Quadrinhos: “Busker”, “Golias”, “Squeak The Mouse” e “Lume”

Resenhas por Adriano Mello Costa

“Busker”, de Ryan Smallman (Independente)
Clay circula por São Paulo com o violão debaixo do braço, tocando pelas ruas, como tantos outros. No peito o anseio de viver de música, de mostrar a arte para uma quantidade maior de pessoas, de vencer usando o talento. É com essa trama que o designer e ilustrador Ryan Smallman estreou no final de 2018 com “Busker”, publicação independente de 48 páginas em preto e branco. A obra trata de um tema abordado várias vezes e poderia passar batida se não fosse pela suavidade e pelo esmero que o autor utiliza no texto e arte. Mesmo com certa previsibilidade nos rumos, “Busker” agrada e serve para aplacar um pouco o dia a dia tão permeado de notícias ruins, pois é sobre sonhos, sobre acreditar, sobre seguir em frente mesmo quando o mundo diz não (como fala aquela música). E, acima de tudo isso, é sobre o poder das canções.

Nota: 6
Instagram do autor: https://www.instagram.com/ryansmallman/

“Golias”, de Tom Gauld (Editora Todavia)
A história de Davi e Golias é universalmente conhecida não somente por aqueles que leram a bíblia, mas por várias outras pessoas. A vitória da inteligência contra a força bruta, do pequeno contra o grande, do impossível contra o normal é retratada constantemente como analogia em diversas situações. Só que o quadrinista escocês Tom Gauld deu uma bela revertida nesse conceito, recontando as coisas de maneira diferente. Em “Golias”, que a editora Todavia publicou esse ano no Brasil, com 96 páginas, o gigante não quer saber de guerra ou briga, prefere a burocracia do que ir para a batalha. Contudo, devido ao seu tamanho e porte físico, ele é deslocado para resolver os problemas da guerra, guerra aliás que é retratada com as irracionalidades e incoerências que lhe são inerentes. Usando poucas cores e traços simples, Tom Gauld faz uma releitura da parábola com fineza, humor e relevância aos nossos tempos.

Nota: 7
Instagram do autor: https://www.instagram.com/tomgauld/

“Squeak The Mouse”, de Massimo Mattioli (Editora Veneta)
Massimo Mattioli nasceu na Itália em 1943 e faleceu em agosto desse ano. O cartunista e quadrinista foi um dos fundadores de revistas underground como “Frigidaire” e “Cannibale” e aqui teve trabalhos publicados na extinta e saudosa revista “Animal”. No primeiro semestre de 2019 (e antes da sua morte), a editora Veneta publicou uma edição de luxo com capa dura, 160 páginas e vários esboços de extras compilando tudo da dupla mais demente e desvairada já imaginada. “Squeak The Mouse” começou a sair no início dos anos 80 unindo violência, sexo e subversão com muita desordem e depravação sempre repetindo a mesma diagramação básica dos quadros. Como se Tom e Jerry estivessem sobre efeito de todas as drogas possíveis e existentes numa espiral de carnificina e libertinagem extremada indicada única e exclusivamente para leitores adultos. Por mais que algumas coisas tenham envelhecido mal, “Squeak The Mouse” ainda é uma obra com grande valor.

Nota: 7,5
Site oficial: http://www.massimomattioli.com/wp/comix/

“Lume”, Luiza Nasser (Independente)
O tempo passa, a juventude fica para trás e no meio da correria louca do processo de sermos adultos e pagar os boletos esquecemos-nos de pessoas e momentos importantes que permearam essa fase complicada da vida. É sobre isso que a artista visual e quadrinista paulista Luiza Nasser conversa em “Lume”, trabalho independente de 68 páginas lançado em 2018. Em preto e branco alternando os tipos e estilos de quadros e a força do próprio desenho a autora conta com extrema delicadeza uma relação que é bem provável que já tenha acontecido com você ou com algum amigo. Na busca por afirmação, por encontrar um lugar no mundo, por ter um ombro para recorrer quando a vida sai do trilho, de saber que você não está sozinho na vida é que “Lume” se destaca e vai um pouco mais além da sua premissa inicial e brilha de maneira ímpar.

Nota: 8
Instagram da autora: https://www.instagram.com/lorinasser/

– Adriano Mello Costa assina o blog de cultura Coisa Pop ( http://coisapop.blogspot.com.br ) e colabora com o Scream & Yell desde 2009!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.