Exposição: Renato Russo no MIS-SP

por Marcelo Costa

Está sendo aberta hoje, 06 de setembro (e ficará em cartaz até 28 de Janeiro de 2018) a exposição “Renato Russo”, uma mostra que homenageia um dos maiores ícones da música brasileira – e a quarta exposição idealizada e concebida totalmente pelo museu. Giuliano Manfredini, único filho de Renato Russo, concedeu ao MIS total acesso ao apartamento de Renato Russo confiando à equipe do museu sua catalogação, conservação e adaptação para a exposição. Três mil objetos foram catalogados pelo museu, sendo que mil estão a disposição do público no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo.

Um dia antes de ser aberta ao público, o MIS-SP recebeu imprensa e convidados para percorrem o trajeto da exposição. “Renato Russo”, a mostra, apresenta a vida e a obra deste ícone do rock brasileiro. A exposição traz objetos pessoais, peças de vestuário, fotografias, discos, livros, manuscritos, instrumentos musicais, documentos escolares, desenhos, cartas de fãs, além de prêmios, fanzines, folhetos e impressos variados que irão percorrer toda a sua trajetória. O público poderá mergulhar no caráter multifacetado de Renato, que, além de grande letrista, também produziu desenhos e pinturas, bem como uma peça de teatro e projetos cinematográficos.

Logo na entrada, um pub estilizado compila algumas das influências de Renato Russo, do punk rock a Smiths, de Lou Reed a David Bowie, entre muitos outros nomes. No primeiro andar, o visitante encontrará um vasto material recolhido do apartamento de Renato Russo, no Rio de Janeiro, que permitirá mergulhar, aprofundar e entender um pouco da alma do líder da Legião Urbana. Desde redações escolares até páginas de cadernos em que Renato inventava bandas e preparava, em seu mundo particular, um pouco da história que iria contar com a Legião Urbana.

Há desde camisetas (de Kurt Cobain e Beatles ao tradicional vestuário que ele usava no palco) a instrumentos musicais (o primeiro baixo) e dezenas de discos de ouro, prata e diamante pelas vendagens exorbitantes tanto da Legião quanto de sua carreira solo (o disco “italiano” de Renato, “Equilíbrio Distante”, de 1995, por exemplo, vendeu mais de 1 milhão de cópias), mas os pontos altos da mostra são seus rascunhos de letras escritos a mão, todos praticamente na versão final que foi registrada em disco, um quarto de espelho que reúne algumas de suas inspirações (discos, livros, fotos) e um mural com as cartas emocionais de fãs que Renato recebia.

Imperdível tanto para todos aqueles que viveram intensamente os anos 80 de abertura política e explosão do rock nacional quanto a jovens que nem eram nascidos quando Renato Russo faleceu, jovem demais, aos 36 anos (em 1996), mas percebem em suas letras uma inquietação, poesia e verborragia que continuam atuais, “Renato Russo”, a mostra, é um passeio lírico sobre a mente criativa e genial de um raro artista que conseguiu casar personalidade com sucesso de massa. Em cartaz até 28 de Janeiro de 2018, a exposição “Renato Russo” é daqueles que merecem serem vista duas, três vezes, com calma e cantando “Perfeição”.

SERVIÇO
RENATO RUSSO
– Data 6 de Setembro de 2017 a 28 de Janeiro de 2018
– Horário 10h às 21h (terça a sábado); e 9h às 19h (domingos e feriados).
ATENÇÃO: A bilheteria abre 30 minutos antes da visitação.

Ingressos:
– Valores R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada e visitantes que trouxerem um livro de ficção em bom estado, campanha Leia um livro). Pelo site www.ingressorapido.com.br/renatorussonomis

– Primeiras semanas pelo site www.ingressorapido.com.br/renatorussonomis
– Valores R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)

– Ingressos na bilheteria 07.09 (quinta-feira; feriado) e 10.09 (Domingo)
R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia), na bilheteria do MIS.

Terças-feiras entrada gratuitas. Crianças até 5 anos não pagam

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

– Marcelo Costa (@screamyell) edita o Scream & Yell e assina a Calmantes com Champagne. Todas as fotos por Marcelo Costa / Scream & Yell. Exceto a foto de abertura, reprodução MIS-São Paulo

Leia também:
– Clássicos do Rock Nacional: “Dois”, da Legião Urbana, por Tiago Agostini (aqui)
– DVD “Legião Urbana e Paralamas Juntos” é um retrato exemplar, por Marcelo Costa (aqui)
– Reedição do primeiro disco da Legião Urbana traz segundo CD com raridades (aqui)
– “A Legião sabia fazer canções pop. Sabia traduzir sentimentos em poucos acordes” (aqui)
– O disco “O Trovador Solitário”, de Renato Russo, surge como um resgate histórico (aqui)
– Top 20 Melhores dos anos 90 Scream & Yell: dois álbuns da Legião Urbana na lista (aqui)
– Entrevista: Henrique Rodrigues, organizador do livro “Como Se Não Houve Amanhã” (aqui)
– Matérias Antológicas: “Alfredinho”, o missionário que se vai, por Marcelo Rubens Paiva (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *