Boteco: Cinco cervejas da Oskar Blues

por Marcelo Costa

Abrindo agora uma sequencia de cervejas da Oskar Blues Brewery, de Longmont, no Colorado, com a Dale’s Pale Ale, uma American Pale Ale produzida com maltes europeus e quatro tipos de lúpulos norte-americanos. De coloração âmbar com creme bege beeeem clarinho de ótima formação e longa retenção, a Oskar Blues Dale’s Pale Ale oferece ao nariz bastante doçura de malte sugerindo caramelo e, também, pão. Há, ainda, percepção floral e herbal suave. Na boca, o primeiro toque traz menos caramelo do que no aroma, ainda que a sensação seja de doçura seguida de herbal. A textura é suave, com leve picancia. O amargor é bastante baixo para 65 IBUs (35 é muito, ao menos nessa lata, e ela pode ter chego cansada) e abre as portas para um conjunto interessante, que segue essa ideia de equilibrar a doçura maltada europeia com a força dos lúpulos made in USA, ainda que não tão amargos. O final é suave e muito, mas muito levemente amargo. No retrogosto, o amargor aumenta um tiquinho, e oferece consigo herbal e refrescancia. Interessante.

A segunda lata da sequencia é a Oskar Blues G’Knight Imperial Red IPA, uma cerveja potente feita em homenagem ao elogiado cervejeiro artesanal Gordon Knight (que ganhou medalhas com suas receitas), um veterano da Guerra do Vietnã que morreu aos 52 anos em 2002 quando seu helicóptero caiu na tentativa de apagar o fogo na floresta Big Elk Meadows, em Lyons, sua cidade natal e também da Oskar Blues (detalhes da homenagem aqui). A G’Knight Imperial Red IPA é uma cerveja de coloração âmbar com creme bege de boa formação e média alta retenção. No nariz, muita sugestão de caramelo assim como de lúpulos herbais, sugerindo pinho e resina. Na boca, o primeiro toque traz um milésimo de segundo de doçura caramelada seguida de cítrico, herbal e amargor potentes, 60 IBUs bem representados – com direito a um toque de resina. Dai pra frente, o conjunto replica a ideia de uma American IPA clássica, doce, herbal e bastante amarga. O final é longo, inicialmente doce e depois amargo. No retrogosto, herbal, amargor e resina suave.

A terceira lata da Oskar Blues na sequencia é a Hotbox Coffee Porter, cuja receita une maltes ingleses e alemães com grãos de café etíopes e de Burundi extraídos a frio. Na taça, o liquido exibe uma coloração marrom bastante escura, quase preta, com creme bege de boa formação e média retenção. No nariz, em primeiro plano, notas que remetem a café. Há também percepção de nozes, torra, açúcar mascavo, chocolate e frutas escuras. O primeiro toque traz doçura achocolatada seguida de amargor derivado da torra do malte e café. A textura é suave e macia. No quesito amargor, os 30 IBUs são derivados muito mais da torra do malte do que da força dos lúpulos. Dai em diante, um conjunto agradável e bem interessante, com chocolate e café muito bem distribuídos. O final é achocolatadinho com café. No retrogosto, mais café e chocolate. Boa!

Após quatro boas cervejas “medianas” da linha da Oskar Blues, a linha dá um salto com essa Russian Imperial Stout cultuada nos EUA, a Ten Fidy, que ainda tem uma versão Barrel Aged espetacular. Na receita básica da versão regular, nenhuma invencionice (e muito capricho): maltes Chocolate, Two-Row e Roasted mais aveia em flocos e lúpulo. De coloração marrom bastante escura (quase preta, como manda o estilo) com creme bege espesso de boa formação e média alta permanência, a Oskar Blues Ten Fidy exibe um aroma bastante equilibrado entre as duas sugestões mestras do estilo: chocolate (amargo) e café, os dois duelando para chamar a atenção do bebedor. Na boca, o mesmo equilíbrio que o aroma adianta, com chocolate (não tão amargo no início) e café se misturando e se alternando no destaque a cada segundo. A textura é aveludada e consegue esconder com brilhantismo 10.5% de álcool. O amargor (65 IBUs) é torrado, mas nem se preocupe com ele, pois café e chocolate vão, de forma elegante, te distrair até o final, macio, inicialmente achocolatado e, depois, amargo. No retrogosto, café, chocolate, calor alcóolico e respeito por esta bela cerveja.

Para fechar, uma Oskar Blues Pinner Throwback IPA, cerveja de coloração dourada e creme branco de boa formação e média alta retenção. No nariz, notas cítricas se destacam (laranja, abacaxi e toranja bem discreta) sobre uma base de doçura caramelada. Ainda é possível notar sugestão herbal (pinho e grama). Na boca, rápida doçura no primeiro toque que é atropelada no microssegundo seguinte por uma suave pancada de lúpulos cítricos e herbais, que somam 35 IBUs honestos de amargor e oferecem notas de abacaxi, toranja e ervas. A textura é suave, com picância bastante discreta. Dai pra frente surge uma Session IPA bastante agradável, nem muito amarga, nem muito doce, com cítrico, herbal e caramelo na medida para refrescar o cidadão. O final é seco e levemente cítrico. No retrogosto, cítrico suave, herbal e refrescancia.

Balanço
Primeira das Oskar Blues dessa série, a Dale’s Pale Ale me surpreendeu muito mais do que da primeira vez, ainda que os lúpulos já estivessem perdendo a batalha para o malte. Vou até atrás de uma terceira prova para definir, o que por si só já recomenda essa ótima APA. A G’Knight Imperial Red IPA é pra quem gosta da velha escola norte-americana de exageros. Não sou tão fã, mas ela desceu bem. A Hotbox Coffee Porter fez um ótimo balanço entre chocolate e café, e manteve a qualidade das duas anteriores. Já a Ten Dify também mostrou um ótimo balanço entre chocolate e café, mas sobre um encantador corpo aveludado e muito álcool. Para se apaixonar. Fechando a série com uma Session IPA bem agradável, a Pinner, feita na medida para conquistar novos corações que ainda não conhecem cerveja “artesanal” – os velhos talvez tenham uma preguicinha, mas é boa.

Oskar Blues Dale’s Pale Ale
– Produto: American Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 6,5%
– Nota: 3,38/5

Oskar Blues G’Knight Imperial Red IPA
– Produto: Imperial IPA
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 8.7%
– Nota: 3,38/5

Oskar Blues Hotbox Coffee Porter
– Produto: Coffee Porter
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 6,5%
– Nota: 3,38/5

Oskar Blues Ten Fidy
– Produto: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 10.5%
– Nota: 3,90/5

Oskar Blues Pinner Throwback IPA
– Produto: American India Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 4,9%
– Nota: 3,28/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *