Random header image... Refresh for more!

Posts from — Janeiro 2018

Um livretinho de Nelson Rodrigues

Eu comecei a ler bem cedo e logo moleque já era rato de biblioteca. Curiosamente, porém, só fui ‘encontrar” Nelson Rodrigues aos 24 anos, quando um representante da Folha deixou de presente na biblioteca em que eu trabalhava este volumezinho viciante. São apenas 11 histórias, entre elas “A Dama da Lotação”, “A Realeza de Pelé” e, uou, “Coroa de Orquídeas”, que, viciado (também) adaptei para um trabalho de teatro na faculdade. São “só” palavras num papel tosco, mas bastou para ser convertido… Em 2015, um filme que adaptava algumas histórias de Nelson, “Ninguém Ama Ninguém… Por Mais de Dois Anos“, passou batido, mas merece ser assistido. Está disponível no acervo do Canal Brasil (pra quem tem NET, Vivo, Sky, Claro HDTV e Oi). Vale a pena.

Janeiro 31, 2018   No Comments

São Paulo em 10 fotos, 2018

Quase todo ano, quando São Paulo está fazendo mais um aniversário, posto uma seleção de fotos feitas com celular em minhas caminhadas pela cidade. O post deste ano atrasou, mas feliz aniversário cidade (cada vez mais) cinza.

Te amo.

Armênia

Bandeira

Centro

Luz

Martinelli

Pensa

Pina

Resolvo

Sem Saída

Veja mais imagens no link “cinco fotos” (aqui)

Janeiro 31, 2018   No Comments

Vincent Van Gogh é levado ao futuro

Janeiro 30, 2018   No Comments

Ouça o podcast Boto Fé Nesse Som

Janeiro 29, 2018   No Comments

Primavera Sound libera line-up 2018

Primavera Sound Festival 2018, Barcelona, Espanha
De 28 de maio a 03 de junho de 2018
Informações: https://www.primaverasound.com

NOS Alive, Portugal
De 12 a 14 de julho de 2018
Informações: http://nosalive.com/

Green Man Festival, em Brecon Beacons, País de Gales
De 16 a 19 de agosto de 2018
Infos: https://www.facebook.com/greenmanfestival/

Confira o line-up de outros grandes festivais de música

Janeiro 28, 2018   No Comments

Gabriel Thomaz, Meu Rei e o Arroto

Gabriel Thomaz, dos Autoramas, é um grande fã dos refrigerantes locais, que geralmente cada cidade tem o seu. Na verdade, ele curte todos os refrigerantes e sodas do mundo. E eu também! Um sonho foi descobrir que ao lado do hostel em Nashville havia uma Rocket Fizz Soda Pop and Candy Shops, lojinha com mais de uma centena de refris e sodas diferentes (aqui algumas que eu provei). Dai que aproveitando a viagem de fim de ano para Uberaba, eu trouxe, sob encomenda, um Guaraná Golé, que surgiu em 1º de Setembro de 1966,  enquanto seu fundador, Francisco Bertoldi, assistia a um jogo da seleção Brasileira na Copa do Mundo. Ao comemorar o gol do camisa 10 da seleção brasileira da época, Pelé, seu Francisco associou as palavras gol e Pelé, que originou o nome da companhia. Como retribuição, Gabriel trouxe para mim uma Tubaína Meu Rei, que foi criada na cidade de Ilhéus, na Bahia, em 1933, para degustarmos nos intervalos de uma discotecagem garageira sua na Fatiado Discos. Para registrar suas descobertas tubainisticas, Gabriel Thomaz criou a página Arroto! Siga a Arroto no Facebook e no Instagram.

Janeiro 27, 2018   No Comments

Um balanço dos Melhores do Ano!

Janeiro 26, 2018   No Comments

Eu e Lygia

Uma das melhores cervejas que bebi em 2017 (Dádiva Quatro Graus Entomology, medalha de ouro dos últimos 30 dias) acompanhada de um dos dois livros que me viciou na leitura (o outro, na verdade, foram os primeiros volumes de uma série: “Para Gostar de Ler“): “Seleta”, uma coletânea de contos da Lygia Fagundes Telles (editada em 1971) que eu li a primeira vez quando tinha 10 anos, e fiquei chapado, pois trata-se de uma edição comentada em que a professora Nelly Novaes Coelho aprofunda o olhar do leitor ao final de cada conto. Como diria Erasmo, eu era criança, não entendia nada das entrelinhas dos contos, e os comentários da Nelly me abriram esse universo inexplorado pelo qual me apaixonei (e que amplifiquei na coleção de Shakespeare, que comentei aqui). Sonhei acho que um mês inteiro com o desenrolar de “Venha Ver o Pôr do Sol”, sempre com foco nas crianças brincando enquanto o final trágico era construido. Dai em diante, devorei praticamente tudo da Lygia, adaptei e encenei “Lua Crescente em Amsterdã” (que não está presente nessa coleta) pruma aula de teatro da faculdade e uma amiga a pediu em casamento… por mim. “Ele tem dinheiro?”, ela perguntou, rindo. Tadica :~ E todo esse amor pelos textos de Lygia Fagundes Telles começou com esse livrinho (que não custa nem R$ 10 no Estante Virtual). Venha ver o pôr do sol. Ele é trágico.

Janeiro 26, 2018   No Comments

11 Festivais na América do Norte em 2018

Janeiro 25, 2018   No Comments

Especial Lollapalooza Brasil: Headliners

Janeiro 24, 2018   No Comments