Boteco: Cinco latões da Way Beer

por Marcelo Costa

Abrindo uma série de latões da curitibana Way com a Tropical Gose, uma Sour Ale não pasteurizada lançada em setembro de 2017 cuja receita recebe adição de sal marinho e uma literal salada de frutas nacionais: abacaxi, maracujá, manga e acerola. De coloração amarela levemente palha com creme branco de baixa formação e rápida dispersão, a Way Tropical Gose exibe um aroma com nítida percepção das frutas cítricas tanto quanto de acidez potente (nada de doçura frutada!). Na boca, acidez intensa no primeiro toque e só então, no segundo seguinte, o bebedor começa a perceber nuances de frutas cítricas, ainda que azedas e acéticas. A textura é seca e frisante (com maracujá predominando sobre a língua. Com 5 IBUs, amargor aqui não é o lance, mas se houvesse um cálculo semelhante para acidez, iria estar batendo nos 100. Dai pra frente, um conjunto que honra o estilo com acidez, azedume e frutado cítrico bem inserido. O final é seco e cítrico. No retrogosto, maracujá, abacaxi e leve adstringência.

O segundo latão da Way é, novamente, uma Sour, desta vez com o nome de Catarina. Na receita, adição de pitanga e pitaya. De coloração vermelha puxado para o rosa com creme branco de média formação e rápida dispersão, a Way Catarina exibe um aroma maravilhoso de frutas cítricas e assim que a lata é aberta, pitanga e pitaya saltam para fora chamando a atenção do bebedor. Com a cerveja mais calma é possível perceber acidez e leve sal (ausente da receita – ao contrário da anterior). Na boca, frutado cítrico delicioso no primeiro toque com doçura leve, mas perceptível, na sequencia atropelada pela potência da acidez, que, no entanto, ainda deixa rastros de pitanga e pitaya no caminho. A textura, como era de se esperar, é seca, mas menos frisante do que a anterior. Com 5 IBUs, assim como a anterior, a Way Catarina avisa que o amargor não é o lance aqui, mas sim a potência da acidez, que chega amaciada pelas frutas num conjunto menos arisco do que a Tropical Gose, e mais ao meu gosto. O final é frutado e seco. No retrogosto, pitanga, cítrico e leve adstringência. Delicinha.

Depois de duas cervejas lançadas em setembro de 2017, uma que ganhou a primeira edição em janeiro (com hibisco), mas teve a receita revista em agosto (com pitaya): Way Watermelon 2, uma colaborativa dos curitibanos com a turma da Jester King, de Austin, nos Estados Unidos, uma Fruit Beer com adição de suco de melancia e polpa de pitaya. De coloração amarela meio avermelhada com creme branco de baixa formação e rápida dispersão, a Way Watermelon 2 exibe um aroma com percepção nítida da melancia, que, ainda assim, aparece de forma sútil em um conjunto que ainda deixa perceber suave acidez e doçura. Na boca, doçura frutada no primeiro toque, com a melancia aparecendo na sequencia seguida de acidez e pitaya. A textura é cremosa e o amargor, de 16 IBUs, baixinho. Dai pra frente surge um conjunto refrescante e indicado para quem gosta de melancia, porque a fruta se sobrepõe e domina a receita, que, sim, é uma delícia refrescante. No final, melancia. No retrogosto, melancia e refrescancia.

Lançada em março de 2017, a Way Sou Feia Mas Tô na Moda (nome perfeito para o estilo!) é a New England IPA da casa cuja receita junta lúpulos Mosaic, Amarillo e Galaxy com levedura Vermont Ale mais cevada, trigo e aveia. De coloração amarela turva, juicy como um suco (como o estilo recomenda), com creme branco de boa formação e média alta retenção, a Way Sou Feia Mas Tô na Moda exibe um aroma com notas predominantemente cítricas (frutas amarelas) e herbais bastante presentes, mas com a levedura aparentemente se destacando na formação da paleta aromática. Na boca, um balde frutas amarelas (manga, maracujá doce e laranja lima) envolvidas em levedura no primeiro toque, o que acrescenta condimentação e também acidez. A textura é sedosa e frisante enquanto o amargor é até suave para os 40 IBUs declarados pela casa. Dai pra frente, uma cerveja efervescente com levedura atuante e cítrico apaixonante. O final é picante e condimentado. No retrogosto, cítrico e condimentado.

Lançada em setembro de 2017, a Way Against The Cacau é uma colaborativa dos curitibanos com os norte-americanos da Against The Grain. As cervejarias optaram pelo estilo Brown Ale com adição de suco e casca de mexerica Ponkan, aveia e cacau em pó. De coloração marrom translucida com creme bege claro de média formação e retenção. No nariz, notas cítricas (e exageradas) surgem em primeiro plano oferecendo Ponkan, que domina a percepção deixando malte, toffee e caramelo praticamente encobertos, descaracterizando totalmente o estilo. Na boca, a mesma sensação que o aroma adianta: a Ponkan surge potente no primeiro toque com leve doçura (que nem dá pra dizer que é do malte, pois surge até mais cítrica) na sequencia. A textura é levemente frisante (com o cítrico pinicando suavemente a língua) e o amargor, 19 IBUs, nem aparece num conjunto que soa um suco de tangerina com leve doçura residual no final do gole, mais caramelado, ainda que notadamente cítrico. No retrogosto, tangerina.

 

Balanço
Primeiro latão da Way desta série, a Tropical Gose não afina no estilo: acidez portentosa mais azedume suave e muito frutado cítrico (também acrescentando acidez). Bela para o verão. Mais bela ainda é a Catarina, outra Sour, mas muito mais aconchegante do que a Tropical, soando um suco de fruta cítrico, acético e refrescante. Gostei mais. Já a Way Watermelon é um suco de melancia alcoólico. Uma delicia refrescante. Lançada no primeiro semestre de 2017, a Way Sou Feia Mas Tô na Moda é uma bela Juicy IPA, mas a levedura aparece muito mais do que deveria, tomando a frente do conjunto. A única da série que decepcionou foi a Way Against The Cacau, pois a tangerina simplesmente apagou o cacau e o perfil Brown Ale. Uma pena.

Way Tropical Gose
– Produto: Sour Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 3.9%
– Nota: 3,56/5

Way Catarina
– Produto: Sour Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 3.8%
– Nota: 3,65/5

Way Watermelon 2
– Produto: Fruit Beer
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5.6%
– Nota: 3,37/5

Way Sou Feia Mas Tô na Moda
– Produto: New England IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 7.4%
– Nota: 3,69/5

Way Against The Cacau
– Produto: Brown Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6.2%
– Nota: 2,82/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *