Boteco: de São Paulo, cinco novas Dogmas

por Marcelo Costa

Abrindo mais uma série da cervejaria Dogma com a oitava variável da linha Single Hop Lover, cuja estrela desta vez vem da África do Sul, o lúpulo Southern Passion. Na taça, a Dogma Southern Passion Lover exibe uma coloração amarela clara levemente turva com creme branco de ótima formação e retenção. No nariz, a tradicional pancada de notas frutadas, mas sem o impacto cítrico de outras da série (Citra e Simcoe, principalmente) e valorizando até a presença herbal, talvez uma das mais destacadas da série Lover. Na boca, leve doçura cítrica contagiante no primeiro toque que abre caminho para um conjunto com mais apelo cítrico do que o aroma, mediano, adianta, trazendo inclusive algo de grapefruit. A textura é suave com leve picância enquanto o amargor (80 IBUs) é limpo e delicioso, com leve prolongamento num conjunto saboroso, que tem alguns segundo de perfeição, ali no meio, e depois finaliza de modo amargo e herbal. No retrogosto, grapefruit e casca de limão. Muito boa, mas uma das mais fracas de toda série.

A segunda da Dogma é uma India Pale Ale de 6.5% e 60 IBUs (contra os 8.7% e 80 IBUs da linha Double IPA Single Hop Lover) que utiliza somente lúpulos do hemisfério sul: os australianos Galaxy, Enigma e Vic Secret e o sul-africano Southern Passion. De coloração âmbar alaranjada com creme branco de ótima formação e média retenção, a Dogma Austral exibe um aroma com potência cítrica atenuada, mas presente, sugerindo tangerina, manga e laranja lima. Na boca, doçura cítrica leve e bastante agradável (tangerina) seguida de amargor limpo, que ainda assim permanece na boca um tiquinho de tempo batendo ponto deliciosamente. A textura é suave e levemente picante. Dai pra frente surge um conjunto mais ameno do que as Double IPAs famosas da Dogma, mas não menos saboroso. O final é amarguinho e levemente herbal. No retrogosto, frutas cítricas, amargor e leve herbal além de percepção de levedura. Boa.

Lançada em julho de 2017, a Dogma Lover #1 abre uma série em que a cervejaria pretende experimentar a combinação de lúpulos, muitos deles usados nas receitas da linha Single Hop Lover. Essa número 1 junta cinco lúpulos já experimentados pela casa: Citra, Southern Passion, Simcoe, Mosaic e Equinox. Na taça, a cerveja apresenta uma coloração amarela levemente turva com creme branco ótima formação e média alta retenção. No aroma, notas cítricas que cativam o bebedor sugerindo manga, abacaxi bem doce, maracujá suave e tangerina. Na boca, doçura cítrica deliciosa no primeiro toque sugerindo suco de manga, mas logo na sequencia o amargor (80 IBUs mais aparentes aqui do que em outras da série Single Hop Lover) assertivo já começa a puxar o tapete buscando chamar a atenção do bebedor. A textura é suave, suave. Dai pra frente, um conjunto incrível, com cítrico maravilhoso e um pequeno “harsh” trazendo consigo algo terroso. O final é cítrico e incrível. No retrogosto, manga e maracujá suaves. Amor.

A quarta da série foi lançada no último dia de agosto de 2017. Com o nome de Dogma Boreas, esse é o primeiro experimento da casa com Cryo Hops, produto lançado em fevereiro de 2017 pela empresa Yakima, de Washington, que através de um processo de separação criogênica, que nada mais é do que extração a frio da lupulina presente no cone de lúpulo, torna o Cryo cerca de quatro vezes mais potente que o tradicional pellet (bastante utilizado no Brasil). Ou seja, potência, mas é algo novo que ainda precisa ser domado. No caso da Boreas, a cerveja (com Cryo Hops Citra, Simcoe e Mosaic) exibe um liquido mais dourado com menos turbidez que outras IPAs da Dogma. O creme é branco e de boa formação e média alta retenção. No aroma, um pouco mais de “sujeira” acompanhando a pancada cítrica (manga e maracujá) que é tradicional da casa. Na boca, o Cryo traz o cítrico muito intenso (e olha que a Dogma foi uma das que menos carregaram na dose) acrescentando amargor (70 IBUs, mas com sensação de mais impacto que a anterior, com 80 IBUs) resina e terroso bem discreto. O conjunto perde brilho durante o percurso, e finaliza de maneira seca e herbal. No retrogosto, um terroso que faz perceber o pó de Cryo e mais herbal do que cítrico, que praticamente desaparece.

Fechando o quinteto com outra cerveja lançada no último dia de agosto de 2017: Dogma Guava, uma IPA com goiaba e lúpulos Citra, El Dorado e Mosaic, colaborativa dos paulistanos com os cariocas da Hocus Pocus. De coloração amarela levemente turva (mas não juicy) com creme branco de boa formação e média alta retenção. No nariz, adivinha, goiaba saltando para fora da taça, mas com presença assertiva de levedura acrescentando uma leve aridez num perfil notadamente cítrico. Na boca, doçura frutada com menos percepção de goiaba do que o aroma adianta (esperasse mais, vem bem menos), mas, ainda assim, um belo conjunto frutado cítrico com textura quase seca, com leve picância, e amargor levemente resinoso, mas mais intenso do que nas IPAs tradicionais da Dogma. Dai pra frente segue-se um conjunto bastante frutado (goiaba bastante perceptível, ainda que menos do que no aroma) que finaliza de forma até suave, com um traço de amargor e goiaba. No retrogosto, goiaba e leve aridez. Bem boa.

Balanço
Abrindo mais uma série Dogma com a Southern Passion Lover, que tem uns três segundos de perfeição entre os sete e oito segundos do gole, mas não está entre as estrelas da série Single Hop Lover. Já a Dogma Austral se mostrou bem interessante, ainda que também abaixo da série mágica da casa. A Dogma Lover #1, porém, está entre as melhores coisas que a cervejaria já fez até hoje, uma Imperial IPA de amargor não tão limpo como as Single Hop Lovers, mas ainda assim saborosíssima. Apaixonante. Já a Boreas não encanta e surge como uma das mais fracas da casa com o Cryo Hops ainda necessitando de domínio. Já a Guava é deliciosa, ainda que o aroma prometa mais goiaba do que o sabor entrega.

Dogma Southern Passion
– Produto: Double IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 8.7%
– Nota: 3,80/5

Dogma Austral
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6.5%
– Nota: 3,81/5

Dogma Lover #1
– Produto: Double IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 8.7%
– Nota: 4,03/5

Dogma Boreas
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6.9%
– Nota: 3,31/5

Dogma Hocus Pocus Guava
– Produto: Imperial IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 7%
– Nota: 3,91/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *