Random header image... Refresh for more!

Posts from — junho 2008

Motomix 2008

Eu nem ia no Motomix. Na verdade, nem estava sabendo direito do festival, um pouco por estar cuidando dos planos da viagem, outro tanto devido ao fato de nenhuma banda do Motomix chamar tanto a minha atenção. Meio sonado após almoçar chopps e bolinhos de bacalhau no Bar do Léo, e tirar uma siesta no meio da tarde, acordei com amigos mandando mensagem avisando que já estavam no Ibirapuera. Consegui chegar em tempo de ver a ótima apresentação do The Go Team!, grupo que nunca me convenceu em CD, mas que ao vivo me surpreendeu.

Já o Metric, banda canadense responsável pelo encerramento da noite, foi uma decepção. Existem 5637 bandas iguais a eles no mundo, e desse número, umas 3 mil são bem melhores. Cerys, do Catatonia, devia processar a vocalista Emily Haines por tamanho disparate em copiar seu tom de voz e seu jeito de cantar. E Emily devia processar o grupo por fazer um show tão insosso. O Metric é o tipo de banda que permite a você sair no meio do show para comer um lanche e voltar uns vinte minutos depois torcendo para que a tortura tenha acabado. Infelizmente, não. Eles até fizeram bis de três músicas. Grande engodo.

Fora a indi(e)gestão com o Metric e a boa apresentação do The Go Team!, o Motomix ainda impressionou pelo bom público que foi ao Ibirapuera conferir o festival, apesar do line-up mediano. Como comentou um amigo, se a organização do evento tivesse colocado ingressos à venda por R$ 15, nem 200 pessoas teriam aparecido no Ibira, mas como o festival foi de graça, tudo bem. Ok, o som estava bom, me disseram que Fujiya & Miyagi foi bem legal, mas o Motomix deveria pagar ao público para assistir ao Metric. A banda conseguiu ser menos empolgante que o show do Kasabian no Planeta Terra. E parece que eles nem se esforçaram para isso…

junho 29, 2008   No Comments

Uma semana para a viagem

Após uma semana de São Paulo Fahsion Freak (o que inclui sábado e domingo saindo da redação por volta da meia noite e meia), nada mais justo do que um dia de folga para descansar a cabeça e colocar ordem nas coisas. Roupas já foram para máquina de lavar, algumas outras já foram separadas para a viagem e quero aproveitar o dia para acertar o VTR. Faltam três dias para as férias e uma semana para a viagem.

Já separei guias de Madri, Paris, Barcelona e Londres, o ótimo Guia do Viajante Independente na Europa, e hoje um sebo do Paraná me envia um guia de Berlim, que comprei na Estante Virtual (conhece? é um site que reúne sebos de todo o país), que espero que chegue até a terça que vem. Preciso ainda comprar mais card de um 1 giga para a máquina digital e anotar as dicas dos amigos.

O Marco, do iG Música, falou para eu não esquecer de beber cerveja de morango em Londres, e para eu tomar cuidado com as cervejas belgas, pois elas são boas demais, e fortes. O Marcio, que mora em Bruxelas, já entrou em contato e deve rolar um almoço em algum dos dias do Werchter. A Flávia, queridissima, que morou em Paris em me conhece muuuuito bem, já me indicou lugarezinhos rock na capital francesa, além de me indicar um bairro para eu visitar no domingo. Muita coisa pra fazer, pouco tempo. Viagem, né.

Ps. Acaba de chegar nesta humilde residência o ingresso para o show do Radiohead, em Berlim, dia 08 de julho. Estou me sentindo uma criança que ganhou um brinquedinho…

junho 24, 2008   No Comments

Bruce e Tom

Sabe aquele show do Bruce Springsteen que eu queria ir ver em Madri e estava esgotado? Surgiram mais ingressos na Ticketmaster espanhola. Para o show de San Sebastian também (em média, R$ 200).

Sobre o show de Tom Waits, navegando pelos sites da Ticketmaster na Europa descobri que o cara canta em Dublin, 30, 31 e 01 de agosto, justamente naqueles dias que eu estava meio sem saber o que fazer… (R$ 290 o ingresso mais barato).

Por fora, Wedding Present toca em Blackpool no dia 27 de julho (ingresso a R$ 50), três dias antes de eu chegar em Londres, mas estou com fé que eles agendem mais alguma data por ali…

Não me culpem se eu perder esses shows, mas é foda não ter grana para abraçar o mundo. :/ O pior (quem diria que um dia eu iria dizer isso) é que vou encontrar muitos outros shows pelo caminho nessa temporada europeia…

junho 10, 2008   No Comments

Liverpool, lá vou eu

Passei o domingo todo acertando detalhes da viagem em frente ao computador. Reservei albergues para quase todas as cidades (com exceção de Paris), e tickets de trem e avião para alguns trechos (ainda vou cotar outros trechos de trem e avião para ver o que compensa mais financeiramente), e acho que o trajeto abaixo está quase fechado. Deixei um dia em aberto em Andaluzia para, caso eu crie coragem, esticar até Gibraltar (e olhar a África, o Marrocos e… Casablanca do outro lado) e é bem provável que Bruxelas e Bruges, no trecho final, sejam limadas da lista por motivos financeiros. Mas é quase isso aqui, ó:

01/02 – São Paulo / Madrid / Bruxelas / Leuven (Bélgica)
03, 04, 05, 06, Leuven / Rock Werchter (Bélgica)
07 Leuven / Bruxelas / Berlim (Alemanha)
08 Berlim / Radiohead (Alemanha)
09 Berlim (Alemanha)
10 Berlim / Glasgow (Escócia)
11 Glasgow (Escócia)
12 e 13 Glasgow / T In The Park (Escócia)
14 Glasgow / Barcelona (Espanha)
15 Barcelona / Tom Waits (Espanha)
16 Barcelona (Espanha)
17, 18 , 19, 20 – Barcelona / Benicassim FIB 2008 (Espanha)
21 – Benicassim / Malaga / Lou Reed (Espanha)
22 – Malaga (Espanha)
23 – Malaga (Espanha)
24 – Malaga / Madri (Espanha)
25 – Madri (Espanha)
26 – Madri (Espanha)
27 – Madri / Paris (França)
28 – Paris (França)
29 – Paris (França)
30 – Paris / Bruxelas (Bélgica)
31 – Bruxelas / Bruges (Bélgica)
01 – Bruges / Londres (Inglaterra)
02 – Londres (Inglaterra)
03 – Londres (Inglaterra)
04 – Londres (Inglaterra)
05 – Londres / Liverpool (Inglaterra)
06 – Liverpool / Londres (Inglaterra)
07 – Londres / Madrid / São Paulo (Brasil)

Ps. Ainda não estou confirmado no show do Tom Waits. Vou tentar comprar esta semana. Dedos cruzados, pois o limite tosco do meu cartão de crédito não está colaborando. :/

Ps2. 05 de agosto é meu aniversário. Fiquei tentado a passar a data em Paris, mas o que seria de mim sem o rock and roll? E o que seria do rock and roll sem… os Beatles e o Echo and The Bunnymen? (hehehe). Liverpool, lá vou eu.

Ps3. Ainda não passou o estágio do friozinho na barriga. Na verdade, está nevando…

Ps4. Minha idéia nessa viagem é manter um diário virtual mesmo. Claro que não vou ficar uma hora na internet em Madri, pensa, mas quero ao menos separar uns cinco minutos diários para ir contando aventuras e desventuras dessa experiência maluca. Vamos ver no que vai dar. Nos dias em que eu não postar nada, escrevo no bloquinho antes de dormir, e atualizo no dia seguinte. Se eu parar de escrever do nada em Madri ou Paris, calma, Paz Vega ou Julie Delpy podem ter me sequestrado (é brincadeira, Lili, é brincadeira!) 🙂

junho 8, 2008   No Comments

Lou Reed em… Málaga

Então, tá vendo esse pontinho vermelhinho na primeira fila do Teatro Cervantes (aqui), em Málaga, na Espanha? Sou eu. No “escenario” estará Lou Reed tocando a integra do álbum “Berlin”, e depois no bis, “Sweet Jane”, “Perfect Day” e “Walk on The Wild Side”. Estou tendo um surto, mas precisava dividir com vocês.

A propósito, optei por Málaga ao invés de Madri pela facilidade de adquirir o ingresso. O que quer dizer que a viagem terá uma pequena mudança: saio de Benicassim na segunda de manhã e vou pra Malagá. Vejo o show na segunda á noite, e já estou pensando em esticar até o estreito de Gibraltar, passar um dia por lá, e só então voltar para Madri. Dúvidas… mas o que importa é que o ingresso do Lou Reed está comprado… agora só falta o do Tom Waits…

junho 4, 2008   No Comments

Azarar na W3

Nem gosto dessa música. No disco de estreia do Little Quail, as minhas preferidas sempre foram “Essa Menina”, “Aquela”, “Família Que Briga Unida Permanece Unida” e a cover de “Samba do Arnesto”, mas assim que pisei em Brasília e vi a placa, a música não desgrudou o fim de semana inteiro: “agora é minha vez, vou te azarar na W3″. No final do domingo, porém, eu fazia uma versão pessoal na cabeça: “agora é minha vez, asa sul, bloco 203 308″. Bobagens.

Brasília mexe com você. Conheci poucas cidades na vida que me intimidassem tanto. Lili e Palandi, nosso excelente guia em terras candangas, toda hora perguntavam: “E ai, gostou da cidade?”. E eu saia com uma evasiva. Para Lili é fácil se apaixonar por Brasília. No domingo comentei que se o sonho de todo jornalista era ter sua própria revista, o sonho de todo arquiteto era planejar uma cidade inteirinha, do zero, como Brasília. Já o Pala, bem, ele nasceu em Brasília, mesmo sem ter nascido lá.

Pareceu-me tudo germânico demais (e Berlim me intimidou também): o eixão enorme como uma “autobahn”, aquelas longas avenidas, a ponte JK, as superquadras, as casas iguais em um emblemático conceito socialista. Tudo lindo demais, mas também certinho demais. E preciso confessar que tenho medo das coisas que tentam ser certinhas demais. Mesmo assim, por mais que eu tente relutar, não há como não se apaixonar por essa cidade de concreto e obras de arte disfarçadas de prédios.

A Catedral (foto acima) é linda. O novo Museu é impressionante. O eixo monumental é realmente monumental. Entramos no Congresso Nacional e, de quebra, pegamos uma visita guiada que nos levou a Câmara e ao Senado (pela TV parece tão grande, mas é um espaço tão pequeno). Palandi, com uma paciência enorme e uma paixão pela cidade maior ainda, nos levou de lá pra cá, daqui pra lá, mostrando superquadras, os palácios, situando as curiosidades.

No final do domingo, depois de um belo almoço no Xique Xique (restaurante de comida nordestina que nos abasteceu de uma ótima carne de sol com feijão de corda, arroz, farofa de carne, mandioca cozida que quase derretia na boca, cachaça e chopp escuro), caminhamos até a 308 da Asa Sul, e confesso que fiquei balançado pelo lugar. Para Lili, ali na 308 seria um lugar perfeito para criar os filhos. Ainda tenho as minhas dúvidas, Brasília me intimida, mas cheguei a visualizar a Júlia correndo pelo parquinho… quem sabe.

Ps. Fizemos quase todos os passeios de dia, e posso estar errado, mas Brasília e seus monumentos devem ser conhecidos à noite. Fica para a próxima.

junho 3, 2008   No Comments