Boteco: Cinco Wäls MadLab 2017

por Marcelo Costa

Abrindo mais uma sequencia de cervejas da mineira Wäls com três rótulos especiais para o clube MadLab. O primeiro é o Everest Salt Caramel, uma Specialty Grain que se inspira na famosa torta de caramelo com flor de sal, por isso a receita une malte caramelo, açúcar, sal, lúpulo, levedura e extrato de baunilha. De coloração âmbar caramelada com creme branco de boa formação e média alta retenção, a Wäls MadLab Everest Salt Caramel exibe um aroma com destaque claro para a doçura com caramelo em primeiro plano e baunilha na base. Na boca, porém, o sal se sobressai levemente no primeiro toque, com caramelo e baunilha muito mais presentes na sequencia, ainda que acompanhados pelo sal, de maneira interessante. A textura é suave e o amargor baixíssimo, quase inexistente. Dai pra frente, a combinação tenta replicar a ideia da torta, com caramelo e sal disputando a atenção do bebedor. O final é doce, bem doce. O sal aparece de maneira discreta no retrogosto, dominado por doçura. Interessante.

Lançamento de Junho de 2017 para o Wäls Clube MadLab, a Gotlandsdricka é uma Norwegian Farmhouse Ale que se inspira na tradicional bebida alcoólica caseira de mesmo nome feita na ilha de Gotland, na Suécia, e semelhante a uma bebida da era viking consumida em todos os países nórdicos. Na receita da Wäls, malte de centeio, malte defumado e zimbro. De coloração âmbar caramelada com creme bege claro de boa formação e media alta retenção, a Wäls MadLab Gotlandsdricka exibe um aroma com zimbro saltando para fora da taça e um discreto defumado conseguindo se sobrepor ao caramelo, que fica suave na base. Na boca, zimbro de maneira suave no primeiro toque para, na sequencia, se abrir de maneira potente e picante. A textura é licorosa com leve picância alcoólica (são 10% de álcool) e o amargor é imperceptível num conjunto que destaca a força do zimbro sobre uma base suave de defumado e caramelo. O final traz zimbro e caramelo embebido em álcool. No retrogosto, zimbro e caramelo.

A terceira Wäls MadLab da sequencia é a cerveja distribuída para o clube em abril, a Belgian Tart Baume, uma Wood Aged cuja base é uma Belgian Strong Ale blendada: 50% envelhecida durante dois anos em barris de carvalho francês que abrigaram conhaque e 50% em barris virgens de bálsamo, depois reunidos e refermentados com levedura de vinho branco. Na taça, exibe uma coloração âmbar alaranjada turva com creme bege claro, quase branco, de bela formação e longa retenção. No nariz, a primeira percepção é madeira (balsamo) com doçura de caramelo, acidez, mel, damasco, uva verde e vinho branco na sequencia. Na boca, madeira, damasco e acidez suave chegam juntos no primeiro toque. A textura é cremosa e o amargor (44 IBUs) praticamente não existe, com madeira, frutado e vinho branco distraindo o bebedor. Outro detalhe: 10% de álcool imperceptíveis. O conjunto segue caprichado, com madeira pra todos os lados, até o final, “abalsamado” (hehe). No retrogosto, vinho branco, madeira, mel e balsamo. Uma das melhores dessa última leva do clube.

A quarta Wäls MadLab da série foi engarrafada em setembro de 2017 e trata-se de uma Trippel Barrel Aged resultado de um blend que passou ora por barricas de vinho tinto, ora por barricas de carvalho francês, ora barris de carvalho norte-americano. De coloração alaranjada turva caminhando para o âmbar com creme bege clarinho, quase branco, de boa formação e média alta retenção, a Wäls MadLab Trippel Barrel Aged apresenta um aroma delicioso que combina notas frutadas (nozes e banana), bastante madeira, mas sem exagero, com carvalho e vinho tinto surgindo de maneira bastante sutil e encantadora. Na boca, banana, bananada e um leve amadeirado no primeiro toque, que vai aumentando conforme a bebida desce a garganta e o frutado desaparece. A textura é levemente licorosa com uma suave picância alcoólica (9%) e praticamente nenhum amargor. Dai pra frente, um conjunto belíssimo que coloca no bolso a bela Trippel tradicional da casa. O final é levemente amadeirado com banana no retrogosto. Uma delicinha.

Fechando o quinteto com a pancadíssima Doble Doble, uma English Barley Wine de 14,1% de álcool, produzida segundo um método do século 17 que se distingue por introduzir o malte em um já preparado mosto primário. De coloração âmbar alaranjada levemente turva com creme bege denso, de excelente formação e média alta retenção, a Wäls MadLab Doble Doble exibe um aroma extremamente doce com sugestão de pêssego em calda, ameixa vermelha, doce de leite e… álcool. Na boca, doçura intensa de caramelo embebido em álcool logo no primeiro toque seguida de calor alcoólico e pêssego em calda. A textura é licorosa e picante (de álcool) e o amargor, potente e alcoólico (70 IBUs) com sutil percepção cítrica. Dai pra frente, uma cerveja para se beber devagar, bem devagar, e sempre, com doçura acentuada, álcool potente e leve notas cítricas. No final, doçura intensa, cítrico e álcool. No retrogosto, calor alcoólico, pêssego em calda, frutas secas, herbal e caramelo. Bem interessante.

Balanço
Mais uma MadLab (veja outras aqui) na área, a Everest Salt Caramel é a vitória do sal sobre o caramelo. Interessante, mas não beberia novamente. Um pouquinho melhor, a MadLab Gotlandsdricka é a vitória do zimbro sobre o caramelo, e se você gosta de zimbro vai curtir. Se não gosta… Depois de tantos experimentos, o acerto surge com a Belgian Tart Baume, deliciosa, amadeirada, levemente rebelde. Curti. A Trippel Barrel Aged também soa um belo acerto da série e empata a série em 2 a 2. Já a Doble Doble, a última, me deixa na dúvida, mas acabo pendendo para o lado positivo: álcool demais, mas complexidade interessante.

Wäls MadLab Everest Salt Caramel
– Produto: Specialty Grain
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9%
– Nota: 3,08/5

Wäls Gotlandsdricka
– Produto: Farmhouse Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 10%
– Nota: 3,21/5

Wäls MadLab Belgian Tart Baume
– Produto: Belgian Strong Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 10%
– Nota: 3,81/5

Wäls MadLab Trippel Barrel Aged
– Produto: Belgian Trippel
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9%
– Nota: 4,03/5

Wäls MadLab Doble Doble
– Produto: English Barley Wine
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 14.1%
– Nota: 3,61/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *