Boteco: Algumas especiais da Nøgne Ø

por Marcelo Costa

Abrindo mais uma sequencia da norueguesa Nøgne Ø com uma garrafa especial que veio na mala de uma viagem em 2013 a Oslo, Nøgne Ø Red Horizon 2º Edition, uma Norwegian Strong Ale cuja receita utiliza uma famosa levedura de sake, e alcança 13.5% de graduação alcoólica. De coloração âmbar avermelhada com creme bege praticamente inexistente, a Nøgne Ø Red Horizon 2 exibe um aroma intensamente caramelado com leve percepção de toffee, frutas secas e, discretamente, álcool. Na boca, o paladar é provocante com primeiro toque trazendo bastante doçura caramelada acompanhada, na sequencia, por herbal (ervas) e bastante toffee além de leve terroso. A textura é melada, licorosa, e o amargor é apenas álcool pinicando a língua e marcando a garganta. Dai pra frente, o conjunto flutua nesse balanço entre doçura caramelada, ervas (algo que remete a própolis) e álcool bem suave. O final é quente com algo de mel e própolis. No retrogosto, calor alcoólico, mel e leve picância de pimenta.

A próxima é a Nøgne Ø Red Horizon 3º Edition, que foi produzida no mesmo dia da 2º Edition, 20 de dezembro de 2011, com uma única diferença: enquanto a número 2 utiliza a levedura de sake Masumi 7, a 3º Edition usa a Masumi 9 seguindo o mesmo processo de fermentação que exige 10 meses sob baixas temperaturas. O resultado é uma cerveja de coloração âmbar avermelhada com creme bege praticamente inexistente. No nariz, um aroma menos complexo do que da 2º Edition oferecendo caramelo e toffee com leve percepção de álcool, mas sem o toque herbal que acrescentava estranhamento interessante na anterior. Na boca, bastante doçura caramelada seguida de toffee, leve terroso e álcool. A textura é melada, licorosa, e o amargor (100 IBUs como na anterior) é só álcool pinicando a língua e marcando a garganta. Na sequencia, muita doçura melada em álcool (nada agressivo). O final é quente e meladinho. No retrogosto, aquecimento alcoólico, mel e toffee.

Paralelamente a linha Red Horizon (que teve até agora três edições), a Nøgne Ø produz, desde 2006, a linha Dark Horizon, que já teve seis edições, sendo que a 4.5 alcançou 20% de álcool e a última lançada, a número 5, foi de 2015. Esta 4 Edition (com 16% de álcool) foi braçada em agosto de 2012 e traz na receita açúcar Demerara das Ilha Mauricio, café colombiano, maltes ingleses, lúpulos norte-americanos, levedura de vinho (francesa?) e água norueguesa. Na taça, um líquido marrom bastante escuro, quase preto, com creme bege de baixa formação e retenção. No nariz, aroma intenso marcado por derivados do malte torrado (café, chocolate e frutas escuras variadas além de defumado, carvão e cinzas) mais melaço de açúcar e álcool aconchegante. Na boca, doçura achocolatada no primeiro toque que no segundo seguinte traz sugestões intensas de caldo de ameixa caramelado em álcool. A textura é sedosa, quase licorosa, e descansando sobre a língua, o líquido traz café e amargor (100 IBUs? Sei) com potência, já que num gole tradicional, o frutado toma a frente. Dai pra frente, doçura de caldo de ameixa, café suave, bem suave, mais chocolate amargo. No final, longo, caldo de ameixa alcoolizado (hehe). No retrogosto, leve defumado, caldo de ameixa, álcool e felicidade. Baaaaita cerveja.

Fechando essa série com uma colaborativa da Nøgne Ø com a Mikkeller e a Brewdog, com as três cervejarias juntando as forças de suas receitas de Russian Imperial Stout mais extremas: Nøgne Ø Dark Horizon (16%), Black Mikkeller (17.5%) e Brewdog Tokyo (18.2%). Brassada em novembro de 2012, essa Nøgne Ø Horizon Tokyo Black junta sete maltes com aveia em flocos, açúcar Demerara e lúpulo Aurora. O resultado é uma cerveja de coloração ainda marrom ainda mais intensa que a Dark Horizon. O creme é bege de baixa formação e rápida dispersão. No nariz, destaque para o malte defumado, que salta à frente de um conjunto que ainda sugere café, chocolate e ameixa. Na boca, a textura é licorosa. O primeiro toque oferece doçura de chocolate amargo seguida de forte presença de defumação e picância alcóolica. O amargor é tanto alcoólico quanto derivado da torra do malte e, dai pra frente, o conjunto se baliza entre chocolate amargo e defumado com percepção de tosta, ameixa e café. O final traz café, álcool e leve defumado. No retrogosto, ameixa, café, calor alcoólico e mais defumado. Muito boa!

Balanço
Abrindo com a Nøgne Ø Red Horizon 2. Edition, uma Norwegian Strong Ale para ser degustada devagarzinho, afinal os 13.5% de álcool recomendam cuidado, e o conjunto provocante pede atenção para todas as nuances de caramelo e ervas. Bem interessante. Partindo para a Nøgne Ø Red Horizon 3º Edition, e para uma cerveja feita no mesmo dia com apenas levedura diferente, surpreende como a número 2 se sobrepõe oferecendo mais estranheza e nuances enquanto a número 3 parece mais “certinha”. Boa também, mas não tão surpreendente. As duas, perto da Dark Horizon 4, parecem brincadeira de iniciante. Aqui a Nøgne Ø consegue alcançar o Olimpo cervejeiro com uma receita espetacular, que crava no Top 20 pessoal, e faz prestar atenção aos demais rótulos. Sensacional. Fechando com a Nøgne Ø Horizon Tokyo Black, ela me soou inferior a Dark Horizon, mas levemente melhor que a Black Mikkeller e a Brewdog Tokyo. O que mais me surpreendeu foi o forte uso de malte defumado, e o resultado é excelente.

Nøgne Ø Red Horizon 2º Edition
– Produto: Norwegian Strong Ale
– Nacionalidade: Noruega
– Graduação alcoólica: 13.5%
– Nota: 3.83/5

Nøgne Ø Red Horizon 3º Edition
– Produto: Norwegian Strong Ale
– Nacionalidade: Noruega
– Graduação alcoólica: 12.5%
– Nota: 3.62/5

Nøgne Ø Dark Horizon 4º Edition
– Produto: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: Noruega
– Graduação alcoólica: 16%
– Nota: 4.73/5

Nøgne Ø Horizon Tokyo Black
– Produto: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: Noruega
– Graduação alcoólica: 16%
– Nota: 4.11/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *