Boteco: Cinco cervejas Made in USA

por Marcelo Costa

De Boonville, na Califórnia, uma India Pale Ale sazonal de uma cervejaria que capricha no estilo (a Imperial Heelch O’Hops é sensacional), a Anderson Valley. Essa Spring Hornin’ é produzida de janeiro a março e sua receita junta os maltes Pale Two-Row Malted Barley, Crystal e Munich com os lúpulos Columbus, Golding, Nugget e Northern Brewer. De coloração alaranjada com creme bege de boa formação e longa permanência, a Anderson Valley Spring Hornin’ exibe um aroma com notas herbais (pinho) e cítrico (laranja, toranja e maracujá) disputando espaço com uma forte presença terrosa, que ainda destaca um leve resinoso. Na boca, a textura é cremosa e levemente frisante. O primeiro toque traz doçura caramelada seguida por cítrico e amargor pungente (55 de IBU não tão profundos, mas marcantes). Dai pra frente, uma IPA diferente, mais terrosa que herbal e cítrica, ainda que as duas notas estejam na paleta ao lado de doçura de caramelo e resina. O final é herbal e terroso. No retrogosto, amargor herbal e leve cítrico.

De Healdsburg, a cerca de uma hora de Boonville, outra californiana famosa: Bear Republic, que surge aqui representada por sua Hop Rod Rye, uma Imperial IPA que recebe centeio na receita, alcançando 8% de álcool e 80 de IBU. De coloração acastanhada com creme bege alaranjado de boa formação e longa retenção, a Bear Republic Hop Rod Rye apresenta um aroma maltado sugerindo caramelo sutil, frutas cítricas e herbal agressivo (pinho) seguido de resina e leve condimentado. Na boca, textura picante e quase sedosa. O primeiro toque traz rápida doçura caramelada atropelada por amargor mais herbal que cítrico e bastante potente (80 é exagero – 60 estaria de bom tamanho) e profundo, dissolvendo-se em uma nuvem de resina, pinho e laranja. O final traz amargor resinoso e herbal que vai morrendo devagarinho, devagarinho. No retrogosto, caramelo, toffee, cítrico, leve canela e amargor. Muito boa.

De Newport, no Oregon, uma India Pale Ale da Rogue cuja receita choca cinco maltes (2-Row, Carawheat, C15, Rogue Farms Dare e Risk) com o lúpulo Rogue Farms Alluvial, produzido na própria fazenda da cervejaria. De coloração alaranjada com creme branco de traços laranja e ótima formação e media alta permanência, a Rogue Nation Brutal IPA exibe um aroma com bastante cítrico (puxado para toranja, pêssego e acerola), herbal (pinho) e resina. Na boca, a textura é cremosa e levemente picante. O primeiro toque traz rápida doçura em meio a cítrico seguido de amargor potente e profundo (59 de IBU menos brutal do que se espera). Dai pra frente, uma cerveja amarga e resinosa com cítrico carregado de toranja, pouca doçura e um interessante terroso, que aumenta conforme a experiência chega ao fim. No retrogosto, mais toranja, um pouco de pêssego, resina distante e pinho. A brutalidade ficou de fora.

Saindo do território das American IPAs para as Farmhouse Ale de natureza belga com esta bela Boulevard Smokestack Series – Tank 7, de Kansas City, no Missouri. Na receita, malte Pale Ale e trigo se unem aos lúpulos Magnum, Bravo, Amarillo e Citra. Na taça, uma cerveja de coloração amarelo dourado turvo exibe um creme branco de ótima formação e longa permanência. No nariz, notas cítricas caprichadas (abacaxi, maça e laranja lima) convivem lado a lado com notas campestres (feno, ervas, floral) e acidez condimentada derivada da levedura. Na boca, como era de se esperar, a textura é frisante / picante. O primeiro toque traz rápida doçura melada seguida de cítrico e atropelada por acidez, que eleva o amargor aos 38 de IBU, excelentes. Dai pra frente, uma cerveja bastante saborosa, respirando o ar campestre, mas com presença assertiva dos 8.5% de álcool, que tiram as manguinhas de fora conforme a cerveja aquece na taça. No final, floral suave. O retrogosto, por sua vez, traz cítrico, adstringência e suave acidez.

Voltando para Califórnia em direção a El Paso de Robles, cidade de 29 mil habitantes no meio do caminho entre Los Angeles e São Francisco com a primeira da Firestone Walker Brewing a passar por este espaço (outras duas, sensacionais, integraram dois podcasts Boteco Birrinhas, e viraram favoritas da casa), uma cervejaria que hoje integra o conglomerado Duvel Moortgat. A Firestone Double Jack é uma Double IPA porreta cuja receita une os maltes Premium Two-Row, Munich e Crystal com os lúpulos Warrior, Columbus no começo da fervura e Cascade e Centennial no final (mais Amarillo, Cascade, Centennial e Simcoe no Dry-Hopping). O resultado é uma cerveja de coloração âmbar alaranjada com creme branco levemente laranjado de boa formação e média alta retenção. No nariz, resina, pinho e cítrico intensos dominam a atenção, mas não encobrem a base maltada de caramelo, que surge assim que o nariz se acostuma com o ataque dos lúpulos. Na boca, a textura é sedosa e picante. O primeiro toque traz forte resina seguida de cítrico (grapefruit) e amargor intenso (85 de IBU reais!). Dai pra frente, o amargor resinoso toma às rédeas com leve presença de caramelo e cítrico. O final, primeiro caramelo, depois resina. No retrogosto, amargor, pinho, resina e suave caramelo. Uma porrada.

Balanço
A Anderson Valley é uma ótima produtura de IPAs, mas essa aposta sazonal dos californianos soa um pouco deslocada, com terroso se sobrepondo ao conjunto cítrico e herbal. É uma boa para quem quer variar de IPA, mas a Heelch O’Hops reina absoluta em Boonville. Falando em potência, a Bear Republic Hop Rod Rye é daquelas cervejas extremas norte-americanas que conseguem oferecer algo diferente, um mérito raro. No caso, a adição de centeio amacia uma cerveja resinosa e bastante amarga. Que delícia. A Rogue Nation Brutal IPA, por sua vez, pode ser muita coisa, mas Brutal é algo que ela não é. No máximo, uma boa American IPA, que fica devendo pelo exagero do nome. Saindo do território das American IPAs para uma maravilhosa Saison com a excelente Boulevard Smokestack Series – Tank 7, um capricho só. Fechando o quinteto com uma porrada da Firestone, presente do Renato Moikano, que a trouxe de LA: Double Jack, uma Double IPA que é escola norte-americana em sua essência, amargor e resina excessivos com cítrico e caramelo suavemente presentes. Um desafio saboroso.

Anderson Valley Spring Hornin’
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 6,8%
– Nota: 3,19/5

Bear Republic Hop Rod Rye
– Produto: Imperial IPA
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 8%
– Nota: 3,78/5

Rogue Nation Brutal IPA
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 6,3%
– Nota: 3,25/5

Boulevard Smokestack Series – Tank 7
– Produto: Farmhouse Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 8,5%
– Nota: 3,80/5

Firestone Walker Double Jack IPA
– Produto: Imperial IPA
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 9,5%
– Nota: 3,84/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *