Boteco: Sete cervejas de sete estados estadunidenses

por Marcelo Costa

Começando uma série de sete cervejas de sete estados norte-americanos pelo Oregon, mais precisamente Newport, casa da Rogue Brewery, que retorna ao site com uma cerveja que é resultado do blend de duas outras famosas receitas da casa, 60% da Hazelnut Brown Nectar e 40% da Chocolate Stout. O resultado “é uma barra de chocolate”, dizem os locais, que faziam o blend muito antes da cervejaria juntar tudo nessa garrafa de Hazelutely Choctabulous, uma Sweet Stout de coloração marrom escura quase preta e creme bege de ótima formação e longa retenção. No nariz, bastante avelã e chocolate ao leite em destaque, mas também é possível perceber baunilha, caramelo e um tiquinho de malte torrado, bem discreto. Na boca, avelã no primeiro toque seguido de chocolate ao leite e baunilha. Não há sensação de amargor (apesar da casa adiantar 51 IBUs, o que soa exagerado) e a textura é leve caminhando para o suave. Dai pra frente, a sensação é, realmente, de uma barra de chocolate liquida cujo final reforça a sensação de avelã trazendo consigo amargor de torra. No retrogosto, baunilha, chocolate ao leite e torra.

Do Oregon para Portland, no Maine, com a primeira Allagash a passar por aqui, a Hive 56 uma Sour cuja receita combina os maltes Dark Munich malt, Chocolate Wheat, Midnight Wheat e Roasted Barley com os lúpulos Cascade e Northern Brewer. É feita uma primeira fermentação com levedura da casa, depois a cerveja é colocada em barricas de carvalho com adição de levedura selvagem (Brettanomyces) e mel descansando por 18 meses. O resultado é uma cerveja de coloração marrom mogno com creme bege de boa formação e média retenção. No nariz, balsâmico suave salta à frente trazendo consigo algo que remete a frutas vermelhas (principalmente cereja) além de amadeirado suave. Há, ainda, sugestão de figo e um distante turfado. Na boca, balsâmico suave no primeiro toque seguido por sugestão de cereja, azedume médio e amadeirado e figo. Tanto o azedume quanto o balsâmico e a acidez são moderados, curtiveis. A textura é picante, frisante, arisca. Dai pra frente, uma baita Sour com jeitão de Flanders ao Balsâmico. No final, balsâmico leve e cereja. No retrogosto, madeira, figo, balsâmico e cereja.

Do Maine para Fort Collins, no Colorado, com a terceira New Belgium a passar por aqui, a Voodoo Ranger versão Imperial IPA, cuja receita combina os lúpulos Delta, Bravo, Centennial, Cascade, Calypso e Mosaic com os maltes Pale e Black. O resultado é uma cerveja de coloração âmbar translucida com creme bege clarinho de boa formação e média alta retenção. No nariz, notas frutadas e herbais junto com a presença de caramelo tentam vencer a potência alcoólica (9%), que dá sinais de resistência e bastante intensidade. Na boca, sensação de laranja e toranja no primeiro toque seguida de doçura de caramelo e uma bela pancada de amargor (70 IBUs), extenso, e álcool. A textura é suave, querendo ser cremosa, e picante (de álcool). Dai pra frente surge uma Imperial IPA altamente alcoólica, quase uma Malt Liquor com personalidade, sabor e capricho. No final, caramelo e picância alcoólica. No retrogosto, doçura, leve toque de laranja, herbal e álcool.

Do Colorado para a Califórnia, mais precisamente, San Diego, terra da Modern Times, cervejaria que retorna ao site com a Blazing World, uma Amber Red Ale produzida com os lúpulos Nelson Sauvin, Simcoe e Mosaic e maltes Two Row, Munich e Midnight Wheat. De coloração âmbar com creme bege clarinho de boa formação e média alta retenção, a Modern Times Blazing World apresenta um aroma com as notas maltadas adocicadas clássicas do estilo sugerindo caramelo e pão doce, mas trazendo de novidade um leve aceno cítrico (laranja e toranja), herbal e floral, que soa bastante interessante no nariz. Na boca, a boa surpresa continua: o frutado cítrico salta à frente já no primeiro toque com toranja em destaque. A doçura caramelada vem na sequencia, envolvida com o cítrico de maneira deliciosa. O amargor é muito mais suave do que os 60 IBUs da lata adiantam e a textura, cremosa e um tiquinho picante. Dai pra frente surge uma Amber Ale bastante lupulada e saborosa, que finaliza com um toque de malte e toranja. No retrogosto, mais toranja, mais caramelo, mais pão doce e refrescancia.

Da Califórnia para o Brooklyn nova-iorquino com mais uma Brooklyn a passar por aqui, desta vez a Bel Air, uma Sour lançada em 2017 pela cervejaria e cuja receita combina o malte 2-Row com trigo e os lúpulos Simcoe e Amarillo com a levedura Ale da casa e adição de lactobacilos próprios. O resultado é uma cerveja de coloração dourada levemente turva a frio com creme branco de excelente formação e média alta retenção. No nariz, doçura de trigo, leve percepção de frutado (limão, uva verde) e de floral além de sugestão de acidez intensa. Na boca, doçura de trigo no primeiro toque trazendo consigo algo que remete a pêssego seguido de mais doçura e, então, uma pancadinha deliciosa de acidez combinada com azedume levezinho. A textura, como era de se esperar, é frisante, pinicando a língua até formar uma base de cremosidade. Dai pra frente segue-se o perfil de uma American Wild Ale simplesinha, mas caprichada nos mínimos detalhes. O final traz adstringência suave e secura. No retrogosto, salivação, limão, pêssego e refrescancia. Bem boa!

De Nova York para Seattle, em Washington, com a Dark Star da Fremont Brewing Company, uma Imperial Oatmeal Stout cuja receita combina os maltes 2-Row Pale, Roast Barley, C-60, Carafa 2 e Chocolate com aveia em flocos e os lúpulos Magnum e Willamette. O resultado é um cafezão de coloração marrom escura, quase preta, e creme bege escuro de excelente formação e média alta retenção. No nariz, sugestão intensa de café e cappuccino com leve percepção de cacau, de tosta, torra e até um sutil turfado. Na boca, sensação de cappuccino no primeiro toque, mas com café marcante, sugestão deliciosa que permanece na sequencia. O amargor é médio, pegado, 50 IBUs caprichados. Já a textura é suave com leve picância (alcoólica, são 8% de álcool que aparecem sobre a língua, mas estão muito bem inseridos no conjunto). O que segue é uma Imperial Oatmeal Stout deliciosa, que finaliza com pegada de cacau e café. No retrogosto, mais cacau, café e cappuccino. Delicia.

De Seattle para Chicago com a versão que festeja 10 anos da Big Hugs, uma Russian Imperial Coffee Stout da Half Acres com café da Dark Matter Coffee, também de Chicago (além da versão tradicional eles produzem uma variável com baunilha e outra envelhecida em barril de Bourbon). A versão base apresenta uma coloração marrom escura intensa, quase preta, e creme bege escuro de boa formação e média alta retenção. No nariz, doçura e café numa sugestão deliciosa de cappuccino com notas de torra de malta bastante sutis na base. Na boca, café sutil no primeiro toque com acentuação de torra na sequencia, percepção de doçura e sugestão de cappucino logo depois. O amargor é médio e eficiente, algo em torno dos 45 IBUs. Já a textura é suave com leve picância (dos 10% de álcool). Dai pra frente segue-se a ideia de uma RIS com café bastante simples, mas eficiente, que entrega o que anuncia – ainda que pareça pouco perto do avanço do mercado. No final, café e cappuccino. No retrogosto, mais café e cappucino. Delicinha.

Balanço
A primeira é a Rogue Hazelutely Choctabulous, que cumpre o que promete entregar: uma barra de chocolate líquida. E olha que o drinkability é até interessante! Gostei! E gostei ainda mais da Allagash Hive 56, uma Sour incrível com jeitão de Flanders. A New Belgium Voodoo Ranger é uma Imperial IPA que poderia ser uma Malt Liquor ajeitada, devido a seu álcool exagerado. A Modern Times Blazing World é uma deliciosa Amber Ale lupuladissima! A Brooklyn Bel Air é uma Sour agradabilíssima, que eu já havia bebido e me surpreendido no bar da fábrica, e continua uma delicia na garrafa. A Fremont Dark Star é um cafezão delicioso enquanto a Half Acre Ten Years Big Hugs segue a mesma toada, com um tiquinho mais de álcool.

Rogue Hazelutely Choctabulous
– Produto: Sweet Stout
– Nacionalidade: Oregon, EUA
– Graduação alcoólica: 5.7%
– Nota: 3.49/5

Allagash Hive 56
– Produto: Sour
– Nacionalidade: Maine, EUA
– Graduação alcoólica: 9.2%
– Nota: 3.70/5

New Belgium Voodoo Ranger Imperial IPA
– Produto: Imperial IPA
– Nacionalidade: Colorado, EUA
– Graduação alcoólica: 9%
– Nota: 3.31/5

Modern Times Blazing World
– Produto: Amber Ale
– Nacionalidade: Califórnia, EUA
– Graduação alcoólica: 6.8%
– Nota: 3.45/5

Brooklyn Bel Air
– Produto: American Wild Ale
– Nacionalidade: Nova York, EUA
– Graduação alcoólica: 5.8%
– Nota: 3.48/5

Fremont Dark Star
– Produto: Imperial Oatmeal Stout
– Nacionalidade: Washington,EUA
– Graduação alcoólica: 8%
– Nota: 3.50/5

Half Acre Ten Years Big Hugs
– Produto: Russian Imperial Coffee Stout
– Nacionalidade: Illinois, EUA
– Graduação alcoólica: 10%
– Nota: 3.50/5

Leia também
– Top 2001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.