Boteco: a linha Catharina Sour da Lohn Bier

por Marcelo Costa

De Lauro Muller, cidade catarinense de 14 mil habitantes a cerca de uma hora de Criciúma e quase três da capital Florianópolis, a Lohn Bier lançou em janeiro de 2017 uma linha chamada Catharina Sour, uma cerveja refrescante e de acidez suave que recebe adição de cinco frutas típicas da região Sul. Abrindo o quinteto com a Catharina Sour Jabuticaba, uma cerveja que exibe uma coloração amarela mais palha do que dourada com creme branco e de média formação com rápida dispersão (tradicional do estilo). No nariz, bubllegum, tutti-frutti , floral, doçura e acidez chamam a atenção com a jabuticaba marcando presença de maneira extremamente sutil. Na boca, doçura rápida no primeiro toque com acidez de média para alta logo na sequencia com a jabuticaba aparece um pouco mais. A textura pinica a língua com acidez suave num conjunto que se seguirá refrescante e saboroso, ainda que com jabuticaba em segundo plano. O final é salgadinho, mineral. No retrogosto, mais mineral, acidez leve e refrescancia. Gostei.

A segunda da série Catharina Sour recebe adição de suco de laranja da variedade Bergamota, como ela é conhecida no Sul do país (outros estados utilizam o nome de mexerica). Assim como a versão com Jabuticaba, a Catharina Sour Tangerina exibe uma coloração amarela mais palha do que dourada com creme branco de média formação e rápida dispersão (tradicional do estilo). No nariz, a Bergamota se destaca com facilidade trazendo consigo notas cítricas deliciosas e acidez bem discreta. Na boca, um repeteco do que o aroma adianta: Bergamota bastante presente (o que a diferencia da Jabuticaba, que soa mais tímida) oferecendo doçura da fruta e cítrico. Na sequencia, acidez média e menos intensa do que na versão anterior. A textura, porém, exibe a mesma frisância característica do estilo. Dai pra frente surge um conjunto bastante saboroso e refrescante, com a fruta mais presente, mas, ainda assim, não apagando a acidez, que segue até o final, mineral e frutado. No retrogosto, Bergamota e acidez suave. Gostei mais.

A terceira Catharina Sour da sequencia recebe adição de suco de manga, mas a coloração permanece idêntica as anteriores, com um amarelo mais palha do que dourado mais creme branco de média formação e rápida dispersão seguindo o padrão. No nariz, a sensação é de que esta terceira aposta da Lohn Bier fica entre as duas anteriores: não traz a potência da fruta que a versão com Bergamota exibe, mas também não soa tão discreta quanto a de jabuticaba. No meio do caminho, a Catharina Sour Manga exibe notas cítricas sugerindo a fruta percebidas com bastante facilidade. Há, ainda, leve percepção floral. Na boca, a doçura frutada surge no primeiro toque seguida da acidez e salgado tradicionais do estilo logo em seguida – a manga segue bastante perceptível, mas sem apagar o perfil sour, o que é positivo. A textura é seca e frisante, como manda o figurino. Dai pra frente surge um conjunto levemente mais salgado que as duas anteriores, mas tão boa quanto. O final é mais salgado e menos frutado. No retrogosto, manga bem suave, salgado e secura. Ótima para dias quentes!

A quarta da sequencia Catharina Sour recebe adição de Uva Goethe, híbrido de uvas europeias (87% de Moscato de Hamburgo, Moscato de Alexandria e Schiava Grossa) e americanas (13%) desenvolvida nos EUA no século XIX. No Brasil, essa uva é bastante utilizada na produção de vinho branco no Sul do país. Esta Catharina Sour exibe uma coloração (amarelo palha) e creme (branco de média formação e rápida dispersão) semelhantes as anteriores da linha da Lohn. No aroma, a uva salta delicadamente à frente do conjunto se destacando sem agregações. Na boca, a menos doçura no primeiro toque do que na de tangerina e manga, e mais do que na de jabuticaba. A uva surge marcante e trazendo consigo mais acidez e menos sal. A textura repete o que todas apresentaram (secura e frisância) e o conjunto sugere um bom equilíbrio entre fruta e cerveja, sem aparecer tanto com a de manga e a de tangerina, mas sem soar esquecida como a de jabuticaba. O final é acético com leve frutado. No retrogosto, mais uva e acidez.

Fechando o quinteto com a Lohn Bier Catharina Sour que recebe adição de suco de Butiá, fruto cítrico do Butiazeiro, uma palmeira nativa do sul do Brasil, Argentina e Paraguai. Das cinco da série, a Catharina Sour Butiá é a única que apresentou uma coloração amarela mais dourada (enquanto as outras quatro tendiam ao palha). O creme seguiu branco de média formação e rápida dispersão. No nariz, frutado cítrico tímido, mas facilmente perceptível, com leve doçura da fruta numa paleta que abre espaço para acidez e leve salgado. Na boca, a fruta surge mais presente, mas rapidamente perde espaço para a acidez, ainda que o salgado influencie menos do que nas anteriores. A textura bate ponto na secura e frisância num conjunto que segue o bom padrão da linha, oferecendo suave presença da fruta em contraste com um conjunto que finaliza delicadamente acético e salgado. No retrogosto, Butiá discreto, salgado e refrescancia.

Balanço
Abrindo a série Catharina Sour com a versão Jabuticaba, uma delicinha com pouca jabuticaba, mas muita refrescancia num conjunto bem interessante. Já a versão Bergamota me chamou mais a atenção pela presença assertiva da fruta, que contrabalançeou bem o conjunto. Ótima. Já a versão com manga fica no meio do caminho entre as duas, e é tão agradável quanto ambas. A versão com Uva Goethe me soou a mais equilibrada das quatro no que tange a percepção de fruta e do conjunto Sour, mas o sabor final não bateu a favorita da casa até o momento, Tangerina. Mesmo assim, outra cerveja deliciosa. Fechando o passeio, a Catharina Sour Butiá destaca uma fruta típica da região Sul num conjunto que, para mim, ficou um pouco abaixo das três melhores da série (Bergamota, Manga e Uva Goethe), mas ainda assim é bem interessante.

Lohn Bier Catharina Sour Jabuticaba
– Produto: Sour
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 3.5%
– Nota: 3,34/5

Lohn Bier Catharina Sour Tangerina
– Produto: Sour
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 3.4%
– Nota: 3,49/5

Lohn Bier Catharina Sour Manga
– Produto: Sour
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 3.4%
– Nota: 3,41/5

Lohn Bier Catharina Sour Uva Goethe
– Produto: Sour
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 3.4%
– Nota: 3,40/5

Lohn Bier Catharina Sour Butiá
– Produto: Sour
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 3.4%
– Nota: 3,35/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

One thought on “Boteco: a linha Catharina Sour da Lohn Bier

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *