Boteco: dos EUA, Sierra Nevada e Ballast Point

por Marcelo Costa

De Chico, uma cidade californiana de 90 mil habitantes próxima de Sacramento, surge a Sierra Nevada, pioneira cervejaria fundada em 1979, um dos pilares da revolução cervejeira artesanal nos EUA. Essa Sierra Nevada Oktoberfest 2015 é uma sazonal colaborativa dos californianos com a tradicional cervejaria bávara Riegele, e exibe uma coloração âmbar clara caramelada com creme bege quase branco de boa formação e permanência. No nariz, malte em destaque sugerindo caramelo, pão de mel e cereais com suave presença de lúpulo acrescentando toques herbais, condimentados e terrosos. Na boca, textura suavemente picante. O primeiro toque traz caramelo e cereais seguido de herbal suave. O amargor é médio e interessante abrindo as portas para um conjunto refrescante com malte tostado (caramelo e cereais), lúpulo herbal (pinho leve) e final suavemente amargo e caramelado. No retrogosto, condimentação suave, caramelo e herbal. Bem interessante.

A Sierra Nevada Hop Hunter é uma IPA que combina dois maltes (Caramel e Two-Row Pale), e flocos de aveia com lúpulos tradicionais (Bravo, Cascade, Crystal e Simcoe) e, também, óleo de lúpulo (Cascade, Centennial e CTZ) extraído diretamente da plantação “visando intensificar os sabores naturais”, segundo o site oficial. De coloração dourada com turbidez a frio e creme branco espesso de boa formação e retenção, a Sierra Nevada Hop Hunter apresenta um aroma com lúpulo em destaque sugerindo notas cítricas (abacaxi, manga e lichia), herbais (pinho e grama) e levemente resinosas. Na boca, textura picante. O primeiro toque é puro lúpulo (e olha que a garrafa está com 10 meses) ofertando cítrico e herbal. O amargor de 60 IBUs é bem presente, com média permanência. Dai em diante, uma cerveja deliciosa, com cítrico e herbal dividindo as atenções até o finalzinho. No retrogosto, abacaxi, manga, caramelo, pinho. <3

Fechando o trio da Sierra Nevada com a Torpedo Extra IPA, uma India Pale Ale com os mesmos maltes da Hop Hunter (Caramel e Two-Row Pale), mas mais foco no lúpulo Magnum, que é usado exclusivamente para amargor e acompanhado no aroma pelos lúpulos Crystal e Citra. De coloração âmbar caramelada e creme bege claro de boa formação e permanência, a Sierra Nevada Torpedo Extra IPA exibe um aroma mais voltado para (o lúpulo) herbal, com sugestão de pinho e grama em destaque. Há leve presença cítrica e percepção de caramelo na base. Na boca, a textura é picante. O primeiro toque reforça a potencia do lúpulo herbal, mas cedendo espaço para leve cítrico e caramelo. O amargor é eficiente e, ainda que não soe 65 IBUs (50 talvez), abre as portas para um conjunto mais simples que a Hop Hunter, mas muito agradável. O final é suavemente amargo. No retrogosto, mais herbal com leve traço cítrico. Bem boa.

Ainda na Califórnia, mas agora em San Diego, com a Ballast Point Brewery, fundada em 1996 e, hoje, uma das maiores cervejarias artesanais do país (17ª posição em vendas em 2015). A primeira da sequencia é a Wahoo, uma American Witbier que segue a linha da Blue Moon, mas com um tiquinho de condimentação a mais. De coloração amarela levemente alaranjada e turva com creme branco de baixa formação e rápida dispersão, a Ballast Point Wahoo exibe um aroma delicado com notas frutadas (suave laranja, limão e banana), condimentação (semente de coentro) mais trigo e cereais. Na boca, textura leve. O primeiro toque traz algo de cítrico (limão) seguido de maciez de trigo e amargor baixo (15 IBUs), que abrem as portas para um conjunto refrescante com leve união de limão, laranja, trigo e coentro. No final, leve limão trazendo algo de anis. No retrogosto, refrescancia. Perfeita para um dia quente na praia.

Já a Ballast Point Grapefruit Sculpin é uma versão do grande hit da casa (a Sculpin IPA) com adição de suco de toranja, o que acentua seu lado cítrico. De coloração âmbar alaranjada turva com creme bege quase branco de boa formação e média alta retenção, a Grapefruit Sculpin exibe no aroma, em primeiro plano, o predomínio da fruta adicionada, aumentando o poder das notas cítricas (laranja e tangerina) no conjunto, que se sobressaem ao herbal (pinho) e ao caramelo. Na boca, a textura é cremosa e suavemente picante. O primeiro toque traz cítrico seguido de suave resina e doçura caramelada. O amargor está longe, mas muito longe dos 70 IBUs que a cervejaria atesta (40 talvez), mas o conjunto combina com perfeição a potência da toranja com as notas cítricas sugestionadas pelos lúpulos com leve toque de caramelo e terroso na base. O final é seco e cítrico. No retrogosto, toranja, tangerina e caramelo.

Fechando o sexteto com a Ballast Point Grapefruit Sculpin, outra versão do grande sucesso da casa, desta vez acrescida de pimenta Habanero (e, olha, haja pimenta!). De coloração âmbar alaranjada turva com creme bege quase branco de boa formação e média alta retenção, a Habanero Sculpin exibe o aroma tradicional da Sculpin, com destaque para as notas cítricas e herbais derivadas da lupulagem com suave caramelo e resina na base. Há percepção bem leve de condimentação, mas nada que adiante o que vem pela frente. Na boca, a textura é… picante. O primeiro toque traz a Sculpin tradicional com cítrico, herbal e caramelado muito bem combinados e atropelados no segundo seguinte pela pimenta Habanero, que não deixará você se esquecer dela dali em diante, porque amargor, conjunto e tudo mais ficará em quarto, quinto plano: só dá pimenta até o final, quente e picante. No retrogosto, mais Habanero. Pra quem gosta.

Balanço
Abrindo o trio de Sierra Nevadas com uma agradabilíssima Marzen produzida em parceria com a alemã Riegele e sugerindo uma Bohemian Pilsener com malte tostado e suavemente picante. Delícinha. A Sierra Nevada Hop Hunter é uma IPA que, para valorizar a lupulagem, utiliza um óleo de lúpulos (Cascade, Centennial e CTZ) extraído diretamente da plantação. É complicado avaliar o resultado com uma garrafa de 10 meses, mas é possível elogiar essa mesma garrafa e desejar uma fresca na Califórnia. Também com 10 meses de engarrafamento, a Sierra Nevada Torpedo Extra IPA me soou mais simples que a Hop Hunter, mas, ainda assim, interessante e bem herbal.

Partindo para o trio da Ballast Point com a Wahoo, uma American Witbier sem invenções ou maluquices, apenas corretinha. Se decepciona no quesito reinvenção, ao menos não assusta o bebedor com combinações exóticas que dão errado. Simples e eficiente. A Grapefruit Sculpin, que recebe toranja em sua receita, equilibra muito bem a fruta adicionada com a tradicional receita IPA campeã da casa. O amargor, no entanto, se equilibra entre frutado cítrico, doçura de caramelo e terroso, num conjunto bem interessante. Gostei. Fechando o sexteto com a Habanero Sculpin, que esfrega pimenta na cara das concorrentes sem dó: quer uma cerveja apimentada? Ei-la aqui. Ou seja, é pra quem gosta – mas deve combinar maravilhosamente com algum prato indiano e / ou mexicano, viu.

Sierra Nevada Oktoberfest 2015
– Estilo: Marzen
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 6%
– Nota: 3,32/5

Sierra Nevada Hop Hunter
– Estilo: India Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 6,2%
– Nota: 3,51/5

Sierra Nevada Torpedo Extra IPA
– Estilo: India Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 7,2%
– Nota: 3,41/5

Ballast Point Wahoo
– Estilo: American Wheat
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 3,05/5

Ballast Point Grapefruit Sculpin
– Estilo: India Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 7%
– Nota: 3,49/5

Ballast Point Habanero Sculpin
– Estilo: India Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 7%
– Nota: 3,10/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *