Boteco: Cinco cervejarias nacionais, Dez cervejas

por Marcelo Costa

Começando mais uma série da cervejaria Wäls, de Belo Horizonte, com a Aloha, uma Summer Ale (com jeitão de Session IPA) tremendamente levíssima que chegou um pouquinho atrasada para o Carnaval e o verão 2018, ou adiantada para 2019 (hehe). Com apenas 2.5% de álcool e 30 IBUs, a Wäls Aloha exibe uma coloração dourada levemente turva com creme branco de bela formação e longa retenção. No nariz, lupulagem potente com sugestão potente de notas cítricas (manga, tangerina, abacaxi) e herbais, esta em segundo plano, sobre uma base bem suave de mel. Na boca, o amargor cítrico surge assertivo já no primeiro toque em meio a frutado (o mesmo trio do aroma) e herbal. A textura é cremosa e um tiquinho picante. Dai pra frente surge um conjunto bem leve, de drinkability e refrescancia altíssimos. No final, amanteigado bem sutil, frutado cítrico e amargor comportado. No retrogosto, frutas amarelas. Curti.

Saímos de Belo Horizonte para Blumenau, casa da Eisenbahn, que retorna com sua American IPA, que parece oficializar (e amaciar) a vencedora do 4º Concurso Mestre Cervejeiro, realizado em 2013, que resultou na vitória da Frosty Bison, receita elogiada de André Canuto e Fabert Araújo, que ganhou uma edição limitada em 2014 e até circulou mais tempo do que outras vencedoras, mas saiu de circulação dando lugar a esta versão sensivelmente mais domada (a cervejaria não divulgou se é a mesma receita). De coloração âmbar alaranjada e creme branco de boa formação e longa permanência, a Eisenbahn American (Caramel) IPA destaca um aroma que equilibra notas doces intensas com leve frutado cítrico remetendo a maracujá. Na boca, doçura caramelada chega antes no primeiro toque, mas é seguida de frutado cítrico caprichado e amargor moderado. A textura é suave com picância baixa e, dai pra frente, surge um conjunto que tenta equilibrar a doçura intensa com o amargor pontual e o frutado cítrico. O resultado é discreto, mas agradável (ainda que bem inferior ao da Frosty Bison). No final, amargor e doçura, alternados. No retrogosto, um pouco de herbal, um pouco de caramelo. Ok.

De Blumenau para Socorro, na grande São Paulo, mais especificamente na fábrica da Quinta do Malte, local onde a cigana Urbana preparou a receita de duas colaborativas com o Clubeer, em comemoração ao sexto aniversário do clube cervejeiro: a primeira delas foi a Get Alt!, uma Altbier de 5.1% de álcool e 36 IBUs. De coloração âmbar acastanhado claro com creme bege claro de boa formação e média alta retenção, essa Get Alt! exibe maltado em destaque sugerindo nozes e também doçura de caramelo além de toffee e leve percepção de notas herbais. Na boca, doçura, toffee e frutas escuras no primeiro toque com amargor moderado na sequencia (os 40 IBUs são aceitáveis, ainda que o amargor pareça pouco para o estilo). A textura começa áspera e vai se tornando suave, quase cremosa e picante. Dai pra frente surge um conjunto que remete ao estilo Altbier, mas deixa alguns dos elementos chave do estilo (como amargor e corpo) em segundo plano. No final, toffee e biscoito. No retrogosto, toffee, caramelo, biscoito e amargor sutil.

Da grande São Paulo para Saquarema, no Rio de Janeiro, com duas da cervejaria 3Cariocas, uma das minhas cervejarias favoritas de 2017/2018. A primeira delas é a Cariocaholic, que aqui ressurge em sua versão Blond Ale (há ainda uma versão Red Ale) revisada com 4.2% de graduação alcoólica e 21 IBUs. De coloração dourada cristalina com creme branco de alta formação e boa retenção, a Cariocaholic exibe um aroma deliciosamente cítrico com remissão clara ao lúpulo Citra e sugerindo frutas amarelas além de um mel bem suave. Na boca, frutas cítricas no primeiro toque seguida de refrescancia e mais frutado cítrico (maracujá e laranja lima em destaque) além de um amargor bem baixinho. Sobre a língua, a textura sugere picância num primeiro momento, mas depois vai se tornando cremosa (ainda que picante). Dai pra frente surge um suco de laranja lima alcoólico, refrescante de alto drinkability. No final, frutado cítrico delicioso. No retrogosto, refrescancia, cítrico e vontade de beber mais.

De Saquarema para Porto Alegre, casa da Seasons, com a Cormano, mais uma receita que segue a “Lei de Zoeira” da cervejaria, neste caso uma American IPA com aveia e mel. De coloração amarela (amarela mesmo), juicy, com creme branco de excelente formação e longa retenção, a Seasons Cormano exibe um aroma bastante cítrico distribuindo sugestão de maracujá, tangerina e manga para todos os lados. Há, ainda, percepção suave de condimentação e também notas herbais (grama), que vão aumentando progressivamente. Na boca, o primeiro toque percebe a densidade do corpo assim como notas cítricas (maracujá e laranja) e também herbais (grama). A levedura mostra um pouco de presença na sequencia com picância e o amargor (65 IBUs) é bastante equilibrado, mas presente. A textura é sedosa e picante. Dai pra frente, uma baita American IPA que namora o estilo New England, mas não rola casamento – está mais para uma “ficada” em que todos saem felizes. No final, mais herbal do que cítrico. No retrogosto, o herbal marca mais presença com um leve terroso. Bela IPA.

Começando a sequencia ao contrário com a segunda da Seasons, X-Bacon RauchBock, uma colaboração entre os gaúchos e os alemães da Weyermann Malting Company, uma das maltarias mais tradicionais do mundo, fundada na cidade de Bamberg em 1879 e especializada em maltes defumados (aqui combinados “com malte Caramel para suavizar a pancada rauch”, segundo o rótulo). De coloração âmbar acastanhada com creme bege de boa formação e retenção, a Seasons X-Bacon exibe um aroma levemente defumado e também caramelado, num equilíbrio bem interessante. Na boca, o equilíbrio se mantém no primeiro toque, mas a sensação geral é de que o defumado é a estrela e o caramelo é a cama em que a estrela se deita. Ou seja, quem não gosta de defumado, vai feliz na anterior, porque aqui a escola rauchbier é honrada (o amargor de 24 IBUs é bem leve). A textura é suave e levemente picante. Dai pra frente, uma bela rauch (“sem maionese”, avisa o rótulo) que finaliza defumado e um tiquinho picante. No retrogosto, caramelo, defumado e leve apimentado. Delicia.

De Porto Alegre para Saquarema com a segunda da 3Cariocas por aqui, DDH Session IPA Nema, versão limitada da Session IPA Nema, primeira cerveja dos cariocas, mas com um dry-hopping duplo de lúpulo Citra visando comemorar o terceiro ano da cervejaria. De coloração entre âmbar e dourado mais creme bege bem clarinho, praticamente branco, de excelente formação e média alta retenção, a 3Cariocas DDH Session IPA Nema exibe um aroma desconcertante de tão bom assim que a lata é aberta: muito cítrico (maracujá, manga e tangerina) e herbal muito mais sutil do que na primeira versão. Há, ainda, um leve harsh sugerindo pancada de amargor. Será? Na boca, cítrico apaixonante (mais tangerina que maracujá nessa versão) no primeiro toque seguido de uma deliciosa refrescancia e amargor (42 IBUs) bem aconchegantes. A textura é levemente picante com média cremosidade e, dai em diante, cítrico, refrescancia e amor cervejeiro. No final, leve cítrico que vem trazendo um amargor suave consigo. No retrogosto, cítrico, herbal e refrescancia! Delicinha.

De Saquarema para Socorro, na grande São Paulo, com a segunda receita que a Urbana preparou na fábrica da Quinta do Malte em comemoração ao sexto aniversário do clube cervejeiro CluBeer. A priori, é a mesma receita da anterior, com um diferencial: nesta segunda versão há adição de nibs de cacau, o que altera toda a experiência. Vejamos: de coloração âmbar acastanhada clara com creme bege claro de boa formação e média alta retenção, essa Get Alt! Nibs de Cacau apresenta um aroma que valoriza o cacau adicionado, deixando ele em primeiro plano num conjunto que ainda traz nozes e caramelo, mas perde o toffee. Na boca, novamente o cacau salta a frente no primeiro toque trazendo consigo doçura e apagando o toffee. Na sequencia, amargor mais baixo do que na primeira versão, com os 36 IBUs do rótulo parecendo, na verdade, 6. A textura é suave com leve picância. Dai pra frente, uma boa cerveja que perde o caráter Altbier, mas continua sendo saborosa. No final, doçura de cacau. No retrogosto, doçura caramelada, chocolate e um amargor quase imperceptível. Gostei mais dela do que anterior.

De Socorro para Blumenau com a segunda Eisenbahn da rodada, e a segunda do concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, que em 2017 se transformou num reality show televiso de oito episódios, vencido pelo jornalista de São Paulo Ivan Tozzi. O resultado agora em grande escala na garrafa é a Eisenbahn American Pale Ale Three Hills, uma cerveja de coloração âmbar translucida com creme bege claro de boa formação e longa retenção. No nariz, bastante herbal, como se você estivesse caminhando em uma floresta de pinheiros. Na boca, a doçura do caramelo combina bem com o amargor herbal (42 IBUs) já no primeiro toque, com leve sugestão de hortelã e pinho. A textura é mais picante do que suave e, dai pra frente, surge um conjunto caprichado, nível concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, que raramente chega à linha final da cervejaria nessa mesma qualidade sazonal – e essa é mais uma que merecia entrar no cardápio. No final, amargor herbal e caramelo. No retrogosto, pão, biscoito, caramelo e amargor suave. Bacana!

Fechando a sequencia por onde começamos, Minas Gerais, com mais uma cerveja da Wäls, e mais uma que eles produzem sob encomenda (integrando uma lista que inclui cervejas para o Pão de Açúcar, ICI Bistrô, Sushi Leblon, Inhotim, Casa Santa Luzia e Empório Alto dos Pinheiros): Wäls Blanche Citron, uma brasagem exclusiva para a rede de supermercados St. Marche de uma cerveja de trigo (Witbier) que recebe adição de suco de limão, extrato de coentro e de capim-limão. De coloração amarela com creme branco de média formação e retenção, a Wäls Blanche Citron exibe um aroma com percepção de trigo, limão, capim-limão, coentro suave e feno. Na boca, leveza de trigo e de limão bem suaves no primeiro toque seguidos de condimentos e quase nada de amargor. A textura é leve com suave picância devido aos condimentos. Dai para frente, uma cerveja suave e refrescante, que não soa memorável, mas deve descer bem em um dia quente (e acompanhando uma salada). No final, cítrico de limão. No retrogosto, refrescancia, limão, coentro.

Balanço
Mais uma sequencia de cervejarias, desta vez aberta por uma Session IPA da Wäls (que eles vendem como Summer Ale), a boa Aloha, de drinkability e refrescancia altíssimos. Gostosa! No verão deve soar melhor ainda. Já a Eisenbahn American IPA é uma Caramel IPA que soa uma versão mais leve e discreta do que a Eisenbahn Frost Bison, que venceu o Concurso Mestre Cervejeiro 2013, com preço mais em conta e maior simplicidade. Perdeu qualidade, mas ganhou em custo. Vale a pena? Deixo a questão pra você. A Urbana Clubeer Get Alt! é uma Altbier interessante como porta de entrada do estilo, que promete muito mais do que ela oferece. Agora no Rio com a primeira da 3Cariocas (deste rolê!): Cariocaholic, uma deliciosa Blond Ale com lúpulo Citra. Pra beber de caminhão pipa! Primeira da gaúcha Seasons, a Cormano é uma India Pale Ale de tirar o chapéu, como praticamente tudo que a Seasons faz, e ai se inclui a Seasons X-Bacon, uma Rauchbier deliciosa. Se era para trazer um caminhão pipa para a 3Cariocas anterior, traz dois para incluir a DDH também, outra cerveja incrível dos cariocas. A Urbana Get Alt! 2, versão com nibs de cacau, foge bastante ao estilo, mas me soou mais agradável. Já a boa surpresa é a Eisenbahn Three Hills, que mantém o bom nível de qualidade da série do concurso Mestre Cervejeiro – ahh se essas versões pudessem chegar ao consumidor com preço padrão da linha principal. Do jeito que está, está ótima. Fechando a série com a Wäls Balnche Citron, que melhora um tiquinho a Wäls Witte, mas, ainda assim, permanece uma cerveja pálida, sem punch, sem graça – e é possível sim fazer uma Witbier caprichada. Não é o caso dessa.

Wäls Aloha
– Produto: Session IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 2,5%
– Nota: 3,32/5

Eisenbahn American IPA
– Produto: American IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6,9%
– Nota: 3,00/5

Urbana Clubeer Get Alt!
– Produto: Altbier
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5,1%
– Nota: 3,01/5

3Cariocas Cariocaholic
– Produto: Blond Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4,2%
– Nota: 3,39/5

Seasons Cormano
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6,5%
– Nota: 3,89/5

Seasons X-Bacon Rauchbock
– Produto: Rauchbier
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 7,4%
– Nota: 3,61/5

3Cariocas DDH Session IPA Nema
– Produto: Session IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4,8%
– Nota: 3,71/5

Urbana Clubeer Get Alt!
– Produto: Altbier
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5,1%
– Nota: 3,20/5

Eisenbahn American Pale Ale
– Produto: American Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5,5%
– Nota: 3,40/5

Wäls Blanche Citron
– Produto: Witbier
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5,8%
– Nota: 2,92/5

Leia também
– Top 2001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.