APCA elege os melhores de 2020 em 10 categorias

Em assembleia em formato virtual inédito que reuniu os críticos na noite da segunda-feira, 18 de janeiro de 2021, a APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes – escolheu os melhores de 2020 nas seguintes categorias: Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Música Popular, Rádio, Teatro, Teatro Infanto-Juvenil e Televisão.

Neste ano, marcado pelos impactos da pandemia da Covid19 em todos os setores da sociedade e em especial nas atividades artísticas, as áreas optaram pela realização de uma premiação com menos categorias, em caráter de excepcionalidade.

Celso Curi, presidente da APCA, afirma: “Em 2020, as artes enfrentaram a pior de suas crises estruturais dos últimos tempos: política e de saúde pública. A união de nossos artistas provou mais uma vez que juntos somos mais fortes e que sempre sairemos vencedores. Tudo isso acabou oferecendo aos críticos da APCA um outro olhar para a produção artística, agora com o território ampliado pela virtualidade.”

Na categoria Música Popular, que já havia revelado seus indicados no mês de dezembro além de uma lista com os 50 melhores discos de 2020, os vencedores foram Teresa Cristina, que havia sido eleita Melhor Cantora em 2010 pela APCA, Caetano Veloso, que ganhou o Prêmio APCA pela 9ª vez (ele já havia sido premiado em 1972 pelo álbum “Transa”, em 1980 pela música “Nosso Estranho Amor”, em 1984 pelo disco “Velô”, em 1987 pelo disco “Caetano” – Grande Prêmio da Crítica e Melhor Disco, em 1989 pelo disco “Estrangeiro”, em 1992 pelo disco, show e tour “Circuladô Ao Vivo” e em 2006 pelo disco “Cê”), Jup do Bairro e Kiko Dinucci (confira todos os detalhes abaixo)

A cerimônia e formato de entrega a todos os artistas contemplados neste Prêmio APCA, a 64ª. Premiação da entidade, serão definidos e divulgados em breve.

ARQUITETURA
– Obra de Arquitetura: Estação Antártica Comandante Ferraz, do Estúdio 41
– Fronteiras da Arquitetura: Marcha a Ré, de Nuno Ramos e Teatro da Vertigem
– Urbanidade: Padre Júlio Lancellotti

Votaram: Abilio Guerra, Fernando Serapião, Francesco Perrotta-Bosch, Gabriel Kogan, Guilherme Wisnik, Luiz Recaman, Maria Isabel Villac, Mônica Junqueira de Camargo, Nadia Somekh, Renato Anelli.

ARTES VISUAIS
– Exposição Internacional: Egito Antigo no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil)
– Atividade Cultural: IAC – Instituto de Arte Contemporânea que, ao comemorar 20 anos de excepcional atuação, inaugurou sua nova sede
– Arte/Tecnologia: MIS Experience com a mostra Leonardo Da Vinci – 500 Anos de um Gênio

Votaram: Antonio Zago, Bob Sousa, Dalva Abrantes, José Henrique Fabre Rolim, João J. Spinelli, Silvia Balady e Ricardo Nicola.

CINEMA
– “M8 – Quando a Morte Socorre a Vida”, de Jeferson De
– “Sertânia”, de Geraldo Sarno
– “Sete Dias em Maio”, de Affonso Uchoa

Votaram: Flávia Guerra, Orlando Margarido e Walter Cezar Addeo

DANÇA
– Criação: “Silêncio”, vídeo performance de Eduardo Fukushima e Sérgio Roizenblit
– Difusão: Programação de Dança do FarOFFa – Circuito Paralelo de Artes de São Paulo, e do FarOFFa no sofá
– Ação de Formação: Ayodele Balé, escola de formação em danças preferencialmente para pessoas negras e as não negras de baixa renda
– Ação de Sustentabilidade: Senadora Benedita da Silva e Deputada Federal Jandira Fegalli, pelo trabalho em prol da elaboração, votação e regulamentação da Lei Aldir Blanc, garantindo condições emergenciais de sustentabilidade para a cadeia produtiva da dança
– Prêmio Especial: 80 Anos da EDASP – Escola de Dança de São Paulo

Votaram: Cássia Navas, Henrique Rochelle, Iara Biderman e Yaskara Manzini

LITERATURA
– Trabalho Editorial: Gita Guinsburg, pelas realizações à frente da Editora Perspectiva – refletindo a resistência de todas as editoras no contexto da pandemia.
– Difusão da Literatura Brasileira: Bel Santos Mayer, pela propagação de literatura brasileira contemporânea — e mediação de leituras — durante a pandemia, valendo-se de meios aplicados a propostas de isolamento social.
– Difusão da Literatura Brasileira: Nara Vidal, pela revista digital Capitolina Books, que difunde literatura brasileira — on-line, bilíngue (português / inglês) e gratuita — no exterior.

Votaram: Amilton Pinheiro, Felipe Franco Munhoz, Gabriel Kwak e Ubiratan Brasil

MÚSICA POPULAR
– Artista do Ano: Teresa Cristina
– Artista Revelação: Jup do Bairro – pelo EP “Corpo sem Juízo”
– Melhor Live: Caetano Veloso
– Melhor Disco: “Rastilho”, Kiko Dinucci

Votaram: Adriana de Barros, Alexandre Matias, José Norberto Flesch, Marcelo Costa, Pedro Antunes e Roberta Martinelli

RÁDIO
– Valorização do Rádio: Luiz Fernando Magliocca , que esteve ligado a momentos importantes do rádio, desde os anos 70.
– Profissional do Ano: José Eduardo Piedade Catalano , mais antigo radialista profissional na ativa, que comemorou 72 anos de trabalho, na apresentação de programas na Rádio Difusora de Santa Cruz do Rio Pardo/SP.
– Podcast: Atenção, Silêncio no Ar – Criação, produção e apresentação do radialista, César Rosa. Em pauta, a história do rádio FM paulistano.

Votaram: Fausto Silva Neto, Marcelo Abud, Marco Antônio Ribeiro e Maria Fernanda Teixeira

TEATRO
Antes de ir aos vencedores da APCA Teatro de 2020, é importante lembrar e reafirmar o relevante trabalho feito pelos jurados Michel Fernandes e Erika Riedel, mortos em 2020. O ano que levou tanta gente, nos tirou também dois grandes nomes da crítica e que faziam da arte sua missão. Michel enfrentou por uma vida uma dura doença degenerativa e Erika lutou com bravura contra um câncer. Ambos eram guerreiros do teatro. Fica a eles a homenagem do júri.

– Espetáculo: “Bertoleza”, Direção e adaptação: Anderson Claudir; Texto final: Anderson Claudir e Le Ticia Conde
– Espetáculo Virtual: “Peça”, com concepção e atuação Marat Descartes e direção de Janaina Leite
– Prêmio Especial: Série “Cena Inquieta” em 26 episódios dirigida por Toni Venturi com curadoria de Silvana Garcia sobre teatros de grupo brasileiros.

Votaram: Celso Curi, Edgar Olimpio de Souza, Evaristo Martins de Azevedo, José Cetra Filho, Kyra Piscitelli, Maria Eugênia de Menezes, Miguel Arcanjo Prado e Vinício Angelici

TEATRO INFANTO-JUVENIL
– Séries lúdicas com interação online de crianças: Grupo Esparrama (“Diz aí…” e “Vamos Brincar?”)

– Aventura policial voltada para o público jovem: “Caso Cabaré Privê” – texto e direção de Pedro Granato, com a Cia. Pequeno Ato.

– Três espetáculos completamente reescritos e reeditados, levando em conta as especificidades da linguagem audiovisual: “Trilogia Olho Mágico”, da Cia. Delas, com direção de Thaís Medeiros (Ep. 1 – Caroline Lucretia Hershel / Ep. 2 – Maria Sibylla Merian / Ep. 3 – Mary Anning)

Votaram: Beatriz Rosenberg, Dib Carneiro Neto, Gabriela Romeu e Mônica Rodrigues da Costa.

TELEVISÃO
– Atriz: Camila Morgado (Bom Dia, Verônica/ Zola Filmes-Netflix) e Tatiana Tibúrcio (Especial Falas Negras/TV Globo).
– Ator: Eduardo Moscovis (Bom Dia, Verônica/ Zola Filmes-Netflix)
– Dramaturgia: Bom Dia, Verônica (Zola Filmes-Netflix)
– Programa: Conversa com Bial (TV Globo)
– Humor: Marcelo Adnet – Sinta-se em Casa/Globoplay
– Destaque do Ano: CNN Brasil

Votaram: Edianez Parente, Fabio Maksymczuk, Leão Lobo, Neuber Fischer, Paulo Gustavo Pereira e Tony Goes.

Leia também:
– Veja como foi a premiação da Associação Paulista dos Críticos de Arte em 2014 (aqui)
– Premiados APCA: 2012 (aqui) 2013 (aqui) 2014 (aqui) 2015 (aqui) 2016 (aqui) 2017 (aqui) 2018 (aqui) 2019 (aqui)

One thought on “APCA elege os melhores de 2020 em 10 categorias

  1. Que pena o Wado com esse álbum esplendoroso e inusitado não ter levado dessa vez! Um cantor compositor q sempre está “batendo na trave” ano a ano! Merecia muito!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.