Rock Raro: Le Stelle di Mario Schifano

por Wagner Xavier

Texto publicado originalmente no Scream & Yell em 30/05/2003

Le Stelle di Mario Schifano, uma daquelas raridades que nos surpreendem mesmo no mundo de hoje, tal sua originalidade, criatividade e modernidade. Para conhecê-la viajaremos até a Itália dos anos 60, mais especificamente 1967. Enquanto o multimídia Andy Warhol criava o maravilhoso Velvet Underground, cujas melodias e harmonias e tornaram-se pérolas musicais (mesmo que não tenham tido o merecido sucesso em sua época), o pintor e escultor italiano Mario Schifano projetou suas idéias artísticas com o nascimento da banda Le Stelle di Mario Schifano (As Estrelas de Mario Schifano).

A banda era formada por quatro músicos totalmente desconhecidos e que faziam de seu som as ideias de seu criador. Nello Marini (teclado), Urbano Orlandi (guitarra), Giandomenico Crescentini (baixo) e Sergio Cerra (bateria) começaram suas atividades musicais em pequenos clubes de Roma, como o famoso Piper Club, e depois se mudaram para Turim onde gravaram seu primeiro e único álbum. Apesar da formação básica, a banda contou durante a gravação com a cantora Francesca Camerana, além de outros músicos, que assumiram flautas, citara e percussão.

Com o nome de “Dedicato A…”, o disco é totalmente psicodélico, mas extremamente diferente de coisas como KAK, Love, The Doors, Jefferson Airplane ou outras grandes bandas clássicas da época. O lado um do vinil contém apenas uma faixa, a simplesmente caótica “Le Ultime Parole Di Brandimarte” (“As Últimas Palavras de Brandimarte”). Montada com colagens totalmente improvisadas, solos de guitarras e barulhos surrealistas, mesmo para os dias de hoje, a faixa completa todo o primeiro lado (algo raro na época).

Já o segundo lado é normal (coisa fácil) contendo cinco faixas que mostram a grande habilidade de seus músicos. Abre com “Molto Alto”, canção de bela textura e grande densidade. Em seguida, “Susan Song” surge com um som bem mais pop, incluindo um arranjo delicioso de teclado e flauta. Cantada em italiano, é de uma beleza sem igual, beirando a perfeição do mais competente pop da época. A terceira faixa, “E dopo”, é a mais comum do disco (sem deixar de ser bem legal também).

“Intervallo”, a faixa seguinte, é a mais psicodélica deste lado. A bateria bastante barulhenta e o eco com muitas vozes ao fundo transformam a canção deixando-a caótica ao extremo. Finalizando o disco, “Molto Lontano (A Colori)”, que segue o ritmo das demais, com vocal pouco inteligível, flautas e uma guitarra de extrema beleza. Um sonzão…

O nome, “Dedicato A…” é complementado (no belíssimo encarte) com o nome de alguns dos seus vários ídolos pop, como Keith Richards, Che Guevar (que também era um ídolo pop na Italía de 1967), Eric Clapton, The Beatles, Bob Dylan, Mick Jagger, Brian Jones, Jean Luc Godard, Allen Ginsberg, Frank Zappa, Elvis, Pier Paulo Passolini, Fellini, Antonioni e evidentemente Andy Warhol, Nico e Velvet Underground.

O disco foi lançado originalmente com apenas 500 cópias, sendo que algumas delas saíram em vinil vermelho, e passou totalmente despercebido na época. Após o álbum, contrariando a previsão de Mario de que a banda teria uma grande carreira, ela simplesmente acabou após dois singles em 1968. O material gráfico foi totalmente desenvolvido por Mario Schifano destacando uma capa rosa escura com estrelas prateadas. O encarte tem fotografias retocadas pelo artista e com uma foto, que ocupa duas páginas, do grupo tocando ao vivo.

“Dedicato A…” foi relançado em CD em 1992, e desde então vem recebendo constantes reedições (algumas delas, não oficiais), a mais recente do selo italiano Akarma, em 2011, destacando o vinil vermelho, com livreto com informações da banda e fotos de rara beleza. Para quem gosta de sons diferentes, psicodelismo a toda prova, “Dedicato A…” é um delicioso disco onde este ambiente pode ser degustado com grande prazer. O incrível do álbum é a sua modernidade, mesmo que gravado a mais de 30 anos atrás. Um discão para a coleção dos apreciadores dos melhores momentos do psicodelismo mundial dos anos 60…

******

Wagner Xavier (https://www.facebook.com/wagner.xavier.73) assina a coluna Rock Raro no Scream & Yell e é autor do livro “Rock Raro, o Maravilhoso e Desconhecido Mundo do Rock”. Saiba mais aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.