e trabalhado com diversos novos nomes da cena de João Pessoa, da Paraíba e diversos locais do Brasil.

Ele lançou seu primeiro trabalho por este nome em 2020, o álbum “Jupiter”, recheado de música eletrônica e futurista, mas também cheio de referências sonoras dos anos 80. Este mesmo álbum ganhou uma versão de remixes ano passado, com vários beatmakers do Brasil reformulando as canções e colocando suas influências.

No final de 2021, no intuito de estudar mais os equipamentos de música eletrônica e beats, bem como explorar novos caminhos sonoros, Riegulate começou a gravar vídeos e áudios com algumas versões de canções que ele gostava e também atendendo pedidos dos seus seguidores no instagram.

Surgiu então o “RIEGULATE VERSE”, uma série de versões lo-fi caseiras de canções que Rieg curte ou os seguidores pediram em suas redes sociais. A série está no youtube dos Hominis Canidae e já conta com 7 vídeos/versões que podem ser vistas/ouvidas aqui.

No Bandcamp Friday de fevereiro, o selo Hominis Canidae REC resolveu compilar e lançar todas as versões de músicas dos anos 80 no EP intitulado “Glow”, disponível para audição e download gratuito no formato “name your price”. O próximo passo é levar as versões para todos os streams e enquanto o EP permanece “secreto” no Bandcamp e no Youtube, Riegulate comenta todas as canções especialmente para o Scream & Yell:

01. “Caribbean Queen” (Billy Ocean) – Que música é essa, cheia de groove, synths e bateria eletrônica funky?? Muuuuito massa! E por isso eu demorei pra concluir essa. Tentei reproduzir mais próximo do original no Ableton Live, mas não gostei da minha voz tentando fazer parecido. Então fui experimentando e tentando entender melhor os elementos da música – estudar “o porquê” dos riffs e dos acordes, tocando ou fazendo sequência. Afinal eu acho que deixei a música mais “com minha cara” e uma pegada um pouco mais moderna com influências do Daft Punk e Black Moth Super Rainbow com utilização de vocoder. Foi uma experiência bem rica porque eu consegui enxergar que tem que ter paciência às vezes com o processo criativo, buscando entender melhor a essência da obra e colocar seu tato também. Fiquei muito muito muito feliz mesmo com o resultado, me senti super realizado.

02. “Sunglasses at night” (Corey Hart) – Recriei do zero no Ableton Live e cantei junto usando um vocoder. Testei vários vocoders (o vocoder da arturia, o ovox da waves, o vocal synth pro da izotope, etc) mas ainda tô sem achar um vocoder que soa legal e parecido com um de hardware. Essa versão da música ficou bem mais “pós-punk” gótico com elementos de Afrika Bambaataa que foi a inspiração da bateria 808 aqui.

03. I can’t go for that (Hall & Oates) – Voltando pros anos 80 no nível hard. Daryl Hall & John Oates são tão subvalorizados, é ridículo. Pra mim, facilmente os melhores compositores dos anos 80 com vários e vários hits e músicas pop incríveis. Foi bastante desafiador porque não é uma música fácil de cantar e são muitos elementos para tocar e montar no Ableton Live. Mas com certeza queria tentar tocar outras músicas deles no futuro.

04. “Eyes without a face” (Billy idol) – Depois falar dessa música com minha Bae, me instiguei a fazer uma versão dela. Montei tudo do zero no Ableton Live e cantei junto no vídeo. Nesses covers eu me surpreendo com os baixos das músicas, muito grooveados. Fiquei feliz também porque estava experimentando com um plug-in que faz harmonia, e descobri como rotear os acordes da música (midi) pra esse plug-in e parece muito com um vocoder. Todos os plug-ins de vocoder/talkbox não soam tão como um vocoder hardware bom, mas esse chegou mais próximo, mesmo não sendo a função do plug-in. (é a Harmony Engine da Antares)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.