Boteco: cinco cervejas Made in USA

por Marcelo Costa

De Fullerton, na Califórnia, a Bootlegger’s Brewery (fundada em 2008) marca presença com a Rustic Rye IPA, uma American IPA produzida pela primeira vez em 2009, e cuja receita coloca o inocente centeio em meio a um oceano de lúpulos. De coloração âmbar translucida com creme branco de média formação e permanência, a Bootlegger’s Rustic Rye IPA apresenta um aroma bem lupulado, com notas cítricas no comando, mas sem se sobrepor ao malte, que acrescenta um toque de caramelo e biscoito. Na boca, a textura é picante, mas menos do que se espera de uma cerveja com autodenominados 90 de IBU. O primeiro toque traz rápida doçura melada seguida de cítrico. O amargor subsequente decepciona um tiquinho: a cervejaria alega 90, mas se for 40 é muito. Ao menos ele é duradouro e se infiltra em meio ao cítrico e ao caramelado do conjunto. O final é levemente resinoso. No retrogosto, amargor, cítrico e resina. Ok.

De Cooperstown, no estado de Nova York, a elogiada Ommegang (fundada em 1997 e vendida para a Duvel Moortgat em 2003) marca presença com seu carro chefe, a Three Philosophers, um blend com 98% de uma Belgian Dark Ale própria (maltes Munique, Caramel, Pilsen, Amber, Xtra Special mais lúpulos Spalt Select e Styrian Golding com levedura própria da Ommegang) e 2% de Liefmans Kriek. O resultado é uma cerveja de coloração âmbar escura com creme bege de média formação e alta permanência. No nariz, frutas escuras e vermelhas (ameixa, cereja), toffee, caramelo, baunilha, acidez e álcool suave, mas perceptível. Na boca, textura sedosa, quase licorosa. O primeiro toque traz doçura melada seguida de frutado, ambas atropeladas pelos 9.7% de álcool, que chamam mais a atenção do que o amargor, baixo. Dai pra frente, uma cerveja para se beber suavemente, devagar e sempre: frutas escuras, vermelhas, doçura, álcool, tudo na medida certa para alegrar a alma. O final é frutado e picante. No retrogosto, leve adstringência, frutado, caramelo e toffee (talvez um defumado distante). Excelente.

De São Francisco, na Califórnia, a Speakeasy Ales and Lagers (fundada em 1997) está presente com a Payback, uma caprichada Porter cuja receita une quatro maltes (Two Row Pale, English Chocolate, Dark English Crystal e DeHusked Carafa) com aveia e lúpulos norte-americanos (Chinook e Cascade). De coloração preta com creme bege denso de ótima formação e média alta retenção, a Speakeasy Payback é dominada pelos aromas clássicos do estilo: chocolate e café. Há leve sugestão de baunilha, defumado, alcaçuz, aveia e nozes. Na boca, uma textura suave, quase aveludada. O primeiro toque reforça a sugestão de chocolate (doçura) e café (torra). O amargor (35 de IBU) é eficiente e abre caminho para um conjunto equilibrado entre café e chocolate, com sugestões de baunilha, defumado e aveia. O final é levemente amargo enquanto o retrogosto junta achocolatado, café, baunilha e mais alcaçuz. Uma delicia.

De Milton, em Delaware, a Dogfish Head marca presença com sua Indian Brown Ale, lançada em 1999, fruto do cruzamento de três estilos: Scotch Ale, India Pale Ale e American Brown Ale. De coloração âmbar bem escura com creme bege de ótima formação e média alta retenção, a Dogfish Head India Brown Ale apresenta um aroma com doçura caramelada levemente Scotch (ou seja, alcoólica) mais baunilha, açúcar mascavo (presente na receita), madeira e um leve presença cítrica. Na boca, a textura é aveludada, mas também picante. No primeiro toque, doçura e conhaque suave encantam. O amargor é metade dos 50 IBUs que Sam Calagione diz que a cerveja, mas é eficiente. Dai em diante, um conjunto equilibradíssimo com doçura melada de álcool na medida certa, leve cítrico, baunilha e madeira. Uma delícia. O final é apaixonadamente doce. No retrogosto, conhaque suave, caramelo e açúcar mascavo. Amor.

De Holland, no Michigan, a New Holland Brewing Company marca presença com sua Dragon’s Milk Bourbon Barrel Stout, cuja receita de 2001 une os maltes Munich, 2 row, Caramel, Crystal, Black e Chocolate com cevada em flocos e lúpulos Glacier e Nugget, depois descansa 120 dias em barris de carvalho usados para maturar Bourbon. O resultado é uma cerveja de coloração marrom escura, quase preta, com creme bege escuro de baixa formação e média retenção. No nariz, Bourbon, baunilha, chocolate ao leite, frutado (amoras e leve frutas vermelhas) e açúcar mascavo. Na boca, textura pastosa quase licorosa revelando o álcool, muito bem escondido. O primeiro traz tanto Bourbon suave quanto baunilha. O amargor (31 de IBU) é alcoólico. Dai pra frente, um conjunto equilibrado entre Bourbon (álcool) e doçura (baunilha) com leve presença frutada. O final traz Bourbon suave enquanto o retrogosto providencia calor, Bourbon e doçura. Delicia!

Balanço
Abrindo essa sequencia norte-americana com a Bootlegger’s Rustic Rye IPA, presente do amigo Leonardo Dias, e nada como beber uma American IPA made in USA fresca: lúpulos bastante presentes, mas sem alcançar o IBU que a casa insinua que ela tem: eles dizem 90, mas 40 tá de bom tamanho. Ótima cerveja. Melhor ainda é a Ommegang Three Philosophers, presente do Gleison Palma, uma potente Quadrupel produzida em Nova York, que consegue aliar sabor, profundidade e porrada alcoólica. As cerejas, derivadas da adição de Liefmans Kriek, aparecem suavemente no conjunto, só pra atiçar a curiosidade do bebedor. E funciona. Uma bela cerveja. A Speakeasy Payback é uma caprichada Porter de São Francisco, que consegue executar o estilo inglês com maestria. Indo para as experimentais, a Dogfish Head India Brown Ale, que o Tiago Trigo me agraciou, é uma tentativa de unir Scotch Ale, India Pale Ale e American Brown Ale, e cada um destes estilos está levemente presente nesta boa cerveja de Milton, no Dellaware. Do Michigan, a New Holland, presente do Rodrigo Salem, marca presença com uma cerveja agressivamente alcoolica, ainda que o paladar não vá perceber isso com tanta facilidade, um dos méritos da ótima receita, que capricha na valorização do velho barril de Bourbon que utiliza. Quero outra 🙂

Bootlegger’s Rustic Rye IPA
– Estilo: India Pale Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 6,2%
– Nota: 3,28/5

Ommegang Three Philosophers
– Estilo: Belgian Quadrupel
– Nacionalidade:EUA
– Graduação alcoólica: 9,7%
– Nota: 3,82/5

Speakeasy Payback
– Estilo: Porter
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 7,5%
– Nota: 3,40/5

Dogfish Head Indian Brown Ale
– Estilo: American Brown Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 7,2%
– Nota: 3,76/5

New Holland Dragon’s Milk Bourbon Barrel Stout
– Estilo: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 10%
– Nota: 3,79/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *