Faro: Panoramas de AGOSTO 21 na Música e Cultura Ibero-americana

Argentina | Brasil | Chile | ColômbiaCubaEspanha | México | Peru | Uruguai

Dez sites de nove países unidos pelo ideal de compartilhar cultura e, com ela, ideias, sonhos, desejos, revoluções.

ARGENTINA
por Juampa Barbero / do site Indie Hoy

O plano geral de vacinação trouxe um alívio que se espalhou por todo o território argentino. Agora podemos expressar com alegria que as coisas estão finalmente se acalmando, de modo que em breve poderemos falar da pandemia como um fantasma do passado. O que teríamos feito sem a música durante este período árduo? Não sabemos, mas certamente apreciamos sua companhia e resiliência diante das adversidades. Com uma agenda cultural repleta de shows ao vivo, só falta continuarmos nos cuidando e fazendo parte do retorno na esperança de que logo os protocolos sejam desnecessários e possamos desfrutar de compartilhar os eventos musicais como eram antes.

PROYECTO GÓMEZ CASA FEAT SARA HEBE – “COSAS QUE NO PIENSO CONTROLAR”: Depois de publicar “Corazón Bitcrasheado” com Melanie Williams, o Proyecto Gómez Casa lançou uma nova colaboração com a rapper Sara Hebe: “Cosas Que No Pienso Controlar”. A faixa enérgica é a segunda prévia do sucessor de “Luz” (2019), que já conta com um título totalmente alinhado ao seu personagem de vanguarda: “Post XXXX”. Será o sétimo álbum do projeto experimental.

JAZMÍN ESQUIVEL – “MEDIANOCHE RADIO CLUB”: Após compartilhar uma série de prévias ao longo do ano passado, Jazmín Esquivel lançou seu segundo álbum: “Medianoche Radio Club” saiu pelo selo Discobabydiscos. Produzido junto com Diego Acosta, o sucessor de “Púrpura” (2018) revela uma nova faceta na carreira da cantora e compositora portenha, na qual ela amalgama sons eletrônicos à sua proposta de pop rock em uma dezena de canções. Ouça o disco.

ACRU – “D1SPARO”: Pela primeira vez, o rap chegou ao lendário Estadio Obras pelas mãos de Acru. O cantor iniciou a segunda parte de sua turnê nacional com dois shows esgotados e o acompanhamento de alguns colegas como Wos, Trueno e Klan. Dias antes da apresentação, Acru compartilhou “D1sparo”, uma faixa incendiária produzida por Veeyam e que saiu ao lado de um vídeo carregado de adrenalina dirigido por Tomas Curland.

EL MATÓ A UM POLICIA MOTORIZADO – “LA OTRA CIUDAD”: El Mató estreou “La Otra Ciudad”, canção composta para a reestreia de “Okupas” no Netflix. O single foi acompanhado por um vídeo estrelado por El Negro Pablo (Dante Mastropierro), o antagonista da minissérie dirigida por Bruno Stagnaro. E faz parte de “Unas Vacaciones Raras”, álbum da banda de La Plata que reúne todas as canções da trilha televisiva.

CAZZU – “SOBRE MI TUMBA”: A popular e polêmica série “El Reino”, da Netflix, não tem apenas um elenco de primeira: Diego Peretti, Mercedes Morán, Chino Darín, Nancy Dupláa, Joaquín Furriel e Peter Lanzani; mas também teve o luxo de ter Cazzu na trilha musical. “Sobre Mi Tumba” foi produzido por Nico Cotton e imediatamente se tornou um sucesso, como tudo que envolvia La Jefa del Trap.

WOS – “MIRÁ MAMÁ”: Wos apresentou “Mirá Mamá”, uma nova prévia do tão esperado sucessor de “Caravana” (2019). Ao contrário de “Que se Mejoren”, este single deixa de lado a força que caracteriza o rapper para abordar uma marca íntima e introspectiva que demonstra sua versatilidade. Despojado de glória, Valentín Oliva lida com o lado obscuro da fama com uma fragilidade eloqüente que vai até a medula.

HOMENAGEM À GILDA: 25 anos após sua morte será lançado em breve o álbum “Por Siempre Gilda”, no qual a lendária cantora de cumbia será homenageada por diferentes mulheres reinterpretando seu legado, sob a direção de Lito Vitale. Na véspera do lançamento, Chita, Feli Colina e Zoe Gotusso estrearam suas versões de algumas das canções mais emblemáticas da artista argentina.

MI AMIGO INVENCIBLE – “EN VIVO”: Mi Amigo Invencible publicou em três partes a sessão ao vivo que realizou em 2020 para o primeiro streaming de sua carreira, gravado no ND / Teatro de Buenos Aires. Em sua totalidade, o repertório de 13 canções mergulha em seu último álbum, “Dutsiland” (2019), e nos lançamentos que se seguiram. O hit “Máquina del Tiempo” também teve seu lugar neste álbum lançado pelo selo Devil in the Woods.

MARTÍN AMECONI – “ANIMACIONES SALVAJES”: Durante a pandemia, o músico e ilustrador Martín Ameconi aproveitou a impossibilidade de sair para tocar, dedicando-se ao desenho de uma série chamada “Animaciones Salvajes”. Nela encontramos como protagonistas figuras indispensáveis da música nacional como Charly García, Fito Páez, Fabiana Cantilo, Andrés Calamaro, Gustavo Cerati e Luis Alberto Spinetta.

ENRIQUE CHALAR (1959/2021): Entre tantas boas notícias tivemos que enfrentar a morte de Enrique Chalar, mais conhecido por seu pseudônimo Pil Trafa, aos 62 anos. Considerado um emblema do punk argentino após sua extensa carreira com Los Violadores, o vocalista continuou a encantar o público à frente da banda Pilsen. O trágico anúncio de sua partida suscitou as condolências de vários de seus colegas e inúmeros seguidores que sempre se lembrarão dele gritando “Um, dois, ultraviolento!”



BRASIL
por Marcelo Costa / do site Scream & Yell

Mais um mês de pandemia e poucas alegrias. O número de óbitos devido a Covid-19 segue caindo no Brasil (750 pessoas a média diária na última semana de agosto), o número de pessoas totalmente imunizadas continua subindo (30% de toda população brasileira no momento), o presidente Jair Bolsonaro segue criticando vacinas, uso de máscaras e, diariamente, criando polêmicas vazias ao mesmo tempo em que o cerco sobre sua família vai se fechando em torno de casos de corrupção. Não fossem amigos, família e arte, não sei o que seriamos de todos nós. Seguem alguns destaques culturais de agosto que nos fizeram sorrir e acreditar no futuro!

PAPANGU – “HOLOCENO”: De João Pessoa, na Paraíba, no Nordeste brasileiro, a banda Papangu lançou seu grandioso disco de estreia, “Holoceno”, exibindo um sludge metal semelhante aos momentos mais agressivos do Mastodon, com inserções que fazem jus à fase setentista do King Crimson e uma forte influência de zeuhl – mistura de rock progressivo, jazz e música clássica cunhada pelos franceses do Magma –, tudo isso com letras em português, elementos de literatura modernista do Nordeste e de ‘escatologia ecológica’ (o estudo das coisas que devem acontecer no final dos tempos, com ênfase no meio ambiente). Um assombro. No Scream & Yell, eles contaram detalhes da gênese deste álbum fundamental.

SONIDO SESSIONS: Partindo para o Norte brasileiro, agora na maravilhosa Belém do Pará, o importante Festival Sonido, dedicado à música instrumental e experimental, que acontece no tradicional Mercado Ver-O-Peso, produziu sessões especiais para TV e Web com artistas locais, shows e entrevistas. É só chegar no Youtube deles e, gratuitamente, mergulhar na música de artistas como Clube da Guitarrada, Mestre Curica, Strobo, Felix Robatto e Waldo Squash, entre outros. Material imperdível no youtube.com/user/serasgum

BETO SÓ – “PRA TODA SUPERQUADRA OUVIR”: Da capital federal, Brasília, Beto Só lançou seu disco manifesto “Pra Toda Superquadra Ouvir”, que reúne 12 versões (divididas em dois EPs) delicadas e bastante pessoais da safra indie rock brasileira dos anos 00. Em uma parceria do Selo Scream & Yell e da Senhor F Discos, o álbum foi disponibilizado para download gratuito no nosso site, com Beto Só comentando sobre a escolha de cada uma das 12 canções do trabalho. Um álbum importante que joga luz sobre uma década incrível da música brasileira.

BADI ASSAD – “CENSURA NA MÚSICA BRASILEIRA”: Em seu canal oficial no Youtube, a virtuosa violonista, cantora, malabarista vocal e compositora Badi Assad interpreta 10 canções que foram censuradas durante os tempos de Ditadura Militar no Brasil (1964/1985). Estão presentes clássicos de Chico Buarque e Gilberto Gil, Gonzaguinha, Sérgio Sampaio, João Bosco e Aldir Blanc, Milton Nascimento e Fernando Brant, entre outros, numa aula de boa música e História.

GUILHERME ARANTES – “A DESORDEM DOS TEMPLÁRIOS”: Artista e hitmaker do primeiro escalão da história do pop rock brasileiro, Guilherme Arantes lançou o álbum “A Desordem dos Templários”, disco com influências do rock progressivo e letras que criam pontes entre o passado e o presente ao abordar, como em sua faixa título, a história da humanidade através de suas guerras reais e mentais. Em uma extensa conversa com o Scream & Yell, Guilherme Arantes refletiu sobre o álbum, a criação de mitos na música brasileira, e esses tempos de ódio que estamos vivendo, lutando contra tudo isso com “afeto e compaixão”.

BONIFRATE – “CORISCO”: Da cidade de Paraty, no estado do Rio de Janeiro, Pedro Bonifrate apresenta “Corisco”, um disco lançado digitalmente e em vinil pelo selo estadunidense OAR, casa dos Boogarins e do duo Guaxe, formado por Bonifrate e Dinho Almeida. São 10 novas canções, algumas delas gestadas ainda no tempo em que Bonifrate estava à frente Supercordas (cultuada banda indie psicodélica brasileira), outras finalizadas na pandemia. No Scream & Yell, Bonifrate aprofundou cada um das 10 canções em uma faixa a faixa revelador.

GLAUBER ROCHA, 40: Este agosto marcou 40 anos da partida de um dos maiores cineastas brasileiros de todos os tempos, Glauber Rocha, que faleceu com apenas 42 anos de idade em 1981. Clinicamente, foi vítima de complicações decorrentes de sérios problemas pulmonares. Sua mãe, Dona Lúcia Rocha, porém, tinha uma opinião diferente: “Meu filho morreu de Brasil”. Nos Scream & Yell, relembramos sua trajetória e algumas de suas obras (com alguns filmes na integra!).

“DOUTOR GAMA”, DE JEFERSON DE: Ainda falando de cinema, agosto também viu a estreia nos cinemas (mas já em streaming) de “Doutor Gama”, longa-metragem do cineasta Jeferson De que leva às telas a inspiradora história do baiano Luiz Gama, vendido como escravo quando criança, mas que se tornaria um exímio advogado responsável pela libertação, nos tribunais, de mais de 500 escravizados. O jornalista João Paulo Barreto escreveu sobre o filme no Scream & Yell.

AGENDA TARSILA: A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo lançou o site Agenda Tarsila, um braço fundamental do projeto “Modernismo Hoje”, visando celebrar o legado da Semana de Arte Moderna de 1922. A iniciativa é um guia completo e dinâmico sobre o movimento que revolucionou a cultura do Brasil. Como curiosidade, em dezembro de 2020, o quadro “A Caipirinha” (1923), de Tarsila do Amaral, foi vendido por cerca de 11 milhões de dólares, valor mais alto pago por uma obra de arte brasileira em uma venda pública. Visite a Agenda Tarsila: https://agendatarsila.com.br/

“O SOM DE SÃO PAULO”, DE FABIANA CASO E TALITA HOFMANN: A independente Editora Terreno Estranho – que já publicou no Brasil livros de Lee Ranaldo, Jeff Tweedy e Nick Cave – lançou em agosto (em edição bilíngue, inglês / português) “O Som de São Paulo – 1967/1985”, da jornalista Fabiana Caso com arte de Talita Hoffmann, um livro que busca ser uma cartografia sonora da música na capital paulista, resgatando depoimentos de personagens dessas histórias sonoras, memórias visuais, os clubes, as lojas de discos e outros locais importantes, sem abrir mão da conexão com o presente, na medida em que estabelece pontes com as cenas musicais da atualidade. Um livro estrelado por Os Mutantes, Tom Zé, Itamar Assumpção, Gil e Caetano, Inocentes, Ratos de Porão e muitos outros. Obrigatório!



CHILE
pela Equipe do site POTQ Magazine

Fim de agosto e no Chile já estamos em fase de reabertura. Os shows começaram a ser realizados com medidas de segurança contra infecções por Covid-19, mas sabemos que não podemos confiar. Em todo caso, é uma esperança: voltamos a nos encontrar aos poucos, chega a primavera e novas músicas continuam a aparecer. O que mais podemos pedir depois de quase dois anos de incerteza? Aqui, nossas recomendações do mês, que incluem álbuns aguardados, experimentações e até homenagens a Alanis Morissette.

VAGO SAGRADO – “SPIRITUAL WAR”: O quarto álbum de Vago Sagrado chegará pela Hotel Records e para começar a nos preparar eles adiantam ‘Spiritual War’, um encontro entre krautrock, shoegaze e pós punk que abre caminho para o que será o sucessor do “Volume III”, lançado há dois anos. Inquietação em um tom gospel pagão, que alça no vazio com um rastro letárgico em contraste com a urgência de sobrevivência que o som emite, quase sete minutos que nos deixa na expectativa sobre o que será esse novo álbum de estúdio.

ROSARIO ALFONSO – “NEGACIÓN”: Sofres de amor? Rosario Alfonso tem a solução. A artista apresenta o videoclipe de seu single mais recente, “Negación”; uma peça de Luz Andrea Sierra que segue o imaginário dos anos 60 entregue na sonoridade. Uma série de amigos se reúne nesta festa ideal para compartilhar risos e saudades, transformando a contenda amigável na melhor forma de amenizar as tristezas do romance.

DINDI JANE – “MILAGROS”: Toada ideal para dias nublados. Dindi Jane compartilha “Milagros”, peça que, segundo contou em suas redes sociais, traz “o renascimento do meu projeto musical”. Longe do que ela já havia apresentado para nós, o single é construído a partir da acústica de um violão até a chegada de elementos que transformam a música em um sussurro envolvente. Imersiva e reflexiva, uma linha estética que nos deixa à espera de mais desta faceta. E isso não é tudo. Seu videoclipe é uma homenagem a uma das obras mais icônicas de Alanis Morissette.

MARTINA PETRIC – “RIGHT & WRONG”: Do Chile a Barcelona. Martina Petric lança seu primeiro single em 2021, “Right & Wrong”, uma produção pessoal com René Roco em que ela mais uma vez nos dá outras camadas de sua estética musical: uma canção que lembra os anos oitenta, com um refrão insistente que remonta aos finais de festa da época, quando a pista já testemunhara todas as nossas intensidades. “Meu coração está partido” foi a premissa para dar vida a este número que dói tanto quanto é apreciado e que surge acompanhado de um vídeo gravado justamente no dia em que Petric se mudou para Barcelona.

GEPE – “TU PIRATA SOY YO / BAGDAD”: Reversões para acompanhar – esperançosamente – a quarentena. Gepe inaugura uma ponte entre seu último álbum, “Ulyses”, e o novo álbum em que está trabalhando e anuncia uma série de covers que abre fogo com um clássico original de Chayanne e uma aposta com Rosalía. ‘Tu Pirata Soy Yo / Bagdad” são os singles escolhidos pelo chileno para nos apresentar esta aventura que vem com um clipe dirigido por Temet e Nadatalvez, no qual vemos o artista transformado em um personagem estranho que anda pelas ruas de Santiago. Atenção com “Bagdad” em sua versão andina.

BELENCHA – “BELENCHA”: Belencha não é apenas uma artista, ela é uma compiladora da nossa história sonora. E ela já havia nos dado pistas sobre a estreia de agosto: seu primeiro disco. ‘Pajarillo’, ‘Un Poquito de tu Amor’ e ‘Petronila’ com Camila Moreno serviram como singles para a experiência de seu primeiro álbum cheio, um cancioneiro que cheira a campo, mar e montanha, cheio de detalhes de produção e intenção que servem de mediadores entre a história do continente e os ouvintes modernos. “Este é o disco que me identifica com um repertório que vem crescendo há 12 anos; um caminho repleto de música que também se entrelaça com muitas pessoas que acrescentaram uma história, uma carta, uma melodia a esta obra”, conta no release para a imprensa.

JUAN DESORDENADO FEAT CHINI.JPG – “EL SOL”: Em agosto também conhecemos o primeiro single de “Visiones”, o álbum de estreia de Juan Desordenado, projeto solo de Juan Pablo Órdenes de Columpios al Suelo. Aqui, o rock foi colocado de lado para propor um trabalho mais próximo da ambiente music. “El Sol” nos cumprimenta em camadas, entre as quais Chini.png também aparece na voz. Juan Pablo explica que foi durante o confinamento que começou a gravar outros tipos de canções, mais pessoais e instantâneas. Como se os limites das paredes nos empurrassem para dentro. “Visiones” estará disponível no segundo semestre deste ano e sairá pelo Sello Fisura.

PÁJARO ARAYA – “DANZA”: Claudio “Pájaro” Araya dedicou toda a sua vida à música, fazendo parte do Congreso, Los Jaivas, Los Celestinos e Huara, entre outros, e atualmente integra os grupos Chico Trujillo, Bloque Depresivo e La Floripondio. Em 2007 publicou seu primeiro álbum solo – “Comparsa Huara” – e depois de mais de uma década retorna com outra proposta. Trata-se de “Danza”, um projeto que tem origem no seu trabalho como músico estagiário no Centro de Danza Espiral. Foi aí que se concentrou na improvisação, que é a essência deste novo álbum. “Danza” tem colaborações com Diego Ahumada, Aldo “Macha” Asenjo e também com a sua filha, Kinética. “É uma viagem do movimento, um salto no vazio, um território imprescindível a ser descoberto, onde se reflete um minimalismo típico da eletrônica e das bandas de carnavais da América do Sul”, diz Araya, sobre seu álbum. Dê um espaço aos sons eletroacústicos na sua playlist.

PRINCESA ALBA – “BESITOS, CUIDATE”: A Princesa Alba urbana foi encontrada morta. “besitos, cuidate”, na questão das letras, não oferece muito mais do que seus trabalhos anteriores nos deram, mas musicalmente é onde o crescimento da cantora é mais perceptível. Princesa Alba não precisa provar nada, mas com este álbum de estreia deixa claro que qualidade não é algo que faltará em suas canções. Atente-se a “pinky promise”, uma música que lembra o lado mais explosivo de Tyler nos últimos anos.

CAMILA MORENO – “REY”: Musicalmente, “Rey”, o último álbum da excelente cantora e compositora Camila Moreno, é como se a mais explosiva Björk se reunisse um dia para beber chá de coca com a não menos explosiva Grimes. Mas apesar dos elogios dessa comparação, a parte musical serve de complemento ao verdadeiro cerne do álbum: a letra. É difícil não ficar empolgado com “Rey”, e seria tolice não destacá-lo como um dos melhores discos não só do mês, mas provavelmente do ano, já que Camila Moreno acabou criando um trabalho que questiona sua sinceridade mais íntima. Como uma conversa significativa com um amigo que pensávamos conhecer e que do nada resinifica tudo com duas frases.



COLÔMBIA
por Fabián Páez López do site Shock.co

Agosto foi um mês importante para o esporte global graças ao fim dos Jogos Olímpicos e o início das Paraolimpíadas, ambos eventos realizados em Tóquio. Em ambas as competições, os atletas colombianos obtiveram um desempenho favorável que os tornou vencedores das medalhas de ouro, prata e bronze.

Em termos de shows presenciais, a reativação das apresentações ao vivo teve um impulso rápido: grandes palcos como o Movistar Arena em Bogotá ou o Estádio Atanasio Girardot em Medellín reabriram suas portas para shows musicais, enquanto teatros e discotecas em todo o país aumentaram o percentual de capacidade que permite uma melhor rentabilidade econômica para todos os envolvidos.

Porém, ainda assim, foi confirmado o adiamento para 2022 do grande Festival Estéreo Picnic, todavia o cartaz oficial do Jamming Festival foi revelado com a adição de Sean Paul, Enanitos Verdes, Molotov, Rata Blanca, Vilma Palma E Vampiros e Vicente García, entre outros. Este evento está programado para acontecer nos dias 19, 20 e 21 de março do próximo ano.

Também foi divulgada a lista completa dos colombianos classificados para a Batalla de los Gallos 2021, a competição de estilo livre mais popular da América Latina. Pela primeira vez, duas mulheres, Marithea e Pandora, participarão da final nacional que será transmitida via streaming no dia 11 de setembro a partir das 20h locais.

Os lançamentos locais estavam pegando fogo. Aqui estão nossas recomendações para agosto.

ENCARTA98 – “LO QUE EXTRAÑAS YA NO EXISTE”: Encarta98, um dos projetos alternativos mais originais do centro do país nos últimos anos, lançou seu tremendo álbum de estreia “Lo que extrañas ya no existe”. Uma longa duração que o convida a pensar no amor, no coração partido e na saúde mental.

KOMBA – “PANTHERA”: O produtor musical e MC Komba, integrante do coletivo de rap Vida Cruda, lançou seu primeiro álbum, “Panthera” em que revela sua personalidade animal. Seu nome artístico vem da língua indígena Muisca, onde ‘komba’ significa onça. “Panthera” combina trap, rap e dembow. Ouça aqui.

LA BATUCADA GUARICHA Y VELANDIA & LA TIGRA – “ARRECHAS”: La Batucada Guaricha é um grupo feminista de resistência e luta constante pelos direitos das mulheres. Fato importante: Guaricha é uma palavra chibcha que significa mulher jovem e sábia. Nessa música, que exibe uma genialidade lírica, destaca-se a força e a luta das mulheres colombianas.

FEID – “SI TÚ SUPIERAS”: Salomón Villada é o nome de nascimento do reggaetoneiro paisa Feid, um compositor e intérprete que conquistou seu lugar na elite do gênero. Este tema é um dos principais do álbum “INTER SHIBUYA – LA MAFIA”, onde concretiza a sua personalidade musical. Feid mostra que é apenas uma questão de tempo até que seu nome chegue aos palcos mais importantes da América Latina.

MOÜGLI Y CARLOS SADNESS – “ESPERA”: Moügli é uma dupla colombiana que se dedica a explorar sons que dançam entre o eletrônico e o nativo, cuja proposta nos cativou por fazer uma combinação perfeita entre os sons de nossa terra e uma eletrônica suave que nos obriga a mover os quadris. Neste single, que fala da ligação à distância entre as pessoas, estão acompanhados pelo cantor, compositor e artista catalão Carlos Sadness.

HA$LOPABLITO – “ROMA”: Ha$lopablito é um cantor de trap de Bogotá, Colômbia, que fala diretamente contra todos os esquemas estabelecidos, apoiado por samplers de funk, reggaeton e salsa. Sua sinceridade é quase uma paródia da rigidez da música pop. Esse single faz parte de seu EP “back to lo básico” e nele ele canta sobre a esperança do amor em um mundo que só oferece cagadas.

JUAN GALEANO – “EL CIELO ESTÁ CABRÓN”: Galeano é parte do cérebro do Diamante Eléctrico, banda que conquistou três prêmios Grammy Latino nas categorias de rock. Embora não tivesse planos de lançar músicas solo em 2021, sentiu a necessidade de publicar essa música em que fala sobre a morte de uma forma menos pessimista. “El Cielo Está Cabrón” surgiu quando Juan soube do assassinato do músico portenho Junior Jein e é uma homenagem a ele.

LIKA NOVA Y JULIANA VELÁSQUEZ – “UNA APUESTA”: A recomendação ao vivo do mês é da banda Lika Nova e da cantora Juliana Velásquez. Esta sessão foi gravada sem público em uma das áreas mais frequentadas da Movistar Arena, importante sala de concertos de Bogotá. Groove, dance e pop colombiano para relaxar.



CUBA
pela Equipe do site Magazine AM:PM

Agosto se pareceu muito com julho; Tem sido um mês difícil e, no interior da Ilha, tudo continua confuso. O aumento de casos e óbitos no país devido à COVID-19 continua, entre outros motivos, devido à gestão governamental insuficiente para fazer frente ao surto. Enquanto isso, o futuro incerto nos envia esperanças com a notícia de que nossas candidatas a vacinas Soberana 02 e Soberana Plus foram aprovadas. Por outro lado, a ressaca deixada pelos acontecimentos de 11J continua a permear o panorama social e político do país, debates frequentes na TV, momentos incômodos nas redes sociais e o recente anúncio do Decreto-Lei 35 das Telecomunicações, Tecnologias da Informação e Comunicação e o uso do Espectro Radioelétrico têm gerado divergências. Da mesma forma, a declaração do bolero como Patrimônio Cultural da Nação veio a nós como o orgulho de um bem cubano. Já era hora!

No cenário musical, agosto foi um dos mais fortes em termos de lançamentos. Vamos ver as recomendações.

CIMAFUNK FEAT GEORGE CLINTON“FUNK ASPIRIN”: Em meio a uma turnê pela Europa e Estados Unidos, Cimafunk não para de lançar músicas. Desta vez, ele nos traz uma das colaborações mais importantes de sua carreira, ao lado de George Clinton, o próprio Dr. Funkestein. “Funk Aspirin” é uma daquelas músicas que o faz mexer o corpo desde o primeiro minuto. O videoclipe saiu da mão de Felo Director, gravado de duas latitudes distintas que convergem em um único espaço de forma natural: o estúdio do padrinho do funk e o cenário de uma casa havana cheia de “pacientes” que, junto com Cimafunk, colocam para curtir todos aqueles que escutam. Um mix de música afro-cubana com o groove saboroso do funk mais tradicional.

EME ALFONSO Y YOVI LAGARZA – “BLACK HOLE”: “Black Hole” é o single mais recente de Eme Alfonso com o produtor e pianista Yoyi Lagarza. Entre o R&B e os efeitos eletrônicos experimentais, esta junção traz-nos a combinação de dois estilos, um mais melódico e doce, e outro mais rítmico. Aqui está o equilíbrio dos novos sons do jazz que coexistem em ambos os músicos. Uma sensação de calma abala seu espírito quando você a ouve. Ouça!

EL TAIGER – “LOS BRITÁNICOS”: Desde julho esperamos ansiosamente por este álbum. “Los Británicos”, novo fonograma de El Taiger, no qual combina em 18 canções seu som característico com o de seus artistas convidados. Entre eles: Kamel, Raúl Paz, Leoni Torres, El Micha e Damián, ex-parceiro na dupla Los Desiguales. Precisávamos dançar e com esse álbum já temos a festa montada em casa.

SILVIO RODRÍGUEZ – “ACERCA DE LOS PADRES”: Silvio Rodríguez, o mais reconhecido trovador cubano de todos os tempos, apresentou o single “Acerca de Los Padres” nas plataformas digitais. Isso fará parte da produção de seu disco “Silvio Rodríguez con Diákara”, gravado em 1991 e inédito até agora, com lançamento previsto para o próximo outono. Ouvir essa música nos mergulha em uma história tão triste quanto comum, naquele universo que conecta a educação e seus problemas com a vida das crianças e de seus pais. Ouça aqui.

YONGOLAILAN – “YEMAYA” Y “Ọ̀SUN”:YEMAYA- Double EP (Lado A) / Ọ̀SUN-Double EP (Lado B)” é uma produção de Yongolailan, a dupla de Rafael Rodriguez e Carlos José Martínez, que trabalham a música cubana a partir dos sons eletrônicos mais experimentais. Eles estavam andando muito parados nos últimos tempos, mas desta vez chegam mais fortes do que nunca.

DJ UNIC – “ATTENTION”: Dj Unic lançou “Attention”, seu novo álbum. Através de uma viagem por 16 canções, o produtor apresenta seus trabalhos mais recentes em colaboração com alguns dos mais importantes expoentes do gênero: Yomil & El Dany, Kimiko e Yordy, El Chacal, Jacob Forever, El Chulo, entre outros. A produção tem uma força tremenda e com certeza será um daqueles discos que serão ouvidos em todos os cantos de Havana.

LEONI TORRES Y SEPTETO ACAREY – “ES DEMASIADO TARDE”: Leoni Torres é um dos artistas cubanos mais populares nas redes sociais e plataformas digitais da atualidade. Este mês lançou uma colaboração com o Septeto Acarey, “Es demasiado tarde”, um som com uma daquelas cartas de amor que te fazem apaixonar e que ficam tão bem na voz do cantor e compositor. Poucos dias depois, chegou o videoclipe de seu single “Nunca te vayas”, gravado na cidade de Miami sob a direção do ator cubano Carlos Enríque Almirante.

ALAIN PÉREZ Y BEANGEL – “VENTE”: Alain Pérez sempre impressiona com sua criatividade sonora e sua habilidade de se mover em qualquer tipo de música. Desta vez o fez com a balada “Vente”, em colaboração com a dupla Beangel, formada por Beatriz César e Ángel Pututi. Uma música que contém uma mensagem de amor, do tipo que falta hoje em dia.

YOMIL – “DE CUBA SOY”: No final do mês, o reggaetoneiro Yomil anunciou o que, em suas palavras, seria “a mais importante criação de sua carreira como músico”. “De Cuba Soy” é a mensagem do artista depois dos acontecimentos de 11J. Pede, desde o seu característico estilo urbano, um futuro melhor para a Ilha, proclamando uma Cuba sem inimigos e sem contradições. O audiovisual, dirigido por Yimit Ramirez, apresenta alguns dos momentos vividos nos últimos anos, em que prevalecem as imagens do 11J, e também é possível ver os rostos de algumas personalidades da história e da cultura cubana cantando a canção, uma ação que já causou alguns controvérsia.

ROLY BERRIO – “MOSCAS DE FUEGO”: “Moscas de Fuego (El Concierto)” é o título do DVD do trovador Roly Berrío, gravado em um ambiente que ele conhece e o conhece bem: El Mejunje. A produção musical ficou nas mãos, nada mais nada menos, que Alain Pérez, que faz um dueto com Roly em uma das mais belas canções desse material: “Las soledades”. Este ao vivo é uma joia que te faz rir, gozar e até chorar. Conheça um pouco mais sobre ele na resenha que fizemos em nosso site.

Setembro. O que vem:
Quanto à música ao vivo, continuam os tours de músicos cubanos. Cimafunk pelos Estados Unidos, Alain Pérez pela Espanha e El Comité (Rodney Barreto, Rolando Luna, Carlos Sarduy, Irving Acao, Yaroldy Abreu e Gastón Joya) seguirão na França tocando em festivais de jazz.



ESPANHA
pela editoria dos sites Mundo Sonoro e Zona de Obras

Como de costume, agosto é um mês relaxado e tranquilo em lançamentos e novidades musicais e culturais. O verão dá destaque às festas, que já sabemos que não estão no seu melhor. Portanto, dentro da baixa atividade e aguardando a reativação em setembro, oferecemos a você uma seleção reduzida de músicas que nos marcaram durante o mês passado.

GRUPO DE EXPERTOS SOLYNIEVE – “EL PLEITO”: O Grupo de Expertos Solynieve formado por J, Manu Ferrón, Víctor Lapido, Antonio Lomas e Miguel López, estava fazendo falta. Mas o momento da volta veio com “El Pleito”, single que recria o seu lado mais pop e serve como adianto do EP que será lançado no final do outono espanhol. “Não vou fazer o que você manda, vou fazer tudo o que sai da minha alma, e isso é algo que não vou negociar”, J canta no que poderia ser definido como um hino rebelde que serve de manifesto para enfrentar os tempos que estamos vivendo. Ouça.

VIVA BELGRADO – “UN RELATO” / “REPEATER”: A banda cordovesa de screamo e pós-hardcore Viva Belgrado continua a expandir seu raio de ação. Após o sucesso de “Bellavista” (Aloud, 2020), em que espremeram várias possibilidades de sua paleta estilística, eles voltam com duas novidades. Primeiro, acabam de apresentar uma nova canção intensa e poética, “Un Relato“, que revela o momento atual do grupo e que pode muito bem antecipar o clima do próximo trabalho. E em segundo, o grupo participa de “Silence Is A Dangerous Sound”, um álbum duplo (com renda revertida a caridade) com 43 faixas que homenageia o Fugazi e que será publicado pela editora escocesa Ripcord Records com artistas de todo o mundo, desde La Dispute a Jonah Matranga, passando por Authority Zero e Tsunami Bomb. A participação dos espanhóis já pode ser ouvida. Eles ficaram encarregados de tocar o clássico “Repeater”, de Ian Mackaye.

CAROLINA DURANTE – “10”: Carolina Durante surpreende (mais uma vez) com “10“, uma declaração de amor a Lionel Messi tanto quanto uma homenagem à fidelidade do fã para com um jogador – cada vez menos usual, mas ainda possível nesta altura da vida: “Vou continuar comemorando seus gols em outro time / Não vou te esquecer, nunca vou te esquecer”, diz a música.

NIÑA POLACA – “NORA”: A banda Niãa Polaca (Madrid/Alicante) lançou “Nora”, o quarto single daquele que será seu primeiro álbum, “Asumiré la muerte de Mufasa”, a ser lançado no dia 24 de setembro. “Nora” apresenta mais uma face do grupo que conhecemos com “Joaquin Phoenix” e “Magaluf“, junto a Ginebras – o que não surpreende, considerando que Sandra, da Ginebras, também faz parte da Niña Polaca. Guitarras sujas, melodias cativantes e acima de tudo a vontade de contagiar novos públicos. Em setembro, eles voltam à estrada com compromissos em várias partes da Espanha.

VETUSTA MORLA – “REINA DE LAS TRENCHERAS”: Vetusta Morla dá um salto para a telona para compor a sua primeira trilha sonora. Trata-se do filme “La Hija”, dirigido por Manuel Martín Cuenca e estrelado por Javier Gutiérrez e Patricia López Arnaiz, que chegará aos cinemas no dia 26 de novembro. A banda madrilena fica a cargo da trilha do longa-metragem e também da canção original, “Reina de Las Trencheras”, a primeira que o grupo escreveu exclusivamente para um filme.

SPINDA RECORDS – “GRADOS, MINUTOS Y SEGUNDOS”: Atrás do nome “Grados, minutos y segundos” encontramos uma iniciativa da editora alternativa Spinda Records que visa dar a conhecer o que há de mais sólido na cena underground espanhola no que diz respeito ao rock. Embora possa ser ouvido na íntegra em streaming, “Grados, minutos e segundos” está disponível também em vinil de sete polegadas e apresenta um total de vinte e quatro grupos espanhóis que se movem entre post-hardcore, psicodelia, hard rock, rock experimental e outros gêneros relacionados. Conheceremos bandas como CRÓ!, Habitar la Mar, The Soulbreaker Company, Atavismo, Adrift, Santo Rostro, The Dry Mouths, Acid Mess, Saturna, Kabbalah e muitos outros. Conheça o projeto aqui.



MÉXICO
por Anali Rodriguez do site Indie Rocks!

Agosto foi um mês caótico em muitos sentidos. As pessoas continuam a aproveitar as férias de verão, o número de infecções por COVID-19 aumentaram alcançando o maior pico no México e um semáforo vermelho-laranja confuso nos manteve “em alerta” por várias semanas. Infelizmente, a essa falta de controle também se juntou a chegada dos furacões Grace e Nora, que devastaram grande parte da República Mexicana. As chuvas não pararam em todo o país e, tragicamente, as catástrofes deixaram centenas de pessoas numa situação difícil: casas inundadas, perda de colheitas e empregos. A mãe natureza nos golpeia, mas precisamos dizer a verdade: quem a golpeou primeiro?

Gostaria de dizer que nem tudo são más notícias, mas a porcentagem desses momentos ruins é alta. Se podemos destacar algo bom de agosto é a quantidade de lançamentos que animaram este oitavo mês entre suas notas loucas e nostálgicas

DILES QUE NO ME MATEN – “LA VIDA DE ALGUIEN MÁS”: Como uma forma de refletir sobre o medo surgiu “La Vida de Alguien Más”, o novo single do grupo Diles Que No Me Maten, que fará parte de seu próximo álbum de estúdio. Como explica Jonás, o líder da banda, o single “é uma reflexão sobre querer estar próximo do medo, de chegar perto dele. Sobre responsabilidade afetiva e s necessidade de estar presente na própria vida. Compromisso consigo mesmo e com os outros”. A canção publicada pela Discos Hypnosis é construída por uma eloquente combinação de percussão e um baixo latente.

CLUBZ – “ESTADIO ESTUDIO”: Com uma feeling super suave para as notas de saxofone chega “Estadio Estudio”, uma música pop descontraída que o fará viajar direto para os anos 70. Para esta melodia, Clubz se aventurou em um novo processo de produção alcançando um resultado caloroso e vintage que você não se cansará de escutar.

LAS VISIONES – “CRUCIFIJO”: O trio pysch kraut tapatío Las Visiones estreia com o single “Crucifijo”, uma faixa de 11 minutos cheia de guitarras distorcidas que vão te impressionar desde o momento em que você tocá-la. As sequências são tecidas juntas, oferecendo muito frenesi hipnótico e com uma força stoner incrível: “A música ideal para fechar os shows”.

PAHUA Y LA DAME BLANCHE – “LA TRAMPA”: Uma fusão de hip hop e trap chega das mãos de Pahua e La Dame Blanche em “La Trampa”, o novo single que fará parte do próximo EP da cantora mexicana; uma música para refletir sobre como podemos ser duros com nós mesmos. Devemos aprender a reconhecer tudo o que queremos fazer e executá-lo sem medo de nada!

PALMA CARPETS – “SUMMERTIME”: Com o interesse sempre focado na melancolia chega a nova música da banda mexicana Palma Carpets. “Summertime” convida você a refletir sobre os tempos difíceis, a ideia de cura e começar do zero. Às vezes é necessário fazer esse parêntese na vida e a música deste jovem grupo mexicano pode te ajudar com isso.

MYUNÉ – ¿DÓNDE ESTÁ EL VERANO?”: O videoclipe de “¿Dónde está el verano?”, novo single de Myuné, surgiu inspirado na fase quarto minguante. A artista de Tijuana convocou César Galileo para dirigir essa filmagem em que ela invoca a luz e a dança da chuva. “O chamado que faço para a marcha é para meus dois seres, meu eu passado e meu eu futuro”, explica.

CELEST – “LEJOS DE MI”: Celest lançou recentemente “Lejos de Mi”, uma melodia que, como o título (Longe de Mim) adianta, enfatiza que é possível deixar ir. Sabemos que as despedidas não são fáceis, mas com a linguagem da música tudo fica mais fácil. Jude Daniel Chacon foi o encarregado de dirigir as filmagens que acompanham este lançamento em que um astronauta é visto vagando à beira de uma rodovia e em uma cidade próxima.

SGT. PAPERS – “SANDWICH DE MONDA”: Muito surf de garagem marca o novo single de Sgt. Papers, de Hermosillo, Sonora, na companhia de um videoclipe feito por Hermann Neudert que retrata em “Sandwich de Monda“, a fuga de algumas garotas que carregam uma pasta e precisam confrontar outro grupo de pessoas para escapar. Essa história fica muito interessante no final.

DEBORAH MEDREZ – “QUIERO”: Deborah Medrez é uma artista versátil e em sua proposta musical podemos encontrar do folk psicodélico à eletro cumbia, como é o caso de seu single mais recente “Quiero”. A cantora apresenta, em colaboração com César Padilla, uma filmagem colorida em que observa uma sereia a passar os dias na banheira.

MR. SHHH – “ANTHOLOGY OF MIND”: Após um longo tempo de improvisação, Antonio Castillo e Pablo Delgado conseguiram compilar todos os seus trabalhos em um interessante projeto musical intitulado Mr. Shhh. A dupla conseguiu fazer seu álbum de estreia exalar frescor ao ritmo de texturas próximas ao dream pop, eletrônico e jazz. A banda define este trabalho como “um álbum divertido, algo que muda constantemente, como uma boa antologia.” Você está pronto para ouvi-lo?

FEDERICO RUBLI Y GRACIELA ITURBIDE – “YO ESTUVE EN AVÁNDARO”: Neste 2021 comemora-se 50 anos do evento cultural que marcou um antes e um depois para o rock mexicano. O Festival Avándaro foi realizado em setembro de 1971 e reuniu milhares de jovens para celebrar a liberdade ao ritmo da música. Cinco décadas após o evento, a Trilce Ediciones compartilha a reedição de “Yo Estuve en Avándaro”, livro que conta com a escrita de Federico Rubli, (economista e fã de encontros musicais) e as fotografias de Graciela Iturbide. O manuscrito é apresentado pela editora mexicana junto com Hipnosis.



PERU
pela equipe do site Rock Achorao

Setembro chega com ares de juventude, vitalidade e muita produtividade. O trabalho artístico ainda está intacto e cada vez mais perto do fim do túnel. O renascimento cultural é iminente. E para musicalizar este momento agradável de passagem, aqui estão os novos lançamentos peruanos que não podemos deixar passar.

VILCHEZ HUAMÁN – “REDES”: Um artista imparável na hora de criar. “Redes” é a primeira prévia oficial de ‘Baila o Muere’, seu terceiro álbum. O trabalho do músico experiente é um apelo à reflexão sobre as redes sociais e a utilização que lhes damos, sobre as suas vantagens e desvantagens e a exposição ao mundo virtual em que vivemos. Possivelmente uma de suas melhores produções dentro de sua carreira solo.

NAÏA VALDEZ x A.C.O x K.MALEON – “PULSIONES”: Um baú musical de surpresas resultou nesta canção. “Pulsiones” é considerada uma das colaborações mais esperadas no cenário peruano pela união de artistas com maior projeção internacional nos últimos anos. A aliança entre A.C.O, Naïa Valdez e K.maleon fez maravilhas, demonstrando a versatilidade e boa definição em sua obra musical.

NICOLÁS DUARTE X AUDRY FUNK – “QUE VUELVAN”: Uma peça musical que reafirma um compromisso atual com a experimentação. O roqueiro Nicolás Duarte se junta à cantora mexicana Audry Funk em sua primeira incursão à salsa com hip-hop, sendo um claro protesto contra a impunidade dos crimes contra a humanidade que transcendem fronteiras e na América Latina.

MAYLO – “LA SUBE”: Com essa faixa, Maylo nos traz à tona, literalmente. Nessa música, ele toca e flerta com o funk e exibe várias influências dos anos 90 que deram o tom de sua carreira. O rumo que o artista peruano está guiando sua carreira é bem legal. Dê play em seus outros singles e converta-se.

TONY SUCCAR X YX X KENYI – “WORST WAY”: ¡Bien Tony, bien! A música peruana há muito precisa de uma figura que reforce o nexo entre a audácia e a criatividade da música independente e a massa do mainstream; Tony fez a sua parte ao propor uma série de novas formas de fundir a salsa com os ritmos do movimento urbano. Esta canção é um amálgama de pop / trap / salsa que contribui para levar a música latina para um próximo nível.

THE FAMOUS CRIMINALS – “SUPER FLY”: Se tivéssemos que fazer uma contagem das bandas mais importantes do cenário atual de Huanca, The Famous Criminals estariam presentes. Com alguns anos de experiência, eles foram mudando de single a single, até que nos deparamos com “Super Fly”, um poderoso combo de rock que nos lembra o melhor som dos anos setenta, mas tocado no vale de Mantaro. Confira o genial videoclipe.

LOS OUTSAIDERS – “TIEMPOS DE BRONCE”: O terceiro álbum de Los Outsaiders agora é uma realidade! “Tiempos de bronce” reflete o desejo de alcançar novos sons e ideais para a banda, pois garante que o melhor momento é aquele que está por vir. Um álbum de 11 faixas com canções que passam pelo pop, rock e novos ares que demonstram sua inegável maturidade musical. Além disso, foi gravado e produzido em Nova York pelo vencedor do Grammy Rudy Pagliuca, por isso é altamente recomendado.

NIA VANIE – “CALATA”: No final de agosto, recebemos o impecável EP de Nia Vanie, uma talentosa cantora-compositora que se propõe a nos mostrar a profundidade de sua identidade sonora, cheia de sinceridade e calma. Ele contém cinco canções promovidas com uma minissérie na web em cinco partes de experiências sensoriais que você não deve perder.

INFILTRADOS EN MARTE – “HOLTZ”: O norte peruano marca presença com o álbum de estreia da banda chiclayana Infiltrados en Marte. “Holtz” é uma compilação de quatro faixas que reúnem histórias de amor, esperança e muita juventude sobre um exercício de indie pop que é bastante sonhador, fresco e por vezes ousado. É, portanto, uma boa fotografia da cremosa cena do norte. Ouça aqui.

O que vem em setembro
– O aclamado Festival Internacional de Cajon e Percussão “Rafael Santa Cruz” celebrará sua décima quarta edição em um evento especial para o Bicentenário da Independência do Peru, com artistas do país e da região. Confira a programação completa em www.cajonfestival.pe.

– Rock Achorao ‘completa 9 anos no ar em meio a um contexto complicado, mas a paixão permanece intacta. Anunciaremos novidades em breve.



URUGUAI
por Kristel Latecki do site PiiiLA

Em agosto, a pandemia nos deu uma pausa. Os casos continuam diminuindo graças à vacinação, que também reiniciou sua campanha para reforçar milhares de pessoas com uma terceira dose. É por isso que a agenda cultural quase voltou ao normal, no que diz respeito às opções e variedade. A capacidade continua limitada, mas foi possível curtir a arte e se animar – sem que ninguém percebesse graças às máscaras.

A famosa Noite da Nostalgia, que acontece no dia 24 de agosto antes do feriado nacional uruguaio que comemora a Declaração da Independência, voltou com rígidos protocolos após a suspensão forçada no ano passado. Vacinados e sob supervisão, havia pessoas com saudades de casa que conseguiram dançar pela primeira vez em meses.

E como sempre, a oferta musical tem sido ampla e marcante. Aqui recomendamos alguns:

MIRANDA DÍAZ – “NOSOTROS DOS”: Entre as melhores estreias deste 2021, sem dúvida, encontraremos “Nosotros Dos”, de Miranda Díaz. Com apenas 17 anos ela mandou um grande álbum, feito ao lado do produtor e MC Mili Milanss (que também merece destaque pelo excelente trabalho), com as feridas do amor e a complexidade das relações como fio condutor. Laços complicados, rupturas, toxicidade e violência de gênero são apenas alguns dos temas abordados em canções que combinam R&B e pop com momentos do hip hop, às vezes nas vozes de convidados como Gula, Gavo, Zeballos e Mili Milanss.

“SOLO EN BUSCA DE UN LUGAR: HOMENAJE A LOS ESTÓMAGOS”: A cidade de Pando –localizada a 33 kms da capital– é chamada de “berço do rock” por vários motivos, mas um dos mais importantes é por ter sido o berço de Los Estómagos, uma das bandas mais importantes e icônicas do rock uruguaio pós ditadura. Este mês o seu legado foi celebrado com várias homenagens: placas comemorativas, uma exposição fotográfica e um álbum tributo. Intitulada “Solo en busca de un lugar: Homenaje a Los Estómagos”, esta compilação reuniu artistas uruguaios e regionais para reimaginar canções que carregam um enorme legado: Attaque 77, Hugo Fattoruso e Albana Barrocas, Niña Lobo, Boom Boom Kid e Pirexia, La Vela Puerca e La Tabaré são apenas alguns dos artistas presentes.

DAVUS – “SWAG VISION VOL. 1”: Se este ano fosse uma onda, o cantor de trap Davus teria a surfado com calma. Após seu quinto álbum “Meta Catanga” (2021) e alguns singles, em agosto ele lançou uma nova mixtape: “Swag Vision Vol. 1”, outro trabalho em que mostra seu trap de exportação com batidas excelentes (às vezes mais fortes, às vezes mais pops e suaves), sua própria gíria digital e piscadelas ultra uruguaias. Contrastando o luxo com o humor da realidade, a popularidade da Internet e o romance, ele se mantém como um letrista divertido e espirituoso.

BOLSA DE NYLON – “CANCIÓN”: Bolsa de Nylon é uma ramificação do Árbol é um sexteto difícil de definir. Eles combinam jazz experimental, música de câmara, um pouco de candombe e rock alternativo em formato de canção; instrumental, embora às vezes com vozes. Desta vez, eles podem ser ouvidos em um EP de três faixas intitulado “Canción”, com releituras de obras alheias: “Bandera amarilla”, de Fernando Cabrera, que também participa da versão; “Cairel”, de Mati Mormandi, com voz convidada de Lola Membrillo (Perotá Chingó) e “La fantástica aventura”, de Takeshi Ike / Yuriko Mori, mais conhecida como a abertura de Dragon Ball. Eclético e divertido. Ouça aqui.

ELENA CIAVAGLIA – “MILONGA CHICA”: Um dos nomes que muito recentemente integrou o Bolsa de Nylon é Elena Ciavaglia, que também lançou um novo single neste mês, após seu segundo álbum “Ruta del Aire” (2020). Caracterizada por combinar a música popular com a acadêmica e o jazz, em “Milonga Chica” ela aposta mais na tradição uruguaia, embora renovada e coberta desde uma perspectiva contemporânea graças a uma distorção com slide, e um refrão mais pop.

MAXI NATHAN – “MIEL”: O músico Maxi Nathan fez do vibrafone sua especialização. Tocou com a Filarmônica de Montevidéu e a Orquestra Sinfônica de Sodré, bem como em grupos de jazz e especialmente com seu irmão, o violinista Federico Nathan. Mas agora ele pode ser ouvido com sua própria música e com um próximo álbum em andamento. “Miel” é a primeira prévia de “Si me voy a dormir”, e é um tema evocativo que corre em círculos em diferentes momentos e ritmos. Alternando entre vibrafone, glockenspiel, teclado e piano, o músico oferece uma pequena amostra de seu talento.

MIEL – “38 ESTRELLAS”: A rapper Miel apresentou outra bela faixa nova. “38 Estrellas”, sua segunda colaboração com o produtor argentino Aoiii, mais os coros da também portenha Mimi Lagarto e Ben Michaels no violino. Com uma batida sutil e melodias etéreas, acompanhamos os versos evocativos de Miel, que transportam de sua boca ao verde de um parque, a uma pequena homenagem a Plef, um artista assassinado em 2019. Ela define melhor a canção: “’38 estrelas’ é um abraço doce, uma sucessão de rituais diários. A magia de transformar a dor em algo mais”. Calor e sentimentos à flor da pele.

BELÉN CUTURI – “IMPORTA”: Por falar em sutileza e beleza, neste mês, “Importa”, o single mais recente de Belén Cuturi, também se destacou. Há três anos radicada no México, a artista convocou Loli Molina e Papina de Palma para dar voz a um tema que celebra os momentos do cotidiano e a importância dos gestos dados como certos. Belén está preparando seu terceiro álbum com Tó Brandileone e Eduardo Cabra.

PAUL HIGGS Y FONSO – “PESCA NOTURNA”: As colaborações continuam, e neste mês o inesgotável Paul Higgs ofereceu “Pesca Nocturna”, uma nova canção com o argentino Fonso. É uma espécie de bolero cadenciado com ar vintage, que nas palavras do seu autor se caracteriza pela “moderação”, versus o “funk esquizofrénico felino” que o caracteriza. Será mais silencioso e moderado, mas não é por isso que é menos cativante e menos Higgs.

PAULA GO – “LA DUDA”: Com “La Duda”, a cantora e compositora Paula Go mostra um novo caminho que a levará ao seu próximo EP. Com uma excelente produção de Luis Angelero (destaque no mês passado para o lançamento de seu primeiro álbum, “Lejos”), Paula vagueia entre uma musicalidade que poderia ser definida como pop-trap sobre melodias doces e expressivas. O single é acompanhado por um belo vídeo dirigido por Pedro Duarte e Camila Rodríguez (Niña Lobo).

LEIA OS PANORAMAS ANTERIORES DA FARO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.