Roque da Casa #09– Heróis do Mar

por Bruno Capelas

Heróis do mar, nobre povo, nação valente e imortal. Quem acompanhou a seleção portuguesa graças a Luís Figo e Cristiano Ronaldo sabe que é assim que começa o hino de Portugal – não vou continuar aqui que senão eu canto o hino todo sozinho (mas se você quiser embalar). Heróis do Mar também é o nome de uma das bandas mais importantes da música portuguesa – dona de uma proposta que muita gente interpretou errado no início daqueles anos 1980.

Era fácil entender porque: enquanto Portugal estava aprendendo a ser uma democracia, esses caras queriam olhar para o passado glorioso da nação. Entrar num navio para terras desconhecidas tem lá qualquer coisa épica, romântica-exagerada, que cabia bem ao pós-punk/new wave desses rapazes que frequentavam as discotecas de Lisboa. Especialmente na primeira fase da banda, entre 1981 e 1982, com hits como “Amantes Furiosos”, “Brava Dança dos Heróis” e “Amor”.

Depois, os Heróis do Mar enveredariam por um caminho mais pop e até seriam o berço de uma das mais cultuadas iniciativas musicais lusitanas no mundo: o Madredeus, que fez o fado ser popular no mundo todo (com uma mãozinha de Win Wenders). Mais que isso, eles são donos de um projeto estético que ressoa com muita gente no rock de hoje – falando especialmente de Manuel Fúria, Diabo na Cruz e também do Ciclo Preparatório, uma jovem mais interessante banda. “Às armas, às armas/Sob a terra, sob o mar!”.

O programa Roque da Casa é veiculado pela Contra.fm e disponível em playlists comentadas no Spotify e no Deezer. Ouça abaixo!

BLOCO 1
HERÓIS DO MAR – “Amantes Furiosos” (do disco “Heróis do Mar”, de 1981)
HERÓIS DO MAR – “Brava Dança dos Heróis” (do disco “Heróis do Mar”, de 1981)
HERÓIS DO MAR – “Amor” (do single “Amor”, de 1982)

BG: HERÓIS DO MAR – “Magia Papoila” (do disco “Heróis do Mar”, de 1981)

BLOCO 2
HERÓIS DO MAR – “Paixão” (do single “Paixão”, de 1983)
HERÓIS DO MAR – “O Inventor” (do single “O Inventor”, de 1987)
MADREDEUS – “Guitarra (from Lisbon Story)” (do álbum “Ainda”, de 1995)

BG: MADREDEUS – “Oxalá” (da coletânea “Antologia”, de 2000)

Embed do Spotify:

Embed do Deezer:

– Bruno Capelas (@noacapelasé jornalista do Estadão. Colabora com o Scream & Yell desde 2010.

– Roque da CasaOuça os programas 1 (com Antonio Variações) e 2 (com Deolinda) aqui
– Roque da CasaLinda Martini transita entre o pós-punk e o post-rock, com pitadas de hardcore
– Roque da CasaFormada no final da década passada, a Diabo na Cruz tem quatro discos
– Roque da CasaCom nome inspirado nos White Stripes e canções à la Strokes, eis Os Pontos Negros
– Roque da CasaBFachada: Prolífico, versátil, desbragado, despudorado, tradicional e contemporâneo
– Roque da CasaOrnatos Violeta, um dos grupos mais interessantes de Portugal
– Roque da Casa: Xutos e Pontapés, a banda de rock português mais conhecida no Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.