Três perguntas: Nilson Paes (Editora Terreno Estranho)

por Marcelo Costa

O momento político, social e econômico no Brasil (em particular) e no mundo (em geral) não é dos melhores, e é nessas horas (principalmente nelas) que não se pode esmorecer. Acreditar, criar, fazer acontecer. Colocar elefantes de ideias atrás das orelhas do mundo. Na esteira de grandes pequenas editoras que deixaram um acervo mágico de livros “estranhos” no país (Conrad, Barracuda, Ideal) nasce a Editora Terreno Estranho, projeto que une Fabio Massari, Marcelo Viegas e Nilson Paes cujo primeiro lançamento é “Jrnls 80’s”, de Lee Ranaldo.

“Esqueça o glamour que veio após o estouro do grunge e que colaborou para a ascensão mundial do Sonic Youth: o período abordado no livro coincide com a fase mais underground da banda, durante as primeiras turnês, rodando os EUA (e o mundo) em furgões usados, dormindo em casas de amigos e dividindo o palco com nomes como Dinosaur Jr., fIREHOSE e Big Black. Como é de se esperar de um diário, a vida pessoal de Lee Ranaldo também é revelada”, explica o texto de apresentação no Facebook oficial da editora.

A edição brasileira de “Jrnls 80’s”, cujo subtítulo é “Poemas, Letras, Cartas, Anotações e Cartões-Postais dos Primeiros Anos do Sonic Youth” traz uma introdução exclusiva escrita por Lee Ranaldo, prefácio assinado por Amanda Mont’Alvão e Vinicius Castro, do site Sounds Like Us, e um apêndice em que Fabio Massari abre o baú da memória para relembrar o primeiro show do Sonic Youth que ele assistiu, em 1987 (e está registrado no livro). “É por este caminho Lado B que gostaríamos de caminhar”, conta Nilson Paes em entrevista ao Scream & Yell. Confira.

“Jrnls 80’s” já está à venda nas livrarias e lojas de música (confira aqui). A festa/show de lançamento do livro com Lee Ranaldo acontecerá dia 12/12 no Centro Cultural São Paulo. Ingressos à venda aqui.

Como surgiu a ideia de criar a editora Terreno Estranho? Quem está envolvido nessa (maravilhosa) empreitada de lançar bons livros?
Bom, eu e o Massari, sempre que possível marcávamos um habitual café em uma padoca ali no Sumaré, o assunto você pode imaginar, Música, Literatura, Séries de Tv, etc… Numa dessas, tivemos um insight daqueles: “Putz, bem que poderíamos lançar um livro por aqui hein, caráter experimental, coisas que as editoras daqui teriam pouco interesse, mas que seria de grande relevância para o público, enfim”. Também explorar o vazio que Editora Ideal deixou quando deu uma estacionada nos bons lançamentos relacionados à música, mas não exatamente ser a Editora Ideal, saca? Passear por outra seara do nicho, este era o caminho a ser seguido. Daí em diante, foi tudo meio orgânico. O Viegas já havia se desligado da Ideal, aceitou nosso convite, montou sua equipe para trabalhar neste titulo e foi meio assim o começo. Posso dizer que hoje o expediente da Editora Terreno Estranho é Fabio Massari, Marcelo Viegas e Nilson Paes e obviamente a colaboração da equipe extremamente competente que foi capitaneada pelo Viegas neste projeto, especificamente, Paulo Alves que traduziu, Guilherme Theodoro que fez o projeto gráfico e a Jaqueline Kanashiro que revisou.

Fábio Massari conta, no apêndice de “Jrnls 80s”, um dos motivos de estrear a editora com este livro do Lee Ranaldo, mas como foi para todos a escolha deste título em especial?
Então, também foi um processo bem orgânico, tínhamos algumas opções, mas era natural que a primeira opção seria o Lee Ranaldo por todos os motivos que o Massari cita e também que de fato seria começar com o pé direito, lançar um livro de um Sonic Youth era a materialização de um sonho, uma maneira de mostrar que é por este caminho Lado B que gostaríamos de caminhar. “jrnls 80’s”, do Lee Ranaldo, é o lançamento digamos que comercial da Editora, hehehe, imagine o que pode vir por aí.

Qual o terreno estranho que vocês desejam seguir daqui em diante? O que vem por ai?
Não vamos nos categorizar como uma editora que esta preocupada apenas em lançar biografias ou títulos relacionados à música, vamos nos dedicar à publicação de ficções e não ficções literárias urbanas também, buscar autores consolidados que não tem interesse em trabalhar com as grandes editoras e bons autores que muitas vezes são ignorados pelas mesmas. O terreno a ser percorrido vai ser sempre bem estranho mesmo, estamos projetando pelo menos seis lançamentos para o ano de 2018, mesclando autores brasileiros e estrangeiros. Vem muita coisa legal por aí, de Poemas Subsversivos Ilustrados de autor nacional a uma novela Dark e inteligente de um virtuoso baixista gringo. Vamos dando prioridade a qualidade dos livros e não as possíveis oportunidades de marketing que eles oferecem, abrindo o caminho nesta selva de títulos para transmitir plenamente os encantos e possibilidades de uma editora pequena e ao longo do tempo idealizando de fato a construção deste Terreno … Estranho.

– Marcelo Costa (@screamyell) edita o Scream & Yell e assina a Calmantes com Champagne

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *