Boteco: Cinco cervejas da Burgman

por Marcelo Costa

Abrindo uma sequencia de cervejas da Burgman, cervejaria de Sorocaba aberta em 2010, com a Cosmonauta, uma American Brown Ale que une o dry hopping de lúpulo norte-americano Cascade à tradicional característica do malte tostado. O resultado é uma cerveja de coloração âmbar acastanhada translucida com creme bege de média baixa formação e rápida dispersão. No nariz, predomínio de notas derivadas do malte oferecendo doçura caramelada, chocolate e suave castanha. Há uma discreta percepção herbal. Na boca, textura cremosa com picancia bem discreta. O primeiro toque traz doçura caramelada com leve frutado seguido de amargor médio e, dai em diante, um conjunto que valoriza o malte, com capricho, exibindo notas de chocolate e caramelo, que se intensificam no final. O retrogosto, por sua vez, mantém o perfil de uma cerveja bastante agradável.

Mantendo o malte levemente tostado em pauta, mas aqui com acréscimo de defumado, a Burgman Fumacê é uma Smoked Weiss que, segundo a cervejaria, é inspirada em uma receita polonesa popular no natal (com a cerveja combinado com os pratos natalinos). De coloração âmbar caramelada turva com creme mais branco que bege de boa formação e permanência, a Burgman Fumacê apresenta um aroma em que o defumado salta a frente (sem exageros) e chama a atenção do bebedor deixando doçura caramelada na retaguarda. Na boca, a textura é cremosa. O primeiro toque traz rápida doçura caramelada no primeiro toque atropelada logo na sequencia por defumado, não tão intenso. O amargor é baixo. Dai em diante, um conjunto que junta, com eficiência, caramelo e defumado (quem espera algo de Weiss ficará frustado). O final é levemente caramelado e sutilmente defumado. No retrogosto, mais caramelo que defumado. Boa.

A próxima é a Burgman Casanova, uma Premium Lager bastante interessante, cuja receita se baseia na união dos maltes Pale Ale e Viena mais o dobro de lúpulo de uma Lager tradicional – no caso, os lúpulos alemães Magnum e Hersbrucker mais dry-hopping do lúpulo neozelandês Motueka. O resultado é uma cerveja de coloração dourada, translucida e com turbidez a frio. O creme é branco de boa formação e permanência. No nariz, notas cítricas suaves (limão) dão as mãos para o malte, que oferece doçura suavemente caramelada num conjunto que sugestiona refrescancia, mas com algo mais. Na boca, a textura é levemente frisante. O primeiro toque traz rápida doçura caramelada seguida de cítrico bastante identificável (sugerindo limão). O amargor é baixo (20 de IBU), mas eficiente, abrindo as portas para um conjunto refrescante e bem equilibrado, oferecendo uma Lager saborosa, com cítrico e herbal acompanhando o bebedor até o final. No retrogosto, limão siciliano suave. Gostei bastante.

A quarta da lista é a Burgman IPA HOP, uma India Pale Ale com quatro lúpulos de amargor (Cascade, Amarillo, Mandarina Bavaria e Magnum), três deles também no dry-hopping (os três primeiros). O resultado é uma cerveja de coloração amarelo alaranjada com creme branco de boa formação e permanência (até umas rendas belgas aparecem na taça). No nariz, presença assertiva de lúpulo oferecendo bastante cítrico (limão e tangerina) acompanhado de herbal com suave doçura maltada na base, discreta. Na boca, textura picante. O primeiro toque traz doçura caramelada atropela por amargor herbal na sequencia, potente, ainda que não soe os 60 que a cervejaria adianta (mas tá quase ali, uns 45, 50, vai). Dai em diante, um perfil potente, com amargor assertivo (herbal quase virando resina) e de longa duração. O final é amargo e levemente herbal.

Fechando a série Burgman com a Sid, uma English Pale Ale cuja receita utiliza lúpulos (Fuggles, Challenger e Target) e maltes (Maris Otter) ingleses buscando recriar o estilo mais famoso em pubs britânicos. O resultado é uma cerveja de coloração âmbar caramelada um tiquinho mais clara que os exemplares ingleses, creme branco de boa formação e média alta permanência. No nariz, as notas maltadas tradicionais do estilo oferecendo biscoito, caramelo e toffee com percepção suave de notas herbais. Na boca, a textura é suave com picancia discreta. O primeiro toque reforça o domínio do malte com doçura caramelada suave seguida de amargor baixo, mas eficiente, abrindo as portas para um conjunto inspiradamente britânico, com muito malte (biscoito, caramelo, toffee), leve percepção de lúpulo herbal e amargor bastante suave, mas presente. O final é maltadinho. No retrogosto, leve herbal e caramelo. Correta.

Balanço
Abrindo o passeio pelas cervejas da Burgman, um dos melhores custo / benefício do estado de São Paulo, com a Cosmonauta, uma American Brown Ale mais Brown Ale que American, o que não tira seu mérito, pelo contrário: as notas maltadas que remetem a chocolate são ótimas. Na sequencia, a Fumacê divide o coração: o nome Smoked Weiss não é representado, já que há bastante defumado, mas nada de Weiss. Quem divide espaço com o defumado é o caramelo, e o conjunto é bem interessante (se você curte defumado, mesmo que suave), mas a sensação final é de que essa é uma (Smoked) Weiss sem levedura Weiss – e não basta colocar trigo e dizer que é Weiss. A Burgman Casanova já era uma cerveja que eu vinha bebendo em alguns lugares, pelo excelente custo / benefício (olha ele ai de novo): uma lager levemente cítrica e bem agradável. Vale a pena. Já a Burgman Sid é uma recriação honesta do estilo English Pale Ale, que tenta evocar todos os cacoetes da escola, e consegue, no que acaba sendo seu ponto negativo: pra que beber uma cerveja brasileira que imita um estilo britânico ao invés de beber uma cerveja britânica, muitas vezes pelo mesmo preço? Alguém pode dizer que a versão nacional é mais fresca, mas será mesmo com lúpulo e malte ingleses? Bem, a discussão é longa; Na taça, a Sid faz bonito, mas é uma mera cópia.

Burgman Cosmonauta
– Produto: American Brown Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5,6%
– Nota: 2,94/5

Burgman Fumacê
– Produto: Smoked Weiss
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5,7%
– Nota: 2,86/5

Burgman Casanova
– Produto: Premium American Lager
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,09/5

Burgman IPA HOP
– Produto: American IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6%
– Nota: 3,15/5

Burgman Sid
– Produto: English IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4%
– Nota: 3,02/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.