Boteco: McEwan’s Export e Young’s London Ale

export1.jpg

por Marcelo Costa

William McEwan abriu a Fountain Brewery em Edimburgo, 1856, e a cervejaria passou por diversas fusões, a mais marcante com a Scottish & Newcastle, que negligenciou o sucesso escocês de um século dos rótulos da McEwan para se concentrar em suas marcas globais. O cenário só mudou após 2008, quando a Scottish & Newcastle foi adquirida pela Heineken e, numa reestruturação, passou os rótulos da McEwan para a Wells & Youngs, em 2011, que começou um processo cuidadoso de restabelecimento da marca. A McEwan’s Export Ale é a terceira cerveja premium mais vendida no Reino Unido, e soma 83% do mercado de cerveja premium na Escócia. E é uma tradicionalíssima bitter britânica, de coloração âmbar e espuma de média formação e permanência. No aroma, as notas derivadas de malte tostada não se desprendem com facilidade, mas, com persistência, é possível sentir sugestão de caramelo e mel. O paladar é mais interessante, com o lúpulo mais presente, ainda que o amargor seja baixo e o destaque da McEwan’s Export Ale seja o dulçor maltado de caramelo. O final é seco e levemente maltado (com o tostado do malte marcado mais presença aqui do que em todo o trajeto anterior) enquanto o retrogosto reforça a suave sugestão de caramelo.

london.jpg

Já a Young’s Special London Ale se coloca ao lado dos melhores rótulos da Wells & Youngs, uma English Strong Ale que arranca sorrisos de cervejeiros experientes. A receita une malte Maris Otter e Cristal com lúpulos Fuggle e Golding para amargor mais Golding e Target no dry-hopping, que valoriza o aroma num conjunto caprichado que busca manter o caráter vivo da cerveja (tanto que ela não passa pelo processo de pasteurização), que continua maturando na garrafa. De coloração entre o alaranjado e o âmbar, a Young’s Special London Ale apresenta um creme branco com feixes laranja de ótima formação e permanência. No aroma, sensacional para uma cerveja inglesa, o característico toque maltado que remete a caramelo e uma leve acidez proveniente do lúpulo, que sugere especiarias, notas florais, herbais (pinho) e cítricas (casca de laranja). No paladar de corpo levíssimo e textura frisante, um equilíbrio majestoso entre o poder do dulçor do malte caramelado e o contra-ataque ácido, cítrico e herbal dos lúpulos, resultado num conjunto que pende ao frutado (pera) com toques de mel. O final traz um pouco da pera sugestionada pelas papilas mais um leve toque de resina enquanto o retrogosto traz um toque frisante junto ao caramelado de malte e um delicioso frutado cítrico. Clap clap clap.

youngs2.jpg

Balanço
Não deixe se impressionar pelos números que apontam o domínio da McEwan’s Export Ale no mercado escocês: de todas as bitters que já provei, essa é a mais pálida, com o malte tostado em presença quase imperceptível no conjunto. Talvez surpreenda no barril, mas a título de se aprofundar no mercado tradicional britânico, há dezenas de rótulos mais interessantes (muitos deles disponíveis no Brasil a bons preços). Já a Young’s Special London Ale é uma surpresa arrebatora. É daquele tipo de cerveja que você lamenta não ter um estoque em casa para apreciar com calma. Das cervejas claras inglesas, a Young’s Special London Ale pula à frente das concorrentes e é, desde já, minha cerveja clara inglesa predileta. Procure. Vale a pena. Sem contar que a luva que abraça o gargalo da garrafa avisa: ela é perfeita com presunto curado e salmão defumado. Aproveitando, o catálogo da Wells & Youngs merece uma apreciação cuidadosa por dois motivos: há cervejas muito boas ali, e os preços são excelentes, entre R$ 9 e R$ 15 a garrafa de 500 ml (incluindo as duas acima). Além da a Young’s Special London Ale, vale ir atrás da Young’s Double Chocolate Stout, da Wells Banana Bread Beer, da Wells Bombardier e da Wells Waggle Dance Beer, uma boa introdução à escola cervejeira britânica.

McEwan’s Export Ale
– Produto: Bitter
– Nacionalidade: Escócia
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 2,47/5

Dogfish Head Etrusca Bronze
– Produto: English Strong Ale
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 6,5%
– Nota: 3,86/5

cweans.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.