KaiserChiefs, Snow Patrol e The Killers

Por Marcelo Costa

 “Day and Age”, The Killers (Universal)
Brandon Flowers é o fanfarrão da década. Surgiu clonando o rock britânico (mesmo sendo de Las Vegas) na estréia e depois deu discos de Bon Jovi e Springsteen para os amigos ouvirem. O resultado, “Sam’s Town”, lembrava Queen e U2. Tanta referência. Agora ele se volta para a cena synthpop (após gravar com Lou Reed!) e lança um disco que soa… Erasure. “Human” e “Spaceman” são duas bobagens deliciosas, mas o álbum todo é constrangedor. Era uma vez a maior banda de rock do mundo, mas a capa é linda…

Nota: 5

Leia também:
The Killers ao vivo no Tim Festival SP, por Marcelo Costa (aqui)

“Off With Their Heads”, KaiserChiefs (Universal)
Após uma ótima estréia, os Chiefs tomaram um tombo de dez andares espatifando-se no chão do cenário pop com o insosso “Yours Truly, Angry Mob” (“Ruby” é legal. Só legal). “Off With Their Heads” não reedita o sabor pós punk cheio de boas idéias do debute, mas levanta a banda e a joga no ringue novamente. O mérito é da produção esperta de Mark Ronson, que exagera em algumas partes bocejantes, mas quando acerta (“Never Miss a Beat”, “Can’t Say What I Mean”, “Good Days Bad Days”), compensa em dobro.

Nota: 6

Leia também:
“Employment”, do KaiserChiefs, por Marcelo Costa (aqui)

“A Hundred Million Suns”, Snow Patrol (Universal)
Uma previsão: em cinco anos o Snow Patrol irá se desintegrar transformando-se em sacarina. Anote. “A Hundred Million Suns” é a depuração de “Eyes Open” que já era a depuração de “Final Straw”. É um disco alegre em que a banda continua apostando em canções que começam lentas até as guitarras tomarem à frente num barulho infernal. Há umas quatro novas (cópias de?) “Spitting Games” e umas duas “Chasing Cars”. Auto-repetição às vezes funciona. Às vezes. Atenção para a suíte de 16 minutos que fecha o álbum.

Nota: 6,5

Leia também:
“Eyes Open”, do Snow Patrol, por Marcelo Costa (aqui)

4 thoughts on “KaiserChiefs, Snow Patrol e The Killers

  1. Apimentados seus comentários, mas bem colocados!
    Pra mim Day & Age é o melhor album do The Killers. Não se pode comparar qualquer album da banda com Hot Fuss, pois seu primeiro lançamento não reflete muito a sonoridade da banda, uma vez que as canções são puluidas de batidas sintetizadas.
    Os demais albuns são menos sintéticos, mas tão bons quanto Hot Fuss.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.