Boteco: Três cervejas da Jambreiro, de Nova Lima

por Marcelo Costa

De Nova Lima, Minas Gerais, e integrante da Inconfidentes – Cervejarias Conjuradas ao lado da Vinil e da Grimor, a primeira cerveja da Jambreiro a passar por este espaço é a LebensKraft, uma Kolsch, estilo originário de Colônia, na Alemanha. De colorada dourada com leve turbidez e creme branco de alta formação – até com principio de “gushing” (quando a cerveja não para de espumar), a Jambreiro LebensKraft apresenta um aroma maltado, sugestionando caramelo, biscoito e cereais. Há, ainda, leve floral e cítrico distante. Na boca, textura cremosa com suave frisante. O primeiro toque reforça o domínio do malte com sugestão de cereais seguida de doçura e amargor eficiente (20 de IBU bem distribuídos). Dai pra frente, um conjunto maltado e saboroso, com leve acidez e final amarguinho. No retrogosto, amargor suave e maltado. Boa.

A Jambreiro Bâdil é uma caprichada American Brown Ale – com três tipos de malte de cevada e três tipos de lúpulos. De coloração âmbar acastanhada com creme bege de ótima formação e longa permanência, a Jambreiro Bâdil apresenta um aroma delicioso: amêndoas, chocolate e café de mãos dadas, criando uma paleta aromática harmoniosa. Na boca, a textura é cremosa e, assim como a LebensKraft, levemente picante devido a acidez. O primeiro toque traz algo frutado (que, surpresa, traz algo de jabuticaba e frutas escuras). O amargor, apesar de ter um IBU maior do que a da LebensKraft (30), é mais suave, o que permite ao malte mais espaço no conjunto, com doçura caramelada, toffee, chocolate e baunilha bastante presentes. O final é doce e frutado. No retrogosto, mais frutada, doçura achocolatada e baunilha. Gostei.

Fechando o trio que veio na mala de Belo Horizonte com a Jambreiro Belgian Dark Strong Ale, cuja receita une maltes caramelizados, lúpulos herbais e dois tipos de levedura. De coloração âmbar acastanhada com creme bege de boa formação e média retenção, a Jambreiro Belgian Dark Strong Ale exibe um aroma com doçura maltada em destaque sugerindo açúcar mascavo, caramelo, toffee e nozes. Na boca, a textura é sedosa com um tiquinho de picancia (fiquei na dúvida se era de acidez ou de álcool). O primeiro toque traz doçura maltada caramelada com álcool (são 9.5%). O amargor é baixo (22 de IBU), mas ganha força com o álcool. Dai em diante, uma cerveja potente com uma doçura caprichada (e não enjoativa!): açúcar mascavo, toffee, caramelo, frutas escuras e álcool conquistam o paladar. O final é levemente doce e alcoólico. No retrogosto, bastante suave, doçura e calor. Muito boa!

Balanço
Descontando o incomodo do gushing, a Jambreiro LebensKraft desceu macia e gostosa, com uma leve aridez interessante, provocante. A Jambreiro Bâdil me agradou bem mais, com malte tostado dando as cartas e um conjunto bastante agradável – achocolatado, baunilha, frutado e café, este último distante. Bem boa! Melhor ainda é a Jambreiro Belgian Dark Strong Ale, que se destaca no cardápio das Inconfidentes com profundidade tanto no aroma quanto no paladar. Um delícia.

Jambreiro LebensKraft
– Estilo: Kolsch
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 2,85/5

Jambreiro Bâdil
– Estilo: American Brown Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,00/5

Jambreiro Belgian Dark Strong Ale
– Estilo: Belgian Dark Strong Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9,5%
– Nota: 3,40/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)
– Leia mais sobre as Cervejarias Conjuradas Jambreiro, Grimor e Vinil (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.