Assista: David Sampler lança videoaula de produção musical

Texto por Vladimir Cunha

Criado nas ruas da periferia de Belém do Pará, o eletromelody é uma das expressões mais pesadas e experimentais do tecnobrega. Resultado da mistura da dance music europeia com o tecnobrega, ele dominou durante mais de uma década as pistas de dança das festas de aparelhagem da capital paraense. É do eletromelody o hit “Galera Laje”. Composto em 2009 por Marcos Maderito e Joe Benassi e relançado nacionalmente em 2010 pelo grupo Gang do Eletro, um dos maiores expoentes do gênero.

Com mais de dez anos de carreira, David Sampler é um velho conhecido da cena tecnobrega e eletromelody de Belém do Pará. Seus principais trabalhos incluem parcerias com nomes como Marlon Branco, Banda Ravelli e Banda Tecnomachine. Em 2009, participou do documentário “Brega S/A”, que mostrava a cadeia de produção do tecnobrega de Belém do Pará e como a sua associação com a economia informal da cidade ajudou a impulsionar o gênero.

Agora, com patrocínio de Natura Musical, através da Lei Semear de incentivo cultural, David mostra um pouco de suas técnicas de produção e composição de tecnobrega e eletromelody em uma videoaula voltada tanto para iniciantes quanto para profissionais da música. Em dois vídeos, que você assiste na integra mais abaixo, ele ensina como programar as batidas de tecnobrega no software Fruity Loops, bem como a criação de linhas de baixo, de camas de teclado, efeitos e harmonias. A videoaula faz parte do projeto Reis do Eletro, registro ao vivo de um show que colocou no mesmo palco os DJs criadores do eletromelody e o MC Marcos Maderito ao lado dos cantores DJ Maluquinho, Suanny Batidão e Billy Brasil, além do guitarrista Leo Chermont, do duo eletrônico Strobo.

“Eu sempre gostei de ensinar. E sempre acreditei que a música e a produção cultural podem ser ferramentas importantes no crescimento pessoal dos jovens da periferia. Por isso é muito importante para mim poder levar esse trabalho ao maior número de pessoas possível. Tanto pela possibilidade de formar novos músicos e produtores quanto por poder divulgar para todo o Brasil um aspecto importante da cultura paraense”, explica David. Assista as videoaulas abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.