Faro: Panoramas de Janeiro na Música e Cultura Ibero-americana

Argentina | Brasil | Chile | Colômbia | Espanha | México | Peru | Uruguai

Oito países unidos pelo mesmo ideal de compartilhar cultura e, com ela, ideias, sonhos, desejos, revoluções.

ARGENTINA
por Juampa Barbero / do site Indie Hoy

Janeiro não só nos trouxe uma série de grandes lançamentos para o início do ano, mas também marcou o retorno de shows ao vivo internos e externos com capacidade reduzida. Embora não sejam a mesma experiência de antes, é pelo menos um progresso. A satisfação de reencontrar música ao vivo é incomparável nos dias de hoje, mas muito pesada para os bolsos devido ao aumento dos preços dos ingressos. Ainda assim, quem me tira o bailado (expressão idiomática tipicamente rioplatemse que remete à viver momentos de alegrias) depois de vários meses em silêncio?

Paco Amoroso não para de se reinventar. Depois de “Mi Deseo / Las Vegas Strip” e “Fatal”, ele surpreendeu seus seguidores com um novo single de dancehall com um toque sutil de reggaeton. “Sabe” foi produzida por Baby Boom, a dupla formada por Tom Susevich e Luca Oliva Knight, e surge acompanhada por um vídeo onde o vemos caminhando apaixonado pelas ruas de Buenos Aires.

Las Ibiza Pareo são conhecidas no cenário nacional como as “imperatrizes do electropop”, e para começar 2021 em alta lançaram um single que confirma o seu apelido. “O que você faz quando algo te provoca a mudar, a mudar tudo, a experimentar outro lugar?”, elas se perguntam em “Tecnovia”, uma faixa enérgica que nos convida a nos mexer e a esperar dançando pelo futuro.

Bizarrap se tornou sinônimo de tendência, não importa quem seja seu convidado. Mas se com Nathy Peluso ele quebrou seu próprio recorde, a sessão # 37 com Ysy A é outro meteorito com expansão iminente. Em apenas três dias, ele ultrapassou 10 milhões de visualizações no YouTube com sua própria campanha nacional de vacinação contra COVID-19 com um fluxo incendiário.

Assim como Paco, Ca7riel continua trilhando seu caminho sozinho e, embora o destino da dupla seja desconhecido, os dois separadamente não param de se exibir. O artista compartilhou a sessão que gravou no Kirchner Cultural Center apresentando “McFly”, “Polvo” e um cover de Los Abuelos de la Nada. E se isso não bastasse, ele também lançou uma colaboração com Duki intitulada “Muero de fiesta este finde“.

Se há uma voz emergente que está dando muito o que falar é a artista de Mar del Plata Juana Passeri, mais conhecida como Shitstem. Depois de uma série de singles rebeldes de hip hop que demonstram seu compromisso social lançados em 2020, ela abriu este ano com algo diferente, uma faixa intimista chamada “HWGA” que experimenta o emo trap.

Turismo Aventura” é a novidade da dupla Buba Luma depois de terem publicado o EP “La Moda” em 2019. Aqui, os irmãos Verdaguer permanecem fiéis à sua estética kitsch parodiando os discursos da indústria do turismo. Esta faixa de conotação estival lançada pela Kongo Records foi acompanhada por um clip 360º com animação 3D de Francisco Diez Beltrán e com desenhos de Maxi Braga.

Manu Hattom e a atriz Julieta Zylberberg se uniram para dar vida a uma peça romântica intitulada “Ojos de Planeta” e selar delicadamente sua amizade. Uma canção pop que se curva ao Cupido e motiva o desejo insaciável de conhecer nossa cara-metade como um jogo mágico do destino.

Ramiro Sagasti, conhecido por sua participação em projetos como Pérez, Roto e Gah Gah, apresentou seu primeiro álbum solo intitulado “La Chance”. Composta por nove canções, a estreia da nova faceta do músico de La Plata é repleta de violões agudos, sintetizadores espaciais e a mística voluptuosa que seu jeito de cantar evoca.

No que diz respeito ao mundo literário, uma das obras de destaque do mês foi “Hazlo tú Mismx”, de Andrea Leal e Carlos Sanabria. É uma obra requintada que aborda o período do final dos anos 80 e início dos 90, quando a contracultura estava a todo vapor desde a explosão do punk e do hardcore em Buenos Aires.

No mês passado tivemos a agradável tarefa de anunciar o retorno dos shows presenciais e agora é a vez da reabertura dos cinemas. O INCAA informou que no dia 11 de março a Gaumont e seus diferentes espaços no país serão inaugurados com os cuidados que correspondem ao protocolo em vigor.


BRASIL
por Marcelo Costa / do site Scream & Yell

Se o mês de janeiro é normalmente um mês de poucas atividades culturais no Brasil (e muito sol, praia e suor), esse janeiro de 2021 foi ainda mais silencioso, ofuscado pela tristeza do número de mortos pela Covid no país e pelos absurdos que saem da boca do presidente da república (e por pessoas aglomerando nas praias, um recado de que a pandemia no Brasil irá durar muito tempo ainda).

No Scream & Yell, publicamos nosso enorme balanço do que de melhor aconteceu na cultura pop (música, cinema, literatura, podcasts) no ano que passou. Apelidada por muitos de “lista das listas”, o Melhores do Ano Scream & Yell 2020 contou com a participação de 124 nomes que movimentam a Cultura no país em um especial que traz todos os votos abertos, permitindo assim ampliar ainda mais o volume de indicações. Confira o especial completo aqui.

NOVIDADES
O Wry é uma banda de brasileiros que durante muito tempo viveu em Londres, entre pessoas como Kevin Shields (My Bloody Valentine) e Tim Wheeler (Ash). Se você pensou em indie rock barulhento, acertou. De volta ao Brasil, eles lançaram “Noites Infinitas” em 2020 (presente em nossa lista de 25 melhores discos brasileiros do ano) e agora apresentam o clipe para a faixa “I Can Change” com footage dos dias de gravação em 2019.

Dividindo sua rotina atual entre Estados Unidos e Brasil, o músico Jair Naves lança a primeira amostra do que virá a ser seu quarto disco. O single “Todo o meu empenho” mantém os nervos a flor da pele (uma característica marcante de toda a obra de Jair), prestes a explodir, e abre com uma frase intensamente declaratória: “Presta atenção que os sinais / já são suficientemente claros”.

Frank Jorge é baixista de uma importante cult band do Rio Grande do Sul, a Graforreia Xilarmônica. Paralelamente ele mantém uma carreira solo bastante prolifica, e que agora cruza o caminho do produtor Kassin. Juntos eles preparam o projeto Nunca Fomos Tão Lindos, que lançou em janeiro mais um single, a faixa “ Negativado”, que, com uma forte influência da sonoridade de Belém do Pará, compara a busca para conquistar um amor com a tentativa de limpar o nome na praça devido a dívidas.

Quem também começou o ano com tudo foi o músico Gustavo Galo, que nem ia produzir nada em 2020, mas acabou por lançar no dia 28 de dezembro o EP “Quarto”, o retrato de um artista em isolamento, e em janeiro ilustrou tudo isso com um clipe para a canção “Queridos Dias Difíceis”, que traz imagens captadas pelo próprio artista em isolamento em seu apartamento.

Guilherme Held lança o segundo clipe de “Corpo Nós”, mais um disco presente em nossa lista de Melhores de 2020. “Pra Bem Perto de Mim” ganhou um clipe de animação com arte de Lola Ramos. “É um clipe sobre memória e saudades. Juntei imagens de momentos que são singelos e cotidianos, mas são esses os momentos que ficam na nossa memória e nos trazem nostalgia. Mas acho que acima de tudo é uma música sobre amor e saudades, e é o que eu procurei colocar em cada uma das memórias desenhadas que compõem o clipe”, conta Lola Ramos.

Em janeiro tivemos mais um lançamento do Selo Scream & Yell: o compacto “O Ponto Firme”, de M.Takara, foi liberado gratuitamente para download no site. Trata-se de duas faixas da trilha sonora do segundo filme (de mesmo nome) da cineasta Laura Artigas, que aqui registra o processo criativo da primeira coleção de roupas do “Projeto Ponto Firme”, coordenada pelo estilista Gustavo Silvestre e desenvolvida por detentos dentro de penitenciária paulista. Assista ao trailer.

E já que o assunto é cinema, saiba detalhes de dois filmes brasileiros selecionados pelo festival de Sundance: o primeiro é o curta-metragem “Inabitável”, de Enock Carvalho e Matheus Farias (saiba mais aqui), que traz uma mensagem direta sobre esse Brasil que se tornou inabitável para muitas pessoas. O segundo é o longa “A Nuvem Rosa”, de Iuli Gerbase (saiba mais aqui), que em 2017 começou a escrever uma história sobre personagens aprisionados por uma nuvem tóxica que impede que as pessoas saiam de casa… Qualquer semelhança com 2020/2021 é mera coincidência.

Também presente na lista de Melhores do Ano do Scream & Yell, a banda Carne Doce lançou em janeiro um remix assinado pelo conceituado produtor norte-americano Victor Rice, que decidiu fazer da faixa “A Caçada” um dub! Ouça como ficou.

Para encerrar nossa lista de indicações, um artista que você deve acompanhar: Edgar lançou um elogiado primeiro disco em 2018, “Ultrassom”, ao mesmo tempo em que revelava uma parceria poderosa com Elza Soares, “Exu nas Escolas”. Agora ele já começa a tatear o território do segundo disco com o single “Prêmio Nobel”, em que de forma impactante, uma animação aborda temas como políticas públicas, meio ambiente e realidade expandida, além de apresentar um cenário apocalíptico como mote. Assista!

O QUE NÃO VEM EM FEVEREIRO
O Carnaval, a grande festa popular brasileira que movimenta dezenas de milhões de pessoas em todo o país todos os anos, está totalmente cancelado devido a pandemia. Em um ano comum, tudo começa no Brasil após o Carnaval (que geralmente acontece em fevereiro), e assim perdemos mais uma referencia tradicional em nossas vidas e seguimos tateando no escuro guiados por um presidente genocida. 2021 não será fácil.


CHILE
pela Equipe do site POTQ Magazine

Em produção…


COLÔMBIA
por Fabián Páez López do site Shock.co

Janeiro na Colômbia foi um deja vu de março de 2020: confinamento e medo. E quanto às vacinas? Bem, obrigado. Em todo caso, a música voltou com boas notícias e duas colaborações transnacionais: LosPetitFellas com Cuarteto De Nos; Dylan Fuentes com Cazzu, Maluma com Ziggy Marley; Monsieur Periné com Macaco; Salth Cathedral com Ximena Sariñana. Além disso, a partir de Shock, como todos os anos, lançamos nossa seleção de apostas musicais para 2021: 12 atos emergentes recomendados que você pode ver aqui.

Aqui estão algumas de nossas recomendações de janeiro.

LANÇAMENTOS RECOMENDADOS
Mitú, a dupla eletrônica formada por Franklin Tejedor (Lamparita) e Julián Salazar, lançou o EP “Mirow”, com seis músicas, que é como o lado b de “Tandem”, álbum que lançaram em 2019. Se o álbum de 2019 representava a luminosidade do dia, “Mirow” é uma noite de techno e introspecção sombria. Foi, de fato, concebido nos passeios noturnos que eles faziam de bicicleta na cidade alemã de mesmo nome (“Mirow”) quando participaram do Fusion Festival 2018.

SINGLES
“Ojos Atemporales (Azules)”, de Los De Juepuchas, Lucio Feuillet e Boho é uma canção que foi feita e refeita. De Juepuchas, um projeto de Diego Maldonado, nascido em Bogotá, a havia lançado em 2010. Era, claro, uma versão de “Ojos Azules”, de Inti Illimani (Chile), que por sua vez era um cover do grupo Los Kjarkas ( Bolívia). Em janeiro deste ano ela foi revivida pela mão do projeto solo de Samuel Lizarralde, Böjo, e na voz do cantor e compositor Lucio Feuillet, da cidade de Pasto. Uma excelente interpretação eletrônica de uma canção latino-americana.

De Bogotá, Stailmic está produzindo novos traps em quantidade. Em dezembro de 2020 lançou um álbum com o coletivo Fick Trips e para encerrar o ano lançou “Broche”. Isso vai atingi-los.

Aria Vega, conhecida por ser uma das finalistas da versão colombiana de American Idol, juntou-se ao rapper de Barranquilla Totoy el Frío para fazer “Billetes en el aire“, uma canção dançante produzida por Argüello e Blazz.

Lunalé, cantora de Bucaramanga, escreveu “Antídoto” em maio de 2020. Foi o primeiro pico da pandemia e, depois de pegar o vírus, dedicou essa música ao amor em tempos de confinamento. É um pop e um R&B cujo vídeo foi gravado, como tudo hoje, à distância.

No final de janeiro, para comemorar seu 27º aniversário, Maluma lançou “7 dias en Jamaica“, um álbum visual produto de uma viagem ao verdadeiro berço de seu gênero, a Jamaica, da qual participam nomes como Ziggy Marley e Charlie Preto. Não é preciso dizer muito mais sobre Maluma. Só esta viagem reggae, produzida principalmente em Envigado pelos Rude Boyz, vale a pena ver.

Aqui está nossa playlist com todas as novidades colombianas!

EVENTOS
Embora janeiro não seja um mês muito ativo no país, foi realizada a versão digital do evento da franquia Hay Festival em sua versão Cartagena, da qual Carlos Vives participou apresentando seu livro “Cumbiana”, escrito em colaboração com Guillermo Barreto. Além, é claro, de uma série de conversas variadas entre escritores e artistas. Do cantor de salsa Rubén Blades a Thomas Pikketi.

O QUE VEM EM FEVEREIRO
O calendário de eventos musicais (agora digital) começa no dia 4 de fevereiro, como sempre, com o Festival Centro de Bogotá. Participarão artistas latino-americanos como La bruja de Texcoco (MX) e Javiera Mena (Chile), além de shows locais como Frente Cumbiero, Flor de Jamaica, Cescru Enlace, Los PetitFellas e Romperayo.

No dia 14 de fevereiro, em Bogotá, teremos o primeiro evento presencial do ano. Shock apresentará La Muchacha no Teatro Mayor Julio Mario Santo Domingo. Sem dúvida, uma das vozes mais poderosas do universo dos cantores e compositores colombianos.

Um dia antes, em 13 de fevereiro, irá acontecer a edição virtual de um dos maiores, mais barulhentos, apoteóticos e alegres carnavais do país: o Carnaval de Barranquilla. Para se ter uma ideia do tipo de festa, compartilhamos aqui uma crônica da edição presencial de 2020: O Carnaval de Barranquilla do maior e mais delicioso grupo de marimondas (para quem nos lê de fora da Colômbia: é como se divertir com os amigos celebrando a zombaria, a festa, a diversão; o resto, você pode aprender no link). Você pode ver mais informações sobre o Festival Centro aqui.

Na terça-feira, 2 de fevereiro, o Bomba Estéreo iniciou uma viagem que durará todo o ano de 2021. Lançará o primeiro de uma série de EPs que formarão seu próximo álbum com um tremendo vídeo de ficção tropical.


ESPANHA
por Rubén Scaramuzzino do site Zona de Obras

Curiosamente, já se passou um mês de 2021. E por enquanto as coisas não são muito diferentes do desastroso 2020. A situação por causa da pandemia continua sem melhorar e todas as esperanças estão voltadas para a vacinação, que por enquanto está longe de ser maciça. Teremos que continuar cuidando de nós mesmos e nos refugiando na música e na cultura para nos alimentarmos espiritualmente e assim enfrentarmos tempos difíceis. Aqui está uma revisão de dez propostas essenciais do janeiro espanhol para iluminar a alma.

Num contexto de pandemia como a que vivemos, foi perfeito começar o ano ao ritmo de “El Negacionista“, canção de Los Planetas lançada em 1 de Janeiro. Trilha sonora ideal para combater a estupidez. O comunicado esclarece: “Música popular contra a propaganda, a incompetência, o conformismo e a preguiça, para dizer não”. A capa do single, obra de Javier Aramburu, é sublime.

É sempre um prazer descobrir um artista diferente. Alguém cuja proposta chama a atenção de maneira especial. Isso aconteceu conosco com a barcelonesa Paula Ribó (também conhecida como Rigoberta Bandini), que com seus sucessivos singles atingiu o alvo da originalidade. Agora ela surge com outra canção viciante, “Perra”, uma ode ao empoderamento que funciona perfeitamente como um hino feminista.

A expectativa para “El madrileno”, a nova obra de C Tangana que será publicada no dia 26 de fevereiro, é enorme. A interessante abertura estilística já podia ser percebida com “Tu me dejaste de querer” há algumas semanas e agora é reafirmada com “Comerte entera”, uma grande canção com a qual ele acrescenta aromas de bossa nova à sua gama sonora que conta com a participação do brasileiro Toquinho, lenda viva da MPB e do tropicalismo.

Enquanto esperamos pelo novo álbum (duplo) de Los Hermanos Cubero, que será lançado no dia 19 de fevereiro, podemos desfrutar de “Problemas a Los Problemas”, uma música que traz Josele Santiago (Los Enemigos) e que nos incentiva a não nos deixarmos intimidar pelas adversidades e a enfrentá-las com humor e integridade. Folk estimulante ao som de delicadas guitarras e bandolins.

Formado por Alicia San Juan e José Luis Rebollo, Chico y Chica é uma dupla cult do pop eletrônico espanhol desde os anos 90. Atualmente estão trabalhando no que será seu próximo álbum, mas liberaram uma prévia, a cadência melodiosa com toques eletrônicos finos DE “Panorama”, que nada mais faz do que despertar a ansiedade de ouvir o que está por vir.

Nathy Peluso vive um momento mágico: tudo que ela toca vira ouro. O contexto não importa: ela pode deslumbrar em um dueto com Fito Páez, interpretando com a sutileza de uma grande estrela “Yo vengo a ofrecer mi corazón” ou sendo mais sensual e explícita do que nunca em sua interpretação do desejo em “Delito”, o quarto single de seu álbum “Calambre”, que acaba de ganhar um videoclipe.

Focando agora nos discos, damos play em “Himnopsis Colectiva”, esperada nova obra de Amparanoia, figura indispensável dos sons mestiços da Península. Como o título sugere, é uma coleção de hinos com muita cumbia, western, rock fronteiriço, reggae, pop, eletrônico e ritmos urbanos. Tudo com a personalidade e o carisma da granadina que se tornou conhecida com o marco “El poder de Machín” em 1997. Dançar (e pensar) de ponta a ponta.

Vamos agora com uma descarga de canção popular para falar sobre um trio de vinte e poucos anos formado em Madrid pelos irmãos mexicanos Santiago e Sebastián Hernández junto com Xoán Domínguez, de Compostela (metade de Blanco Palamera e bateria de Sen Senra). Trata-se de Zuaraz, que acaba de lançar “Bugambilia”, um disco com o qual se redefine o legado da canção latino-americana e que nos mergulha num mar de sons com referencias ao bolero, ao jarocho (estilo de música da cidade de Veracruz, no México), pop contemporâneo e sobretudo, muito classe.

Depois de nos ter oferecido a fração pop mais colorida de todo o 2018 com “Muera Usted Mañana”, ALEXANDERPLATZ (ex Klaus & Kinski) retorna com “Parques Nacionales Españoles”, um álbum de 11 canções que exploram tantas frentes estilísticas quanto é usual em Alejandro Martínez é usual. Um trabalho imperdível de um dos verdadeiros mágicos pop que orbitam a cena musical espanhola.

No que se refere ao campo literário, não podemos deixar de falar de “No tengas miedo a tener razón, una guía sobre éxito y desobediência”, de Vicenzo Angileri, nascido na Sicília e residente entre Barcelona e a Cidade do México, onde também atua como diretor, roteirista e consultor de marcas, instituições e artistas. O livro (publicado pela Temas de Hoy e Acid House Barcelona, um espaço dedicado à disrupção criativa, comunicação e novos modelos de negócios) é um apelo para quebrar padrões e mudar as regras do jogo; um guia incomum baseado em uma série de conversas com vozes brilhantes, desobedientes e visionárias. Inclui testemunhos dos músicos Bad Bunny, El Guincho e Rita Indiana, Ada Colau (Presidente da Câmara de Barcelona), Toyo Ito (arquiteto vencedor do Pritzker), José Andrés (Chef nomeado para o Prémio Nobel da Paz), Leoluca Orlando (Presidente da Câmara de Palermo) e Aleix Sanmartín (cientista político e consultor), entre outros.

O QUE VEM EM FEVEREIRO
No dia 5 foi divulgado “El ciclo de las mareas”, a primeira entrega da Alianza Atlántica, uma iniciativa de Los Pilotos (projeto de Banin e Florent, de Los Planetas) que reúne artistas de sete países do outro lado do oceano (Algodón Egipcio, Diosque, Instituto Mexicano del Sonido, Javiera Mena, Kanaku y El Tigre, Laikamorí, Menino Jesus, Marcela Viejo, Mariana Montenegro, Montañera, Mula, Pamela Rodríguez, Pedrina e Weste).

Los Hermanos Cubero publicarão no dia 19 um álbum duplo: “Errantes telúricos”, com vários convidados, e o instrumental Proyecto Toribio, que inclui o cancioneiro do violinista Toribio del Olmo.

No dia 26 chegará “El Madrileño”, de C Tangana, com convidados como Niño de Elche, La Húngara, Kiko Veneno, Andrés Calamaro, Jorge Drexler e Toquinho, entre outros.

A editora Caballo de Troya, da qual somos muito fãs, apresenta sua nova coleção anual. Quem comanda é Jonás Trueba, que recebe o posto de Luna Miguel e Antonio J. Rodríguez, diretores do ano passado. O volume que abre a coleção 2021 será “Todo Sigue Tranquilo, de Chusé Izuel, que chega ainda em fevereiro.


MÉXICO
por Cynthia Flores do site Indie Rocks!

No México continuam a aumentar com as infecções de COVID-19. Mais e mais estados estão sendo adicionados ao semáforo vermelho. Na Cidade do México, porém, as infecções diminuíram de acordo com Claudia Sheinbaum, chefe de governo da capital do país.

A vacinação é lenta, mas de acordo com as autoridades, é a vez de pessoas com mais de 60 anos serem vacinadas, que estão sendo contatadas por telefone e já podem se cadastrar.

A notícia que deu o que falar foi que o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, testou positivo para COVID-19 e está isolado no Palácio Nacional. Segundo Olga Sánchez Cordero (Secretária do Interior), o presidente está com sintomas leves, mas evoluindo.

Falando sobre música, o HIPNOSIS, festival de psicodelia, garagem e muito fuzz feito no México, anunciou sua edição de 2021 para os dias 4, 5 e 6 de novembro. Reserve a data!

Por sua vez, a EDC México decidiu transferir seu festival para setembro porque em abril as medidas de segurança para sua realização ainda não estão garantidas.

VÍDEOS
Soona é um projeto que apresentamos em nossa seção Buenas Nuevas, onde compartilhamos o clipe sombrio de “In My Hands”, onde os calafrios e choques elétricos vão direto aos seus ouvidos. A música fará parte de sua estreia chamada “Taal” que será lançada neste 2021.

A DRIMS retomou gradativamente suas atividades e lançou o videoclipe de seu single “En Medio Del Jardín”, o mesmo nome daquele que será seu álbum de estreia pela major Universal Music. Na filmagem podemos ver os membros curtindo uma festa em um pomar.

Homegrown Mafia é uma gravadora que tem que encarregado de apresentar o talento do rap mexicano e como amostra temos Yoga Fire, um MC do Estado do México que apresentou seu novo clipe “D’Calle”, que fala sobre a escola da vida e realizou seu sonho da rua.

Singles
Los Sustos apresentou exclusivamente em Indie Rocks! seu novo single “Hysteria”, que foi gravado nos estúdios Topetitud e é um reflexo do entusiasmo que a banda coloca em seu projeto. A velocidade das notas e sua autenticidade nas letras convidam você a se mover involuntariamente.

Continuando com a promoção de “Delusion”, Bratty compartilhou como single “Quiero estar”, uma música que fala sobre se apaixonar e querer fazer parte da vida daquela pessoa especial. Isso foi acompanhado por um clipe em que o amor tem que enfrentar o preconceito.

Pepe Mogt tem se destacado por sua capacidade de entregar canções que incitam o ouvinte a refletir sobre os diferentes acontecimentos e se refugiar no som. É hora de você liberar o estresse e ouvir “Solina”, um single duplo que o ajudará a aliviar suas preocupações.

Zoé segue adiantando prévias do que será seu próximo material, “Sonidos de Karmática Resonancia”. Nesta ocasião o grupo partilha o single “Velur” em que León Larregui e companhia continuam a apostar na adição de novos sons sem perder a essência dos seus trabalhos anteriores.

Sejo Hatori é um projeto de Manolo Maass que abre seu coração com “En Laberintos”, faixa com a qual se despede de alguém muito especial. Com coprodução de Wet Baes podemos ouvir uma guitarra com tons suaves que criam uma atmosfera que faz a imaginação voar.

DISCOS
Após vários singles, Mengers apresentou oficialmente seu segundo LP “Golly” via selo Devil In The Woods. Ao longo das 12 faixas produzidas por Hugo Quezada (Robota, Exploded View), o caos e ruído são a combinação perfeita para enfrentar estes tempos estranhos. Ideal para amantes de fuzz.

Los Mundos lançou “La Fortaleza Del Sonido”, álbum onde a psicodelia se materializa no desconhecido e da mesma forma nos lembra que a realidade é mais do que aquilo que podemos ver. Baixos marcantes e guitarras extravagantes compõem as 11 faixas cheias de rock psicodélico.

Se você é um amante de sons eletrônicos, ‘GONGS EP”, da GONGS, é ideal para tocar no volume máximo nestes tempos incertos. Através de seis músicas, transporte-se de volta aos dias em que você podia sair e dançar a noite toda. Essa dupla mostra que a cena eletrônica de qualidade existe no México.

LIVROS
Com toda a polêmica que a série de documentários “Quebra Tudo” desencadeou em relação ao papel da mulher no rock, recomendo o livro “Sirenas Al Ataque – Historia de Las Mujeres Rockeras Mexicanas“, Tere Estrada resgata para a memória coletiva as presenças femininas do rock mexicano de ontem e hoje. Cantores, compositores, arranjadores, produtores, fãs, jornalistas, acadêmicos, engenheiros, locutores e empresários desfilam por essas páginas. Esperamos que em breve tenha uma reedição com as novas gerações que surgiram em nosso país.

O QUE VEM EM FEVEREIRO
Ainda estamos no semáforo vermelho, então as atividades musicais ainda não têm data de retorno. Os shows online ainda não recomeçaram, mas esperamos ter novidades sobre eles em breve. Vamos continuar cuidando de nós mesmos e dos outros.


PERU
pelo site Rock Achorao

Apesar de na maioria das regiões do Peru voltarmos à quarentena obrigatória devido à preocupante curva de infecções por coronavírus, há um certo ar de esperança que nos diz que este 2021 será melhor. Os músicos, como sempre, continuam a produzir com ousadia mesmo com o mundo desmoronando. Pegamos esse entusiasmo e apresentamos a vocês os lançamentos em destaque de janeiro.

Listados como “a joia escondida do Peru” pela MTV, a Autobus busca ir ainda mais longe com esse objetivo chamado música. “Quiero cambiar” exprime sentimentos de reflexão e um percurso musical entre a esperança e o possível. Com um som de sucesso segundo a segundo, a peça é uma excelente antevisão do que ouviremos mais tarde em “Ámbito Vida”, o seu próximo e aguardado disco.

“Hello, Hologram” é uma surpreendente e colorida reinvenção de Crik Faluzi, quatro músicos talentosos que experimentaram estilos diferentes em seu campo. Com a música, eles apresentam uma história romântica e retro-futurista que nunca existiu, sendo perfeitos com a contribuição pop fresca da cantora peruana Gala Brie na voz e melodias. Altamente recomendável.

Depois de um divertido 2020 com vários lançamentos, Plastical People propõe uma frase como grito de guerra diante dos tempos difíceis devido à pandemia. “Hasta el final” é tão bem feita e notável que é provavelmente a melhor peça do grupo indie em seus mais de cinco anos de carreira. Sem dúvida, deixa muita curiosidade com o que vem nos próximos meses de 2021. É proibido perde-los de vista.

April Arianne sabe como esses tempos são complicados, ainda mais na indústria musical. No entanto, “Por algo más (El mundo no termina)” é uma música nova que reflete o ideal otimista de viver em um futuro promissor. Além disso, mostra o talento de Arianne em sua expressão máxima do ramo sonoro do pop nacional.

Conheça Dani Zilbert. Uma cantora que tem surpreendido muitos com seu potencial dentro do som pop peruano. “From Me To You” é uma ótima carta de apresentação para fisgá-lo do início ao fim. Certamente garante um futuro promissor.

Após três anos em silêncio, Inzul volta com uma nova música e uma nova identidade sonora, pois, em “El muro”, a banda abraça o pop e se afasta do rock de guitarras que conhecemos em sua estreia, “Subterráneo”. Uma mudança bem-sucedida que ocorre na estação mais quente do ano.

A cumbia é a espinha dorsal da América Latina e une nossos povos na dança. Os lendários Mirlos (Peru) juntam-se com Santaferia (Chile) e nos dão “Maria”, este canhão dançante de cumbia amazônica com o toque psicodélico que tanto gostamos.

Já aconteceu de você passar a noite com sua pessoa favorita e odiar a ideia de ter que sair da cama? É disso que se trata “Despertarse al mediodía”, o último single promocional anterior ao lançamento do álbum de estreia da cantora Fernanda Perochena, no qual Ruiz-Gonzalez colabora na voz e na produção.

O ska punk sempre teve aquele caráter festivo e lúdico que nos deixa de bom humor. O Felices Adicciones acertou e combinou muito bem a própria festa do gênero com letras que nos inspiram a deixar todo o mal para trás. Para você, um “Ska para superar”.

La Torita cresceu na periferia sul de Lima, um bairro emergente com muitas necessidades, mas com um povo muito simpático, trabalhador e perseverante. Esse espírito de luta a levou a mostrar seu talento para todo o Peru e se tornar uma das referências do hip hop peruano. Depois de um interessante processo no qual testou novas fórmulas musicais, agora ela nos apresenta o single “Te Vacilará”, que com certeza mexerá com você.

Quanto aos álbuns, não tivemos tantas novidades. O rapper apurimeño Liberato Kani reapareceu e apresentou seu segundo álbum, “Pasaway | Despegando”, uma coleção de 10 canções que vão do rap ao rock cantadas em quechua. Enquanto em San Juan de Miraflores, o cantor e compositor Alan Roque estreou um novo EP de pop rock com temas introspectivos: “Nunca será tarde”.

CINEMA
A rota dos festivais começou em janeiro com a 8ª edição do festival de cinema independente Transcinema, entre os dias 15 e 23 de janeiro, no qual participaram obras de toda a região exibidas gratuitamente na Internet. Da mesma forma, já está aberta (até 31 de maio) a convocação de longas-metragens de ficção e documentário para o 25º Festival de Cinema PUCP de Lima, organizado pela Pontifícia Universidade Católica do Peru, por meio de seu Centro Cultural.

Outra grande novidade do cinema peruano foi a inclusão do premiado filme “Canción sin Nombre”, de Melina León, no catálogo da Netflix, a partir de 15 de janeiro. Por fim, o curta peruano “El silencio del río”, de Francesca Canepa, concorre no Festival de Havana na categoria Curtas de Ficção e se candidata a uma indicação ao Oscar.

O que vem em fevereiro
Devido ao novo confinamento, os poucos shows presenciais confirmados serão remarcados até novo aviso, no entanto, dois festivais online estão surgindo: o tributo latino-americano a Raper one (Radikal People) e a terceira edição do VHS Live Fest, de Piura. Além disso, teremos notícias musicais confirmadas da Indigo, Niños Sin Smartphones, Fernanda Perochena e Pounda & NoModico.


URUGUAI
por Kristel Latecki do site PiiiLA

No Uruguai, 2021 foi inaugurado – como todo verão – entre o litoral e a cidade. Após um início marcado por preocupantes números do Coronavírus, a cultura foi aos poucos conseguindo voltar aos palcos em diferentes partes do país e em pequenos formatos. Nesse sentido, o verdadeiro início do ano será em fevereiro. Nesse ínterim, tivemos alguns lançamentos para entreter os ouvidos.

Samantha Navarro concluiu um projeto de longa data este mês. “Amor” é uma trilogia de EPs, cada um pensado como uma ilha de três canções de diferentes épocas, sendo o amor a ponte que os une. “La Tercera Isla” – a mais antiga em formação – tem “A Punta de Llama” e “Al Vino e Al Cielo”, além de uma versão de “Electrodomésticos”, de Sylvia Meyer e Marco Maggi. Uma certa domesticidade acaba sendo o denominador comum entre essas faixas, que também exploram mais uma veia folclórica em contraposição ao pop que dominou as ilhas anteriores.

Entre um synth pop etéreo e um electropop mais experimental, Salvamento lançou “Gema”, o seu EP de estreia. A dupla formada por Sebastián Pina (Alucinaciones en Familia, Comunismo Internacional) e Selina Tarallo geram momentos interessantes de dança introspectiva e escuta pensativa. São os detalhes (como os samplers de vozes japonesas, uma certa espiritualidade que desperta) que fazem a diferença aqui.

Nico Barcia e Tito Sónico são dois ícones e participantes da instituição do rock uruguaio dos anos 90 com suas bandas Chicos Eléctricos e The Supersónicos; donos de estéticas e estilos particulares, eles decidiram se unir em um EP de nove canções intitulado “Rock’n’roll Premium”. Entre canções e instrumentais, eles unem psicodelia, surf, rock and roll e o humor que também os caracteriza. Soa como uma carta de amor à música e amizade.

O rapper Hache Souza e o produtor BNT divulgaram seu trabalho colaborativo “Modo Avión”, um EP dedicado ao trap e à pena de um dos mais destacados e relevantes escritores do país. Experimentando o gênero, as canções mostram seu reverso em minutos, ou são apoiadas por batidas para motivar a dança. Acima deles, as letras do vôo nos levam por seus caminhos já conhecidos.

Davo, uma das figuras do trap de exportação uruguaio, ofereceu “Pikachu“, uma faixa dominada por uma marimba brilhante e as rimas que a caracterizam. Pode não ter a força de sucessos anteriores, mas mostra seu próprio estilo e personalidade para seu próximo trabalho.

No te Va Gustar vai lançar este ano o seu décimo álbum, “Luz”, cujo vídeo de “No te imaginás” é o primeiro avanço. Nele, o diretor Nacho Benedetti retratou parte da gravação do álbum e da convivência da banda.

Também em face de um novo álbum, Peyote Asesino lançou “La Tumba de los Crá” junto com um vídeo inspirado na vida digitalizada, e que acompanha uma carta que se refere ao pior do uruguaio.

O QUE VEM EM FEVEREIRO
Com todos os protocolos, a música ao vivo volta com tudo, com vários pequenos festivais e datas muito atrativas. Também há discos dos citados Davus e Amigovio e singles de Victoria Brion com Tinitus, Max Tejera, Julen e La Gente Sola em colaboração com Amigovio e Juan Wauters com Mac DeMarco.

LEIA OS PANORAMAS ANTERIORES DA FARO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.