Boteco: Cinco cervejas da Evil Twin (Parte 7)

por Marcelo Costa

Abrindo mais uma série da cigana Evil Twin com a 28ª cerveja da casa a passar pelo Scream & Yell, desta vez uma Imperial IPA chamada Simcoe Slacker e produzida na Two Roads Brewing Company, em Stratford, Connecticut. De coloração amarela dourada remetendo a o estilo New England IPA com creme branco de ótima formação e longa retenção, a Imperial Simcoe Slacker exibe um aroma caprichado com notas que remetem a frutas cítricas (manga e grapefruit) e também herbal (pinho) com sugestão de feno, grama e resina. Na boca, doçura cítrica deliciosa sugerindo manga, laranja e abacaxi. O amargor (70 IBUs) não é forte na pancada, mas em sua extensão, riscando o céu da boca elegantemente enquanto o paladar se delicia com cítrico, herbal e doçura de malte suaves. O final é deliciosamente amargo e refrescante. No retrogosto, cítrico, mais herbal e amargor suaves. Delicia.

Colaborativa da Evil Twin com a Two Roads, que produz a receita, essa Geyser Gose é fruto de vários ingredientes islandeses recolhidos numa viagem: musgo, centeio, ervas, algas marinhas, skyr (iogurte islandês) e sal marinho. O resultado é uma cerveja de coloração dourada e creme branco de boa formação e rápida dispersão. No nariz, um interessante aroma marinho mais percepção de trigo, maçã e uva verdes, limão e acidez. Na boca, baixa e rápida doçura logo atropelada sem dó por salgado e acidez intensos, que passam varrendo tudo. Há leve aproximação com champanhe e remissão a limão e maçã verde. O amor não preocupa, mas sim a acidez, intensa, que causa salivação e adstringência no final, refrescante e marinho. No retrogosto, adstringência, sal, limão e maçã verde. Boa!

Outra colaborativa da Evil Twin com a Two Roads, que produz a receita, a Pachamama é uma Porter com influência Inca que recebe adição de pimenta Aji Panca, batata doce e sementes de milho roxo, bastantes comuns no Peru. De coloração marrom escura com creme bege espesso de boa formação e retenção, a Pachamama Porter exibe um aroma que sugere doçura suave (chocolate, caramelo e baunilha), pimenta bem discreta e café (óbvio) sutil. Na boca, doçura caramelada no primeiro toque seguido de leve acidez, café derivado da torra e pimenta muito sutil, mas naquelas que vai se acumulando na garganta até passar a ser destaque e provocar calor. A textura é cremosa e levemente picante. Dai pra frente, o conjunto se baliza entre a doçura dos maltes e a picância da pimenta, que só aumenta. O final é achocolatado e um tiquinho picante. No retrogosto, mais chocolate, baunilha e leve picância. Boa.

A Evil Twin tem várias estrelas em seu extenso cardápio, e essa Imperial Biscotti Break é uma delas. Trata-se de uma poderosa Russian Imperial Stout (11.5% de álcool) cuja receita recebe adição de grãos de café, amêndoas e favas de baunilha. De coloração marrom bastante escura, quase preta, com creme bege espesso de boa formação e media retenção, a Evil Twin Imperial Biscotti Break exibe um aroma que valoriza a sugestão de café em primeiro plano, mas deixa o bebedor se deliciar com a sutileza das amêndoas e baunilha adicionadas na receita. Na boca, o primeiro toque começa com doçura de chocolate amargo que depois segue para café bastante intenso até que vai perdendo a força e abrindo espaço para a amêndoa e a baunilha brilhem. A textura é sedosa, quase licorosa, e picante. O álcool está maravilhosamente escondido, mas é só deixar o líquido sobre a língua um tiquinho de tempo para sentir o calor dos 11.5%. O final é amendoado e alcoólico. No retrogosto, café, chocolate amargo e amêndoa. Belíssima.

Fechando o quinteto, um clássico da Evil Twin, que já ganhou diversas releituras envelhecidas em barris diferentes (de Bourboun a vinho do Porto, entre outros), mas aqui aparece em sua versão original: Even More Jesus, uma Russian Imperial Stout de 12% de álcool e muito amor. De coloração marrom escura praticamente preta com creme bege espesso de média formação e rápida dispersão, a Evil Twin Even More Jesus exibe o aroma clássico com chocolate amargo, café, frutas escuras e álcool levemente perceptível, mas longe de incomodar. Na boca, doçura alcoólica absolutamente apaixonante com leve achocolatado e algo de cacau – o café dá uma sumida. A textura é espessa, licorosa. O amargor é potente (75 IBUs honestos) derivados tanto da torra do malte quanto da lupulagem. Dai pra frente, um conjunto soberbo, equilibrado (no que é possível nesse exagero todo) e apaixonante. O final é alcoólico com sugestão de… rum e vodka (?). No retrogosto, chocolate, cacau, álcool e sonhos. Foda!

Balanço
Abrindo mais uma série de Evil Twin com a Imperial Simcoe Slacker, uma Double IPA que rende tributo à escola norte-americana, com muito capricho, mas sem tanta novidade. Já a Geyser Gose é um experimento com itens islandeses bem interessante, e o resultado é uma cerveja de matiz sour alemã, mas com uma pegada marinha delicada. Boa. A Pachamama é uma bela Porter com pimenta, e o resultado se baliza entre chocolate e picancia. Curti. Já subindo de nível, a Imperial Biscotti Break é uma estrela do catálogo da Evil Twin, merecidamente, uma baita Russian Imperial Stout com amêndoa e baunilha brilhantemente inseridas. No mesmo (alto) nível, a Evil Twin Even More Jesus é daquelas RIS para se tirar o chapéu, absurdamente alcoólica e macia. Incrível!

Evil Twin Imperial Simcoe Slacker
– Estilo: Imperial IPA
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 7.5%
– Nota: 3,60/5

Evil Twin Geyser Gose
– Estilo: Gose
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 5.5%
– Nota: 3,40/5

Evil Twin Pachamama Porter
– Estilo: Amber Ale
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 6.5%
– Nota: 3,41/5

Evil Twin Imperial Biscotti Break
– Estilo: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 11.5%
– Nota: 4,49/5

Evil Twin Even More Jesus
– Estilo: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: Dinamarca
– Graduação alcoólica: 12%
– Nota: 4,49/5


RANKING PESSOAL: EVIL TWIN
4,49/5 – Evil Twin Even More Jesus
4,49/5 – Evil Twin Imperial Biscotti Break
4,27/5 – Evil Twin Yin & Yang (Oficial Version)
4,26/5 – Evil Twin Yin & Yang (Cocktail Version)
4,19/5 – Evil Twin Yin
4,01/5 – Evil Twin Molotov Cocktail
3,95/5 – Evil Twin Yang
3,93/5 – Evil Twin Ashtray Heart
3,93/5 – Evil Freudian Slip
3,93/5 – Tupiniquin Eviltwin Lost in Translation IPA Brett
3.91/5 – Evil Twin Soft DK
3,90/5 – Evil Twin I Love You With My Stout
3,85/5 – Evil Twin Christmas Eve at a New York City Hotel Room
3,82/5 – Evil Twin Lil’B
3,77/5 – Evil Twin Brazil Metro Man
3.75/5 – Evil Twin Hop Flood
3,75/5 – Tupiniquim Eviltwin Extra Fancy IPA
3,71/5 – Evil Twin The Cowboy
3,68/5 – Evil Twin Ryan And The Beaster Bunny
3,65/5 – Evil Twin Low Life
3,60/5 – Evil Twin Imperial Simcoe Slacker
3,47/5 – Evil Twin Hipster Ale
3,45/5 – Evil Twin Falco
3,41/5 – Evil Twin Pachamama Porter
3,40/5 – Evil Twin Geyser Gose
3,38/5 – Evil Twin Brazil Easy Come Easy Go IPA
3,28/5 – Evil Twin Brazil Ich Bin Ein Berliner Maracujá
3,25/5 – Evil Twin Brazil Big Bang Lager
3,20/5 – Evil Twin Fumaça
3,20/5 – Evil Twin India Summer Pale Ale
3,20/5 – Evil Twin Bikini Beer
3,01/5 – Evil Twin Brazil Ich Bin Ein Berliner

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *