HQs: “Nori e Eu”, “Na Quebrada”, “O Fio do Vento” e “Punk Rock Jesus”

Resenhas por Adriano Mello Costa

     

“Nori e Eu”, de Masanori Ninomiya e Sônia Ninomiya (WMF Martins Fontes)
Masanori Ninomiya, hoje com 33 anos, foi diagnosticado com características de espectro autista quando criança. Não se expressava com palavras, mas encontrou no desenho uma maneira de absorver o que acontecia ao seu redor. Em “Nori e Eu”, ele conta essa história junto com a mãe Sônia Ninomiya, professora aposentada de literatura e cultura japonesa. Sob supervisão e edição de arte do Caeto, o trabalho em preto e branco escrito a quatro mãos têm 92 páginas e publicação esse ano da editora WMF Martins Fontes. O álbum é um retrato de luta e amor incondicional entre mãe e filho que a cada conquista faz o leitor vibrar junto. Da busca pela identificação maior da sua situação, passando pela convivência na escola e chegando a processos claros de evolução, como sair sozinho e se expressar de modo claro, temos uma história que além de bastante inspiradora é extremamente bonita e forte.

Nota: 7,5

“Na Quebrada – Quadrinhos de Hip Hop”, Organização de Raphael Fernandes (Editora Draco)
Existem iniciativas que só pela temática e concepção já merecem destaque. Se isso for aliado a material de qualidade, essa iniciativa ganha amplitude e se estende além desse destaque inicial. É o caso de “Na Quebrada – Quadrinhos de Hip Hop” da editora Draco com 184 páginas publicada esse ano. É uma coletânea de oito histórias organizada pelo versátil Raphael Fernandes (que também assina um dos roteiros) versando diretamente (mas não somente) para o público amante do rap e do hip-hop e para os moradores das periferias do país. A obra usa o cotidiano como inspiração sem esquecer-se de adicionar como pano de fundo o preconceito e a falta de oportunidade que anda do lado desse cotidiano. “Sampleador”, “Meu corpo, minhas regras” e “Um conto de duas cidades” exibem uma carga maior de intensidade, enquanto “O rei do groove”, do Guabiras, fecha a obra em alto estilo e (muito) bom som.

Nota: 8

“Fio do Vento”, de Camilo Solano (Editora Veneta)
A chegada de um novo trabalho do Camilo Solano é motivo para comemoração. O autor de “Desengano” e “Semilunar” é dono de uma das vozes mais interessantes do quadrinho nacional e em “Fio do Vento” – publicação de 2019 da editora Veneta com 100 páginas – isso se reafirma. Nas duas histórias que se entrelaçam cuidadosamente na trama e abrem espaço para que outras sejam contadas paralelamente, Solano faz o leitor ir com calma e até voltar para ler de novo. Os personagens carregam aquela diretriz que, apesar das porradas da vida e dos caminhos escolhidos, ainda se deve ter alguma vontade de ir em frente nem que seja para um mísero alívio qualquer. Um desses personagens quando fala que está esgotado apesar do ano ter apenas começado ou vê que a vida passou e não andou como desejava rende momentos brilhantes apoiados sempre no traço vigoroso e expressivo do artista.

Nota: 8,5

“Punk Rock Jesus”, de Sean Gordon Murphy (Panini Books)
“Punk Rock Jesus” foi escrita e desenhada pelo Sean Gordon Murphy que recentemente fez a ótima “Batman: Cavaleiro Branco”. Originalmente publicada nos EUA em 6 edições dentro do hoje extinto selo Vertigo (da DC Comics) entre 2012 e 2013, a série ganhou uma especialíssima edição de luxo pela Panini Books no ano passado com 364 páginas, onde mais de 100 são esboços e excelentes considerações do autor sobre os rumos e decisões que tomou na trama. Abordando uma temática bem espinhosa, Murphy conversa com voracidade com os dias atuais por mais absurdo que as premissas possam parecer logo de entrada. Com uma arte feroz e provocativa, o texto ataca religião, conservadorismo e a manipulação da mídia para afirmar narrativas mentirosas (lembra algo?) enquanto apresenta um jovem tentando entender o seu verdadeiro lugar no mundo. Fácil uma das melhores obras dos anos 2000, “Punk Rock Jesus” é para se ter na estante.

Nota: 10

– Adriano Mello Costa assina o blog de cultura Coisa Pop ( http://coisapop.blogspot.com.br ) e colabora com o Scream & Yell desde 2009!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.