Constellation, de Salim Nourallah

Por Adriano Mello Costa

Na música, assim como na vida, vez ou outra somos surpreendidos por pequenas coisas que aliviam o stress e a pressão do dia a dia e nos fazem dar uma acalmada, uma revigorada para poder seguir em frente. Entre essas pequenas coisas, acontece de chegar em casa cansado do trabalho ou o que for, sacar algum disco para o player e ver as canções ali contidas, acabarem por transformar o espírito atual, produzindo bons momentos.

O mais recente trabalho incluído nessa categoria, que já tem alguns inseridos pela casa no decorrer dos anos é o quarto disco do cantor e compositor Salim Nourallah, “Constellation”. Salim é um músico americano vindo de Dallas, no Texas, que já participou de diversos projetos ao longo do tempo, como o “Nourallah Brothers”, feito com o irmão Faris Nourallah ou a banda Happiness Factor, indo do alt-country ao powerpop.

Desde 2003 segue carreira solo e chega nesse “Constellation” a um nível de qualidade bem grande. O trabalho que traz uma das capas mais bonitas do ano até agora, contou com a produção do também compositor e cantor Bill Harvey, saindo pelo selo Tapate Records. Salim Nourallah conta com a ajuda de outros músicos nos instrumentos, se sobressaindo dentro do contexto geral, como na faixa de abertura “Endless Dream Days”.

A sua música encontra paralelos no trabalho de artistas como Wilco, Josh Rouse, American Music Club e Elvis Costello, para ficar só em alguns. São treze faixas espalhadas por 46 minutos que versam sobre o amor, pequenos casos do cotidiano e alguns outros imaginários, nada que seja sublime demais, mas que tem um encantamento próprio, vide “Stranger In My Own Skin” e “The Man Who Learned To Love”.

Além disso, “Constellation” traz momentos realmente brilhantes como “Western Hills”, o vigor pop de “Pictures Collected”, o pequeno rock de “It´s Not Enough” ou a balada e os vocais de “Love Is All Around”. Disquinho altamente recomendável para acalmar um dia ruim, ser repassado para os amigos, entrar com algumas canções nas coletâneas pessoais e ser tocado sem maiores programações, caindo bem em todos os instantes.

Site Oficial: http://www.salimnourallah.com
My Space: http://www.myspace.com/salim

*******

Adriano Mello Costa assina o blog Coisa Pop

4 thoughts on “Constellation, de Salim Nourallah

  1. “assim como na vida, vez ou outra somos surpreendidos por pequenas coisas…”

    Ninguém se cansa desse discursinho fajuto e batido em toda vez que precisa apresentar um disco/banda nova ?

    São resenhas do tipo que tendem a representar aquele lance do “Apesar da efemeridade da música contemporânea, certas coisas hoje em dia ainda conseguem nos surpreender e marcar e BLÁBLÁBLÁ”

    Putaquepariu, mais CRIATIVIDADE S&Y !!!!!! Vocês podem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.