Boteco: A linha Dádiva Quatre

por Marcelo Costa

Para comemorar seu quarto aniversário, em março de 2018, a Cervejaria Dádiva lançou uma tetralogia de rótulos especiais unidos pela temática do vinho. O primeiro deles, base para as três seguintes, é uma Golden Strong Ale que recebeu o nome de Vierge e foi fermentada com levedura de vinho branco. De coloração âmbar alaranjada com creme branco espesso de boa formação e média retenção, a Dádiva Quatre Vierge apresenta um aroma bastante doce sugerindo mel, caramelo, frutas cristalizadas, geleia de laranja e uma sutil percepção dos 9.5% de álcool. Na boca, doçura de mel de laranjeira no primeiro toque seguido de sutil percepção de vinificação, frutas cristalizadas e leve floral. Não há amargor e mesmo a doçura não soa excessiva, mas o álcool está aqui, mostrando suas garras de maneira leve. A textura é suave e levemente picante (de álcool). Dai pra frente, uma Golden Strong Ale bastante tortinha (devido a levedura de vinho branco) para ser usada de base, o que é bem legal. No final, álcool e geleia de laranja. No retrogosto, mel, geleia e álcool.

A segunda da série é a Blanc, cuja receita base foi envelhecida em barricas de vinho Sauvignon Blanc. O resultado é uma cerveja de coloração amarela turva levemente alaranjada e creme bege claro de média formação e rápida dispersão. No nariz, uma combinação deliciosa de notas que remete a uva e maçã verdes, pera e amadeirado sugerindo vinho e sidra provocam o bebedor. Na boca, uva verde e pera no primeiro toque seguidas de baixa doçura (mel), percepção bastante suave dos 9.5% de álcool e mais sugestão de vinho branco, madeira e pera e uva e maçã verdes. O amargor é baixo, há leve acidez e a textura muito mais leve do que se espera, e deixa perceber o álcool sobre a língua (assim como a madeira) sem incomodar o bebedor. Dai pra frente, um experimento bem interessante com a barrica e uva verde bastante presentes (e de maneira deliciosa) no conjunto final, como deveria ser. No final, melado, uva e madeira. No retrogosto, a madeira persiste assim como a uva. Delicia!

A terceira da série é a Rouge, que segue o padrão da anterior, mas ao invés de Sauvignon Blanc, ela é envelhecida em barricas que antes receberam vinhos Merlot e Tannat. Na taça, a Dádiva Quatre Rouge apresenta uma cerveja de coloração amarela turva com traços avermelhados e creme bege claro de baixa formação e rápida dispersão. No nariz, um conjunto maravilhoso de notas que remetem desde a casca de laranja, pêssego em calda e pitanga até coco, madeira, baunilha, uva, maçã vermelha e toques de vinificação e leve aridez / acidez. Há leve percepção dos 9.5% de álcool. Na boca, cítrico e azedinho de casca de laranja no primeiro toque seguida de percepção assertiva de vinificação, madeira e uva, que trazem consigo álcool sutil. Não há sensação de amargor, mas um azedume bem leve. A textura é suave e levemente picante. Dai pra frente, uma Belgian Strong Ale totalmente (e deliciosamente) alterada pela barrica de vinho. No final, leve vinificado. No retrogosto, cereja, uva, laranja e amor. Uou!

Fechando o quarteto com a Quatre Ménage, um blend das duas cervejas envelhecidas anteriores, que ainda leva adição de mosto de uva Syrah. De coloração âmbar turva com creme bege claro de baixa formação e rápida dispersão, a Dádiva Quatre Ménage apresenta um aroma que combina suaves notas amadeiradas com bastante sugestão de uva, tanto verde quanto tinta (ainda que a segunda se sobreponha levemente a primeira), que domina o conjunto. Ainda é possível perceber sugestão de mel e de frutas como pitanga. Na boca, o primeiro toque traz doçura frutada (mel e pitanga) seguidos de uma pancada de madeira e bastante sugestão de vinificação, com as uvas tintas se destacando mais, mas as verdes também estão aqui. Há, ainda, sugestão de maçã caramelizada. Os 9.5% de álcool passam batido, quase imperceptíveis, enquanto a textura é suave leve com picância alcoólica baixa. Das quatro, essa é a que apresentou a madeira mais presente, brigando de igual para igual com as uvas pela atenção do bebedor. No final, picância alcoolica discreta e bastante madeira. No retrogosto, maçã caramelizada, uva tinta e madeira.

Dádiva Quatre Vierge
– Produto: Belgian Golden Strong Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9.5%
– Nota: 3,47/5

Dádiva Quatre Blanc
– Produto: Belgian Golden Strong Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9.5%
– Nota: 4,04/5

Dádiva Quatre Rouge
– Produto: Belgian Golden Strong Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9.5%
– Nota: 4,08/5

Dádiva Quatre Ménage
– Produto: Belgian Golden Strong Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9.5%
– Nota: 3,51/5

Leia também
– Top 2001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.